FMO janeiro 2020


05/03


2020

Coluna da quinta-feira

Patrícia fora do balcão, avisa Álvaro

Em entrevista, ontem, a este colunista e blogueiro, o líder do Podemos no Senado, Álvaro Dias (PR), jogou um balde de água gelada na pretensão dos pré-candidatos a prefeito do Recife, Mendonça Filho, do DEM, e Daniel, do Cidadania, de trazerem à pré-candidata Patrícia Domingos para construção de um entendimento capaz de levar à escolha de um candidato único do bloco, como pregam os dois pretendentes, já com um prévio acordo fechado lá atrás, antes da delegada ser confirmada pelo Podemos.

“A candidatura de Patrícia não está no balcão de negócios”, diz Dias, enfaticamente, adiantando que o partido, ao buscar o ingresso da delegada, não pensou em barganhar com ninguém por estar certo de que ela tem potencial eleitoral para ganhar a eleição, independente de alianças partidárias. “Patrícia é o fato novo e terá autonomia, ao lado do nosso presidente estadual, Ricardo Teobaldo, para decidir os rumos da campanha”, acrescentou.

Desde que a delegada entrou no páreo, Mendonça e Daniel esperam dela uma sinalização para a construção de um palanque único. Um deles chega a sonhar com a possibilidade de Patrícia aceitar a vice, numa composição envolvendo os três partidos – DEM, Cidadania e Podemos. Mas ao assegurar o seu ingresso na legenda via Brasília, ou seja, através da presidente Renata Abreu e do próprio Álvaro, Patrícia acabou avocando para si o rumo que tomará daqui para a frente.

Na entrevista, o senador se mostrou bastante empolgado com a candidatura de Patrícia, chegando a afirmar que está aberto a participar de sua campanha no Recife. “Serei uma presença constante no Recife, porque sei que estamos oferecendo o que há de mais novo e revolucionário na política. Patrícia é a certeza de que Recife, enfim, encontrará um rumo”, assinalou.

Fim do castigo – Na entrevista que concedeu, ontem, ao Frente a Frente, direto de Brasília, o deputado Felipe Carreras disse que já cumpriu o castigo imposto pelo PSB por ter votado a favor da reforma da Previdência. Salientou que está de volta às comissões temáticas da Casa e que reabriu, junto com os demais dez parlamentares punidos, as negociações com a direção socialista. Carreras, no entanto, ressaltou que isso não significa, na prática, que venha a votar sob a orientação do partido nos principais projetos que forem postos em discussão na Câmara. “Continuarei votando com a minha consciência”, afirmou.

Obediência canina – Em conversa com este blogueiro, ontem, em Brasília, o senador Humberto Costa garantiu que se curvará à decisão do PT se a direção nacional optar de fato pela candidatura de Marília Arraes. Fez a ressalva, porém, de que o diretório municipal vai derrotar, em votação, a tese da candidatura própria. “Mas essa não é a instância final, esta pertence ao comando nacional do PT”, enfatizou. O PT deve decidir se vai com ou sem Marília para o embate no Recife até o final de março.

Poço de mágoa – Dentre outros motivos para não apoiar Marília, Humberto guarda o ressentimento dela não ter obedecido à resolução do PT na eleição passada em apoio à reeleição do governador Paulo Câmara. “Ela sequer votou em mim para o Senado”, reclamou. Pelo tom do senador, a pré-candidata petista exerce o seu mandato e toma as suas decisões políticas fugindo as orientações partidárias, seja no âmbito de Brasília, no Congresso Nacional ou em Pernambuco.

Água no chope – Os Ferreira, grupo liderado pelo prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira (PL), estavam bem próximos de selar entendimento com o Palácio pelo qual o PSB não teria candidato em Jaboatão, mas o sinal amarelo foi aceso com o anúncio da transferência do domicílio eleitoral do ex-deputado Silvio Costa do Recife para o município. Se vier de fato a disputar a Prefeitura de Jaboatão, Silvio pode botar água no chope de Anderson, que já não tem um cenário favorável à reeleição.

CURTAS

IRMÃO DIRETOR – Informações levantadas pelo blog apontam que Pedro Campos, irmão do candidato a prefeito do Recife pelo PSB, João Campos, está cotado para assumir uma diretoria na Compesa. Recém concursado como engenheiro da Compesa, mesmo tendo pouco mais de um ano de experiência na estatal, Pedro já ocupa desde o início da gestão de Manuela cargo de confiança como assessor de diretoria. Uma empresa com a capilaridade e o poder de fogo da Compesa, que atende mais de 170 municípios em todo o Estado e investe mais de R$ 800 milhões por ano, pode ser utilizada pela primeira vez como uma máquina para eleger prefeitos, bombeando votos ao invés de água.

RACHADINHA – O senador Flávio Bolsonaro (sem partido) entrou com um habeas corpus no Tribunal de Justiça do Rio para tentar, mais uma vez, paralisar as investigações sobre suspeita “rachadinha” no gabinete dele quando era deputado estadual. A defesa do parlamentar alega que os fatos são relativos ao tempo em que ele estava na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e, por isso, deveriam ser analisados em segunda instância.

CRISTOVAM E CINTRA – A degola do empresário Douglas Cintra da chefia da Sudene, ontem, lembrou o episódio do senador Cristovam Buarque quando caiu do Ministério da Educação no Governo Lula, só com uma pequena diferença: Cristovam ainda recebeu um telefonema, enquanto Cintra soube pela mídia online. Isso prova que a lealdade do presidente aos que batem continência ao seu Governo é próxima a zero.

Perguntar não ofende: Quem vai ser a próxima vítima do presidente Bolsonaro?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Vazou! Reunião emergencial após o Bozo descobrir que é corno.

Fernandes

ô marluxo de camaragibe, teu problema é teu bioco coçando é? O teu Hélio Negão não compareceu foi? No corretor de texto tá tudo certo brioco. KKKK

marcos

Quem chama bozo Queima a rosquinha!

Fernandes

O presidente da França Emmanuel Macron, avisa ao Bozo: Você tem uma mulher bonita né? Mas é corno. KKKK

Fernandes

Partido de Bolsonaro enviou assinaturas de eleitores mortos ao TSE. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou ter identificado a assinatura de sete eleitores mortos na lista de apoios apresentada pelo Aliança pelo Brasil, partido que o presidente Jair Bolsonaro.


Detra maio 2020 CRLV


04/03


2020

Coluna da quarta-feira

Lei da mordaça no PT

A executiva nacional do PT adotou a lei do silêncio sobre o destino do partido nas eleições no Recife. É a chamada lei da mordaça, não se sabe se baixada pela presidente nacional da legenda, Gleisi Hoffman, ou adotada espontaneamente pelos dirigentes José Guimarães e Paulo Teixeira, escalados para buscar a construção do consenso quanto à candidatura de Marilia Arraes, nas intermináveis reuniões da sexta-feira passada, na capital pernambucana.

Procurado ontem em Brasília por este colunista, José Guimarães, vice-presidente da executiva nacional, se negou a fazer qualquer comentário sobre o processo desencadeado no Recife, junto à executiva municipal, para se fazer cumprir a resolução, baixada pelo diretório nacional, de o partido disputar em faixa própria as prefeituras das capitais e dos municípios com eleitorado acima de 200 mil.

“Estou sem poder falar”, retrucou Guimarães, localizado, ontem, no corredor das comissões do anexo III, da Câmara dos Deputados. O deputado cearense, que há dois meses deu uma entrevista exclusiva ao Frente a Frente e ao meu blog, falando da sua disposição de brigar pelo espaço conquistado por Marília, mudou de comportamento, apresentando irritação e até afobação.

Sua postura tem tudo a ver com a provável recomendação que recebeu para evitar declarações até que o processo não contamine de vez o senador Humberto Costa, que bate de frente com a tese da candidatura de Marília, a ponto de ter dado “pitis” no encontro sem fim do Recife. Também procurada, Gleisi se negou a falar por meio de um recado da sua assessoria de comunicação.

O silêncio favorece ou prejudica Marília? Por um lado, pode ser interpretado como sinalização de que os dirigentes nacionais, fechados com a candidatura dela, não querem ir para o confronto direto com Humberto. Mudos ou falantes, o fato é que a direção do PT tem até o próximo dia 30 para dar um desfecho ao imbróglio Recife.

Em maus lençóis – O secretário de Defesa do município do Recife, Murilo Cavalcanti, criou mais um problema para o chefe Geraldo Júlio: a gravação do vídeo em defesa aberta da liberação de drogas pesadas chegou ao gabinete do presidente Bolsonaro. “Foi um crime de má-fé”, afirma o secretário-nacional interino de Prevenção às Drogas, Edu Cabral, que fez chegar o vídeo ao ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, e também ao próprio Bolsonaro. Para ele, a gestão de Geraldo vai na contramão da história quando o Governo Federal abre mais 30 mil vagas em clínicas de recuperação de dependentes químicos.

Termômetro anti-Marília – O prefeito de Águas Belas, Luiz Aroldo, petista e militante histórico, comentava, ontem, nos corredores do Congresso, ter sentido em Brasília, junto aos dirigentes nacionais do PT, um clima desfavorável à candidatura de Marília Arraes à Prefeitura do Recife. Ele próprio é favorável à manutenção da aliança com o PSB, repetindo a mesma coligação que em 2018 reelegeu o governador Paulo Câmara e Humberto Costa para o Senado. Aroldo vai à reeleição no município numa dobradinha com o PSB.

Na liderança – No sexto mandato federal, o deputado Wolney Queiroz vira, hoje, se não der uma zebra de última hora, o novo líder do PDT na Câmara dos Deputados. A bancada, com 28 parlamentares, vota a indicação de Wolney logo cedo. O pernambucano passa a substituir o deputado cearense André Figueiredo, responsável pela sua indicação. Wolney, na condição de líder por um ano, ficará livre de conduzir o processo de degola da deputada paulista Tábata Amaral, namorada do pré-candidato do PSB a prefeito do Recife, João Campos. Tábata foi jogada na jaula dos leões por ter votado a favor da reforma da Previdência.

Míssil jaboatonense – A primeira artilharia que o pré-candidato do Republicanos à Prefeitura de Jaboatão, Silvio Costa, está preparando tem munição para alimentar um míssil: as denúncias envolvendo o aluguel milionário de um prédio para construção do centro administrativo. Os valores, de R$ 400 mil iniciais e depois R$ 200 mil, estando hoje em R$ 300 mil, foram questionados na justiça e acabaram servindo de sustentação para pedido de uma CPI, não cumprida até agora pela Câmara de Vereadores.

CURTAS

PROTESTO – Um protesto interditou a Avenida Agamenon Magalhães, na tarde de ontem, no Derby, na área central do Recife. De acordo com a autarquia de Trânsito e Transporte Urbano da capital (CTTU), foram fechadas as pistas principal e local no sentido Centro/Boa Viagem. Imagens enviadas para o WhatsApp do blog mostraram um grupo de residentes em saúde protestando na Agamenon Magalhães. Eles levaram faixas pedindo a “valorização da categoria”. Foi a segunda grande manifestação nos últimos dias, sem que o Governo se manifeste quanto ao atendimento do pleito da categoria.

PRECEDENTE – Pré-candidato a prefeito do Recife pelo Partido Novo, o procurador Charbel Elias Maroun, da Prefeitura do Recife, já foi condenado num processo em 2008 em Minas Gerais, pelo Tribunal de Ética e Disciplina da OAB, por apropriação indébita de recursos de clientes. A pena disciplinar foi a suspensão do exercício da advocacia por 30 dias, até devolver o dinheiro comprovadamente. Antes de virar procurador na capital pernambucana, Charbel atuou em Minas. 

CERCO AOS POLICIAIS – Foi aprovada, ontem, em segunda votação, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Ceará que proíbe a concessão de anistia a militares que aderirem a motins ou paralisações. A proposta foi apresentada pelo governador Camilo Santana, dois dias antes de policiais militares decidirem pelo encerramento do motim no Ceará, que já chegava ao 13º dia. No primeiro turno, 34 deputados votaram a favor da PEC e dois votaram contra (Delegado Cavalcante, do PSL, e Soldado Noelio, do Pros). Houve uma abstenção (David Durand, do Republicanos).

Perguntar não ofende: O deputado Túlio Gadelha, que vive de birra com Wolney Queiroz, vai bater continência para o novo líder do PDT?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

TSE encontra assinaturas de mortos na lista de apoiadores do partido de Bolsonaro. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou ter identificado a assinatura de sete eleitores mortos na lista de apoios apresentada pelo Aliança pelo Brasil, partido que o presidente Jair Bolsonaro tenta criar. O Aliança pelo Brasil já apresentou mais de 80 mil fichas assinadas ao TSE, mas, segundo o balanço mais recente, apenas 6.605 foram aprovadas – menos de 2% do necessário. Outras 13,7 mil foram rejeitadas pelos técnicos da Corte, incluindo a dos sete apontados como mortos. O restante está em análise.

marcos

Esse Humberto é muito rico, o Vampirão tem 400 cargos no governo do PSB em Pernambuco.

marcos

Quem tem mais rachadinha Flávio ou Humberto?

Fernandes

Promotor quebra o silêncio no Ministério Público e diz que Bolsonaro é um cafajeste. Paulo Brondi, do MP-GO, afirmou que Bolsonaro é cafajeste, macho de meia tijela e a parte podre de um país adoecido.

Fernandes

Reinaldo Azevedo: Guedes tem de parar de vender vento. O jornalista Reinaldo Azevedo afirmou que a culpa do crescimento pífio do país é de Bolsonaro e que a ilusão de que a reforma da Previdência traria crescimento caiu por terra.


Abreu e Lima - Maio


03/03


2020

Coluna da terça-feira

Os marajás da fé

Não é de hoje que pastores, bispos, padres e outros pregadores da fé são envolvidos em escândalos liderando igrejas, independente da denominação. A Católica bateu recorde no ano passado. O Vaticano anotou mais de mil queixas feitas pelos fiéis as mais dispares possíveis, desde sexuais a desvios de dinheiro. A revista americana “Forbes” fez um levantamento com base em dados do Ministério Público e da Polícia Federal, além de jornais e revistas brasileiras, para chegar a uma estimativa de renda dos pastores evangélicos do País.

A maior fortuna seria a do pastor Edir Macedo, que acumula US$ 950 milhões. Já o polêmico Silas Malafaia, líder do braço brasileiro da Assembleia de Deus, maior igreja pentecostal do Brasil, detém uma fortuna estimada de US$ 150 milhões dólares. O compositor, cantor e apresentador Romildo Ribeiro Soares, o RR Soares, fundador da Igreja Internacional da Graça de Deus, teria fortuna estipulada em US$ 125 milhões, enquanto Estevam Hernandes Filho e sua esposa, Bispa Sonia, fundadores da Igreja Renascer em Cristo, acumulariam fortuna estimada de US$ 65 milhões.

Qualquer dos números é escandaloso, como igualmente é escandalosa a planilha que este blogueiro teve acesso, através do jornal O Poder, aos proventos da Igreja Assembleia de Deus liderada em Pernambuco pelo pastor Ailton Alves. Pastor de um exército calculado em 600 mil alvas vivas, ele aparece no topo da lista dos marajás da congregação, com cerca de mil igrejas, embolsando mais de R$ 100 mil por mês.

Nas redes sociais, os fiéis mais desconfiados cobram explicações ao pastor-marajá, entre elas a de ter um filho, o pastor Ailton Júnior, com salário de R$ 40.110,00. A família, portanto, é contemplada com mais de R$ 150 mil dos dízimos arrecadados em nome da fé por milhares de adeptos da radical Assembleia de Deus espalhada de canto a canto do Estado, com ramificações da capital até a menor cidade do Sertão.

Em se tratando um Estado pobre, localizado numa região como o Nordeste, marcada pelas dramáticas desigualdades sociais, onde 30% sobrevivem com uma renda inferior a meio salário mínimo, isso se traduz num soco no estômago da sociedade, especialmente daqueles que frequentam a igreja e apostam na boa fé dos seus pastores.

O silêncio do pastor – Procurado pela reportagem, o pastor Ailton Alves não se pronunciou. Embora sua igreja tenha uma TV, a Estação Sat, e uma rede de rádios no Estado, com mais de 30 emissoras, ele não dá entrevistas. Consegui falar com o deputado e pastor Adalto, que não aparece na lista. Segundo ele, os super salários são fictícios, produto de uma gente insatisfeita com o crescimento da Igreja e que vem fazendo uma campanha incendiosa contra o pastor que a lidera. “O pastor Ailton é um homem sério e de bem e não há como acreditar em salários tão polpudos”, rebate o parlamentar.

Sentimento nacional – De volta, hoje, a Brasília, a pré-candidata do PT à prefeita do Recife, Marília Arraes, deve colher o sentimento da executiva nacional em relação ao impasse criado pelo diretório municipal quanto ao seu projeto de disputar a sucessão do prefeito Geraldo Júlio. Entre os que estiveram no Recife, na última sexta-feira, quando as reuniões se prolongaram por todo o dia, entrando pela noite, o vice-presidente nacional do PT, José Guimarães, deputado federal pelo Ceará. Guimarães é o mais fervoroso defensor da candidatura própria ao lado da presidente Gleisi Hoffman.

Acredite se quiser – Na entrevista que concedeu, ontem, ao Frente a Frente, o presidente estadual do PSD, André de Paula, afirmou que pode tomar no Recife uma decisão que contrarie a expectativa do PSB, que espera contar com o seu apoio e sua presença no palanque de João Campos. “Ainda não decidimos Recife e minha candidatura continua mantida”, disse, adiantando que tem aproveitado essa fase que antecede as definições para conversar com todos os pré-candidatos. Ele citou Daniel Coelho, Mendonça Filho e até Marília Arraes como opções que podem atrair o apoio do PSD.

Desconfiança – Ao ser informado que o pré-candidato do PSB a prefeito de Petrolina, Lucas Ramos, poderia vir a ser fritado e engolido pelo acordo envolvendo PSB e PT no Recife, o ex-prefeito Júlio Lóssio (PSD) comunicou ao Palácio que teria muitas dificuldades em apoiar o pré-candidato do PT, Odacy Amorim. Na verdade, o que separa Lossio de Amorim não é o PT, mas a relação de desconfiança entre eles. O ex-prefeito não acredita em nenhuma palavra que saia da boca de Amorim, mesmo sabendo tratar-se de uma liderança de fé, ligada a uma denominação evangélica. “A desconfiança é no campo político”, afirmou uma fonte.

CURTAS

ADESÃO FRACASSADA – As lideranças de oposição não atenderam ao convite do prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira (PL) para o ato de ontem no qual o PSD, de André de Paula, formalizou o apoio à sua reeleição. No domingo, véspera do encontro, Anderson passou o dia inteiro pendurado ao telefone, mas além de André, presença natural, só estava lá o deputado Fernando Rodolfo, que é do PL, partido do prefeito. Pelo jeito, estamos diante de um caso literal da tese explicita da montanha que pariu um rato.

TÉRCIO CAI FORA – A adesão do PSD de André de Paula provocou, por outro lado, a revoada de uma importante fatia da Igreja no apoiamento à reeleição do prefeito de Jaboatão: o segmento evangélico liderado pelo Pastor Tércio. Tudo porque Júnior, genro do pastor, casado com a deputada Clarissa Tércio, não teve o respaldo do PSC, do deputado André Ferreira, irmão de Anderson, para disputar um mandato de vereador no Recife. O bicho pegou e o pastor, que controla mais de cem igrejas, está injuriado, doido para dar o troco nas urnas em Jaboatão.

ATAQUE MORTAL – Na sua primeira grande edição do pós carnaval, O Poder trouxe, ontem, um belo furo do jornalista Antônio Magalhães: o ataque fenomenal de hacker a uma grande empresa pernambucana, não citada para proteger a sua imagem. Teve seus todos os seus dados corporativos hackeados. A negociação com o hacker, segundo Magalhães, terminou com a empresa se submetendo à chantagem, pagando uma boa grana para liberar e recuperar seus dados.

Perguntar não ofende: Bolsonaro vence, hoje, a queda de braço com o Congresso para manter o veto a não imposição do orçamento de R$ 30 bilhões?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

PARA OS POLÍTICOS ANALFABETOS, E OS ANALFABETOS POLÍTICOS. PAULO FREIRE É UM INIMIGO!

marcos

Paulo Freire é muito é Fressssssssssssssssssssssco!

Fernandes

PARA OS POLÍTICOS ANALFABETOS, E OS ANALFABETOS POLÍTICOS. PAULO FREIRE É UM INIMIGO!

Fernandes

Paulo Freire é terceiro teórico mais citado em trabalhos acadêmicos no mundo. O educador, pedagogo e filósofo brasileiro Paulo Freire é considerado, mundo a fora, um dos mais notáveis pensadores da história da pedagogia. Patrono da educação brasileira, Freire é simplesmente o brasileiro mais homenageado em todos os tempos, com 29 títulos de Doutor Honoris Causa por universidades da Europa e da América, e centenas de outras menções e prêmios, como Educação pela Paz, da UNESCO, que Freire recebeu em 1986.

Fernandes

Articulador da Aliança pelo Brasil tem dívida de R$ 8 milhões em impostos com a União. Apontado como principal operador político da Aliança pelo Brasil de Jair Bolsonaro, o advogado Luís Felipe Belmonte dos Santos possui débitos de impostos junto à União que somam R$ 8 milhões. A maior parte da dívida (R$ 6,9 milhões) consta no nome do advogado que também é empresário – R$ 1 milhão está registrado como cobrança para o escritório. O antagonista


Prefeitura do Ipojuca


02/03


2020

Coluna da segunda-feira

PT nacional banca Marília

Vice-presidente da Executiva Nacional do PT, o deputado cearense José Guimarães e o secretário-geral Paulo Teixeira queimaram saliva por mais de dez horas, na última sexta-feira, no Recife, com dirigentes da legenda em Pernambuco e a pré-candidata do partido à sucessão do prefeito Geraldo Júlio, Marília Arraes, mas pegaram o voo de volta sem avançar um palmo sequer no plano da candidatura própria, objeto de resolução do diretório nacional para ser cumprida em todas as capitais.

O pivô da resistência é o senador Humberto Costa, que faz o jogo do PSB, do governador Paulo Câmara e do prefeito Geraldo Júlio, tudo em nome da manutenção dos 400 cargos que seu grupo mantém, de forma hegemônica, em todas as esferas do poder socialista. Ele já chegou nervoso ao encontro e a cada manifestação favorável de Guimarães e Teixeira em nome da resolução a ser cumprida também no Recife dava pitis que mais pareciam estado de grave descontrole emocional.

Os berros, insultos e ameaças de Humberto, entretanto, não impedirão de o PT bancar a candidatura de Marília, porque Recife não é uma ilha para ficar de fora do descumprimento da resolução nacional pela candidatura própria nas capitais e em todos os municípios com eleitorado acima de 200 mil, portanto de perfil para eleição em dois turnos. Não é da tradição e da cultura petista intervir, mas no caso do Recife, que não terá consenso, a direção do PT terá que fugir à regra.

O fato é que, depois das longas reuniões de sexta-feira passada, o PT vai colocar a tese da candidatura própria em votação na executiva municipal do Recife, onde Marília não tem maioria e deve levar uma grande desvantagem, perdendo o jogo no voto. Diante disso, só restará ao comando nacional petista a intervenção, passando por cima da instância municipal para bancar a candidatura da deputada, a segunda mais votada da bancada federal nas eleições passadas. Se não intervier, o que está fora de cogitação, Marília será, mais uma vez, fritada num caldeirão ardente.

Decisão é nacional – Fontes do núcleo duro do PT em São Paulo garantem que Marília será candidata e todo o processo passa por uma estratégia da executiva nacional delegada à presidente Gleisi Hoffman pelo ex-presidente Lula, que já deu declarações mais enfáticas num primeiro momento, mas depois teve que amenizar o tom, para não afrontar Humberto Costa. Historicamente, Lula não tem uma relação de confiança extrema com Humberto. É aquela velha amizade sustentada na versão um olho no padre e outro na missa. O senador já foi mais confiável e Lula quer agora uma renovação no comando estadual do PT apostando em Marília.

O jogo de Humberto – O comando do PT não deseja, no entanto, dar aparência de intervenção no Recife, mas passar a ideia de que a candidatura de Marília é parte de uma estratégia nacional. Macaco velho criado nas hostes petistas, Humberto já percebeu claramente e por isso está endurecendo o jogo para que a candidatura no Recife seja compreendida pela opinião pública como uma imposição de Lula e seus comandados. Humberto já conseguiu, no primeiro momento, o que desejava: tensionar o processo da candidatura de Marília, para tentar, no grito, amortecer o discurso dos aliados da deputada no plano nacional.

O fator tempo – Qual o tempo que o PT vai levar para construção da candidatura de Marília? O blog apurou que a direção nacional quer resolver até o final deste mês, porque se esticar o prazo pode ser pior. Impaciente, porque já está perdendo tempo em relação ao seu principal adversário, o deputado João Campos, pré-candidato do PSB, Marília terá que saber lidar com isso. Para um marqueteiro testado em embates eleitorais bem sucedidos, essa decisão não pode demorar, mas também não deve ser muito rápida. “A demora afasta Marília do PT e de Humberto e dá a ela mais autonomia e independência”, avalia esse mesmo publicitário.

O abacaxi Petrolina – O grito de independência e rebeldia dado pelo pré-candidato do PSB a prefeito de Petrolina, Lucas Ramos, jogou no colo do governador Paulo Câmara mais um problema: além do Recife, Petrolina se apresenta agora como segundo abacaxi a ser descascado. E se o abacaxi azedar, o troco de Lucas ao PSB não será dado em Petrolina, onde esperava contar com o apoio do partido para entrar na disputa pela Prefeitura, mas no Recife. Na prática, o deputado pode romper com o Governo e passar a apoiar um candidato a prefeito de oposição a João Campos.

CURTAS

DOIS PESOS, DUAS MEDIDAS – Lucas reclama que o PSB pratica o velho discurso dos dois pesos, duas medidas. Enquanto justifica que o momento não é de definição de candidaturas, no Recife já colocou, há muito tempo, a campanha de João Campos nas ruas. “Eu sou o único nome que o PSB tem em Petrolina e não tenho nenhuma sinalização do partido. O governador já poderia ter colocado o meu nome de forma clara e agir do mesmo jeito que age com João no Recife”, reclama o deputado, que é filho do conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Ranilson Ramos, cobra criada no quintal de Arraes.

DECISÃO PESSOAL – Presidente estadual do PSD, o deputado André de Paula sabe que vai criar um problema com o PSB e com o Governo com o anúncio formal do apoio seu e do partido, hoje, à reeleição do prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira (PL). Ele diz que não esperou pela definição do candidato aliado ao Governo do Estado em Jaboatão, porque sua decisão tem caráter pessoal, que foge as implicâncias com o poder e o PSB. “Estou fazendo a melhor opção por Jaboatão”, alega. Na eleição passada, o PSD apoiou Neco no segundo turno contra Anderson. A política, realmente, muda como uma nuvem.

RECIFE COM JOÃO – Mesmo sabendo que o Palácio e o PSB querem esmagar os Ferreira, queimando a etapa da reeleição de Anderson em Jaboatão, André de Paula prefere não associar sua decisão no segundo colégio eleitoral do Estado a uma afronta ao Palácio nem também ao caminho semelhante, ao da oposição, que poderá ter no Recife. “Jaboatão está desatrelada da decisão que iremos tomar no Recife”, argumenta. O que até as paredes das Princesas e do Palácio do Capibaribe sabem é que André já fechou com o pré-candidato do PSB no Recife, João Campos.

Perguntar não ofende: Quais os políticos a quem o doleiro pernambucano de 46 apartamentos em Miami, preso na semana passada, está atrelado?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Eu sei da quantidade de idiotas úteis defensores de Milicianos Corno e Bandidos.

Fernandes

FALE A VERDADE. Antes de Bolsonaro ser eleito, você tinha ideia da existência dessa corja de idiotas no Brasil?

marcos

Eu sei da quantidade de idiotas úteis defensores de ladrões e Bandidos.

marcos

Ui Lula é vaiado em Paris, também todo mundo sabe que ele é Ladrão.

Fernandes

FALE A VERDADE. Antes de Bolsonaro ser eleito, você tinha ideia da existência dessa corja de idiotas no Brasil?




29/02


2020

Coluna do sabadão

O herói da Coruja

O tropeço do Atlético mineiro frente ao Afogados, quarta-feira passada no Vianão, em Afogados da Ingazeira, deu um Upgrade ao futebol pernambucano, que vive um momento em baixa, com apenas um dos três principais times, o Sport, na elite nacional, o Clube dos 13. A boa nova, que sacudiu o País e projetou o Estado no território nacional, tem como símbolo uma Coruja, deusa da sabedoria, ancorada numa região inóspita, flagelada historicamente por ciclos de secas inclementes.

A Coruja, sensação que chacoalha o futebol estadual e enche os nordestinos de orgulho, não é obra apenas dos seus guerreiros e heroicos jogadores. Tem um patrono com roupagem heroistica também, que apostou na ideia, deu régua e compasso à maestria do futebol sertanejo: o prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota (PSB). É praticamente a Prefeitura que banca as despesas da manutenção do clube ao lado de poucos parceiros da iniciativa privada, que ele também foi buscar com o seu prestígio.

Patriota encontrou a terra arrasada tão logo foi eleito, mas aos poucos modernizou o estádio, hoje com um dos melhores gramados do Estado, investiu em arquibancada e na estrutura geral da sede esportiva e seu próxima passo será a construção do segundo espaço de arquibancada. Outro grande investimento, para atender as exigências da Federação Pernambucana de Futebol, foi a iluminação, elogiada por todos os clubes visitantes e a própria FPF.

O prefeito administra o dia-a-dia das finanças do time, se preocupa até com as refeições dos atletas, além da logística envolvendo as viagens e hospedagens da delegação. A medida que o time, criado há seis anos, foi se projetando, galgando posições de destaque no certame estadual, Patriota passou a cumprir outros papéis de interlocução, a ponto de, pessoalmente, se envolver como torcedor, as vezes na geral, outras na arquibancada, não faltando a nenhum jogo da Coruja fora do município.

Dentro e fora das quatro linhas, termo bem batido utilizado pelos cronistas esportivos, Patriota, faça-se justiça, foi um grande guerreiro do bom combate, lutou até o fim com as armas que estavam à sua disposição. Seu esforço, numa ação silenciosa, longe dos holofotes da mídia, abre um novo paradigma no futebol brasileiro. É digno de elogio.

Compesa às moscas – Com apenas sete meses à frente da Compesa, a presidente Manuela Marinho já está de férias. Emendou o carnaval e só deve aparecer na empresa após a primeira semana de março. Com processo de abertura de capital em andamento, obras importantes paralisadas e modelo de gestão sem nenhum monitoramento, a estatal sofre duros golpes em sua governança e padece sem sua principal executiva, que mesmo sem completar o período aquisitivo de um ano, já usufrui deste benefício. Se não for ilegal é no mínimo imoral. A quem interessa esse desmantelamento de uma das melhores empresas de saneamento do País em ano eleitoral?

Crise cearense – O Ceará enfrenta uma crise na segurança pública sem precedentes, motivada pelo motim de policiais militares do Estado. Desde o início do movimento, o Estado registrou mais de 190 homicídios e 43 policiais militares foram presos por deserção. Conforme decisão judicial expedida na quinta-feira passada, os policiais permanecerão detidos. Eles foram presos no sábado (22) por faltarem a uma convocação de trabalharem na Operação Carnaval. O Governo, apesar dos petardos do ex-ministro Ciro Gomes, ferindo de morte o presidente Bolsonaro, estendeu por mais uma semana a manutenção das tropas federais no Estado.

Denúncia contra PMS – Por falar no Ceará, o Ministério Público Federal deve apresentar denúncia contra os policiais militares que estão amotinados com base na Lei de Segurança Nacional. Dois procedimentos investigatórios criminais já foram abertos neste sentido e tramitam, simultaneamente, em Fortaleza e Sobral. O último apura fatos ligados aos disparos feitos por PMs contra o senador licenciado Cid Gomes (PDT-CE), na semana passada. Os dois procedimentos ainda estão na fase inicial, de instrução. A expectativa do MPF-CE é de que ambos sejam transformados em denúncias em breve.

Que ajuda ele deu? – Embora não tenha movido uma palha em favor da Coruja, nem arranjado sequer um patrocinador para ajudar na manutenção do clube, o deputado João Campos (PSB), majoritário em Afogados da Ingazeira, explorou politicamente o sucesso do time afogadense frente ao Atlético mineiro pelas redes sociais. Aliado do prefeito José Patriota, que encheu o seu balaio de votos no município, ainda está em tempo do parlamentar mostrar que tem prestígio e força para levar a Coruja a voar mais alto, garantindo uma forma de contribuição.

CURTAS

ATO CRIMINOSO – A Polícia Civil está investigando o autor de uma postagem em rede social de uma notícia falsa sobre “casos confirmados” de coronavírus no Recife. A Prefeitura prestou queixa, ontem, contra uma pessoa que divulgou que a cidade “já teria 61 ocorrências” de Covid-19, doença causada pelo novo vírus. Na verdade, no Estado, segundo a Secretaria de Saúde, foram notificados apenas seis possíveis casos suspeitos do vírus. Três deles, reconhecidos pelo Ministério da Saúde, já foram descartados. Outros três seguem sob investigação, como “possíveis suspeitos”.

NO PÉ DA CORUJA – Meu amigo José Carlos, diretor das rádios Grande Serra FM 90,9, em Araripina, e Grande Serra FM 101,3, em Ouricuri, ficou tão entusiasmado com a vitória da Coruja frente ao Atlético mineiro que já está cuidando da logística para transmissão do jogo da terceira etapa do time na Copa Brasil diante da Ponte Preta, mesmo sem saber ainda se o primeiro embate, na próxima quarta-feira, se dará em São Paulo ou em Afogados da Ingazeira. “Vamos levar nossas equipes até Campinas para acompanhar a Coruja, para deixar nossos ouvintes bem informados”, diz ele.

BATENDO DURO – Dos pré-candidatos da oposição a prefeito do Recife, o único que tem batido duro na gestão Geraldo Júlio é Mendonça Filho, do DEM. Para ele, o modelo socialista na capital se esgotou, a ponto de Recife perder até para Teresina na qualidade do ensino. “A população não aguenta mais o PSB dominando a cidade, ditando regras para as próximas eleições, traçando e definindo quem deve disputar o quê. Essa equação que quer eleger João em 2020, Geraldo em 2022 e que eleva o poder até 2038 contraria a tradição democrática de Pernambuco”, afirma.

Perguntar não ofende: Brasília vai pegar fogo na próxima semana com a volta do Congresso e o início do ano legislativo?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

FALE A VERDADE. Antes de Bolsonaro ser eleito, você tinha ideia da existência dessa corja de idiotas no Brasil?

marcos

Quem está pagando a viajem do carniça e da Jumenta? O povo brasileiro. Pense numa lei merda.

marcos

Lula carniça o Alcoólatra que faz piadas com o nome de Deus.

Fernandes

Adeus, governo Bolsonaro.

Fernandes

Economista que previu crise de 2008 prevê desastre ainda maior em 2020. O economista Nouriel Roubini previu corretamente a crise financeira de 2008. Agora, ele acredita que o mercado de ações cairá de 30 a 40%


Banco de Alimentos


28/02


2020

Coluna da sexta-feira

Se Lucas falou, errou feio

O deputado Lucas Ramos se precipitou, mas não é verdade que o PSB tenha fritado a sua pré-candidatura à Prefeitura de Petrolina. A rigor, PSB e PT não chegaram sequer a tratar de alianças nos municípios, embora no Recife ocorram entendimentos já avançados, via Humberto Costa, para manutenção da coligação fechada em 2018, que reelegeu Paulo Câmara, tendo como sequência o apoio a João Campos à prefeito da capital.

Historicamente, essas alianças são discutidas e batidas o martelo numa fase mais adiante, que começa em maio e vai até as convenções, entre julho e agosto. Recife, por sua vez, não será moeda de troca para queimar candidaturas em outros municípios. Lucas errou feio, não sabe onde o galo está cantando. Ninguém do PSB ou do PT sondado confirmou tais conjecturas e não há registro que o prefeito Geraldo Júlio tenha colocado o carro antes dos bois, até porque se profissionalizou há muito nessa matéria.

O que há de fato em Petrolina é o desejo de se formar uma frente de oposição para barrar a reeleição do prefeito Miguel Coelho (MDB), filho do líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho, mas isso passa por pesquisas de intenção de voto, levantamentos qualitativos e muita discussão. A pauta da sucessão em Petrolina não será posta como boi de piranha para o Recife, nem o PSB iria queimar Lucas assim.

Até porque o pré-candidato, embora não tenha ainda a maturidade política que só o tempo e os cabelos brancos constroem, é filho de uma raposa política, o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Ranilson Ramos, arreaesista histórico, nomeado para o cargo vitalício pelo ex-governador Eduardo Campos.

Lossio não acredita – Localizado na Argentina, onde passou o carnaval e prolongou o feriadão, o ex-prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio (PSD), disse não acreditar que Lucas Ramos tenha falado em fritura da sua pré-candidatura, num jogo pelo qual o PT apoiaria João Campos no Recife em troca do apoio da legenda socialista ao candidato petista em Petrolina, o ex-prefeito, ex-deputado e atual presidente do IPA, Odacy Amorim. “Lucas está muito bem no Governo e não acredito em nenhum tipo de articulação que possa comprometer o seu projeto de disputar a Prefeitura”, afirmou.

Isolamento – Um petista com assento no Governo Paulo Câmara não acredita em hipótese alguma na viabilização da pré-candidatura de Marília Arraes à sucessão do prefeito Geraldo Júlio. Segundo ele, Marília está completamente isolada dentro do PT, sem capacidade de atrair partidos de esquerda e não conta com o apoio sequer de Lula. “O que Lula diz hoje, amanhã desmente”, afirmou, passando a ideia de que o que vai mesmo prevalecer é a vontade soberana do grupo do senador Humberto Costa, já fechado com o projeto do PSB de eleger João prefeito e Geraldo governador, em 2022.

Surpresa em Goiana – O fato mais novo em Goiana, na Mata Norte, não é mais a pré-candidatura do jornalista Fernando Veloso a prefeito apoiado pelo cacique Osvaldo Rabelo Neto. Ali, quem está empolgando o eleitor e despertando as maiores atenções veste saia e atende pelo nome de Patrícia Amélia, atual secretária de Saúde de Igarassu. Jeitosa, do ramo da política e bem conceituada pelo histórico da sua família em trabalhar pelo desenvolvimento do município, Patrícia tem o irrestrito apoio do prefeito de Igarassu, Mario Ricardo. A moça tem tudo para abrir um novo paradigma na política de Goiana.

João na cabeça – Em Triunfo, o deputado Sebastião Oliveira filiou o ex-prefeito Luciano Bonfim ao Avante com a expectativa de vê-lo disputar à sucessão do prefeito João Batista, a caminho do PSB, mas o projeto pode subir ao telhado. Há um sentimento geral no grupo do prefeito e entre todos os vereadores e aliados que o candidato deve ser o próprio João pela obra que vem fazendo no município, preparando a cidade especialmente para ser grande atrativo turístico. João já abriu quatro museus, repaginou a orla, construiu a Via Verde e está estruturando as áreas turísticas do município, como o Pico do Papagaio, com nova roupagem em termos de equipamentos.

CURTAS

ZERO CRIME – A pequena Quixaba, perdida no Sertão do Pajeú, entre as cidades de Carnaíba e Afogados da Ingazeira, já foi manchete nacional quando o então prefeito Pezão, hoje vereador, aplicou 37% do orçamento em educação, sendo personagem das páginas amarelas da revista Veja. Vem de lá, agora, outra boa notícia: em 2019, a cidade não registrou nenhum crime doloso, com estatística zero de 2018 a 2019. Outro paraíso de tranquilidade é Triunfo, segundo levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, em parceria com a Universidade de São Paulo (USP).

HOTÉIS LOTADOS – Antônio Magalhães noticiou, ontem, no jornal O Poder, que o setor hoteleiro saudou a passagem do Carnaval com 98% de ocupação dos hotéis no Estado. O setor de bares e restaurantes do Recife também fechou positivamente o caixa, segundo a Abrasel, associação do setor. Já o consumo de cerveja em latinhas produziu uma montanha de lixo reciclável de 31 toneladas no Recife e 120 toneladas em Olinda, quatro vezes mais do que a capital pernambucana.

VOTO VENCIDO – Alvirrubro doente, o ex-ministro Gustavo Krause vibrou com o jogador Phillip, ex-time base do Náutico, autor do segundo golaço do Afogados da Ingazeira em cima do Atlético mineiro. Em artigo no meu blog, Krause disse que foi voto vencida para segurar o garoto no time do Náutico, onde tinha grande potencial e já se destacava entre as melhores promessas. “Mas, ninguém deu ouvidos ao que falei”, lamenta.

Perguntar não ofende: Por que Pernambuco continua com criminalidade maior do que o Estado de São Paulo?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Adeus, governo Bolsonaro.

Fernandes

Ciro diz que Bolsonaro é corrupto e não tem autoridade para denunciar o Congresso Em vídeo, Ciro Gomes manda recado aos \"simpatizantes de Bolsonaro\" e ressalta que, \"se o Congresso tem defeitos, ele é a última pessoa com moralidade para denunciar isso\". \"Desviava o pouco que havia no seu gabinete\", diz

Fernandes

Ô marluxo de camaragibe. Lula vai à Europa para participar de atos em Paris, Genebra e Berlim. O ex-presidente também irá receber homenagens. Os direitopatas ficam arretados morrendo de inveja. Aceitem dói menos. FODAM-SE!

Fernandes

Mourão deixou bem claro que o Exército está cansado da delinquência bolsonarista. Eita !

Fernandes

Ciro Gomes diz a Bolsonaro: Eu vou te atacar, presidente canalha!


Prefeitura de Serra Talhada


27/02


2020

Coluna da quinta-feira

Traidor da Constituição é traidor da pátria

O presidente Jair Bolsonaro não deve estar no seu melhor estado mental. Compartilhar de seu celular um vídeo convocando a população para protestar contra o Congresso, no próximo dia 15 de março, beira à loucura, uma insanidade. Cabe a um chefe de Estado trabalhar, diuturnamente, pela madura e democrática relação entre os poderes, nunca instigar qualquer instituição que seja.

Incitar manifestações contra poderes e instituições é ferir a Constituição. Quando promulgou a Constituição de 88, o então presidente Ulysses Guimarães, eternizado pelo Senhor Diretas, fez uma defesa ardorosa da Carta Magna. Disse que não era a Constituição perfeita, mas útil. “Será luz, ainda que de lamparina, na noite dos desgraçados. É caminhando que se abrem os caminhos. Ela vai caminhar e abri-los. Será redentor o caminho que penetrar nos bolsões sujos, escuros e ignorados da miséria”, pregou num discurso antológico.

Não é a primeira vez no atual Governo que o seu chefe e asseclas mandam recados ao retrocesso. Seu filho Eduardo e o general Heleno já defenderam a volta do AI-5, o Ato Inconstitucional que fechou o Congresso, entregou o poder aos militares, baniu e perseguiu políticos, abrindo a janela para a tortura e a repressão.

Ao invés de ficar instigando a sociedade, representada pelas mais notáveis instituições, como o Congresso, o Judiciário e o Ministério Público, Bolsonaro deveria pôr os olhos no retrovisor e não se deixar tentado pelo mal. Reproduzir parte do discurso de Ulysses aqui possa servir a uma reflexão, para tirar da cabeça dele ideias malucas, que só atrapalham o seu Governo e comprometem o País.

“A Constituição certamente não é perfeita. Ela própria o confessa, ao admitir a reforma. Quanto a ela, discordar, sim. Divergir, sim. Descumprir, jamais. Afrontá-la, nunca. Traidor da Constituição é traidor da Pátria. Conhecemos o caminho maldito: rasgar a Constituição, trancar as portas do Parlamento, garrotear a liberdade, mandar os patriotas para a cadeia, o exílio, o cemitério. A persistência da Constituição é a sobrevivência da democracia”.

Que fique o exemplo do Doutor Ulysses!

O que está rolando – Depois das críticas do ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, ao Congresso, grupos de direita que apoiam o Governo vêm convocando uma manifestação contra o Supremo e o Congresso, o que tem sido visto como ameaças a dois pilares do sistema democrático. Na terça passada, Bolsonaro usou sua conta pessoal no WhatsApp para divulgar a alguns correligionários a convocação da manifestação, sem citar o Supremo e o Congresso. Cobrado, disse que a Imprensa e os políticos fizeram ilações maldosas à sua fala.

Tensão institucional – O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ao ser abordado sobre o vídeo de Bolsonaro, afirmou em rede social que “criar tensão institucional não ajuda o País a evoluir. Somos nós, autoridades, que temos de dar o exemplo de respeito às instituições e à ordem constitucional. O Brasil precisa de paz e responsabilidade para progredir. Só a democracia é capaz de absorver sem violência as diferenças da sociedade e unir a Nação pelo diálogo. Acima de tudo e de todos está o respeito às instituições democráticas”, disse.

A imagem diz tudo – Declaradamente contrário à candidatura de Marília Arraes à Prefeitura do Recife, o senador Humberto Costa, principal liderança do PT no Estado, aproveitou os festejos carnavalescos para dar uma demonstração pública de que vai lutar até o fim para manter na capital a aliança petista com o PSB em apoio ao deputado João Campos. Fez questão de posar para fotos na abertura oficial do Carnaval ao lado não apenas do pré-candidato socialista, mas também do governador Paulo Câmara e do prefeito Geraldo Júlio, ambos com suas respectivas esposas.

Mágoa de Carreras – O prefeito de Triunfo, cidade turística, João Batista, a caminho do PSB, por onde deve disputar a reeleição, não esconde de ninguém mágoas do ex-secretário estadual de Turismo, Felipe Carreras, por nunca ter prestigiado um só evento na cidade e nunca ter colocado os pés no seu chão. Ao mesmo tempo, não se cansa de elogiar o atual titular da pasta, Rodrigo Novaes, que, na última terça-feira, voltou ao município para prestigiar o Carnaval. “Felipe nunca nos atendeu em nada. Já Rodrigo é atencioso e até generoso com Triunfo”, afirma.

CURTAS

OS SEM FOLIA – Não foi apenas o Ceará que ficou sem carnaval por um fato localizado, a greve da polícia militar. Levantamento da Confederação Nacional dos Municípios aponta que mais de 40% das cidades brasileiras não investiram na folia, preferindo guardar os minguados recursos para aplicar em saúde e educação. Serra Talhada, administrada pelo petista Luciano Duque, se insere entre as que rifaram a folia. Por não ter a festa tradicional de momo, Serra, segundo Duque, ganhará investimentos em outras áreas. Mesmo assim, adversários criaram memes nas redes sociais para bater em Duque.

RISCO DE BLOQUEIO – Por falar em crise, os municípios brasileiros têm até amanhã para homologar as informações sobre o sexto bimestre de 2019 no Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde, o Siops. Até a semana passada, 2,5 mil prefeitos não haviam alimentado o sistema e correm o risco de sofrer bloqueios das transferências de recursos constitucionais a partir de 1 de março. O Siops tem o seu próprio portal, canal pelo qual os prefeitos devem atualizar as informações. Quem não correr até amanhã, vai sofrer um baita prejuízo.

O ATAQUE DE CIRO – De Ciro Gomes ao ser informado do vídeo que Bolsonaro está convocando o povo a protestar contra o Congresso: “Atenção, senhor Jair Messias Bolsonaro, canalha-mor: as instituições brasileiras serão defendidas. Eu vou te enfrentar, presidente canalha. E a sua família de canalha. Eu conheço por dentro o Congresso Nacional. E posso dizer que Bolsonaro sempre foi ligado a tudo o que não presta, em matéria de corrupção”.

Perguntar não ofende: O ano 2020 começou agitado com as ameaças de Bolsonaro às instituições?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bolsonaro cumpre promessa de campanha e devolve Brasil a 1968. Bolsonaro mal sabe ler e escrever. Mal pensa (pensa?). Ele só entende de milícias e grupos de extermínio.

Fernandes

O grande segredo de Joice Hasselmann sobre Bolsonaro. Sei o que vocês fizeram no verão passado disse Joice. Façam suas apostas, vai pegar fogo cabaré. KKKK

marcos

Vamos pra rua foda-se

Fernandes

DO GOLPE PRA CÁ CAMINHONEIROS JÁ GASTARAM 200 mil REAIS A MAIS, POR CONTA INTERNACIONALIZAÇÃO. DO PREÇO DO DIESEL

Fernandes

Este presidente é a maior vergonha de nossa história!, diz Ciro Gomes.


O Jornal do Poder


21/02


2020

Coluna da sexta-feira

Lula não quis afrontar Humberto

Não se pode levar a sério e ao pé da letra a declaração do ex-presidente Lula, ontem, em Brasília, informando que no Recife o projeto majoritário também é de candidatura própria, dependendo, no entanto, da boa vontade do diretório municipal. Na verdade, Lula não foi mais enfático em relação à candidatura de Marília Arraes para não provocar a ira do senador Humberto Costa, que é contra.

Uma fonte do diretório nacional do PT disse ao blog que ainda não é o momento do ex-presidente se expor, gerar atritos e abrir o jogo, já que o prazo para definição da situação ficou acertado para abril na reunião que ocorreu em São Paulo, entre a executiva nacional e os representantes do diretório petista no Recife. Ele não quer contrariar a corrente liderada por Humberto.

Mas o próprio Humberto já está convencido de que a candidatura de Marília é irreversível, assunto resolvido dentro do diretório nacional, a começar pelo entusiasmo da presidente Gleisi Hoffman, com quem Marília tem falado com frequência desde em que recebeu dela própria, no encontro de São Paulo, que desta vez o partido não a deixaria no sereno, levando sol e chuva.

Em tese, também, não é o que se justifique mais um veto à Marília, que não disputou o Governo do Estado em 2018, com chances de vitória, porque o que se priorizou foi a salvação do mandato de Humberto, que passava por uma composição com o PSB, que também salvou a reeleição do governador Paulo Câmara.

O que eles podem alegar agora para queimar Marília? Nada e é bom ressaltar que a pré-candidata não é mais uma simples vereadora do Recife, mas agora revestida de deputada federal, a segunda mais votada no Estado em 2018, abaixo apenas do deputado e principal adversário na corrida pelo Recife, João Campos (PSB).

Segurança garantida – A segurança do carnaval do Ceará, que vive momentos de tensão e horror devido à greve dos policiais militares, está garantida e será feita pela Força Nacional. O presidente Jair Bolsonaro, a pedido do governador Camilo Santana (PT), assegurou a Garantia da Lei e da Ordem (GLO), pondo o Exército nas ruas de Fortaleza, a capital, e no Interior. O ministro Luiz Eduardo Ramos comunicou o fato ao governador, que, por sua vez, fez um comunicado nas redes sociais. Além disso, a Força Nacional já atua em território cearense desde o episódio em que Fortaleza se viu dominada pelo crime organizado, há um ano.

Ciro detona Bolsonaro – Do ex-ministro Ciro Gomes, ontem, ao falar sobre o episódio em que o irmão Cid levou dois tiros: “Isso não está isolado do que está acontecendo no Brasil. Nós temos um momento de destruição do Estado Democrático de Direito no Brasil, liderado por um presidente boçal, canalha, de uma família de canalhas. Porque se algum policial atirou, apertou o gatilho, ele não faria isso se não fosse esse clima de absoluto desrespeito às regras da convivência democrática, que é absolutamente claramente estimulada pelo presidente da República e sua família de canalhas, e ele, Jair Bolsonaro, o maior canalha de todos”.

Risco de descontrole – Uma parte do Governo está vendo com um olhar de preocupação o motim de policiais militares no Ceará. Primeiro, porque essa situação afeta o governo federal de diversas maneiras. E uma delas decorre do fato de o Ministério da Justiça ter puxado o combate à criminalidade para o colo da administração federal. Logo, um evento infeliz e alarmante como o ocorrido com o senador Cid Gomes (PDT-CE) e a situação preocupante no Ceará repercutem no governo federal. De um ponto de vista objetivo, porque a Força de Segurança Nacional foi enviada para o Estado pela segunda vez no intervalo de um ano.

Mendonça une mais – Ao contrário do que noticiamos aqui, há dois dias, é mais fácil o pré-candidato do Cidadania, Daniel Coelho, jogar a toalha e apoiar a candidatura de Mendonça Filho, pelo DEM. Pesquisas internas e as já divulgadas no Recife apontam que Mendonça têm mais potencial eleitoral para enfrentar o rolo compressor do Palácio, em torno da candidatura de João Campos. Além disso, Daniel, apesar de vir fazendo um bom mandato federal, agregaria menos do que Mendonça. Há, ainda, o fator Patrícia Domingos, do Podemos, que será chamada para o entendimento em torno de candidatura única na oposição.

CURTAS

MARCOLA NO DF – O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou, ontem, um pedido do Governo do Distrito Federal para que a Corte determinasse a transferência de chefes de facção criminosa da Penitenciária Federal de Brasília. Entre eles, o traficante Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, condenado a 330 anos de prisão por diversos crimes. O argumento central da ação apresentada pelo governo local é de aumento de risco à integridade de autoridades dos três poderes, como ministros de Estado, parlamentares, ministros de tribunais superiores, além de representações estrangeiras.

VANDALISMO – A decoração do carnaval no Recife foi alvo de novo ato de vandalismo, desta feita na Ponte Maurício de Nassau, que liga o Bairro do Recife a Santo Antônio, na região central. A Guarda Municipal recebeu um chamado para evitar a depredação, a terceira em menos de uma semana. A Fundação de Cultura prestou queixa à Polícia Civil. Em nota a corporação explicou que o ato é considerado crime, conforme está previsto no artigo 163 do Código Penal Brasileiro. Caso o vandalismo seja praticado contra o patrimônio público, a pena é de seis meses a três anos de detenção.

AOS LEITORES – No Carnaval, que começa, oficialmente, hoje, este blog e o Frente a Frente, que apresento pela Rede Nordeste de Rádio, ficam sem atualização e programas novos. A coluna, portanto, só volta na quinta-feira pós folia e o Frente a Frente na quarta-feira de cinzas. Aos nossos leitores e ouvintes, um bom carnaval. Aproveito a paradinha para repor as energias para enfrentar um ano eleitoral, de muito trabalho.

Perguntar não ofende: Carnaval dá resultado político e eleitoral para quem aproveita?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Agora é contra. Bolsonaro e Eduardo votaram a favor de orçamento impositivo Bosovírus concordou com execução obrigatória de emendas em 2015, quando era deputado. Há cinco anos, a votação que criou a execução obrigatória de emendas parlamentares também teve voto favorável do então deputado federal Jair Bolsonaro. O placar ficou em 452 a 18, sob a presidência do deputado Eduardo Cunha (MDB-RJ) na Câmara. À época, a regra significava o pagamento de quase R$ 10 bilhões para finalidades indicadas por parlamentares.

Fernandes

Direitopatas, o Bozoverno de vocês é BOSTIAL, aceitem dói menos. KKKK

marcos

Dia 15 /03 vamos pra rua. Foda-se.

Fernandes

Divulguem os nomes das empresas que apoiam Bolsoasno. Vamos atacar com um grande boicote e levá-las à falência.

Fernandes

Bolsonaro pede a ministros que não comentem sobre vídeo contra Congresso. Após uma enxurrada de críticas, orientação é para que não estendam as discussões sobre o caso


Shopping Aragão


20/02


2020

Coluna da quinta-feira

O atentado a Cid em Sobral

Exatamente um ano após o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), vencer a batalha contra o crime organizado, o que motivou cenas brutais de violência em Fortaleza e no Interior, o senador Cid Gomes (PDT), que antecipou Camilo no cargo e o elegeu governador, se envolveu, ontem, numa guerra campal contra policiais militares em greve, com desfecho dramático, levando dois tiros.

O senador pilotava uma retroescavadeira e tentava furar um bloqueio feito por policiais militares no Batalhão da Polícia Militar em Sobral (CE). Cid Gomes, que está licenciado do mandato de senador, organizava um protesto contra um grupo de policiais que tentava impedir o trabalho da Polícia Militar. Ao longo do dia de ontem, policiais esvaziaram pneus de carros da polícia para impedir que agentes de segurança atuassem nas ruas.

Inicialmente, foi divulgado que o senador havia sido atingido por bala de borracha, mas, na verdade, foram dois tiros, um no tórax e outro na clavícula. Em frente ao bloqueio dos policiais, utilizando uma retroescavadeira, ele pediu que os policiais deixassem o local: “Vocês têm cinco minutos pra pegarem os seus parentes, as suas esposas e seus filhos e sair daqui em paz. Cinco minutos. Nem um a mais”, afirmou Cid, utilizando um megafone. Ainda em Sobral, policiais ordenaram que comerciantes fechassem as portas do Centro da cidade.

As informações de que Cid não corre risco de vida, confirmadas pelo ex-ministro Ciro Gomes, irmão dele, trouxeram tranquilidade aos familiares, mas o atentado chocou o País. Em nota, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, disse que acompanhou o caso “com preocupação” e solicitou informações para garantir a segurança. Em sua conta oficial no Twitter, Ciro Gomes, por sua vez, escreveu que o irmão não corre risco de vida e pediu que as autoridades responsáveis “apresentem prontamente os marginais que tentaram este homicídio bárbaro às penas da lei”.

Ilegalidade da greve – Uma decisão da Justiça determinou a ilegalidade de atos grevistas da polícia cearense. Uma decisão do Supremo Tribunal Federal de 2017 determinou que é inconstitucional o direito de greve de servidores públicos de órgãos de segurança e proibiu qualquer forma de paralisação nas carreiras policiais. Comerciantes do entorno do Mercado Central de Sobral que não quiseram se identificar informaram que homens encapuzados em quatro veículos da polícia ordenaram que as portas fossem fechadas, o que foi acatado por parte dos empresários. Ainda conforme as testemunhas, alguns deles fecharam as portas temendo se tratar de um arrastão.

Moro reage – Minutos depois de o senador Cid Gomes (PSB-CE) ser baleado, o ministro da Justiça, Sergio Moro, abandonou cerimônia de posse da primeira mulher a dirigir o Tribunal Superior do Trabalho (TST), a ministra Cristina Peduzzi. O evento era realizado no tribunal. O ministro se levantou e deixou o prédio para acompanhar desdobramentos da investigação do crime. A cerimônia teve a presença do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, que trocou farpas com Moro.

Mais segurança – Após a notícia de que o senador licenciado Cid Gomes (PDT) foi baleado em Sobral, o Ministério da Justiça e Segurança Pública, comandado por Sérgio Moro, informou que a segurança do parlamentar será reforçada por forças federais. “Já foram enviadas equipes da Polícia Rodoviária Federal e Polícia Federal para Sobral para garantir a segurança do senador Cid Gomes”, comunicou a Pasta, em nota. O Governo do Ceará anunciou processo contra mais de 200 policiais dissidentes e solicitou o reforço da Força Nacional. Também cortou o repasse de verba para associações policiais que, de acordo com o governo, apoiam os atos grevistas.

Vandalismo – Policiais do Ceará que reivindicam aumento salarial e são contrários à proposta do governo de reestruturação da carreira da categoria promoveram, ao longo da semana, atos que a Secretaria da Segurança considerou “vandalismo” e “motim”. Na terça, três policiais foram presos por cercarem veículo da polícia e secarem os pneus. Conforme o Governo do Estado, o ato é uma tentativa ilegal de impedir a atuação de policiais. Ontem, pelo menos quatro batalhões da Polícia Militar foram invadidos por homens mascarados. Eles retiraram veículos policiais das bases militares e rasgaram os pneus com objetos cortantes.

CURTAS

REFORMA TRIBUTÁRIA – Os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), criaram, ontem, a comissão mista que vai elaborar um texto de consenso para a reforma tributária. Alcolumbre e Maia assinaram um ato conjunto criando oficialmente o grupo. Esse ato será publicado na edição de hoje do Diário Oficial da União (DOU). A comissão mista será formada por 25 deputados e 25 senadores. Os 50 integrantes já foram indicados pelos partidos. A proposta terá o objetivo de simplificar a cobrança de tributos com a unificação de vários impostos.

O NEGA-TUDO – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, ontem, que há “muita má-fé” e “leviandade” na acusação do Ministério Público Federal (MPF), que o denunciou por suposto recebimento de propina em troca da edição de uma medida provisória que favoreceu montadoras automobilísticas em 2009. Ele negou ter sido favorecido pela edição da MP, aprovada, posteriormente, por deputados e senadores no Congresso. O ex-presidente prestou depoimento ao juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara da Justiça Federal, em Brasília.

DÍVIDA IMPAGÁVEL – A primeira assembleia da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), na última terça-feira, discutiu a dívida da União com a Assistência Social dos municípios, que chega à casa dos R$ 51 milhões. A vice-presidente da Amupe e prefeita de Surubim, Ana Célia, juntamente com a vice-presidente do Colegiado Estadual de Gestores Municipais de Assistência Social (Coegemas), Penélope Andrade, apresentaram um quadro atualizado da situação, deixando muitos gestores apreensivos.

Perguntar não ofende: Ao jogar uma retroscavadeira contra policiais em greve, ontem, em Sobral, o senador Cid Gomes não cometeu uma tentativa coletiva de homicídio?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

PARA OS POLÍTICOS ANALFABETOS, E OS ANALFABETOS POLÍTICOS. PAULO FREIRE É UM INIMIGO!

marcos

Caterpillar culpa Cid por não saber operar máquina. Ainda bem se soubesse teria sido uma Carnificina!

Fernandes

Ciro culpa Bolsonaro por tiros contra seu irmão Cid.

marcos

Índio quer apito, dá o teu à ele. Kkkkkkkkk

Fernandes

Índios dizem que não querem se tornar humanos como Bolsonaro. Bolsonaro chocou até quem já estava acostumado com sua falta de sensibilidade e senso de humanidade ao dizer a seguinte frase: Cada vez mais, o índio é um ser humano igual a nós.




19/02


2020

Coluna da quarta-feira

Oportunismo mal direcionado e grotesco

O acidente no Metrô do Recife, o Metrorec, ontem pela manhã, resultando em mais de 70 pessoas feridas, acabou entrando na pauta do cinismo da política. Logo cedo, o pré-candidato do PSB a prefeito do Recife, João Campos, fez o seu protesto oportunista, prometendo ficar de prontidão em defesa de ações que possam se traduzir em melhorias no sistema de transporte urbano da Região Metropolitana.

“Lamentável. O Metrô do Recife, sob responsabilidade do Governo Federal, vem enfrentando muitos problemas mesmo com o aumento abusivo de suas tarifas em menos de um ano, saindo de R$ 1,60 para R$ 4 a partir de março. A estrutura permanece precária e não vemos sinais de mudança. Vou acompanhar e cobrar melhorias justas e necessárias”, escreveu ele, em suas redes sociais.

O deputado foi rápido no gatilho. Sua intenção? Atingir o presidente Bolsonaro. Só esqueceu que o Metrorec é controlado por um aliado de peso, o deputado federal Eduardo da Fonte (PP), que, aliás, andou pelo Palácio, na última segunda-feira, prestigiando uma solenidade do governador Paulo Câmara. João só não foi tão ágil na marcação do terreno político-eleitoreiro quanto sete pessoas morreram e três ficaram feridas no bairro de Dois Unidos, no apagar das luzes de 2019.

Ali, um deslizamento de barreira, no Córrego do Morcego, matou até uma criança e um bebê. No dia, não caiu uma gota de água. Moradores da área relataram que dois canos da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) existentes no local estouraram e o vazamento teria feito a barreira deslizar. Até hoje, não se sabe absolutamente nada do que foi apurado, porque o assunto saiu da mídia, não sendo cobrado nem mesmo pelo Ministério Público.

Como o caso envolve uma estatal do Governo, no caso a Compesa, que deveria zelar e proteger a vida dos cidadãos que dela esperam a água do dia a dia para matar a sede, João Campos se omitiu, não foi sequer ao local prestar solidariedade humana. O deputado faz maldição agora ao Metrorec apenas para marcar posição eleitoreira como candidato a prefeito. Esquece que o oportunismo mal direcionado é grotesco, leviano e desprezível.

CABIBE ELEITORAL – Tão logo se espalhou a notícia, ontem, do acidente envolvendo dois vagões do Metrorec, seus dirigentes tentaram explicar a tragédia, mas quanto mais falavam, mais se complicavam. O fato é que o Metrô do Recife é um equipamento jurássico, há mais de dez anos sem receber qualquer equipamento novo. Comparado ao de Salvador e ao de Fortaleza, é um lixo, com tarifas caras, inseguro e muito mal administrado. Nos últimos anos tem servido apenas de verdadeiro cabide eleitoral.

NA GUILHOTINA – O que ouvi ontem de uma fonte próxima ao presidente Bolsonaro é que cabeças vão rolar na estrutura da CBTU, que administra o Metrorec, e no próprio Metrô do Recife. Informado que os gestores que dão as cartas em ambas as instituições são da época do Governo Lula, o chefe do Planalto deu ordem para não sobrar nenhuma cabeça dos atuais comandantes. No Rio, a CBTU tem sangue vermelho e no Recife o Metrorec é latifúndio do presidente do PP, Eduardo da Fonte.

EM LIBERDADE – A Sexta Turma do STJ manteve, ontem, em liberdade, o ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), alvo de investigações no âmbito da Operação Calvário. Por quatro votos a um, os ministros decidiram preservar a liminar concedida em dezembro por Napoleão Nunes, que determinou a soltura de Coutinho, preso durante uma das fases da operação que apura desvios de recursos públicos da Saúde e da Educação no Governo da Paraíba. Votaram contra o recurso da Procuradoria-Geral da República (PGR), que pedia o retorno de Ricardo para a prisão, a relatora Laurita Vaz e os ministros Sebastião Reis, Nefi Cordeiro e Antônio Saldanha. Já em favor da prisão, votou apenas o ministro Rogério Schietti Cruz.

TRAIÇÃO EM TABIRA – O Palácio joga pesado para atrair o maior número de candidatos em potencial para disputar as eleições para prefeito. E pisa até em velhos aliados, como o ex-prefeito de Tabira, Dinca Brandino, que está sendo apunhalado pelas costas. Chamada para uma conversa, ontem, no Palácio, a presidente da Câmara de Vereadores, Nelly Sampaio, ainda no PSC, declarada e confessa cabo eleitoral de Bolsonaro no município, recebeu a oferta para ingressar no PSB e ter o controle da legenda, também cobiçada pelo prefeito Sebastião Dias (PTB). Embora não seja do PSB, mas do MDB, outra legenda governista, Dinca sempre bateu continência aos poderosos socialistas.

CURTAS

ENFIM, FILIADO – O ex-prefeito de Surubim, Flávio Nóbrega, enfim, ganhou um partido para chamar de meu no município: o Republicano, sob o comando estadual do deputado federal Silvio Costa Filho. Assinou a ficha, ontem, em Brasília, abonada também pelo presidente nacional, Marcos Pereira, vice-presidente da Câmara dos Deputados, apontado como o provável sucessor de Rodrigo Maia (DEM-RJ). Também ingressou na legenda a prefeita de Camaragibe. Nadegi Queiroz, candidata à reeleição sem ainda ter a certeza de que terá as benções do Palácio.

O AMBÍGUO – Embora vote contra o Governo em matérias de vida e morte para Bolsonaro, como a reforma da Previdência, o deputado Fernando Monteiro (PP) é adepto da política do lá e lô. Sua madrasta bate ponto no Metrô do Recife, função negociada com Eduardo da Fonte, com quem vive entre tapas e beijos. Nos corredores do poder em Brasília, o deputado estufa o peito quando se apresenta com a credencial de sobrinho do presidente do Tribunal de Contas da União, José Múcio Monteiro, que não reza pela sua cartilha. Múcio é um político correto e decente.

AGRESSÃO CULTURAL – Patrimônio vivo e imortal da cultura de Pernambuco, a cirandeira Lia de Itamaracá levou um chute do traseiro do Governo do Estado e está fora do calendário momesco. A Fundarpe, responsável pelo cartão vermelho, se recusou a reajustar o cachê merreca da artista, no valor de R$ 7 mil. Aos 76 anos, Lia, entretanto, brilhará em outros palcos da folia, como São Paulo, que sabe valorizar e reconhecer o seu talento.

Perguntar não ofende: Se o Governo não tira o chapéu para a legenda viva e imortal de Lia de Itamaracá, vai tirar para quem?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Qual Bolsonaro mandou matar Marielle?

Fernandes

Frota diz que para defender o filho, Bolsonaro já mexeu no Coaf, no MP, na PF, já fez acordos com STF.

Fernandes

Guedes ameaça entregar o cargo.

Fernandes

Associação de empresários acusa Guedes de facilitar regras para empresas estrangeiras e prejudicar as nacionais. Segundo Luis Fernando Santos Reis, da AEERJ, a nova normativa do Ministério da Economia fará com que as empresas estrangeiras superem as brasileiras nas licitações do governo.

marcos

Lula o carniça volta ao banco dos réus. O juiz Wallisney ouvirá Lula hoje às 14:30 em Brasília à respeito da propina de R$ 6.000.000,00 milhões que ele recebeu das montadoras com a edição da medida provisória 471. Ui mais uma condenação à vista!




18/02


2020

Coluna da terça-feira

Compesa na crista da onda eleitoral

Na edição de ontem do jornal O Poder, que chega pontualmente, às 19 horas, aos assinantes via WhatsApp, antecipei o plano da Compesa de arrecadar R$ 3 bilhões na venda de 49% das ações da empresa. A estatal tem ativos em torno de R$ 7 bilhões e capital social superior a R$ 5,5 bilhões, mas, ao invés do valor arrecadado servir para investir na melhoria da saúde da estatal, há uma desconfiança de que pode ser desviado para obras eleitoreiras.

No edital, não ficou definido a destinação da dinheirama. Na prática, o Governo, que anda sem alternativas de caixa para um ano eleitoral, pode investir o valor da venda das ações onde quiser e achar mais necessário. É possível que recorra às obras para bombar candidaturas de aliados no Recife, Região Metropolitana e Interior. Não é que o dinheiro venha a ser desviado ou usado de forma indevida. Não se trata disso.

O fato é que é um oxigênio que o Governo não contava. No Recife, por exemplo, parte dos R$ 3 bilhões pode ser empregada em obras com perfil definido pelo prefeito Geraldo Júlio , capazes de dar visibilidade à candidatura de João Campos, que o PSB quer eleger a todo custo como projeto político para levar o jovem herdeiro de Eduardo Campos a conquistar os mesmos espaços do pai, seguindo a sua trajetória política e administrativa.

Abrir o capital de uma estatal como a Compesa é legal, um caminho para revigorá-la, desde que os recursos obtidos com a venda das suas ações sejam aplicados nela própria, mas não foi essa a preocupação da direção atual e do Governo do Estado, seu principal acionista. Quem se interessar, no entanto, pela compra, pode não se animar muito sabendo que a empresa não será revigorada, conforme deveria.

Pegada do beco – Foi por isso que o ex-presidente da Compesa, Roberto Tavares, tomou o caminho do beco. Ele defendeu com unhas e dentes o fortalecimento da estatal, através do reinvestimento dos recursos arrecadados na comercialização das ações na Bolsa de Valores. Ao lado dessa motivação técnica-jurídica, teve a política: Tavares trombou com o prefeito Geraldo Júlio, que, a todo custo, fez ingerência política na empresa com a intenção de fortalecer o projeto João Campos no Recife.

Desgarrados – A mídia regional de Petrolina deu amplo destaque à filiação de quatro prefeitos do São Francisco ao PSB durante a passagem do governador Paulo Câmara pela cidade, sexta-feira passada. A intenção foi mostrar que o Palácio adentrou em território antes dominado pelo clã Coelho, especialmente o grupo liderado pelo senador Fernando Bezerra Coelho, pai do prefeito Miguel Coelho. Mas os gestores que ingressaram na legenda – prefeitos de Dormentes, Santa Maria da Boa Vista, Santa Filomena e Afrânio – já não pertenciam mais ao grupo de FBC.

Operação desmonte – Por falar em Petrolina, o ex-prefeito Júlio Lóssio (PSD) disse, ontem, ao blog, que ainda não decidiu pelo apoio ao candidato do PSB a prefeito, Lucas Ramos, porque continua com sua candidatura no páreo. “O que acertei com Lucas e o PSB foi uma estratégia sustentada no discurso de combate à gestão atual, que desativou cerca de cem creches que abrimos e está promovendo um verdadeiro desmonte em Petrolina”, afirmou, adiantando que só decidirá se disputará a Prefeitura em abril. O que se diz por lá é que Lossio não é mais candidato e que indicará o filho Julinho para vice de Lucas, que prefere Andreia, esposa de Lóssio, na composição da chapa.

Companhia maligna – Pré-candidata do Podemos à Prefeitura do Recife, a delegada Patrícia Domingos até que vinha acertando na estratégia de ocupar os espaços nesta fase pré-eleitoral. Bastou, entretanto, se atrelar ao deputado Wanderson Florêncio, aquele gazeteiro da viagem de trabalho de uma comissão parlamentar à Angra dos Reis, para chutar o barraco. Ontem, por exemplo, passou pelo constrangimento de excluir das redes sociais um vídeo de campanha eleitoral com fundo musical de Alceu Valença, feito por ela sem pedir autorização ao cantor, que ficou uma arara.

CURTAS

SOLTO OU PRESO? – A Paraíba está em grande expectativa em relação ao desfecho do processo que poderá levar o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) de volta ao xadrez. É que o Superior Tribunal de Justiça julga, hoje, o mérito do habeas corpus que poderá mantê-lo em liberdade ou determinar nova prisão. De passagem, ontem, por João Pessoa, o ministro da Justiça, Sérgio Moro, disse que permanecerá irredutível e atuando de forma inabalável na luta contra os crimes de colarinho branco.

PROTEÇÃO INDEVIDA – Entre os deputados da bancada do PSB punidos por terem votado a favor da reforma da Previdência há um sentimento de repulsa à postura dócil do comando nacional da legenda, ágil em fazer uma cassação branca de sete parlamentares, entre eles o pernambucano Felipe Carreras, mas lento no affaire Ricardo Coutinho. O presidente do partido, Carlos Siqueira, ao invés de acelerar o processo de expulsão do ex-governador paraibano, envolvido num dos maiores escândalos nacionais, chegando a ser preso, preferiu passar a mão na sua cabeça e adoçar sua boca, recebendo-o em diversas ocasiões.

HOMENAGEM – O Caxangá Ágape presta, amanhã, uma justa homenagem ao comunicador de massas Samir Abou Hana, âncora de rádio e TV em Pernambuco que mais entrevistou celebridades nos últimos anos, defensor intransigente de causas pelo Recife, tendo por isso sido batizado de “O Secretário da Cidade”. Samir ganha um almoço de adesão da instituição na sede do Galo da Madrugada, na Rua da Concórdia, a partir de meio dia. O ambiente ficará pequeno para tantos fãs e amigos que já confirmaram suas presenças.

Perguntar não ofende: O que levou o ex-prefeito de Petrolina, Júlio Lossio, a perdoar seus algozes no PSB e no Governo do Estado?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Lula é Ladrão. Condenado.

Fernandes

Ô marluxa, tu metido a corrigir os outros com um erro de português grosseiro, a palavra correta é: PENSE, e ARRETADO. Babaca Tabacudo fuleiro, analfa metido a sabichão.

Fernandes

ô marluxa fuleiro, não reprima seus sentimentos. Peide feliz!

marcos

Só idiotas úteis mesmo.

marcos

Como é que se defende um ladrão, corrupto, condenado em dois processos, réu em sete e tendo cumprido pena na cadeia por hum ano e sete meses?




17/02


2020

Coluna da segunda-feira

Os bastidores da escolha de Câmara

Ao longo das inúmeras entrevistas que fiz para a série “O míssil chamado Tonca”, levantei também informações, já do meu conhecimento, sobre os bastidores da escolha do candidato a governador escolhido por Eduardo Campos, em 2014. Paulo Câmara, reeleito em 2018, nunca esteve na linha de raciocínio do ex-governador, morto em acidente aéreo em agosto de 2014

Para Eduardo escolher um nome que parecesse competitivo, capaz de atrapalhar os planos de a oposição chegar ao poder com o então senador Armando Monteiro Neto (PTB), favorito nas pesquisas, ocorreu uma série de desencontros envolvendo dois personagens – a poderosa viúva Renata Campos e o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, sob os olhares atentos do ex-governador, já com a campanha presidencial dele nas ruas.

Notícias colhidas à época e reconfirmadas agora apontam que Renata, juntamente com a filha Maria Eduarda, defendiam com unhas e dentes o nome de Tadeu Alencar para governador. Relevante salientar que Tadeu vem a ser sogro da única filha de Eduardo. Ele chegou, inclusive, a ser escolhido e anunciado internamente na família por Eduardo, em dezembro de 2013, mas conspirações palacianas, tendo Geraldo Júlio como principal articulador, derrubaram Tadeu.

Na verdade, Eduardo era muito sagaz e sabia que Geraldo atuava na tentativa de “fazer” ele próprio o candidato. Geraldo agiu pelas costas de Eduardo e de Renata, sempre com o cuidado extremo de não provocar a ira deles. Os relatos dão conta que Eduardo ficou abalado com a destruição do nome de Tadeu, junto com outras manobras muito pesadas praticadas por Geraldo. A morte da candidatura de Tadeu foi, exatamente, no dia do nascimento de Miguel, ponta de rama de Eduardo, no Hospital Santa Joana.

Vendo que Eduardo descobriu a jogada e não aceitava que abandonasse a Prefeitura, então Geraldo partiu com tudo para ter um nome escolhido que fizesse uma aliança carnal tendo ele, Geraldo, como parceiro dominante. Considerando que já estava fora do jogo, ele propôs a Eduardo para ele, Geraldo, ficar coordenando os nomes alternativos com levantamento, através de pesquisas para sondar qual o melhor perfil. Eduardo, sabidamente, concordou, mas ficou cabreiro.

CARTAS DA MESA - Vendo que havia perdido na primeira rodada, com a morte da candidatura de Tadeu, Renata passou a apostar todas as cartas no nome do seu primo-irmão Maurício Rands, que também recebeu a acolhida de Eduardo. Esse nome era tão ruim para Geraldo quanto Tadeu. Isso porque ambos são da família de Renata, gozavam da profunda admiração de Eduardo, além de serem considerados “ninjas” intelectuais e articuladores políticos. Assim, Geraldo Júlio jogou tudo e muito mais do que podia para destruir o nome de Maurício, internamente, sem aparecer, através do PSB.

SURGIMENTO DE CÂMARA - Dessa forma, dentre todas as alternativas, a que se mostrou melhor, até por eliminação, foi a de Paulo Câmara, também seu colega de trabalho no Tribunal de Contas e sempre considerado por Geraldo como uma pessoa insegura e fraca, ideal para selarem um pacto de sempre atuarem juntos, sob o controle e o domínio efetivos de Geraldo. Com medo, porque achava que não ia dar conta do recado, Paulo, fiel à sua profunda insegurança e indecisão, chegou a recusar a candidatura, mas, sob forte pressão de Geraldo, terminou sendo praticamente forçado a aceitar, no mais completo contragosto.

O PARENTESCO - De maneira bem pragmática, Geraldo focou também num parente de Eduardo, pois Paulo é casado com uma prima de Eduardo. Até o último momento, Eduardo ainda queria Maurício, mas não conseguiu conter o levante secretamente montado por Geraldo no próprio partido. Assim, Eduardo terminou por aceitar Paulo Câmara, apesar de não acreditar na sua viabilidade. Ele não via em Paulo nenhuma condição de ser governador, por ter uma personalidade extremamente precária, faltando-lhe o mínimo de fibra para liderar. Ressalte-se que Eduardo gostava muito de Paulo, sim, mas exatamente por ser uma pessoa tímida, arredia, com a máxima qualidade da obediência cega.

O DESABAFO – Mais adiante, um pouco antes da sua morte, Eduardo desabafou a diversas pessoas que andava angustiado, pois ia perder a eleição com Paulo Câmara. O candidato, segundo ele, não sabia nem olhar para as pessoas, cumprimentava com a mão mole, desligado, não criava conexões humanas nem vibrava com nada. Eduardo lamentava que houvesse feito a escolha errada e disse, mais de uma vez que, em retrospecto, o melhor nome histórico do partido teria sido o de Danilo Cabral, mas o mesmo havia sido completamente detonado por Geraldo Júlio junto a Eduardo, sob a acusação de ser uma pessoa individualista, desleal e inconfiável.

GERALDO, O DESTRUIDOR - Vem daí, portanto, a aliança carnal entre Paulo e Geraldo, pois foi o prefeito e mais ninguém que realmente “bancou” o nome de Paulo. Além de Tadeu, Maurício e Danilo, outros nomes foram cogitados por Eduardo, como Fernando Bezerra Coelho e João Lyra, mas Geraldo destruiu todos como cinzas atiradas ao ar. Geraldo não queria em nenhuma hipótese um concorrente para tomar o seu espaço de ser o número um de Eduardo.

PROMESA A LYRA - De fato, Eduardo chegou a dizer a Fernando Lyra, em pleno leito hospitalar no Instituto do Coração da USP, em São Paulo, na frente de testemunhas, que o candidato a governador pelo PSB seria o então vice-governador João Lyra Neto. Isso chegou logo a Geraldo, que entrou no mais completo pânico, partindo para destruir o rival com manobras cirúrgicas, afastando crescentemente Eduardo de João Lyra. Estamos falando ainda do início de 2013, portanto um ano antes da decisão formal.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Eu só faço postagens políticas ou ligadas à políticos.

marcos

Nehemias este comentário não foi meu, como você bem sabe tem outro marcos postando. Eu sou o marcos de Camaragibe. Quando erro assumo.

Fernandes

marluxa, tu metido a corrigir os outros com um erro de português grosseiro,a palavra correta é: PENSE, e ARRETADO. Babaca analfa metido a sabichão. Ou Alceu, que feio, logo você, um pernambucano arretada, nada que um diálogo não resolva, e você deveria emprestar sua música pra ela, seria sua contribuição, pence nisso, nós pernambucanos agradecemos. comentado em 2020-02-17 20:21:46

marcos

Imaginem vocês, U$D 249 Milhões de Dólares Americanos só no banco do Vaticano. Esse Lula é um Bilionário mesmo!

marcos

Lula o carniça vai fugir do Brasil.




15/02


2020

Coluna do sabadão

Lóssio passa a borracha no passado

A política é uma usina de surpresas e de interesses próprios, acima das causas coletivas. Com raras exceções, os políticos só costumam olhar apenas do umbigo para baixo. Em Petrolina, o ex-prefeito Júlio Lóssio (PSD) apareceu, ontem, feliz da vida, exibindo um sorriso Colgate numa foto ao lado do governador Paulo Câmara e de dois adversários históricos no PSB, o deputado federal Gonzaga Patriota e o deputado estadual Lucas Ramos.

Qual a simbologia política da imagem? As eleições municipais serão em outubro, as oposições em Petrolina estão divididas e Lóssio, principal liderança oposicionista, saiu da toca para dar um aviso: se for para derrotar o prefeito Miguel Coelho (MDB), que vai à reeleição com amplo favoritismo, será capaz de tudo, inclusive passar uma borracha nas divergências do passado com adversários, buscando uma candidatura consensual com combustão política e eleitoral.

Teoricamente, Lóssio seria o candidato mais competitivo, mas enfrenta dificuldades pelo isolamento político e um problema de natureza pessoal: seus bens, compreendendo todo patrimônio construído ao longo da vida, estão penhorados pela justiça. Diante disso, o que se diz é que poderá deixar as indiferenças de lado com o PSB, apoiando o pré-candidato socialista Lucas Ramos, filho do conselheiro do TCU, Ranilson Ramos.

Ao passar o dia ontem em Petrolina, o governador deu uma demonstração, também, de que o município, maior colégio eleitoral do Sertão, é prioridade. Ali, a campanha municipal tende a ser estadualizada e até nacionalizada, porque o que estará em jogo é a disputa do Palácio com as forças que integram o grupo do líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho. Uma briga que promete capítulos emocionantes.

Miguel, quadro para 2022 – No confronto com o grupo de FBC em Petrolina, o PSB quer unir todas as forças de oposição, capitaneadas por Júlio Lóssio, para impedir a reeleição de Miguel Coelho, quadro que o pai vem preparando para um projeto majoritário no Estado. Um dos gestores mais populares de Pernambuco, alavancado por transformar a capital do São Francisco no maior canteiro de obras do Estado, Miguel, se reeleito, tem chances de disputar o Palácio das Princesas pelo bloco de oposição. Com isso, FBC adiaria, mais uma vez, o velho projeto de um dia governar o seu Estado.

Odacy isolado – Ainda em se tratando de Petrolina, o que se diz por lá é que batendo o martelo no apoio à candidatura de Lucas Ramos, Lóssio indicaria Andréia, sua esposa, para fechar a chapa do socialista como vice. O acordo isolaria, consequentemente, o pré-candidato do PT, Odacy Amorim, ex-prefeito, também forte candidato do bloco oposicionista. Amorim, aliás, aceitou posar, também, na foto de ontem com o governador, Lóssio, Lucas e Patriota. Aos mais próximos, o petista diz que será candidato de todo jeito, mesmo que Lóssio e Lucas venham a se entender num palanque único.

Surubim dividida – A prefeita de Surubim, Ana Célia (PSB), diz que não toma tranquilizantes para dormir, porque está com a consciência em paz pela obra administrativa que vem tocando. “Trabalho tanto que quando chego em casa, já tarde da noite, boto a cabeça no travesseiro e apago”, relata. Célia, ao contrário do que foi noticiado ontem neste espaço, tende a tirar proveito de duas candidaturas no campo oposicionista, no caso Túlio Vieira e Flávio Nóbrega. Como lá não tem segundo turno, a divisão da oposição pode facilitar o seu projeto de reeleição.

Quarteto militar – Com as novas mudanças na Esplanada dos Ministérios, sobrou algum “superministro” na gestão Bolsonaro? Pelo jeito, não, nem o presidente, a esta altura do campeonato, teria interesse em fortalecer algum auxiliar em detrimento dos demais. Entre os ministros, que brigam na surdina, como fica agora o Bolsa Família sob o comando de Onyx Lorenzoni? Depois de um processo de fritura, Onyx sai da Casa Civil e sua vaga passa a ser ocupada por Braga Netto, general que agora forma com outros ministros um quarteto militar no Planalto.

CURTAS

TOMOU DORIL – O deputado paraibano Wilson Santiago (PTB), que teve o mandato restabelecido pelo Plenário da Câmara Federal na semana passada, após ser afastado por decisão do ministro Celso de Mello do Supremo Tribunal Federal (STF) no âmbito da Operação Pés de Barro, não foi visto em nenhuma sessão ordinária ou extraordinária ao longo da semana no Congresso. Segundo levantamento feito pelo Portal MaisPB, Santiago só esteve presente no Plenário no último dia 6. Nesta sessão, a Casa iria votar propostas que tratam sobre a autorização de serviços aéreos entre o Governo Brasileiro e Governos de outros países.

NO ENFRENTAMENTO – A Procuradoria Geral do Estado (PGE) protocolou, ontem, na 5ª Vara da Fazenda Pública da Comarca do Recife, requerimento solicitando o julgamento imediato e simultâneo de duas ações que pedem a dissolução definitiva da personalidade jurídica das chamadas “torcidas organizadas” em todo o Estado. As ações têm como réus a Torcida Jovem, a Fanáutico e a Inferno Coral, e objetivam, em definitivo, a proibição do acesso, permanência ou reuniões das “torcidas organizadas” dentro e fora dos estádios.

QUEM TEM RAZÃO? – O deputado Fernando Rodolfo (PL) não gostou da nota de ontem nesta coluna contestando a sua versão de que perdeu o programa de TV no SBT em Caruaru por pressão do governador Paulo Câmara. “A ordem veio de cima, no comunicado pelo qual perdi o emprego”, disse. Já a TV-Jornal, em nota, informou que afastou o então âncora por ter a certeza de que estava sendo assediado por um partido para disputar um mandato na Câmara dos Deputados.

Perguntar não ofende: Só a benção do Papa será capaz de apagar todos os pecados das maldades que Lula fez com o Brasil?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

No é encontro em Santa Marta o papa também questionou por qual motivo Lula parou de depositar na sua conta no banco do Vaticano.

Fernandes

Papa diz estar feliz por ver Lula livre. Segundo duas pessoas presentes ao encontro, ocorrido na casa de hóspedes Santa Marta, no Vaticano, Francisco disse a Lula que está feliz de vê-lo solto. Lula agradeceu ao religioso pelas orações feitas por ele durante sua prisão.

Fernandes

Pesquisa mostra eleitor de Bolsonaro decepcionado. KKKK

Fernandes

marluxa. Não reprima seus sentimentos. Peide feliz!

marcos

Ô mortadela, responde aí, tu achas que Lula não roubou?




14/02


2020

Coluna da sexta-feira

Governo de viés preconceituoso

Um Governo que faz escárnio do povo não pode ser levado a sério. Escárnio especialmente com os nordestinos, já chamados pelo presidente de cabeça chata e paraíbas. O ministro da Economia, Paulo Guedes, foi contaminado pelo besouro da malignidade do chefe. Um dia após chamar os servidores públicos federais de parasitas, atacou, com viés preconceituoso, as nobres trabalhadoras domésticas.

Forçado a comentar a alta do dólar, o ministro disse que no passado, com o dólar em baixa, até as domésticas viajavam ao Exterior. E daí, ministro, doméstica não é gente? Que preconceito mais deplorável e inaceitável! Ao invés de agredir à classe trabalhadora doméstica do País, Guedes deveria agir com o poder que detém para dar mais dignidade no trabalho a quem tanto rala para ganhar o pão.

Das mais de 6 milhões de domésticas que batem ponto nos diversos lares brasileiros, pouco mais de 4 milhões ainda trabalham sem carteira assinada, sem direito a férias remuneradas nem 13º salário. Isso é uma vergonha para um País com tamanha desigualdade social, onde impera a lei do mais forte, dos vendilhões do dinheiro fácil.

Um presidente nem muito menos um ministro da estatura de Guedes, que cuida de política econômica, o coração de um governo, pode se dar ao luxo de sair por aí maltratando trabalhadores que acordam cedo e dormem tarde em busca de um lugar ao sol, sofrendo tenazmente para sustentar suas famílias.

Aos servidores públicos federais, Guedes pediu desculpas, mas não estendeu a mesma mão do perdão às domésticas, feridas com muita razão. Elas querem, na verdade, arrancar o fígado dele. Com uma taxa de crescimento pífio, juros ainda na estratosfera, a economia brasileira precisa de um comandante capaz e respeitoso, não um que achincalha e debocha dos que dão o sangue e suam para ver o País prosperar.

Transnordestina nos trilhos – A ferrovia Transnordestina, conforme antecipei, ontem, no jornal O Poder, será retomada pelo presidente Bolsonaro. Segundo o líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB), a ideia é entregar o projeto à empresa Valec, a mesma estatal que botou a Ferrovia Norte Sul nos trilhos depois de uma longa paralisação. Para conclusão dos trechos entre os Estados de Pernambuco e Ceará, o custo está orçado em R$ 7 bilhões. No Ceará, as obras não pararam, vale a ressalva, mas em Pernambuco há muito tempo os canteiros estão à mosca.

Alvo de protesto – O deputado Fernando Rodolfo (PL), que emplacou, ontem, o diretor do INSS em Caruaru, Jefferson de Menezes, está provocando a ira de um segmento eleitoral insatisfeito com a sua atuação parlamentar em Brasília. Amanhã, será alvo de um protesto por parte de uma troça carnavalesca. Foi da capital do forró que a candidatura federal de Rodolfo ganhou asas, depois de insinuar que havia sido afastado de um programa de televisão que ancorava por pressão do Governo do Estado, o que, na prática, não se configurou realidade.

Dinheirama – Certa vez, perguntei ao governador Paulo Câmara, em meio a um café no Palácio, qual Estado nordestino estava tendo maior fluidez de recursos federais. Ele disse que as queixas dos colegas nordestinos eram generalizadas em relação a má vontade do presidente Bolsonaro, mas não foi isso o que constatei na passagem pela Bahia nem pelo Ceará. Ambos os governadores, mesmo sendo do PT, não fizeram nenhum tipo de reclamação nessa direção. Mas comparando com os Estados, quem de fato está vendo a cor do dinheiro de Bolsonaro sem precisar recorrer a óculos de grau é Petrolina, administrada pelo jovem Miguel Coelho, filho do líder FBC. Ali, a dinheirama jorra.

Sem posse agendada – Nomeado desde a última terça-feira superintendente do Incra em Pernambuco, o suplente de deputado federal Kaio Maniçoba (SD) segue na próxima terça-feira para Brasília sem saber ainda a data da posse. Kaio é filho da ex-prefeita de Floresta Rorró Maniçoba, pré-candidata à prefeita pelo PSB, apontada como imbatível, segundo todas as pesquisas de intenção de voto já publicadas.

CURTAS

VOLTA À PRISÃO – Relatora da Operação Calvário no Superior Tribunal de Justiça (STJ), a ministra Laurita Vaz colocou na pauta da próxima terça-feira (18), na Sexta Turma da Corte, o julgamento do recurso do Ministério Público Federal que pede a volta do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) à prisão, informa de João Pessoa, em primeira mão, o jornalista Heron Cid. Ontem, o MPF emitiu novo parecer ao STJ contra a soltura de Coutinho. De acordo com as investigações do Ministério Público da Paraíba, a organização criminosa chefiada pelo político desviou pelo menos R$ 134 milhões da Saúde e Educação, via Organizações Sociais (OS).

O ESTRATEGISTA – Marqueteiro do ex-governador Eduardo Campos por dez anos, o publicitário Edson Barbosa, o Edinho, está, desde ontem, em Pernambuco, convocado para traçar estratégias da campanha de diversos candidatos, entre elas a do jornalista Fernando Veloso, em Goiana, município com potencial econômico, sede da montadora Jeep e de outros grandes investimentos. Dono da Link Propaganda, Edinho também deve ser contratado por uma das candidaturas em potencial no Recife. Ele sabe o que diz e entende desse jogo mais do que ninguém.

EM SURUBIM – A prefeita de Surubim, Ana Célia (PSB), só dorme agora sob o efeito tranquilizante do Lexotan depois de saber que o ex-prefeito Túlio Vieira, ex-PT e agora no Podemos, se entendeu com o presidente da Câmara, Fabrício Brito, e pode formar uma chapa competitiva, tendo na vice o empresário Fernandinho Brito (PTB). As negociações andam de vento em popa e vão acelerar uma definição por parte do ex-prefeito e pré-candidato Flávio Nóbrega, ainda no PSB, que não sabe o que quer da vida.

Perguntar não ofende: Qual será o próximo ministro a rodar a baiana no instável e extravagante Governo Bolsonaro?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Lula o carniça é o ex presidente mais Ladrão que o Brasil já teve. Fala que é mentira idiota útil.

Fernandes

Jair Bolsonaro registra uma avaliação negativa em declínio em 35,5% (ruim e péssimo) e a avaliação positiva (ótimo e bom) ascendente em 32,7%, aponta o agregador do portal jurídico Jota, modelo estatístico de fusão de pesquisas.

Fernandes

Alexandre Frota: matadores de Marielle um morava no condomínio do Bolsonaro e o outro só frequentava O capitão morto estava hospedado no sítio do vereador do PSL mas o vereador não sabia. São tantas coincidências que nem Manoel Carlos autor da (Globo) pensaria nesse roteiro.

Fernandes

Frota: há coincidências demais na morte de miliciano ligado aos Bolsonaros.

Fernandes

marluxa. Não reprima seus sentimentos. Peide feliz! Aceita dói menos.




13/02


2020

Coluna da quinta-feira

Na prática, o articulador será FBC

Se já era ruim, com a escolha de um general da reserva, Walter Braga, para conduzir as negociações com o Congresso, a articulação política do Governo Bolsonaro tende a piorar. Ministro fardado pode até entender de gestão, mas passa longe do seu domínio a arte da política, especialmente a de engolir sapos.

Onyx Lorenzoni, agora ex-ministro da Casa Civil e responsável pela pasta de Cidades no futuro, num remanejamento que expurgou Osmar Terra, não era uma Brastemp no jogo político com o Congresso. Eram corriqueiras as reclamações do seu mau humor, da sua apatia e até indisposição para azeitar a relação do Executivo com o Legislativo.

Chegava a tratar aliados como se fossem adversários. É remanescente de uma safra de políticos que não têm pavio, ou seja, pior do que aqueles que têm o pavio curto. Por isso mesmo, chegou a ser odiado por deputados do baixo clero, que saiam do seu gabinete sem um mínimo de encaminhamento atendido plenamente ou até mesmo parcialmente.

Com saudade da caserna, ambiente que faz a sua felicidade, Bolsonaro deletou todos os ministros civis dos gabinetes com assento no Palácio do Planalto. Deve ter conquistado a felicidade ao olhar ao seu redor, a partir de agora, em momentos difíceis para decidir, e só encontrar auxiliares exibindo farda.

Como o jogo para ser vencido no Governo frente ao Congresso é político, Bolsonaro tende a ter, na prática, um ministro informal da articulação política andando entre o Salão Verde da Câmara e o Azul do Senado, o senador pernambucano Fernando Bezerra Coelho (MDB), já consagrado líder do Governo no Senado.

Ninguém entende mais do que FBC desse xadrez maquiavélico da política e do poder e é a ele que o presidente tenderá a recorrer muito mais, a partir de agora, para destravar os penduricalhos do seu Governo em tramitação no Congresso, para não continuar refém dos presidentes da Câmara e do Senado, respectivamente Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre.

Indefinição na SUDENE – O empresário caruaruense Douglas Cintra regressou, ontem, de Brasília, depois de dois dias em articulações política, sem saber de fato se vai mesmo continuar à frente da Sudene. Os indicativos colaboram muito mais no campo otimista, mas soa estranho o silêncio do Governo, especialmente do novo ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, a quem a instituição está vinculada. O que se sabe e continua valendo ainda é que setores do PSDB paraibano querem abocanhar a Sudene do controle de Pernambuco.

Nenhum sinal – Na última terça-feira, tão logo foi empossado no Ministério do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho foi paparicado por empresários da construção civil num jantar em Brasília, recheado de parlamentares do Nordeste. Em nenhum momento, entretanto, tratou de Sudene nem deu sinais de que está decidido a dar o desfecho sobre a situação desconfortável vivida por Douglas Cintra. Marinho é do Rio Grande do Norte e pretende fazer o primeiro encontro com governadores nordestinos em Natal, capital potiguar.

Audiência – Inicialmente padrinho da indicação de Douglas Cintra para a Sudene, o deputado Fernando Rodolfo (PL) esteve no jantar em homenagem ao novo ministro do Desenvolvimento Regional e a ele pediu audiência para tratar de Sudene, dentre outros assuntos. Ele não teve o poder de fogo de bancar Cintra sozinho. Não fossem a pressão e as articulações do líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho, a nomeação de Cintra não teria sido feita pelo ex-ministro Gustavo Canuto.

Guerra florestana – Rival político em Floresta do novo superintendente do Incra, Kaio Maniçoba, o secretário de Turismo, Rodrigo Novaes, está apostando que o governador Paulo Câmara não subirá mais no palanque da pré-candidata do PSB no município, a ex-prefeita Rorró Maniçoba, depois do alinhamento do seu grupo ao Governo Bolsonaro. Nas eleições municipais, segundo ele deixou vazar, aliados do presidente da República em Pernambuco serão tratados como inimigos na forma da lei.

CURTAS

NEPOTISMO EM GOIANA – Homem forte na gestão do prefeito de Goiana, Osvaldo Rabelo Filho (MDB), o secretário de Governo, Eduardo Batista, é adepto da política paternalista e de apadrinhamento familiar sob o olhar complacente do gestor. Dentre todos os auxiliares é o que mais conseguiu fazer a cabeça de Osvaldinho, como o prefeito é mais conhecido, de que a prática do nepotismo não é má-conselheira. Nomeou a filha Rebeca secretária de Saúde, o cunhado Daniel Alves, na Secretaria de Serviços Públicos, e o genro na empresa Litucera, que cuida da limpeza urbana.

RIFADO – Ainda sobre Goiana, o vice-prefeito Eduardo Honório Carneiro (MDB) não tem mais unhas para roer depois de ser informado que o prefeito Osvaldinho, que está doente e afastado das funções, já teria escolhido o jornalista Fernando Veloso para ser o candidato do grupo à sua sucessão. De fato, Veloso, ex-presidente do Sindicato dos Jornalistas de Pernambuco, ex-colunista político do DP e da Folha, já está de malas e cuias de volta à terra natal, tendo deixado para trás o sonho de virar próspero produtor de uva e manga em terras do São Francisco, em Juazeiro (BA).

MORO ATENDE – Em despacho, ontem, para a delegacia regional de Pernambuco, o ministro da Justiça, Sérgio Moro, determinou urgência para atender ao pedido do presidente da Fundação Joaquim Nabuco, Antônio Campos, de proteção de vida não apenas para ele, mas também para a família. Tonca requereu o direito de ser protegido alegando que passou a receber mensagens estranhas após prestar depoimento ao Ministério Público Federal sobre irregularidades envolvendo gestões do PSB em Pernambuco.

Perguntar não ofende: Quem está por trás, afinal, da puxada de tapete que querem dar em Douglas Cintra na Sudene?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Lula agradece Guedes por confirmar que o seu governo era tão bom que até empregada doméstica ia na Disney.

Fernandes

Pois é. Isso é dor de cotovelo. Lula é reverenciado no mundo como um grande líder, e ai os direitopatas morrem de inveja.

marcos

Lula o carniça Alcoólatra que faz piadas com o nome de Deus

Fernandes

Devoção a Deus é estratégia perversa de Bolsonaro.

Fernandes

Então eles mantém o dólar alto para a empregada doméstica não poder viajar pra Disney? Pensei que fosse INCOMPETÊNCIA. KKKK


Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores