ArcoVerde


15/02


2019

Coluna da sexta-feira

Perderam todos

Por Arthur Cunha – especial para o blog

Com o perdão da palavra, caros leitores, a eleição para a Presidência da Comissão de Cidadania, Direitos Humanos e Políticas Públicas da Assembleia Legislativa foi uma cachorrada. Teve de tudo; reviravolta, manobra regimental, troca de acusações entre parlamentares, azedume, desarmonia, xingamento, gente querendo aparecer, confronto velado entre pastores, bate-boca de evangélicos com representantes dos movimentos sociais e confusão, muita confusão. No fim das contas, perderam todos: as lideranças, os deputados, as candidatas, suas claques, e, em última instância, o Poder Legislativo, o mais plural de todos, onde o debate deveria levar ao consenso. Ah, só para registrar, as Juntas ficaram com o cargo.

Nunca antes na história da Alepe uma indicação de um presidente de comissão foi tão conturbada como a de ontem. Regimentalmente, cabe aos líderes do governo e da oposição indicarem os componentes dos colegiados. Já os presidentes são escolhidos por meio de uma composição, sem que haja bate-chapa. Mas uma série de desentendimentos gerou o imbróglio nesse caso. É bem verdade que só em fazer parte de uma comissão já garante ao deputado a justificativa para ele levantar e defender uma bandeira referente ao tema. Não precisa ser presidente para ter palanque, se esse for o objetivo.

O embate e os desdobramentos de Clarissa Tércio contra as Juntas viraram um confronto entre o “sagrado”, representando a bancada evangélica, e o “profano”, dos movimentos sociais e de igualdade de gênero. A disputa foi reduzida a uma briga elementar, como se uma Comissão de Direitos Humanos só tratasse desses temas. Ninguém pensou na Casa, apesar dos discursos. Faltou altruísmo; sobrou egoísmo.

No final, as Juntas levaram por aclamação porque os oposicionistas deixaram a reunião sem votar diante da eminente derrota. Em um arranjo de última hora, Cleiton Collins ficou na vice. E a comissão de onde se esperava o exemplo de respeito à pluralidade social, que deveria acolher diferentes respeitando as suas legítimas divergências, já começou os trabalhos com seus integrantes apequenando a Alepe. Terça que vem tem nova reunião. O que não tem é clima de convivência entre os representantes do povo que ali estarão. Parece até que eles esqueceram o tamanho da sua responsabilidade.

Histórico – Os governistas argumentaram que havia um acordo para as Juntas presidirem o colegiado com um evangélico na vice. A oposição negou, tanto que, no dia da instalação da comissão, Clarissa Tércio reivindicou o cargo, que, segundo ela, estava reservado aos oposicionistas. As Juntas, autointituladas independentes, de fato foram indicadas pelo líder do governo, Isaltino Nascimento. Com duas candidaturas postas, tentou-se um Tertius, o ex-prefeito João Paulo. Mas Clarissa não abriu mão.

Manobra regimental – Na terça, como o placar estava favorável para Clarissa Tércio, Isaltino Nascimento, então, usando uma prerrogativa da função que ocupa, substituiu o Presbítero Adalto na comissão por ele mesmo, o que garantiria a eleição das Juntas, que venceriam por três a dois se houvesse votação. Experiente, o parlamentar fez tudo obedecendo o regimento interno, portanto, dentro da legalidade.

“Tratoragem” – O líder da oposição, Marco Aurélio, tentou, em vão, substituir as codeputadas por alguém declaradamente do seu lado. Revoltado, acusou o presidente Eriberto Medeiros e Isaltino de “tratorarem”. “Esta casa não pode ser uma casa de inverdades. Isso não é jogo jogado; isso é tratoragem”, disparou. Eriberto levou o procurador-geral da Casa para justificar que obedeceu o regimento.

Cobrança – Com a eleição perdida, Clarissa Tércio foi para cima das Juntas. “Quando o senhor (Isaltino) afirma que houve um acordo (pró-Juntas), o senhor está me chamando de mentirosa. No dia da minha posse, recebi um regimento. Se elas não são oposição e nem é da base, a candidatura é ilegítima. Isaltino diz que há diálogo, mas não há. Manobra terrível mostrando mais uma vez apadrinhamento. Jô, se declare. Eu sou uma candidata legítima”, bateu. Em resposta, Jô, representante das Juntas, afirmou que elas são “independentes e oposição”. Oi?!

CURTAS

DIVIDIDO – Presidindo os trabalhos da comissão até que o novo presidente fosse escolhido, Cleiton Collins ficou entre a cruz e a espada (quase que literalmente). Atordoado, o parlamentar recebeu muita pressão durante as duas reuniões. Acabou dividido entre a bancada evangélica, da qual faz parte, e a liderança do governo. Sua esposa, a vereadora Michele Collins, desempenhou o papel de guarda costas do marido. Não saiu de junto!

TEATRO MAL FEITO – Os dois lados levaram claques para a reunião do colegiado, que quase foram às tapas no intervalo. Era militante LGBTQIA com cartaz cheio de frases de efeito batendo boca com evangélico de paletó e gravata segurando a bíblia. Olhe... Teatro mal feito, com muita gritaria e desrespeito vindos dois lados. Um péssimo exemplo foi dado. Faltou foi maturidade política.

BASTIDORES – A confusão comendo no centro e Romário Dias contando piada. Pelo menos fez com que todos se desarmassem um pouco. Já Manoel Ferreira disse achar que foi a Imprensa quem fez toda a confusão. Será? Impedido de votar, o Presbítero Adalto, que retornará à comissão, fez questão de declarar-se do lado de Clarissa Tércio.

Perguntar não ofende: Vocês acharam justo o resultado da eleição para presidente da Comissão de Direitos Humanos? Respostas no (81) 9.9198-0838 e no Instagram @arthurhbcunha.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Laranjal do Bolsonaro

Se eu fosse o Bebiano,sairia do país c/toda minha família e lá fora, gravava um vídeo contando tds os podres dos bozos e mandava.

marcos

Esse pessoal que usa Fundo de Campanha é todo Bandido. Vamos lá, eleições de 2018 ........... Maria de Lurdes Paixão R$ 400 mil. ....... Lindbergh Farias - R$ 2,6 Milhões ......Dilma Jumenta R$ 4,1 Milhões - Romero Jucá - R$ 2,25 Milhões Vanessa Graziotim R$ 2 Milhões e o cotó presidiário sem poder ser candidato gastou R$ 20 Milhões! Agora é só Bebiano e Bivar?

marcos

Ainda bem que o Nosso Mito é Limpo. Os mortadelas comunas focam Arretados.

marcos

Boa tarde povo Brasileiro. Lula tá preso, tá. OH Glória.

Laranjal do Bolsonaro

Cadê Maria de Lourdes Paixão? Será que está com o Queiroz? Ou será que tá com o Adélio Bispo?


Asfaltos


14/02


2019

Coluna da quinta-feira

O Monte Olimpo dos semideuses do serviço público

Por Arthur Cunha – especial para o blog

Na mitologia grega, o Monte Olimpo era descrito como a morada dos principais deuses. Os gregos imaginaram o lugar como uma mansão de cristais, onde esses deuses, entre eles Zeus, habitavam. Na crônica política brasileira, o Monte Olimpo é personificado no arquétipo de um Poder: o Judiciário. Lá, a grande maioria dos semideuses do serviço público vive a sua vida profissional desfrutando de muito luxo e regalias. E o pior: abalizados pela lei. Juízes e desembargadores, notadamente, formam essa casta de iluminados que incorporam às suas aposentadorias boa parte dos proventos referentes a benefícios e auxílios, como o da moradia, o que engorda - e muito! – seus rendimentos, mesmo quando deixam a ativa. Vale aqui a velha ressalva de que não estou falando da totalidade, mas da esmagadora maioria.

O Conselho Nacional de Justiça aprovou, no final de 2018, o auxílio-moradia de até R$ 4.377,73, por meio de ressarcimento, para magistrados brasileiros que “preencham” uma série de requisitos estabelecidos por quem? Pelo próprio CNJ, sujeito ao lobby ultra eficiente do Judiciário, o mais corporativista dos poderes. A manobra foi orquestrada para compensar os pobres juízes depois de o ministro Luiz Fux, do STF, revogar liminares que validavam o penduricalho desde 2014. Em Pernambuco, o Tribunal de Justiça não deixa claro em seu site quanto ganha um juiz de Direito. Falta transparência! Nos bastidores, comenta-se que chega a aproximadamente R$ 28 mil brutos. Dinheiro que eles levam quase que totalmente para as suas aposentadorias.

Essa farra dos penduricalhos tem uma conta, meus caros, que incide no orçamento dos tribunais de Justiça. Os custos do Judiciário são pagos pelos recursos do Duodécimo, que é, em última instância, o que os Estados repassam, mensalmente, aos TJs obedecendo a Constituição. Não tem nada de errado nisso. O problema é que, quando suas excelências, os presidentes dos tribunais, acham essa grana é pouca, elas tratam de fazer pressão nos governadores cobrando aumento dos repasses. E como não há almoço grátis, meus amigos, a conta, no final das contas, fica exatamente com quem você pensou: eu e você, inclusive, se você for servidor público. A reforma da Previdência precisa rever esse regime de aposentadoria.

Como bem alertou um leitor da coluna, que, aliás, é servidor público: “é preciso cortar na carne”. Pena que muitos não pensam como ele. Mas há os que pensam, no privado também, como esse que vos escreve. Somos nós que precisamos fomentar esse debate. Ninguém é contra que se ganhe bem no serviço público. Acho até que servidor público deve ganhar um bom salário, para evitar qualquer tentação de se corromper. Agora, quanto à regalia e penduricalho, eu sou contra, na ativa e na aposentadoria.

Haja confusão – A eleição para a Presidência da Comissão de Direitos Humanos, Cidadania e Políticas Públicas da Alepe virou de vez uma grande confusão. O dia de ontem foi todo marcado por reviravoltas. Primeiro, o líder do governo, utilizando uma prerrogativa que lhe cabe no regimento, substituiu um membro votante do colegiado com o objeto de ajudar na eleição das Juntas. Saiu Adalto Santos, que votaria em Clarissa Tércio, e entrou o próprio Isaltino Nascimento, cuja preferência é pelas codeputadas. As parlamentares brigam há mais de uma semana pelo comando do colegiado.

Haja confusão 2 – Diante desse movimento, o líder da oposição, Marco Aurélio, encaminhou ofício à Presidência da Casa pedindo a substituição das Juntas por William Brígido – tudo regimentalmente permitido. Com a ida para a suplência, as codeputadas não poderiam presidir a Comissão de Direitos Humanos. A questão é que, segundo Marco Aurélio, seu ofício não foi aceito, o que acabou inviabilizando a troca. Ou seja, a eleição para o comando do colegiado acontecerá hoje de manhã, após o Plenário, com um cenário favorável à eleição das Juntas. A confusão, como vimos, está longe de acabar.

Plano Diretor – O presidente da Câmara de Vereadores do Recife, Eduardo Marques, fez questão de participar pessoalmente, ontem, da instalação da comissão especial que vai avaliar a reforma do Plano Diretor da cidade - um assunto muito delicado na Casa por anos. Para o parlamentar, a pauta é a mais importante que a capital pernambucana já teve nesta década. Rodrigo Coutinho será o presidente, Ivan Moraes o vice, e Aerto Luna, o relator.

Chuva castigando – As chuvas neste início de ano estão castigando muito Pernambuco, sobretudo, as cidades da Mata Norte. De acordo com a Apac, são da região os três municípios onde mais choveu nas últimas 24 horas: Condado (113,57 mm), Itambé (106,21 mm) e Aliança (76,8 mm). O dia ontem foi de muita água também na Mata Sul, Agreste e Região Metropolitana do Recife. A agência, por sinal, teve o nome da sua nova diretora, Silvana Montenegro, aprovado pela CCJ da Alepe, conforme determinação legal.

CURTAS

UNIÃO – Os parlamentares pernambucanos mostraram que estão juntos na luta municipalista, e atenderam ao chamado do presidente da Amupe, José Patriota, prestigiando o café da manhã promovido pela CNM, ontem, em Brasília. À tarde, Patriota integrou a comissão que integrou as pautas do Municipalismo ao ministro Onyx Lorenzoni, da Casa Civil.

MORO x FBC – A Imprensa nacional noticiou um eventual veto do ministro Sérgio Moro (Justiça) ao nome do senador Fernando Bezerra Coelho para a liderança do governo no Congresso. A questão é saber se Moro realmente vai ter força de para barrar FBC no cargo. O ex-juiz esteve durante muito tempo envolvido na Lava Jato, que investigou o pernambucano.

DEVOLVA MEU SOM – Os gestores de Santa Terezinha, no Sertão, devem estar sem ter o que fazer mesmo. Um imbróglio político na cidade se estabeleceu porque o atual vice-prefeito, José Adarivan, não estaria querendo devolver duas caixas de som da Câmara Municipal, emprestadas quando ele era vereador. A cidade não deve ter problema nenhum para resolver, pelo visto. E o povo, ó...

Perguntar não ofende: Bebianno aguenta até quando?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Laranjal do Bolsonaro

Humilhado publicamente pelo vereador Carlos Bolsonaro e pelo próprio presidente Jair Bolsonaro, o ministro Gustavo Bebianno mandou um recado direto aos que defendem sua demissão por conta do escândalo de candidaturas laranjas do PSL; \"Eu posso cair. Caso isso aconteça, Bolsonaro cai junto!\", disse Bebianno a um jornalista

Laranjal do Bolsonaro

SE EU CAIR, BOLSONARO CAI JUNTO”, DISSE BEBIANNO A JORNALISTA.

Laranjal do Bolsonaro

Boechat tinha relatado sobre o desvio de mais de 200 milhões de Reais da família Bolsonaro. Essa família do Bozo tá com tudo e não tá prosa.

marcos

E o mito continua Limpo, chora Prezada Corrupta!

marcos

Atenção todos: Dia 07/04 tem aniversário de hum ano em Curitiba, vamos reservar as passagens com antecedência para evitar balbúrdia!




13/02


2019

Coluna da quarta-feira

Sagrado x Profano

Por Arthur Cunha – especial para o blog

O imbróglio que virou a escolha da nova presidente da Comissão de Cidadania, Direitos Humanos e Participação Popular da Assembleia Legislativa é um reflexo da sociedade; um microcosmo das redes sociais. O debate foi reduzido ao “Sagrado” versus o “Profano”. Virou elementar demais para o tamanho de um Parlamento estadual. De um lado, Clarissa Tércio representando a bancada evangélica, o discurso e a temática que esse segmento defende. Do outro, as codeputadas Juntas, vindas do movimento social, empunhando a bandeira LGBTQIA, a igualdade de gêneros e outras pautas. Ou seja, ideologicamente, os dois opostos. O que seria um excelente argumento para o bom debate, que é da natureza do Legislativo, contudo, virou uma briga de menino birrento sem ninguém ceder. Se prolongado, o impasse pode apequenar a Alepe frente aos desafios que o colegiado em questão e a própria Casa têm pela frente. 

Um acordo entre as lideranças de governo e oposição, praxe regimental na composição das comissões, acabou não sendo cumprido na instalação da de Direitos Humanos, ontem. Pelo acertado, as Juntas presidiriam o colegiado com um deputado da bancada evangélica na vice. Clarissa, então, reivindicou a Presidência com a justificativa de que as colegas são independentes do ponto de vista político e não pertencem à oposição. Como a vaga estava reservada a um parlamentar oposicionista, ela decidiu concorrer com o aval da sua bancada. A reunião, que estava lotada com claques dos dois lados, foi muito tensa, e, por pouco, não acabou em bate-boca. O desconforto nos semblantes dos parlamentares era visível. 

Depois das tentativas frustradas frente às câmeras de se alcançar um consenso, os deputados resolveram jogar para a amanhã, às 11h30, a escolha. Até lá, vão tentar chegar a um denominador comum. Uma das sugestões era a opção por um tertius; no caso, o deputado João Paulo, que, apesar de ter a experiência de uma vida pública extensa, é do governo. Durante a sessão, o ex-prefeito fez discurso, pediu que os colegas pensassem no drama de milhares de pessoas que precisam do trabalho da comissão e também na Casa. Em vão; nem as Juntas e nem Clarissa retrocederam.

À tarde, como este colunista noticiou com exclusividade, correu nos bastidores uma versão de que, na verdade, o movimento de Clarissa seria o pano de fundo de uma disputa entre dois pastores fortes no estado: o pai da deputada, Francisco Tércio, da Novas de Paz; e o Pastor Ailton José, da poderosa Assembleia de Deus Convenção Recife. Clarissa e Francisco Tércio são aliados dos irmãos Ferreira. Esses, por sua vez, teriam brigado com Ailton, que tem no seu time os deputados Cleiton Collins e Presbítero Adalto. O embate, então, seria por espaço e visibilidade. Se a versão realmente se comprovar, o problema é ainda maior porque uma briga de cunho político-religioso estaria contaminando o Parlamento. E as Juntas, que não têm nada a ver, estariam sendo usadas nessa “Guerra Santa”.

Alternativas – Apesar dos apelos dos colegas, nem as Juntas e nem Clarissa Tércio devem abrir mão de bater chapa pela Presidência da Comissão de Cidadania, Direitos Humanos e Participação Popular da Alepe. Uma das opções, nesse caso, seria que o escolhido saísse dos três outros integrantes do colegiado: João Paulo, Cleiton Collins ou Presbítero Adalto. Como Collins e Adalto são de um segmento evangélico contrário ao de Clarissa, e João não foi aceito de imediato, outra alternativa seria a liderança do governo trocar um dos nomes da bancada por outro deputado que viesse a ser o eleito.  

Habilidade – A sessão plenária na Alepe pegava fogo, ontem, com Wanderson Florêncio discursando na Tribuna e um grupo de populares da Brasília Teimosa vaiando o parlamentar das galerias, gritando por acesso à moradia. Após o deputado terminar a fala, os protestantes continuaram fazendo barulho, o que motivou a interrupção da reunião por alguns minutos. Foi quando João Paulo, habilidoso que só ele, subiu às galerias, e, em cinco minutos de conversa, desarmou a turma toda. E ainda saiu aplaudido.

Levitação – Por falar em João Paulo, quem o viu conversar com o deputado Tony Gel, ontem, no Buraco Frio, sobre meditação, teve a certeza que os dois ex-prefeitos são especialistas no assunto – também, para aguentar as broncas do Recife e de Caruaru só sendo zen mesmo. Tony falou sobre a sua experiência com a prática, citando uma visita à Índia, quando João Paulo perguntou se o colega já tinha levitado. Diante da negativa do parlamentar, o comunista, então, contou suas vivências com a levitação. Pense que são duas figuras!

Posse – Também na sessão de ontem, o deputado estadual Diogo Moraes tomou posse para seu novo mandato. O socialista, em discurso emocionado, explicou que voltará a se afastar por um tempo para tratar da saúde. A coluna deseja toda sorte ao parlamentar e torce para que ele se reestabeleça o quanto antes. Diogo, que foi escolhido líder do PSB na Assembleia, esteve com o governador Paulo Câmara pela manhã, no Palácio do Campo das Princesas.

CURTAS

EXCELENTE NOME – Excelente escolha a do governador pelo ex-deputado Zé Maurício para a Secretaria Executiva de Relações Institucionais da Casa Civil. Muito querido entre os deputados, Zé é uma unanimidade na Casa; tem trânsito livre entre os parlamentares e vai poder ajudar muito o governo na nova função.

MEIO AMBIENTE – Estreante na Câmara do Recife, o vereador e ex-prefeito João da Costa é cotado para presidir a Comissão de Meio Ambiente da Casa de José Mariano. O colegiado – que terá papel fundamental na discussão de projetos importantes da cidade, a exemplo do novo Plano Diretor – ainda é formado por Augusto Carreras, Goretti Queiroz e Ricardo Cruz.

LARANJAS DO PSL – Mesmo no hospital se recuperando de uma cirurgia, o presidente Jair Bolsonaro responsabilizou o ministro Gustavo Bebianno (Secretaria-Geral da Presidência) pela já denominada crise dos Laranjas do PSL – o auxiliar comandava o partido durante a campanha. Aliados de Bolsonaro já querem a cabeça de Bebianno como uma forma de estancar a sangria. E Luciano Bivar?

Perguntar não ofende: Quem é a sua preferida para a Comissão de Direitos Humanos da Alepe: as Juntas ou Clárissa Tércio? Resposta pelo WhatsApp Cidadão da Coluna: (81) 99198-0838.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Laranjal do Bolsonaro

Boechat tinha relatado sobre o desvio de mais de 200 milhões de Reais da família Bolsonaro. Essa família do Bozo tá com tudo e não tá prosa.

Laranjal do Bolsonaro

Carlucho: Bebiano é um mentiroso! Bebiano: Não vou me demitir! J. Hasseelmann: Carlucho quer gerar crise! Mourão: O PSL que se explique! Frota: Quero Queiroz na cadeia!

marcos

Mas afinal, quem mandou matar Celso Daniel?

Laranjal do Bolsonaro

O Exército brasileiro virou um puxadinho das Forças Armadas dos EUA.

Laranjal do Bolsonaro

Conselho útil: Quando você for perseguido por um burrominion, se esconda numa biblioteca, ele jamais entrará ali!




11/02


2019

Coluna da terça-feira

Pelo debate

Por Arthur Cunha – especial para o blog

A principal razão de existir desta coluna é provocar o debate. Eu escrevo todo dia para colocar o dedo na ferida, abrir caixas-pretas e jogar luz no que está nas sombras. Não quero, de forma alguma, ser unanimidade. Nem poderia; meu papel aqui é o de ser inconveniente. Quero é incomodar mesmo; fazer jornalismo político sério. Este espaço é, sobretudo, opinativo. O que se publica é o resumo das minhas convicções, do que apuro, leio, ouço, vejo e vivo na minha vida profissional.

Ontem, defendi o fim da aposentaria integral para o que chamei de “semideuses do serviço público”. Muita gente concordou; alguns servidores públicos, contudo, não. O debate nos grupos de WhatsApp que participo foi quente. Fui elogiado, criticado, encorajado – até de amargurado me chamaram. Faz parte. Li e respondi todas as avaliações. Apesar de não concordar com algumas poucas, respeito todas. E as quero ouvir sempre.

Mas abro mão de preservar amizades se o preço for me calar ou fazer vista grossa. Por isso, vou estender para a coluna de hoje o debate sobre o fim dos privilégios para servidores públicos – sejam eles concursados, comissionados ou eleitos. Essa pauta está na ordem do dia e “gera engajamento”, para usar um termo da moda. De antemão, já deixou claro que continuo sem concordar com aposentaria integral para qualquer categoria. E acho muito válida a sinalização do novo governo de debater a real necessidade de, por exemplo, um juiz de Direito incorporar, na aposentadoria, os penduricalhos do seu salário na ativa.

Em contraponto, tenho absoluta convicção de que, por terem um tipo de trabalho específico, militares, policiais e trabalhadores rurais têm de ser tratados de forma diferente dos que trabalham em escritórios ou em sala de aula. Antes que alguém grite: eu falei diferente e não com privilégios. O tempo de contribuição de um policial deve ser menor que o de um administrador. Não pelo policial ser melhor que administrador; mas pela natureza dos trabalhos, que são distintos. Isso ainda vale para um professor, cujo esforço físico também é enorme ao longo da carreira. Não dá medir com a mesma régua os diferentes. Feita essa pontuação, continuo – e repito! – contrário à manutenção da aposentadoria integral para qualquer carreira. E reafirmo minha crítica a quem entra no serviço público para se servir dele; e não para servir ao povo. São marajás, sim. E isso tem de acabar. 

“Você sabe quanto desconta no meu contracheque todo mês?”, me questionou um servidor público em um grupo de WhatsApp, se esquecendo (ou não) que os tributos pagos por ele são exorbitantes, também, para quem trabalha no setor privado. Servidores públicos, funcionários e donos de empresas no Brasil pagam muitos impostos. Todos somos vítimas de um Estado (no sentido amplo da palavra) craque em arrecadar e ineficiente em realizar. Não vejo outra saída para solucionar esse absurdo que não uma reforma Tributária de verdade. Friso, para terminar, que tem gente decente em todo lugar. Ainda assim, gente decente não pode ter direito a privilégios, nem no público e nem no privado. A coletividade deve vir em primeiro lugar.

Ponderação – Já outro servidor de carreira me abordou para falar sobre a coluna. Na nossa conversa, ele me disse observar a existência de uma “corte” no serviço público com “privilégios em diversos níveis”. É justamente contra essa “corte” que me posiciono e luto. E tenho certeza que os que me abordaram no WhatsApp também. Para não ficar só no Judiciário, tenho uma visão de que parlamentar não deve tá receber aposentadoria. Político de carreira, apesar de existir aos montes, não deve ser profissão.

Bolsominion? – “Por isso lhe chamei de hipócrita”, disse outro (esse não é servidor público) porque elogiei a suposta disposição do novo governo de rever privilégios dos semideuses do serviço público na proposta de reforma previdenciária. Como se eu devesse só criticar ou só elogiar Bolsonaro. Graças a Deus (ou a Alá) que esse mundo não é uma dicotomia entre certo ou errado. Meu amigo, eu quero é ver esse Brasil bem, a economia crescendo, a sociedade se desenvolvendo; mais oportunidades, igualdade. Pouco me importa o partido ou ideologia que nos proporcione isso.

Só problema – Com pouco problema para resolver, convalescendo em um hospital, Jair Bolsonaro ganhou mais um imbróglio para administrar. Trata-se da doação de singelos R$ 400 mil para uma candidata à Câmara com apenas 274 votos em Pernambuco. Alguém conhece a ilustre senhora Maria de Lourdes Paixão? A oposição, lógico, acusou a legenda, presidida pelo pernambucano Luciano Bivar, de lavagem de dinheiro. Bivar, por sinal, ainda deu a infeliz declaração de que política não seria lugar para mulheres.

 

Viva Boechat! – Foi escrevendo esta coluna, falando da minha opção por fazer Jornalismo, que recebi a triste notícia da morte de Ricardo Boechat, um verdadeiro gigante da nossa profissão, vítima de um acidente de helicóptero. Boechat é uma das minhas maiores referências. Nunca perdeu a alma de repórter. Era talentoso, combativo, multifacetado, “furão” - um dos precursores da coluna neste formato que vocês estão lendo. Admirei ainda mais Boechat quando ele veio a público falar da sua luta contra a Depressão. Em tempos de uma crise sem precedentes na Imprensa brasileira, perde muito, mas muito mesmo, o Jornalismo.

CURTAS

DIREITOS... – Ficou para hoje a decisão sobre quem vai presidir a Comissão de Direitos Humanos da Alepe. O acordo era para o posto ficar com as Juntas, mas a bancada evangélica quer Cleiton Collins. A reunião de instalação do colegiado será às 11h, quando o deputado e as codeputadas podem protagonizar o primeiro dos seus grandes embates desta Legislatura. Em tese, pelo perfil dos parlamentares da comissão, Collins teria mais votos em uma disputa.

... HUMANOS – Sem concorrência aparente, a esposa de Cleiton, a não menos polêmica Michele Collins, foi reconduzida à presidência da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da Câmara Municipal do Recife. Ela ficará à frente do colegiado pelo próximo biênio. Segundo a vereadora, 80% dos projetos de lei da Casa passam pela comissão. Lá, Ivan Moraes, o equivalente das Juntas, ficou apenas como vice-presidente. 

BIPOLAR – O PSC da Assembleia Legislativa é um partido, digamos, bipolar. Dos cinco deputados da bancada, três são governistas (Antônio Fernando, Guilherme Uchoa Júnior e Wanderson Florêncio); e dois são da oposição (Clarissa Tércio e Manoel Ferreira). Ontem, Clarissa subiu à tribuna para criticar o governo. Já Wanderson fez um aparte no discurso da correligionária defendendo. Fiquei sem entender.

Pergunta não ofende: Vou pedir licença aos leitores para, ao invés de perguntar, afirmar neste espaço que, sim, 2019 já pode acabar!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

08:20 Boechat diz que a corrupção no PSL é de fazer inveja a qualquer outro grupo, meio-dia o helicóptero cai e ele morre...Estranho, não?:

marcos

Qual governo mais Corrupto, Lula ou Dilma Jumenta?

marcos

Quem é mais louca, Dalmares ou Dilma Jumenta?

marcos

Jean Wyllys vem ao Brasil ( Curitiba) a cada dois meses para fazer visita intima a Lula. Fonte: blog 247.

marcos

Falando em Laranja quem é mais rico, Queiroz ( Flávio) ou Jonas Suassuna ( Lula)?




10/02


2019

Coluna da segunda-feira

Pelo fim da aposentadoria integral no serviço público

Por Arthur Cunha – especial para o blog

Um dos maiores legados que a reforma da Previdência pode deixar para Brasil do presente e do futuro é a revisão da aposentadoria integral dos semideuses do serviço público. Vou tratar como “semideuses do serviço público” aquelas pessoas que dedicam boa parte de suas vidas estudando para passar em um concurso (olha o nome) público; para, depois do êxito, só pensarem nelas mesmas. Essas mentes, muitas delas brilhantes, poderiam ser direcionadas ao empreendedorismo na busca por soluções para os grandes problemas do país, melhorando a vida do coletivo. No entanto, preferem o egoísmo do próprio umbigo. E mais: acham que nós, os “mortais”, é que temos de bancar seus luxos eternamente.

Superministro da Economia, Paulo Guedes tem sinalizado que a reforma a ser proposta pelo novo governo vai abolir esses privilégios, incluindo até os intocáveis militares, o que já está gerando uma grita dentro e fora do Planalto. Guedes não é bobo. Com o movimento, traz para o seu lado a maior parte da opinião pública. Mas, para além da esperteza, a equipe econômica de Bolsonaro aparenta mesmo é estar usando do bom senso nessa questão. É pura matemática. A conta, simplesmente, não fecha. Ter uma aposentadoria alta, sem preocupações, é o desejo de todos nós, vale ressaltar. O que não dá para aceitar é essa excrecência que se torno a aposentadoria integral no serviço público.

Volto a dizer: ninguém aqui é contra se ganhar bem, desde que a imensa maioria seja beneficiada. E não, apenas, uma casta de iluminados. Uma estatal no Brasil – seja ela da esfera federal, estadual ou mesmo municipal – serve mais aos seus funcionários do que ao povo, motivo de sua existência. É supersalário, penduricalho disso, adicional daquilo; auxílio não sei das quantas. E quando a estatal dá prejuízo, como tem um monte no Brasil, quem paga a conta é o Tesouro, ou seja, eu e você que está lendo a coluna agora.

Em qualquer país que se preze, o lugar de se ganhar dinheiro – se esse for o objetivo – é no setor privado, oferecendo produtos e serviços diferenciados, resolutivos, sustentáveis. E não no serviço público, cada dia mais inchado e sem entregar o mínimo que dele se espera. Alheios aos mortais, os semideuses do serviço público estão lá no seu Olimpo, míopes, sem o mínimo de empatia para com o próximo. Chegou a hora dessa turma levar um choque de realidade. O Brasil de verdade está no fundo do poço; agonizando em um corredor de hospital público. Não tolera mais sustentar marajá! Essa boquinha vai acabar!

Privatizações – A miopia dos semideuses do serviço público, que só pensam em si, são corporativistas e arrogantes, é um dos principais argumentos do supreministro da Economia, Paulo Guedes, na defesa da privatização de estatais. Guedes está batendo de frente com os militares, estatistas por natureza, que criaram a maioria das empresas que aí estão. O debate, nesse caso, tem de ser amplo e sem hipocrisia. Eliminar gorduras é extremamente necessário. Mas isso não pode ser usado como pretexto para o Estado brasileiro transferir ao setor privado sua responsabilidade.

Inchaço – O fato é que o Tesouro brasileiro não aguenta mais arcar com tanto gasto. Um dado assustador reforça essa preocupação. Nos 13 anos em que dominou o Governo Federal, o PT criou nada menos que 41 empresas públicas, que pagaram, nesse período, R$ 5,5 bilhões em salários, segundo levantamento do jornal Valor. E advinha quem bancou esses cabides de emprego para os petistas e seus aliados? Pois é: eu e vocês, meus amigos.        

Dudu Bolsonarista – Parece que o senador Fernando Bezerra Coelho, cotado para líder do governo no Congresso, terá concorrência na disputa por ser o representante do Bolsonarismo em Pernambuco. Quem entrou na fila também foi o deputado federal Eduardo da Fonte. Sua assessoria distribuiu release informando que Dudu fez a “primeira grande entrega da gestão de Jair Bolsonaro a municípios pernambucanos”, se referindo a 15 tratores e grades aradoras entregues às associações comunitárias pela Codevasf. A ação aconteceu no sábado, em Ibimirim.

Interiorização do turismo – Muito positivo esse movimento de interiorização do Turismo em Pernambuco, capitaneado pelo novo secretário da área, Rodrigo Novaes, que tem raízes sertanejas. Ontem, Rodrigo abriu a temporada do Carnaval 2019 com uma ação promocional que comemorou o centenário do boneco gigante de Zé Pereira, em Belém do São Francisco, no Sertão de Itaparica, sua terra natal. O município, aliás, integra uma região de muitas potencialidades turísticas. A interiorização será a principal bandeira defendida pelo secretário à frente da pasta.

CURTAS

PAUTA MUNICIPALISTA – O presidente da Amupe e prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota, estará em Brasília, amanhã, para reunião na CNM. Na ordem do dia, as pautas municipalistas que serão debatidas com o novo governo. Acompanham Patriota no encontro pare da diretoria reeleita com ele, da qual fazem parte a vice-presidente Ana Célia (Surubim), o tesoureiro João Batista (Triunfo) e a secretária da Mulher, Débora Almeida (São Bento do Una).

MULHERES NA POLÍTICA – Boa surpresa deste início de Legislatura, a bancada feminina da Assembleia Legislativa se reuniu para um almoço de confraternização. A ideia é afinar a atuação delas com temas relacionados à participação da mulher da política, por exemplo. Quem puxou o debate foi Roberta Arraes, que está no seu segundo mandato. A coluna apoia totalmente a iniciativa e deseja sorte às deputadas.

FILIAÇÕES – A Executiva Nacional do PR realizou encontro com todos os presidentes estaduais, em Brasília, para definir as estratégias visando o pleito municipal de 2020. Os dirigentes colocaram como meta filiar nomes competitivos. “Várias lideranças se identificam com o nosso projeto e vamos trazê-las para os nossos quadros”, adiantou o presidente em Pernambuco e prefeito do Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira.

Perguntar não ofende: Moro terá êxito na aprovação da Lei Anticrime?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

O laranja fez a família de corruptos chorar! Estão segurando Queiroz, com medo de uma delação, pois aí a família inteira iria enxugar as lagrimas na bandeira nacional.

Fernandes

Cassação de Flávio Bolsonaro. O Brasil pede justiça e ética. 47.070 pessoas já assinaram. Ajude a chegar a 50.000.

Fernandes

Depois que Bolsonaro ganhou só tragédias. Será que esses acontecimentos apontam uma relação?

marcos

Perda irreparável a do jornalista Ricardo Boechart, o Brasil está de luto. Descanse em paz.

marcos

Quem deve ser preso primeiro, Queiroz. Flávio. Gleisi ou Dilma?




07/02


2019

Coluna da sexta-feira

Ocupando o espaço

Por Arthur Cunha – especial para o blog

A possível indicação do senador Fernando Bezerra Coelho para a liderança do Governo no Congresso Nacional é o que falta para consolidar a aproximação do emedebista com Jair Bolsonaro, movimento que, dizem, está na mira de FBC desde que o atual presidente ganhou a eleição. Para além da tarefa de melhorar a interlocução entre Senado e Câmara, FBC vai usar o cargo, e a natural proximidade com o presidente que dele deriva, para ocupar um espaço vago em Pernambuco: o de representante do Bolsonarismo.

Desejado por muitos aqui nessas bandas, o posto está vago; menos pela falta de pretendentes, mais pela dimensão necessária para envergar tal posição em tempos de alta. Armando Monteiro não quis, motivo pelo qual os entendidos avaliam que ele não subiu nas pesquisas. Mendonça Filho parecia que seria o agraciado. Chegou a surfar na onda e ganhar votos para senador depois que declarou apoio ao então candidato. Os mesmos estudiosos argumentam que, se ele tivesse feito o movimento antes, poderia ter ultrapassado Jarbas Vasconcelos na corrida. Depois do pleito, contudo, nada veio para o ex-ministro.

Derrotado para o Senado a exemplo do colega de chapa, Bruno Araújo foi outro que ensaiou cair nas graças do Bolsonarismo, o que acabou por não se concretizar. Os deputados federais André de Paula, Silvio Costa Filho e Fernando Rodolfo também já acenaram para o mandatário, ainda que de forma sútil; afinal, ninguém sabe se Bolsonaro vai vingar. O presidente está prestes a enfrentar a sua primeira guerra no cargo, quando tentará aprovar a reforma previdenciária em um Congresso renovado, com muita gente querendo aparecer, e sem a garantia de que o texto será o ideal.

Pois é justamente nessa brecha que Fernando Bezerra Coelho pode entrar, ajudando a tropa de choque do governo na aprovação da reforma. Se ele ganha a simpatia do presidente já pode correr para o abraço. Habilidade para tal não lhe falta. Ele foi de Dilma para Temer em um piscar de olhos. Aproveitou um cochilo do PSB nacional e fez o filho ministro de Minas e Energia. Este jogo não é para iniciantes. FBC está aí, olhando o cavalo passar selado. Não tenham dúvidas, amigos: ele vai pular!

Petrolina no cálculo – O cálculo político do senador Fernando Bezerra Coelho passa ainda pela reeleição do filho Miguel, em Petrolina, ano que vem. Pela primeira vez a cidade terá segundo turno. E FBC não quer correr riscos de perder a disputa. Para isso, precisa ajudar o prefeito a manter o alto nível de investimentos que fazem a gestão dar resultado e ser bem avaliada. Pragmático, o senador também está de olho no comando da Codevasf. Quem é do São Francisco sabe que o órgão tem mais força política e capacidade de realização que muita prefeitura.

Lucas no páreo – No terceiro dia da nova Legislatura da Alepe, Lucas Ramos já mostrou serviço e conseguiu aprovar a criação da Frente Parlamentar em Defesa do Rio São Francisco. Além de discutir os riscos ambientais que o Velho Chico corre por conta do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, o socialista terá a chance de marcar território em Petrolina, seu reduto eleitoral. Lucas quer fortalecer sua liderança na maior cidade do Sertão para se tornar "indicação natural" do partido na disputa pela prefeitura do município.

Lossio e Odacy também – Outro que também deve ir para a disputa é o ex-prefeito Julio Lossio, cuja certidão de filiação ao PSD saiu ontem. Lossio preside o partido de André de Paula na cidade – o diretório municipal é composto por seus aliados. Com a legenda garantida, Lossio vai para o embate. Assim como o presidente do Ipa, Odacy Amorim, que, hoje, representa o governador na cidade. Odacy tem disposição para entrar na disputa.

Afinados – O eterno presidenciável Ciro Gomes não esconde de ninguém a admiração que nutre pelo deputado federal Túlio Gadelha, como vimos em uma sequência de fotos postadas no Instagram do cearense. Túlio teve papel de destaque na campanha de Ciro. Ciro terá papel de destaque no mandato de Túlio. Os dois são afinados no discurso e nas ideias. É possível, também, que Ciro estimule Túlio a disputar a Prefeitura do Recife no ano que vem, já com o olhar em 2022.

CURTAS

VICE-LIDERANÇA – Como este blog antecipou, o deputado estadual Sivaldo Albino chega à Alepe com uma tarefa importante: será vice-líder do Governo Paulo Câmara na Casa. O parlamentar combativo, que tem a experiência Legislativa de já ter sido vereador em sua cidade, Garanhuns, também integrará como titular duas comissões: Finanças, Orçamento e Tributação; e Ciência, Tecnologia e Informática.

PRONUNCIAMENTOS – Muito aguardado, o primeiro pronunciamento da deputada-sensação Gleide Ângelo na tribuna da Alepe aconteceu ontem. A parlamentar agradeceu os mais de 412 mil votos e destacou a sua bandeira de luta conta o Feminicídio. Também chegando à Casa, Wanderson Florêncio rememorou sua trajetória política e comentou sua primeira ação. O deputado distribuiu, em um sinal de trânsito do Recife, panfletos com seu número de WhatsApp para quem quiser sugerir algo.

COM DIGNIDADE – Tomara que os senadores, que têm feito questão de depreciar a Casa Alta criando muita confusão, tenham um pouco de bom senso nessa CPI de Brumadinho, que será instalado na próxima terça-feira. Que os culpados sejam exemplarmente punidos, e que suas excelências, os senadores, façam seu trabalho com dignidade.

Perguntar não ofende: a família Bolsonaro está escondendo algo sobre a saúde do presidente?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Vidente diz se Bolsonaro vai morrer e revela que Brasil terá novo presidente. Vidente diz se Bolsonaro vai morrer e revela que Brasil terá novo presidente. O búzio normalmente quando caí fora [do tabuleiro], nos sinaliza risco de morte. Ele aqui não me determina a morte em si, mas apenas o risco”, disse o vidente baiano.

marcos

Segundo o vidente Toninho de Camaragibe, se Lula for condenado em todos os processos que responde vai Reencarnar na Cadeia. kkkkkk

Fernandes

MOURÃO PREPARA O GOLPE FILHOS DO BOZO PEDEM SOCORRO UAI NÃO FOI DIVERTIDO DAR GOLPE NA DILMA? PEDE PARA USTRA! SUCESSO MOURÃO.

Fernandes

Lula tá preso, diz o Bolsominion. Claro! ou vc pensa que com Lula livre teriam conseguido colocar um idiota desses poder.

Fernandes

Irônico é ter um governo, cujo lema é. Deus acima de todos. E vê-lo liberar armas para a população se proteger. Cadê a fé? Cadê a confiança no livramento de Deus?




06/02


2019

Coluna da quinta-feira

União pela sobrevivência política

Por Arthur Cunha – especial para o blog

Se os governadores do Nordeste não se mantiverem unidos para peitar Jair Bolsonaro com argumentos, discurso e estratégia, eles serão “tratorados” pelo presidente da República. Apesar da postura aparentemente institucional por parte da sua equipe, o mandatário já deixou claro que os gestores da região serão tratados como oposição porque não votaram nele. E opositor é opositor; não importa se é de Direita ou de Esquerda. Na primeira brecha que encontrar, Bolsonaro tentará alavancar um aliado seu no “território inimigo”, para usar uma linguagem militar. A tática é clara e antiga, até: minar os adversários para desqualificá-los em seguida. FHC fez isso com Arraes, por exemplo. Se o atual governo decolar na economia, aí é que essa postura ficará mais evidente.

Portanto, acertaram os governadores do Nordeste quando se anteciparam ao presidente e bateram com ênfase na tecla da necessidade de um novo Pacto Federativo. A bandeira é antiga; mas ganha cada vez mais a adesão entre os prefeitos. O movimento pode crescer e entrar na pauta do Congresso de uma vez por todas. A pressão política já teve início na carta dos governadores, divulgada, ontem, após eles se reunirem em Brasília. O Nordeste despontou como a resistência, a Quinta Coluna do enfrentamento político. Nesse processo, vale salientar, ninguém ainda se configurou como a “cara do movimento”. Talvez isso seja bom para preservar a unidade e a vontade dos envolvidos permanecerem no enfrentamento.

A estratégia, fundamental nesse embate, começa a ficar clara. Bolsonaro já entendeu. Por enquanto, seu capital político adquirido na campanha, e que foi pouco gasto nesse primeiro mês de mandato, é o seu trunfo. Essa gordura, porém, pode ser gasta na guerra pela aprovação da reforma da Previdência; uma pauta mais urgente que a disputa com os nordestinos, e da qual depende o futuro político do próprio presidente.

Os sinais, entretanto, são fortes. De ambos os lados. A queda de braço é iminente; vai estourar logo. Bolsonaro tem no seu time um cordão de governadores, do Sudeste e do Sul, ávidos por darem provas de lealdade. Nesse sentido, João Doria (SP), Wilson Witzel (RJ), Romeu Zema (MG), Ibaneis Rocha (DF), Ratinho Júnior (PR) e Eduardo Leite (RS) são os pontas de lança do presidente, que tentarão puxar o protagonismo de um movimento de governadores para si e para a pauta que definirem. A antecipação dos nordestinos, nesse aspecto, é outro ponto positivo, que vai se refletir na prática. A turma dessas bandas é disposta, tem garra e está pronta para o embate. Estão unidos pela sobrevivência política.

Outras bandeiras – Além da revisão do Pacto Federativo, os governadores do Nordeste cobraram de Jair Bolsonaro um debate mais amplo sobre a reforma previdenciária e os projetos de Lei para a segurança pública; além da proposição do novo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). A estratégia da carta com as reivindicações é boa para ser o ponto de partida. Cabe aos gestores, no entanto, a criação de novos fatos políticos na defesa de suas bandeiras.

Operações de crédito – Em paralelo à pauta dos governadores do Nordeste, o gestor de Pernambuco, Paulo Câmara, defendeu a revisão do Pacto Federativo durante reunião com o superministro da Economia, Paulo Guedes, em Brasília. O pernambucano também tratou da liberação da contratação de novas operações de crédito para o estado, reivindicação solicitada desde os tempos de Michel Temer. Guedes sinalizou, no encontro, que uma operação junto ao BID no valor de R$ 140 mi já está pronta para ser liberada.

Frente Parlamentar – Antes mesmo de os governadores do Nordeste provocarem o debate, o deputado federal Silvio Costa Filho já foi logo conseguindo 250 assinaturas para a criação de uma Frente Parlamentar Mista em Defesa do Novo Pacto Federativo. Agora, Costa Filho vai tratar da proposta com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre. Se continuar nessa pisada, Silvinho logo estará no Jornal Nacional, a exemplo do pai, Silvio Costa, que entrou no maior noticiário do país pouco tempo depois da sua chegada à Câmara.

Na pressão – Por falar em pressão dos governadores, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, aceitou mudar seu projeto de Lei conhecido como anticrime por pressão dos gestores estaduais, aí não apenas os nordestinos. Os governadores ganharam o apoio, nesse caso, do ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal. A Moro não sobrou alternativa – ele teve que acatar as cobranças. O ex-juiz se tocou que vai precisar aparar arestas para levar seus planos adiante.

CURTAS

POLÊMICA – Já aconteceu a primeira polêmica no plenário da Alepe. Ontem, as Juntas quiseram retirar da votação um requerimento de Cleiton Collins criando uma frente em defesa da “família” e contra as drogas. Depois da explicação de que não poderiam rifar o pedido, as deputadas aceitaram entrar no colegiado e participar das discussões. Tudo graças à mediação de Priscila Krause e do presidente Eriberto Medeiros.

AQUI NÃO, MOURÃO! – Joel da Harpa subiu à tribuna da Alepe, ontem, para discursar. Depois de parecer que iria reivindicar para si o título de líder do bolsonarismo em Pernambuco, ele utilizou seu tempo foi para dar uma estocada no vice-presidente Mourão. Criticou o fato de o general ter se posicionado contra benefícios aos militares na reforma previdenciária. Mourão vem a Pernambuco dia oito de março, quando Joel pode reclamar pessoalmente.

VOCABULÁRIO – Inusitado o vocabulário que o líder da oposição, Marco Aurélio, tem utilizado nos seus primeiros discursos na Assembleia. Depois de “geringonça”, o parlamentar soltou um “mangaba” ao se referir a uma possível dica que estaria dando aos governistas sobre a atuação da bancada. Os novos deputados, por sinal, têm discursado muito na Alepe. 

Perguntar não ofende: Tinha necessidade de Carluxo postar uma selfie com o pai, Bolsonaro, quase nu, fazendo fisioterapia no hospital?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

O mito só piora da facada, mas ninguém fala do Adélio Bispo. Só se lembram da condenação do Lula. Ó homem querido, né?

marcos

Agora fica provado, Lula é mais Ladrão do que Queiroz. Todo mundo sabia!

marcos

Lindbergh e Sérgio Cabral juntos em Bangu.

marcos

Vamos começar a campanha QUERO LULA NA PENITENCIÁRIA.

marcos

Lula o preso político ganhou mais 12 Anos de mandato. kkkk




05/02


2019

Coluna da quarta-feira

A força política de Patriota

Por Arthur Cunha – especial para o blog

O agora presidente reeleito da Associação Municipalista de Pernambuco, José Patriota, bebeu na fonte de Eduardo Campos e construiu uma liderança sólida no municipalismo pernambucano. Ao defender as causas dos prefeitos com argumentos, articulação e muita mobilização, inclusive nacional, o gestor de Afogados da Ingazeira se consolidou como umas das principais referências do segmento no Brasil. É tanto que o presidente da Confederação Nacional Municipalista (CNM), Glademir Aroldi, fez questão de vir prestigiar o aliado na Assembleia Geral da Amupe. O governador Paulo Câmara não só foi ao evento, como levou consigo todo seu secretariado – e ainda anunciou o pagamento do FEM.

A representação de prefeitos no ato superou fácil uma centena. Patriota montou sua Diretoria Executiva e os conselhos Fiscal e Deliberativo da Amupe com representantes de todas as microrregiões do estado. E esses prefeitos participam das ações da associação. A unidade faz da Amupe uma entidade robusta, com voz e vez. Quem ganha com isso é o municipalismo, muitas vezes o lado mais fraco da corda, prejudicado por décadas de concentração dos recursos nas mãos da União e dos estados.

Como esta coluna antecipou com exclusividade, o governador aproveitou o evento da Amupe para confirmar a liberação de R$ 5,6 milhões em recursos do FEM. O gesto agradou bastante os prefeitos neste início de ano difícil para os municípios, com quedas e retenções nos repasses do FPM por parte do Governo Federal.

De acordo com Paulo Câmara, a primeira parte dos R$ 5,6 mi, referente à versão 2014 do fundo, será paga ainda em fevereiro. O restante, do FEM 2015, será depositado em março. O socialista também anunciou no evento um calendário para discutir parcerias com os municípios, principalmente, na área da Saúde; outra demanda do segmento.

Diminuição do passivo – O presidente da CNM, Glademir Aroldi, acredita que uma reforma da Previdência bem feita vai beneficiar, também, os municípios; especialmente os do regime de Previdência própria, que têm uma dívida considerável com o passivo. “Nossos técnicos estão trabalhando com os do governo. Estamos estimando que teremos uma diminuição de, no mínimo, 30% desse passivo. E para quem está no regime geral também haverá ganhos consideráveis”, garantiu. Um total de R$ 1 trilhão é o que a equipe econômica do governo acredita que serão economizados em dez anos.

Pacto Federativo – Para Aroldi, a reforma previdenciária também trará mudanças positivas no Pacto Federativo, que, em sua opinião, nunca foi regulamentado. “A União, os governos estaduais e municipais precisam disso. As gerações futuras não conseguirão pagar essa conta”, pontuou o presidente da CNM, citando, ainda, os impactos benéficos no desenvolvimento social e econômico do país com a criação de ambientes favoráveis à atração de investidores internacionais.

Dividindo o bolo – Acatando uma sugestão do presidente da Amupe, José Patriota, a CNM estabeleceu uma pauta estruturante para o segmento, que já está sendo tratada com o novo governo. Um melhoramento da reforma Tributária é um item essencial no debate. Glademir Aroldi argumenta que a diminuição de impostos é excelente. Mas que a União acaba driblando os munícipios ao criar contribuições para suprir o buraco e não dividir com estados e prefeituras os recursos adquiridos nessa fonte de receita.

É guerra! – A novela Verão 90, da Globo, retratou, ontem, o famoso episódio do confisco das poupanças no início do Governo Collor. A emissora usou imagens dos seus telejornais, e de pronunciamentos do então presidente e da ministra da Economia, Zélia Cardoso de Mello. A partir dos dramas dos personagens, o capítulo mostrou o caos que tomou conta do país. Em uma cena, a ministra fala em privatizações. Será que a ideia é fazer uma analogia com Paulo Guedes? A guerra do Plim Plim contra Bolsonaro é pesada!

CURTAS

RECEITAS X DESPESAS – Um grupo de prefeitos foi ao Tribunal de Contas de Pernambuco relatar ao presidente Marco Loreto as dificuldades em decorrência da queda nos repasses do FPM. Os gestores adiantaram que as receitas são insuficientes para pagar todas as despesas de janeiro. Loreto colocou o TCE à disposição, mas ressaltou que nada pode fazer em relação à flexibilização da LRF.

NOVOS SECRETÁRIOS – A prefeita de Ipojuca, Célia Sales, empossou os novos secretários de Saúde e Administração, Wendel França e Alexandre Cardoso, respectivamente. França é sanitarista; já foi secretário de Bezerros e Floresta. Já Alexandre Cardoso era assessor da Procuradoria de Ipojuca.

HAJA CHUVA! – Virou rotina no início deste 2019 a Apac emitir aviso de chuva com intensidades forte e moderada na Região Metropolitana, Agreste e na Zona da Mata. Quase todo dia chega um informativo da agência. O motivo são as instabilidades na zona de convergência intertropical, somadas ao aumento da temperatura no Oceano Atlântico. 

Perguntar não ofende: Vocês também acham que Lula deve ir para um presídio comum? Respostas no (81) 9.9198-0838 e no Instagram @arthurhbcunha


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Mas afinal quem mandou matar Mariellel Franco? Os milicianos dos Bozos.

marcos

Lula não tem mala ele recebeu dinheiro roubado em caixas de whisky. E Queiroz deve está escondido no Sítio de Atibaia.

Cabaceiro

Sítio de Atibaia é conversa mole pra boi dormir. E nós não somos bois. Cadê o Queiroz?

Cabaceiro

Qual facção criminosa que tem mais elementos milicianos? .... PSL do Bozo. Essa foi fácil.

Cabaceiro

Mas afinal quem mandou matar Mariellel Franco? Os milicianos dos Bozos.


bm4 Marketing 4


04/02


2019

Coluna da terça-feira

Presidente da CNM quer apoio de prefeitos para reivindicações ao novo governo

Por Arthur Cunha – especial para o blog

Presidente da Confederação Nacional Municipalista (CNM), Glademir Aroldi veio ao Recife especialmente para participar da primeira Assembleia de 2019 da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), que vai reeleger a diretoria comandada pelo prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota. Falando para os gestores municipais de todo o estado, Aroldi pedirá a união em prol da pauta de reivindicações que a CNM apresentará ao novo governo.

Entre os 30 pontos que certamente integrarão a pauta, destaca-se a instituição de linha de financiamento para os municípios cumprirem suas obrigações em relação aos precatórios. Além da manutenção do apoio financeiro às prefeituras; e a edição de um decreto excluindo os valores destinados ao pagamento de benefícios dos Regimes Próprios de Previdência Social municipais da base de cálculo do PIS/Pasep.

Outro ponto que o presidente da CNM vai tratar com os gestores diz respeito à importância da participação de todos na Marcha dos Prefeitos, a ser realizada no mês de abril, em Brasília. O dirigente acredita, contudo, que até lá o Congresso Nacional já tenha votado a futura reforma da Previdência proposta pelo presidente Jair Bolsonaro. A intenção é que o debate sobre os fundos de previdência municipais figure na proposição.

Aroldi esteve junto com Patriota em audiência com o governador Paulo Câmara, ontem, quando solicitou a ajuda do estado na pauta. Câmara apresentará seu novo secretariado na Assembleia da Amupe aos prefeitos presentes. Na ocasião, também dará uma boa noticia aos gestores: vai liberar os recursos para a conclusão das obras do FEM de 2014 e 2015. A ida do governador também tem como objetivo prestigiar e referendar a recondução de Patriota e de toda a diretoria da entidade.

Posse na Câmara – Empossado na vaga que era de Marco Aurélio, o vereador do Recife, Samuel Salazar, levou uma claque para aplaudi-lo. Após as palmas, um engraçadinho comentou: “Se teve tanto voto, por que não se elegeu?”. Já Gorete Queiroz, suplente de Wanderson Florêncio, emocionou-se durante o juramento. Presidindo os trabalhos, o decano Carlos Gueiros estava sem voz. Faltou alguém ajudá-lo com um Halls.

Lula Livre X Vaias – Ao encerrar seu juramento na posse como vereador do Recife, João da Costa entoou um “Lula Livre”. Em seguida, recebeu uma sonora vaia dos presentes na galeria. Quando tudo se acalmou, outro engraçadinho gritou: “É Bolsonaro!”. Todos riram, inclusive, o próprio João da Costa. O ex-prefeito chegou no Plenário um pouco deslocado, mas logo recebeu a companhia dos novos colegas. O vereador Maguari subiu à tribuna para agradecer o que João “fez pela Zona Oeste”.

O melhor líder – O deputado Isaltino Nascimento retorna à liderança do Governo na Assembleia Legislativa. O parlamentar, que já exerceu a função nas administrações de Eduardo Campos e do próprio Paulo Câmara, é quem melhor desempenha a tarefa na base. Conhece dos temas e é bom tribuno. Mata no peito e vai para cima mesmo. Isaltino tentou recentemente a Primeira-Secretaria, que acabou ficando com Clodoaldo Magalhães.

Visita ilustre – O primeiro ato do senador Jarbas Vasconcelos no seu novo mandato foi justamente visitar Armando Monteiro Neto, que terminou sua participação na Casa, e contra quem Jarbas fez campanha em 2018. Lá nos tempos da União Por Pernambuco, Armando liderou alguns parlamentares – o chamado Grupo Independente (GI) – em uma dissidência ao então governador Jarbas. Mas, como tudo na política muda, hoje eles estão bem. 

CURTAS

BANCADA FEMININA – Chama atenção positivamente a integração da nova bancada feminina na Alepe. Ontem, as parlamentares sentaram na mesma fileira. Na sexta, elas já haviam sido fundamentais para a eleição de Simone Santana como a primeira mulher vice-presidente da Casa.

COMSUL – O Consórcio dos Municípios da Mata Sul (Comsul) realizou eleição, ontem. O atual presidente, Reginaldo Morais, prefeito de Cortês, foi reconduzido. A Primeira Vice-Presidência ficou com Diogo Alexandre, de Chã Grande. Integram o colegiado ainda mais quatro prefeitos.

É PIADA? – Parece uma piada pronta, mas não é. O primeiro projeto de Lei apresentado na Câmara Federal nesta nova Legislatura tem como objetivo transformar a Bíblia em Patrimônio Nacional, Cultural e Imaterial do Brasil e da Humanidade. E tem mais. Foi apresentado por um deputado cujo nome de guerra é Pastor Sargento Isidoro, da Bahia. “E o salário, ó!”

Perguntar não ofende: Ninguém aí vai reclamar do fato de Paulo Guedes querer vender o Banco do Brasil?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Cabaceiro

Idade mínima de 65 anos p/homens/mulheres. 40 anos de contribuição. Votou no Bozo? Trabalhem escravos, até morrer!

Cabaceiro

Nos EUA + de 40 milhões de pessoas abaixo da linha da pobreza e passando FOME. Argentinos caminham para a mesma situação.

Cabaceiro

Paga fogo o cabaré.

Cabaceiro

Bolsonaro expõe briga com Mourão e retira nome de vice pela primeira vez na história em mensagem oficial ao Congresso.

Cabaceiro

Aqueles que vão decidir se sua aposentadoria passará para 40 anos de serviço, são aposentados com 8 anos.




03/02


2019

Coluna da segunda-feira

Unidade por um municipalismo forte

Por Arthur Cunha – especial para o blog

A Associação Municipalista de Pernambuco deu um exemplo de maturidade política ao apresentar uma chapa única para comandar os destinos da entidade no próximo biênio. Sob a liderança do prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota, a Amupe deu um salto de qualidade nos últimos anos, e tem, hoje, se não a melhor, uma das melhores representações do Brasil, servindo de referência até para a Confederação Nacional de Municípios (CNM). Os prefeitos pernambucanos entenderam que só juntos, unindo forças, compartilhando boas práticas, é que eles farão governos melhores, acertando mais e errando menos.

A eleição será nesta terça-feira (5), quando a Amupe fará a sua primeira Assembleia de 2019, na sede da entidade, na Avenida Recife, 6205, a partir das 9h. O governador Paulo Câmara vai levar todo seu secretariado ao evento, quando anunciará ações para este ano. Também estará presente o presidente da CNM, Glademir Aroldi, que vai detalhar aos prefeitos as prioridades da pauta do segmento junto ao Governo Federal.

Hábil, Patriota conseguiu reunir na chapa única representantes de todas as regiões do estado. São prefeitas e prefeitos governistas e de oposição, que aceitaram trabalhar em prol do municipalismo deixando de lado questões locais. Só assim eles vão conseguir enfrentar os problemas colossais aos quais são submetidos diariamente, nas grandes, médias e pequenas cidades.

Além do atual presidente, integram o colegiado Ana Célia Farias (Surubim), na vice; José Bezerra Tenório (Itapissuma), na Primeira-Secretaria; Mário Ricardo (Igarassu), na segunda; João Batista (Triunfo), na Primeira-Tesouraria; Joãozinho Tenório (São Joaquim do Monte), na segunda; Débora Almeida (São Bento do Una), na Secretaria da Mulher; e Judite Botafogo (Lagoa do Carro), como sua suplente.

Conselho fiscal – Os três membros do Conselho Fiscal da Amupe são, pela ordem, Edilson Tavares (Toritama), Luiz Aroldo (Águas Belas) e Joamy Alves (Araçoiaba). Já os suplentes serão, respectivamente, Maviael Cavalcanti (Macaparana), Renya Medeiros (Passira) e Professor Lupércio (Olinda).

Conselho Deliberativo – A composição do Conselho Deliberativo foi dividida por microrregiões para assegurar que as demandas das localidades sejam trabalhadas. Cada uma terá um titular e um suplente. Do Grande Recife, integram Vavá Rufino (Moreno) e Júnior Matuto (Paulista). Da Mata Norte, figuram Marcelo Gouveia (Paudalho) e Belarmino (Tracunhaém). A Mata Sul está representada por Isabel Hacker (Rio Formoso) e Altair Bezerra (Palmares).

Conselho Deliberativo 2 – Joãozinho (Limoeiro) e Romero Leal (Vertentes) foram os indicados do Agreste Setentrional. Do Agreste Central, a lista é formada por Mota (Riacho das Almas) e Orlando Silva (Altinho). O Agreste Meridional está com Osório Filho (Pedra) e Lucineide (Capoeiras). Entrando pelo Sertão, temos Madalena Brito (Arcoverde) e Manuca de Zé do Povo (Custódia). O Pajeú está dentro com Lino Moraes (Ingazeira) e Tania Maria (Brejinho).

Conselho Deliberativo 3 – Ainda formarão o Conselho Deliberativo da Amupe os indicados do Sertão Central: Tácio Pontes (Parnamirim) e Clebel Cordeiro (Salgueiro). Do Araripe, teremos Ricardo Ramos (Ouricuri) e Cleomatson (Santa Filomena). Miguel Coelho (Petrolina) e Josimara Cavalcanti (Dormentes) farão parte pelo São Francisco. Do Itaparica, fecham a lista Ricardo Ferraz (Floresta) e Janielma de Souza (Petrolândia).

CURTAS

HOMENAGEM – A Assembleia da Amupe desta terça-feira (5) homenageará o médico e professor Fernando Figueira, fundador do Instituto de Medicina Integral (Imip), que completaria 100 anos hoje. A comenda será recebida pelo chefe da Assessoria Especial do governador, Antônio Carlos Figueira, filho do homenageado.

LEGADO – O legado de Fernando Figueira é vasto. Ele também fundou o Centro de Hematologia e Hemoterapia de Pernambuco (Hemope); a Fundação de Saúde Amaury de Medeiros (Fusam); o Laboratório Central de Pernambuco (Lacen); o Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam) e o Centro de Oncologia da Faculdade de Ciências Médicas (Ceon).   

PALESTRA – No início dos trabalhos, a Assembleia da Associação Municipalista de Pernambuco contará com uma palestra de Francis Lacerda, do Instituto Agronômico de Pernambuco (Ipa), que falará sobre a repercussão das mudanças climáticas e da seca em Pernambuco.

Perguntar não ofende: Qual o maior desafio do municipalismo para 2019?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Cabaceiro

SÉRGIO MORO QUER \"LEGALIZAR\" PRISÃO EM SEGUNDA INSTÂNCIA.SENDO ASSIM A PRISÃO DE LULA É ILEGAL.

Fernandes

Meninas sequestram índios e meninos formam milícias!

Fernandes

ONU reconhece Maduro como presidente legítimo, afirma secretário-geral.

Fernandes

Estive cá matutando: o Bozo não seria um cavalo-de-troia dos militares? No caso, um jumento-de-troia?

marcos

Quem é mais Ladrão, Flávio ou Lula?




02/02


2019

Coluna do sabadão

A eleição da proximidade

Por Arthur Cunha – especial para o blog

Venceram a eleição para os dois cargos mais importantes da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, ontem, os deputados que tiverem um convívio mais ativo com os pares da Casa Joaquim Nabuco nesses três meses de campanha intensa. Prevaleceu o voto da proximidade. Em regra geral, os 47 parlamentares votantes – incluindo aí os novatos – optaram por quem se mostrou mais próximo a eles.

Extremamente hábil, o presidente Eriberto Medeiros foi quase uma unanimidade. Ele costurou tranquilamente a sua reeleição sem sombras. Dele só se ouviu elogios por parte dos pares. Obteve 42 votos e vai comandar os destinos do Legislativo com força política. Eriberto assume o vácuo de poder deixado pelo falecimento do ex-deputado Guilherme Uchoa, em julho passado.

Já Clodoaldo Magalhães confirmou o favoritismo e elegeu-se para a poderosa Primeira-Secretaria com 35 votos, vencendo Isaltino Nascimento. De todos os candidatos, Clodoaldo foi quem mais trabalhou nesse período. No quarto mandato, chegou ao segundo cargo mais importante da Casa na sua primeira disputa pela Mesa – já havia passado dez anos na Presidência da Comissão de Finanças.

A única unanimidade, contudo, foi Teresa Leitão, que recebeu todos os 47 votos possíveis para a Terceira-Secretaria. Dois deputados não votaram: Diogo Moraes, por problemas de saúde, e Ducicleide Amorim, por questões de ordem pessoal. Também sem elegeram sem surpresas Claudiano Filho para a Segunda-Secretaria, com 39 votos, e Álvaro Porto como quarto-secretário, com 45 votos.

De virada – Voto a voto na reta final da apuração, Simone Santana desbancou Aglailson Victor e levou de virada a Primeira Vice-Presidência com 25 votos contra 22 do oponente. Com isso, a deputada tornou-se a primeira mulher a ocupar o posto. Sua vitória foi muito comemorada – antes do pleito, todos davam como certo que Victor levaria. Simone fez um belo discurso destacando, entre outras coisas, o papel da mulher no Legislativo. A bancada feminina comemorou muito seu êxito.

Articulação – Essa eleição para a Mesa Diretora da Alepe foi disputada como há muito tempo não se via. Tiveram muitas reviravoltas, gente de fora dando pitaco errado e muito lobby em torno dos cargos onde houve bate-chapa. O clima de ansiedade foi até o final da apuração. Teve deputado no final das contas reclamando que esperava mais voto do que recebeu. Ui.

Suplentes – Também elegeram-se, ontem, pela ordem, os seguintes deputados para suplentes da Mesa Diretora: Cleiton Collins (43 votos); Henrique Filho (42 votos); Manoel Ferreira (41 votos); Romero (39 votos); Joel da Harpa (43 votos); Gustavo Gouveia (41 votos) e Adauto Santos (41 votos).

Onda – Muito emocionado, Guilherme Uchoa Júnior comemorou bastante sua eleição para a Segunda Vice-Presidência, com 25 votos. O cargo foi o que teve a maior quantidade de candidato: três, além de Uchoa, Alberto Feitosa e Romário Dias. Só pouco antes da votação começar foi que percebeu-se, junto aos deputados, uma onda pró-Uchoa, que nem precisou do segundo turno para vencer.

CURTAS

TRANQUILIDADE – Rodrigo Maia deu aula de política e assegurou de forma tranquila a sua reeleição para a Presidência da Câmara Federal, com 334 votos. O democrata reuniu apoios que foram da Direta à Esquerda com muita habilidade e jogo de cintura.

BAGACEIRA – Que grande bagaceira virou a eleição para a Presidência do Senado Federal. Após horas de impasse, senadores batendo boca e Renan Calheiros mais uma vez protagonizando o embate, foi adiada para hoje a votação, que deve ser aberta. Aí, amigo, tudo pode acontecer.

CÂMARA DO RECIFE – A Câmara do Recife iniciou os trabalhos deste ano legislativo, ontem, com a presença do prefeito Geraldo Julio, que leu a mensagem do Executivo. Geraldo assegurou a realização com eficiência dos serviços públicos e cortes de despesas para garantir as entregas na capital.

Perguntar não ofende: Ficaram muitas arestas entre os deputados em decorrência da votação para a Mesa?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Cabaceiro

Só lembrando: Enquanto Queiroz,laranja do Flávio Bozo,era atendido no Albert Einstein,Vavá,irmão do Lula,era atendido no SUS.Quem será que roubou?

Cabaceiro

Estado de saúde de Bolsonaro é muito grave e assessores mentem, diz jornalista

Cabaceiro

URGENTE: Flávio Bolsonaro é dono da Friboi.

Fernandes

A única ajuda do Bolsonaro ao Estado de MG foi adiantar Bolsa Familia e liberação do FGTS 2 benefícios criados pelo PT

Fernandes

O estranho caso dos que adoram as privatizações mas desejam passar no concurso público e querem os filhos na Universidade Pública




01/02


2019

Coluna da sexta-feira

Geraldo Julio e o xadrez político

Por Arthur Cunha – especial para o blog

O prefeito Geraldo Julio tem mostrado que sabe jogar o xadrez político. Com a nova formação do seu secretariado, trouxe para dentro do governo peças importantes na rearrumação da Frente Popular.

Coloca o presidente municipal do PSD, o advogado José Neves, na Secretaria de Meio Ambiente, que, junto com Ana Paula Jardim, que vai para o PROCON Recife, representa o presidente regional da sigla, André de Paula.

Com Isabella de Roldão (PDT) na Secretaria de Habitação, conduz para dentro do governo o partido do deputado federal Wolney Queiroz e do presidente da nacional legenda, Carlos Lupi, que participaram do processo de escolha da nova secretária. O PT, que há tempo está longe da PCR, volta com Oscar Barreto como secretário de Saneamento. O grupo de Sebastião Oliveira está contemplado na gestão de Geraldo Julio, agora com Antônio Junior na Secretaria de Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo.

O Solidariedade, de Augusto Coutinho, optou por manter Berenice Pereira na CSURB. Isso porque Cadoca, seu marido, desistiu da candidatura em 2018 para apoiar Coutinho.

Quem assume a Secretaria de Políticas sobre Drogas é Ana Paula Martins, representando o grupo da vereadora Michele Collins (PP). Já o grupo do deputado Eduardo da Fonte (PP) está atendido pelo líder do governo na Câmara de Vereadores, Eriberto Rafael. No entanto, Dudu deve estar negociando ampliação de seu espaço também na Prefeitura.

O PCdoB e o MDB permanecem no governo municipal. O PCdoB com o vice-prefeito Luciano Siqueira e a secretária da Mulher, Cida Pedrosa; e o MDB com o secretário de Segurança Urbana, Murilo Cavalcanti. Rodrigo Farias volta à Chefia do Gabinete no lugar de Marconi Muzzio, que, por sua vez, retornará à pasta de Administração e Gestão de Pessoas. Geraldo já havia nomeado João Guilherme Ferraz na Secretaria de Governo. João, vale ressaltar, teve papel muito importante nessas costuras.

Esse conjunto político, que além do PSB tem outros sete partidos, também está contemplado no Governo do Estado e representa a coluna vertebral da Frente Popular.

A movimentação de Geraldo Julio segue a mesma linha do que foi feito no Palácio, mostrando que o prefeito, que ainda tem fortes nomes técnicos no primeiro escalão, tem habilidade técnica e política.

Perto do consenso – A disputa pela Primeira-Secretaria da Assembleia Legislativa está perto de um consenso em torno do deputado Clodoaldo Magalhães, que já tem o apoio da maioria das bancadas. A vaga ficará com o PSB. Um dos candidatos ao cargo, Francismar Pontes não descartou a possibilidade de compor com o correligionário; mas até o fechamento desta edição era candidato. Isaltino Nascimento também colocou seu nome na disputa.

Condição – Candidato à Segunda Vice-Presidência da Assembleia Legislativa, Alberto Feitosa só abrirá mão de concorrer se o colega Manoel Ferreira se lançar na disputa. “Só retiro se for para apoiar Manoel Ferreira”, cravou Feitosa com exclusividade para este colunista. Ele disputa a vaga na Mesa com Romário Dias e Guilherme Uchoa Júnior, indicado pelo PSC. Nos bastidores, a informação é que o deputado eleito insistiu muito para ficar com a indicação, e que isso teria causado um mal-estar interno na sigla e no clã dos Ferreira.

Definidos – Quatro dos sete cargos da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa já estão com seus futuros ocupantes definidos. O presidente Eriberto Medeiros será reeleito. É uma unanimidade na Casa e pavimentou sua eleição ouvindo a todos e tratando os colegas de forma igual. Álvaro Porto será o quarto-secretário porque reuniu os mesmos atributos. Claudiano Filho e Teresa Leitão ficarão com a Segunda e Terceira-Secretarias, respectivamente, por dois anos. No segundo biênio, serão substituídos por Cleiton Collins e Rogério Leão.

Acirramento – A avaliação, ontem, entre os deputados é que a eleição para a Primeira Vice-Presidência será a mais acirrada de todas. Estão no páreo Aglailson Victor e Simone Santana, ambos do PSB. Os cabos eleitorais dos dois, o prefeito de Vitória de Santo Antão, Aglailson Júnior, e o ex-prefeito de Ipojuca, Carlos Santana, trabalharam muito pelas respectivas candidaturas. Aglailson, por exemplo, continuava na Casa até o final da noite trabalhando atrás de voto.

CURTAS

PELA MADRUGADA – A articulação pelo voto na eleição de logo mais durou todo o dia de ontem, entrou pela madrugada de hoje e seguirá até a hora da votação. Cada deputado-candidato tinha a sua lista de apoiadores. O problema era que alguns deputados estavam na contabilidade de mais de um candidato, como se pudessem votar duas vezes para o mesmo cargo. Um desses postulantes soltou para a coluna: “Enquanto meus adversários dormem, eu estou atrás de voto”.

FORTALECIDO – Marco Aurélio Medeiros já chegou na Assembleia Legislativa fortalecido. Conseguiu ser o primeiro a ocupar o posto de líder da oposição deixando Priscila Krause, que vai para o segundo mandato, para assumir a função apenas no próximo biênio. Priscila anunciou o rodízio em uma nota à imprensa, na qual pregou a unidade do bloco.

CABOS ELEITORAIS – A campanha de Francismar Pontes a primeiro-secretário teve dois articuladores dando carga por ele: o filho do parlamentar e o vereador do Recife, Felipe Francismar, e o deputado eleito Romero Albuquerque. Já o primeiro-secretário da Câmara Municipal, Romerinho Jatobá, estava dando força a Alberto Feitosa.

Perguntar não ofende: Só para não fugir ao tema. Ainda aparece mais algum candidato à Mesa da Alepe?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

DEPOIS DE TUDO QUE TEMOS VISTO NOS ULTIMOS 30 DIAS QUEM VOCÊS ACHAM QUE MANDOU MATAR MARIELLE?

marcos

O COAF e o espelho da madrasta. ......... /////// ...... // ..Já havia iniciado um texto sobre as auspiciosas ações implementadas pelo governo Bolsonaro na área da educação superior, em apenas duas semanas de gestão, quando achei por bem me dedicar a escrever alguma coisa que fosse para esclarecer, do meu jeito, a campanha hipócrita que tenta difamar o senador eleito pelo RJ, Flávio Bolsonaro (PSL). As estratégias de “dividir opiniões”, “abalar a imagem pública” ou ainda “assassinar reputações” são táticas bem conhecidas próprias da esquerda, aplicadas sempre que necessárias para desestabilizar o oponente em ascensão: no caso, o governo Bolsonaro. São práticas de guerrilha no campo do imaginário social travadas através de narrativas que desconstroem as personalidades. Para isso se valem dos meios de comunicação de massa que reproduzem o discurso à exaustão. Os principais objetivos da guerra das narrativas são a) desviar o foco de escândalos que estejam na iminência de atingir a cúpula da esquerda, b) introduzir a dúvida na sociedade civil e assim dividir opiniões e provocar uma dissidência de simpatizantes não convictos, c) tornar, pela repetição, uma mentira em verdade socialmente aceita e d) intimidar o oponente pelo caos. Como a esquerda forjou “o caso” Flávio Bolsonaro 1) Elegeram uma figura com expressão política e diretamente ligada tanto ao novo governo quanto à família do oponente – no caso concreto, o filho do presidente; 2) A devassa na vida privada e política de Flávio, segundo veiculado na imprensa, já havia começado em meados de 2018. Tentaram encontrar ilícitos na vida privada e política de Bolsonaro, mas não encontraram nada. Intentaram então contra a vida dele – também não obtiveram êxito. Havia já a solicitação de um dossiê sobre as atividades públicas de um dos filhos do presidente – coincidentemente o que viria a derrotar o candidato petista ao senado, Lindbergh Farias; 3) Para uma súcia criminosa que deteve o poder por 13 anos e aparelhou as instituições públicas flagrantemente, não foi difícil levantar informações sigilosas da vida privada do Flávio, aliás, eles fazem isso comigo e com você, não tenha dúvida. Foi assim que com o auxílio de funcionários públicos ímprobos, a esquerda se apossou de informações sobre as atividades financeiras de Flávio e dos seus assessores de gabinete; 4) De posse dessas informações, aguardaram vir a público a escandalosa delação premiada do ex-ministro do governo Lula e Dilma, Antônio Palocci, e imediatamente disseminaram agressivamente em todas as mídias as informações sobre movimentações financeiras do filho do presidente. Tentativa manifesta de abafar ou minimizar os crimes cometidos pela máfia petista no poder. O que a cúpula criminosa do PT quer esconder da sociedade brasileira? Vejamos, a BBC de 1 de outubro de 2018 (poucas pessoas tomaram conhecimento) elenca os seis principais pontos das declarações de Palocci à Polícia Federal, são eles: 1) 90% das medidas provisórias editadas nos governos Lula e Dilma tinham propina, foram mais de mil; 2) A maior parte das doações oficiais de empresas, registradas no TSE, eram na verdade propina; 3) Temer, Eduardo Cunha e Henrique Eduardo Alves superfaturaram um contrato de US$ 800 milhões na Petrobrás; 4) Em reunião de 2010, Lula, Dilma e Sérgio Gabrielli acertaram propina por meio da construção de sondas da Petrobrás para garantirem a permanência no governo; 5) 3% do valor dos contratos de publicidade da Petrobras iam para o caixa do PT, a famosa “rachadinha”; 6) Lula fingiu surpresa ao descobrir irregularidades na Petrobrás, no entanto, foi o mentor “intelectual” do grande esquema de corrupção da Petrobrás. A jornalista da GNews, Cristiana Lôbo, chegou a afirmar no dia 18 de janeiro último que a delação de Antônio Palocci é “um tiro de canhão na estrutura do PT”. O delator deixou escapar que “Lula tinha outro tipo de moral”. E eu afirmo que quem é de esquerda não tem moral alguma. O ex-ministro da fazenda e da casa civil do governo Lula e Dilma, homem pertencente à cúpula mafiosa do PT, fez declarações estupeficantes à Polícia Federal, que deveriam ter deixado a nação estarrecida diante da descoberta do “modus operandi” da “gestão” do erário do povo brasileiro pela corja petista. Segundo o homem forte do PT, Lula “não tinha o menor constrangimento com o financiamento ilícito e com as contribuições empresariais vinculadas ou não a projetos”, segundo o Estadão de 19 de janeiro, 2019. A mesma matéria mostra que Palocci confirmou ser o Triplex do Guarujá de propriedade do ex-presidente. E mais: 1) Palocci admitiu que entregou dinheiro em espécie ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva dentro do avião presidencial e em caixas de uísque e de sapatos; 2) Palocci também era encarregado de realizar entregas de propina pessoalmente ao Lula que recebia pacotes de 30.000 reais, 40.000 reais e 50.000 reais. Os pacotes de propina eram usados pelo presidente do Brasil para bancar despesas da família Lula da Silva; 3) Confessou que em 2010 levou 50 mil reais em espécie a Lula no Terminal da Aeronáutica, em Brasília, dentro de uma caixa de celular. Isso na frente do motorista, cujo nome era Cláudio Gouveia; 4) Lula ainda pressionava os presidentes de fundos de pensão para arrecadar propina para campanhas do PT; 5) Lula pediu R$ 30 milhões de propina na construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Pará. Segundo o ex-ministro, ele atuou pessoalmente nas “negociações”. O acerto foi o de R$ 135 milhões em propinas, equivalente a 1% do contrato de R$ 13,5 bilhões. A propina foi dividida irmãmente - 50% para o PT e 50% para o MDB. (Portal Terra, 18 de janeiro, 2019). Curiosamente tudo isso foi ABAFADO pela mídia a peso de ouro, digo, com os recursos procedentes do trabalho do povo brasileiro. Tornar-se político nesses últimos 30 anos foi um “negócio da china”, a maioria deles, nem todos, claro, está milionária à sua e à minha custa. Essa roubalheira descarada e criminosa dos petistas significou para povo brasileiro a usurpação do direito a um futuro digno para si próprio e para os seus filhos. Sequer vou aprofundar o tema do fomento ao tráfico de drogas e de armas, que vitimou mais de um milhão de brasileiros, com o objetivo precípuo de sustentar a política periférica do País e as organizações criminosas internacionais. Também não vou comentar sobre a “vista grossa” do governo petista para a exploração da nossa biodiversidade e das riquezas minerais em troca de, evidentemente, propinas para a cúpula do partido. Por outro lado, também nesta semana foi divulgada pelo BNDES informações sobre as operações do Banco nos últimos quinze anos: Petrobrás, Embraer, Norte Energia, Vale do Rio Doce e a Odebrecht receberam um valor de R$ 482,8 bilhões em empréstimos desde 2004. Admiravelmente, a Petrobrás foi a empresa que mais tomou empréstimos do BNDES – R$ 62,429 milhões. Cabe aqui também mencionar os créditos vultuosos com recursos do BNDES e de bancos privados e conveniados para financiar a construção de infraestrutura em ditaduras na América Latina e na África. A Operação Lava Jato analisou 140 dessas operações e verificou que elas apresentaram manobras irregulares nas transações. Diante da comprovada e espantosa rede de desvio de recursos públicos da máfia petista, não é exagero afirmar que o PT foi o responsável pelo governo mais corrupto que já existiu na face da Terra. E que nós brasileiros fomos literalmente enganados e roubados por uma organização criminosa internacional disfarçada em sigla político/partidária. Cadê a indignação do povo brasileiro diante desse manifesto saque às suas riquezas? Cadê as investigações e a divulgação pública das transações financeiras da cúpula criminosa petista e emedebista por parte do COAF? Onde estavam esses membros do MP e do Conselho de Controle de Atividades Financeiras? Na mesma Assembleia do Rio de Janeiro, em 2016, o deputado do PT André Ceciliano fez movimentações suspeitas na ordem de R$ 49,3 milhões de reais, o deputado Paulo Ramos do PDT movimentou R$ 30,3 milhões, o deputado dr. Deodalto do DEM movimentou R$ 16, 3 milhões de reais, o deputado Luis Paulo do PSDB R$ 7,1 milhões, Flávio Bolsonaro movimentou R$ 1,3 milhões de reais. A pergunta é – por que só em 2019 esses dados foram divulgados publicamente: Os demais políticos também estão sendo investigados? Por que não causa indignação da mídia os vultuosos desvios de recursos públicos denunciados por Palocci ou do deputado do PT André Ceciliano, um montante quase 50 vezes maior do que o movimentado pelo Flávio? Perseguição política, claramente. Foram 15 anos de ladroagem sistemática dentro do governo petista e emedebista que certamente não se pode aprofundar em um só texto. Porém, o hábito da propinagem não está restrito aos grandes “negócios” da cúpula esquerdista, não mesmo. A rede de propinas do PT é extremamente democrática e atinge todos os setores do Estado – desde o gabinete dos parlamentares em todas as esferas governamentais (municipal, estadual e federal), as secretarias, os ministérios, o judiciário e onde mais eles possam “infiltrar” um cargo comissionado filiado ao partido. Sabe como essa contribuição é nominada? Eu digo –“fortalecimento do partido”. A “contribuição” pode variar de 10% a 30% dos vencimentos do pobre militante. Essa prática elucida a vertiginosa queda na qualidade administrativa do país – a esquerda não prima pela qualidade dos seus quadros, mas pela quantidade deles capaz de “arrecadar” para a facção criminosa. Faz sentido, com os cofres abarrotados fica fácil manipular a opinião pública comprando a hegemonia dos meios de comunicação. Eles inventam uma pauta polêmica, dividem as opiniões na sociedade, plantam a dúvida e fomentam os conflitos. Disso nasce a discórdia, a desconfiança e a perda do capital político do adversário. Simples assim e funciona perfeitamente. É preciso revidar com arroubo, urge! Finalizo esse artigo com um desafio ao MP e ao COAF. A meu ver ambos têm se refletido no “espelho da madrasta”. O COAF é pouco conhecido, foi criado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, em 1998, e cuja finalidade é examinar, identificar e aplicar penas às atividades de lavagem de dinheiro. No site do órgão é possível verificar que só em 2018 foram produzidos 6.786 relatórios de Inteligência Financeira, envolvendo 348.984 pessoas físicas ou jurídicas – algum desses relatórios foram divulgados na mídia? Sim, um – o do filho do presidente da república que “coincidentemente” é oposição ao PSDB e ao PT. Se eu fosse o presidente Bolsonaro, eu mandava esse órgão aparelhado divulgar a lista completa dos envolvidos em transações financeiras suspeitas dentro e fora do Brasil. Seria uma beleza! Por que essa seletividade na exposição de dados financeiros de alguns cidadãos brasileiros? Essa é a pergunta- chave. Por exemplo, concordam comigo que existe a necessidade de averiguação sobre a contratação de palestras por parte de instituições mantidas com recursos públicos com intermediação de empresas privadas? Alguns jornalistas da Globo foram contratados pelo SENAC do Rio de Janeiro por valores muito acima do mercado de palestras, cito só alguns, como: Merval Pereira (MPF produções e eventos – R$ 375 mil reais Cristiana Lôbo (CL multimídia) – R$ 330 mil reais Giuliana Morroni (Morroni Comunicação) R$ 270 mil reais Flávia de Oliveira (Friends Eventos) R$ 100 mil reais Kennedy Alencar (jornalista da TV Brasil, pública) (Ka comunicação) R$ 100 mil reais Ao longo dos últimos 30 anos uma rede maligna sem precedentes foi entrelaçada sobre o Estado brasileiro, a fim de incorporar tudo o que há de mais nefasto a uma sociedade: ilícitos de toda ordem, crimes, golpes, roubos, relações de compadrio, patrimonialismo, intrigas, perseguições, fraudes e mentiras. Como sobrevivemos a tudo isso? Não sei. Mas sei que o mal ainda circula entre nós e age de forma sorrateira com auxílio dos que sobreviveram e ocupam ainda posições estratégicas na estrutura do poder. O resultado serão crises sucessivas do governo Bolsonaro através da estratégia esquerdista neste texto relatada. Há que se fazer muitas exonerações. Neste momento, um grupelho que saqueou o Brasil por 13 anos está alegremente em Madrid organizando uma malha de apoio aos “perseguidos” do governo Bolsonaro, em conluio com o partido de ultraesquerda, o Podemos: são eles, Tarso Genro, Fernando Haddad, Lindbergh Farias e o Xixo. O estrago foi feito, Flávio foi prejudicado politicamente, e a base de apoio do presidente sofreu um abalo. No meu entendimento, inimigo tem de ser enfrentado e abatido - recuar é a pior das estratégias. Mas parece óbvio que o revide por parte da direita virá – e deverá vir com força. Espero que este registro contribua para uma visão mais ampla sobre a crise deliberadamente construída pelo PT, auxiliado pela mídia e por servidores públicos inescrupulosos e traidores da Pátria.

Fernandes

O estranho caso das pessoas que são a favor das privatizações e vivem estudando para concurso público!

Fernandes

É sempre bom lembrar: O presidente Bozo tentou acabar com o ministério do Meio Ambiente. O presidente Bozo disse que o IBAMA só servia como fábrica de multas. O presidente Bozo colocou um ministro do meio ambiente acusado de crime ambiental

Fernandes

De 1942 a 1997, enquanto a Vale foi PÚBLICA, nunca houve um acidente ambiental. Após a privatização feita por FHC, que vendeu a Vale pelo preço de um forno siderúrgico europeu, já se soma 12 CRIMES AMBIENTAIS, sendo Mariana e Brumadinho são os mais terríveis.




30/01


2019

Coluna da quinta-feira

Eleição de Aglailson Victor pode tirar Alepe da linha sucessória do Governo

Por Arthur Cunha – especial para o blog

Caso aconteça uma reviravolta inesperada e o futuro deputado Aglailson Victor seja eleito Primeiro Vice-Presidente da Assembleia Legislativa, amanhã, a Casa poderá ficar de fora da linha sucessória do Governo de Pernambuco. Nas ausências do governador e da vice-governadora, quem assume o Estado é o presidente do Legislativo.

Se quem estiver ocupando o posto na ocasião for o parlamentar em questão, a Alepe estaria automaticamente fora do processo, já que Victor tem menos de 35 anos. Some-se a isso a pouca experiência do filho do prefeito de Vitória de Santo Antão, que, aos 22, vai para o seu primeiro mandato. Os deputados têm respeito por Aglailson Victor e pelo seu pai, Aglailson Júnior. Mas entendem que não é o momento de o novo parlamentar, um quadro de futuro, pleitear um dos cargos mais relevantes do Legislativo estadual.

Se o presidente Eriberto Medeiros, que será reeleito para o cargo, precisar se ausentar do posto, ainda que momentaneamente, por exemplo, os destinos do Parlamento ficariam nas mãos de alguém que ainda precisa de mais vivência para desempenhar tarefa tão importante.

Mais um! – A disputa pela Segunda Vice-Presidência da Alepe ganhou mais um candidato: Alberto Feitosa, que alegou a necessidade de renovação e o auxílio na gestão da Casa como os motivos que o levaram a se decidir pela candidatura. Ele enfrentará Romário Dias, atual ocupante do posto, e Guilherme Uchoa Júnior, indicado pelo PSC.

Os caminhos... – Os bastidores das conversas entre a bancada do PSB sobre o rumo a ser seguido apontam para uma única convergência: os socialistas querem puxar a oposição ao presidente Jair Bolsonaro. O resto são divergências. A maior parte da bancada quer unir-se ao PDT e ao PCdoB no bloco que teria cerca de 90 parlamentares – essa é a posição majoritária dos deputados do Sul e Sudeste.

... do PSB – Há, também, os socialistas que preferem um alinhamento com PT e PSOL. Um ponto contrário seria a possibilidade de virar sombra do PT. Ainda têm os que defendem que o partido fique sozinho, sem juntar-se formalmente a nenhum bloco. Essa hipótese, contudo, deve ser descartada para evitar o isolamento, inclusive, na composição dos espaços na Câmara, uma vez que o PSB decidiu-se pela candidatura olímpica de JHC a presidente.

Lossio no PSD – Noticiada em primeira mão por este colunista, a decisão do ex-prefeito Júlio Lossio de filiar-se ao PSD, do deputado federal André de Paula, foi acertada. O partido, que será presidido por Lossio em Petrolina, vai assegurar uma boa estrutura para ele concorrer novamente à prefeitura, em 2020. O bom trânsito de André em Brasília também pode garantir força política ao seu candidato.

CURTAS

PESQUISAS – A Naipes Marketing, Inteligência e Tecnologia fará uma série de pesquisas sobre as avaliações dos prefeitos pernambucanos e os cenários para a disputa de 2020. A coluna publicará com exclusividade os resultados – serão pesquisados municípios de todas as regiões. Com mais de dez anos de experiência, a empresa é comandada por Jemerson Edias.

NEPOTISMO EM CALUMBI – Vai faltar coluna para tanta denúncia de prefeito que emprega parente na administração. Em Calumbi, segundo um leitor atento, a prefeita Sandra da Farmácia nomeou o marido secretário de Saúde; a irmã, de Ação Social; o sobrinho, em Administração e Finanças. Isso sem falar nos carros locados em nome de terceiros.

REFORMA DA PREVIDÊNCIA – Mourão, o moderado, disse que a reforma da previdência é uma só (portanto, sem ser fatiada); que ela incluirá os militares e será enviada ao Congresso este semestre, por meio de uma PEC. Já Paulo Guedes, o superministro, falou a prefeitos que que a idade mínima deverá ser de 57 para mulheres e 62, para homens.

Perguntar não ofende: Ontem, a coluna perguntou se mais alguém se lançaria candidato a um cargo na Mesa da Alepe. Alberto Feitosa se lançou. Hoje, só para jogar mais um molho, a pergunta é a mesma. E aí?!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Cabaceiro

A lei do retorno é cruel. Aqui se faz, aqui se paga. Babaca!

marcos

Lula tá preso babaca.

Cabaceiro

Desafio: defenda seu presidente 171 sem ofender ninguém e sem mencionar Lula/Dilma/PT ou esquerda.

Cabaceiro

GOVERNO BOLSONARO COM OS DIAS CONTADOS. Na hipótese mais negativa (para ele) até o fim de 2019. O mercado financeiro e a elite burguesa não confiam neste governo. Instável demais. Não tem cacife, competência e condições psicológicas para manter o mandato até lá.

Cabaceiro

E aí pobres de direita? Já deram entrada pra comprar as armas e defender as fazendas e sítios de vcs?




30/01


2019

Coluna da quarta-feira

Mais bate-chapa para a Mesa da Alepe

Por Arthur Cunha – especial para o blog

Não bastasse a disputa aberta entre deputados pelos cargos de maior relevância da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, mais duas vagas do colegiado passaram, também, a ser alvo de embate por parte dos parlamentares: a Segunda Vice-Presidência e a Terceira-Secretaria. Ao que parece, o consenso ainda está longe de ser alcançado. Faltando dois dias para a votação, os candidatos precisam intensificar as articulações o máximo que puderem; correndo contra o tempo atrás de cada voto.

A desistência de Manoel Ferreira da Segunda Vice-Presidência foi o motivo alegado por Romário Dias (PSD) para se lançar na disputa pelo cargo, que, aliás, ele ocupa atualmente. “Já conversei com vários colegas e tenho uma quantidade razoável de votos”, adiantou. Ele enfrentará Guilherme Uchoa Júnior, nome apresentado pelo PSC. “Fiquei surpreso, mas não vou retirar a minha candidatura”, garantiu Uchoa. O plano do PSC era fazer um rodízio entre o parlamentar de primeiro mandato e o patriarca dos Ferreira.

A Terceira-Secretaria é o outro cargo da Mesa que tem mais de um pretendente: Rogério Leão, do PR, e Teresa Leitão, do PT. Os dois já largam com três votos, cada. Além do dele, Leão conta com Henrique Filho e Fabrizio Ferraz. Já Teresa deve ter ao seu lado Doriel Barros e Ducicleide Amorim, ambos do seu partido. O que pode fazer diferença pró-Rogério são os votos do PP, segunda maior bancada da Casa com dez deputados.

Foi, inclusive, a chancela dos progressistas que, praticamente, assegurou as eleições de Simone Santana para a Primeira Vice-Presidência e Clodoaldo Magalhães, para a Primeira-Secretaria, desbancando, respectivamente, Aglailson Victor e Diogo Moraes no primeiro caso; e Isaltino Nascimento e Francismar Pontes, no segundo. A busca por apoios, no entanto, continua frenética. Até os votos serem dados, muita reviravolta ainda pode acontecer. O discurso da união em prol de um Legislativo forte é que já foi pelos ares.

Eriberto é consenso – Consolidado mesmo só o nome do presidente da Alepe, Eriberto Medeiros, que construiu habilmente a sua reeleição. O deputado tem muito trânsito com os pares na Casa Joaquim Nabuco; ouve e trata a todos com a mesma atenção. Mesmo assim, tem feito campanha conversando com os colegas. Vai sair do pleito muito bem votado.

Nem um, nem outro – Nem João da Costa, nem Jairo Britto. O PT deve indicar outro nome para a Secretaria de Saneamento do Recife. O escolhido será sacramentando hoje. A opção ficará por um quadro de perfil técnico, mas que passe pelo crivo de todas as forças políticas envolvidas; fruto de uma construção conjunta. Jairo, que é vereador de mandato, não pode exercer o cargo por questões pessoais. João da Costa, por sua vez, optou por assumir o mandato na Câmara Municipal.

Enriquecimento ilícito – A Segunda Promotoria de Justiça de Carpina entrou com uma ação de improbidade administrativa contra o ex-prefeito Carlinhos do Moinho. Além dele, três vereadores – Tota Barreto, Neco da Kombi e Preto do Ipsep – foram indiciados junto com outras nove pessoas não ocupantes de cargos públicos. A ação trata de contratos firmados entre a Prefeitura de Carpina e a empresa M&F Ltda.

Nepotismo em São José do Egito – Chegou ao WhatsApp Cidadão da coluna mais uma denúncia de nepotismo. Dessa vez, na Prefeitura de São José do Egito. Segundo o leitor atento, o prefeito Evandro Valadares emprega uma filha como secretária de Ação Social; um tio na Secretaria de Infraestrutura; e um sobrinho na pasta de Administração. Você, leitor assíduo da coluna, pode continuar mandando suas denúncias para o (81) 9.9198-0838; ou pelo Instagram @arthurhbcunha.

CURTAS

LAMA – O Serviço Geológico do Brasil descartou a possibilidade da lama de rejeitos da Vale chegar à usina hidrelétrica de Três Marias, no Rio São Francisco – o limite, segundo o órgão, será a Hidrelétrica de Retiro Baixo, em Pompeu (MG). A informação consta no segundo relatório sobre o desastre de Brumadinho publicado pela entidade.

BALANÇO – O Ministério Público de Contas de Pernambuco aumentou a produtividade e a eficiência em 2018, quando foram emitidos 476 pareceres e 83 cotas em processos analisados pelo TCE. Também nesse período, houveram 441 representações decorrentes de julgamentos, que é quando o órgão cogita indícios de crime.

FECHADOS EM COPAS – A coluna esperou até quase meia-noite para saber alguma novidade sobre o posicionamento da bancada do PSB em relação à disputa pela Presidência da Câmara Federal. Mas os parlamentares entraram pela madrugada reunidos em Brasília. Portanto, ainda sem novidades anunciadas oficialmente até o fechamento desta edição.  

Perguntar não ofende: Vai aparecer mais algum candidato na Alepe?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Cabaceiro

A hombridade de um Homem! Após o deboche do STF, Lula não dobra os joelhos para 0 Golpe e não aceita sair de Curitiba. Cabra Macho. Lula mártir brasileiro!

Cabaceiro

Você sabe o que mais incomodava os opositores de Jesus? Era sua honestidade, sua pureza, e Jesus foi condenado como malfeitor! Lula mártir brasileiro!

Cabaceiro

Bolsonaro é o perfeito espelho de seu eleitor: burro, ignorante, grosseiro, inculto, agressivo, puxa saco, mentiroso, corrupto...Lula mártir brasileiro!

Cabaceiro

Adorando Bolsonaro não poder falar merda para não dar gazes! O meu medo é eles o alimentarem pelo C%. Lula mártir brasileiro.

Cabaceiro

Se alguém precisa de religião para ser bom, a pessoa não é boa, é um cão adestrado. Lula mártir brasileiro!




28/01


2019

Coluna da terça-feira

O ministro blindado

Por Arthur Cunha – especial para o blog

Colombiano naturalizado brasileiro, Ricardo Vélez Rodríguez aparenta ser um homem educado. Foi assim que ele se comportou, ontem, durante as horas em que esteve no Cinema do Museu, no Recife, para empossar Alfredo Bertini na Fundação Joaquim Nabuco. A Fundaj é ligada ao Ministério da Educação, pasta para qual Vélez foi nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro atendendo a uma indicação de Olavo de Carvalho, filósofo-ideólogo-guru-mor do Bolsonarismo. Um pouco tímido, de movimentos calculados, fez questão de cumprimentar a todos que a vista alcançava. Quando teve a palavra, falou pouco (cerca de seis minutos) e preferiu enaltecer unanimidades, dando uma aula sobre a contribuição de Gilberto Freyre e de Nabuco para entendermos o Brasil de ontem e de hoje. Evitou, contudo, mais uma polêmica, a exemplo da sua entrevista ao jornal Valor Econômico.

Tudo dentro do script para a primeira visita de um ministro de Jair Bolsonaro a Pernambuco. Inclusive, pela blindagem que equipe do MEC impôs, impedindo Vélez de dar entrevista ao final do ato, quando ele seria questionado por que considera as universidades espaços para uma “elite intelectual” e não para todos? Uma declaração que lhe rendeu uma chuva de ataques, sobretudo de políticos do PT. Ou como ele vê a influência de Olavo de Carvalho no governo? Ou, ainda, o que ele achou do erro de português cometido pelo presidente do Inep, Marcos Vinícius Carvalho Rodrigues, que não soube aplicar o plural da palavra “cidadão”? Ficou a imagem superficial de um ministro cuja assessoria tenta impedir que ele fale besteira.

Na fala oficial, quando o assunto era Gilberto Freyre, ele deu show. “Com Gilberto vamos encontrar, certamente, uma Sociologia que tenta abarcar a realidade brasileira como totalidade. Duas grandes áreas de reflexão e da pesquisa: o homem rural em ‘Casa Grande e Senzala’; e o homem urbano, em ‘Sobrados e Mucambos’. Encontramos, portanto, um arquétipo da reflexão científica que nos possibilita aprofundar a diversidade que é a nossa sociedade. Encontramos uma previsão holística da realidade brasileira que se distancia das visões diacrônicas ou das visões que tentam simplificar nossa realidade”, explicou Vélez, na presença de familiares do sociólogo.

E seguiu o ministro: “Perante essa globalização, certamente Joaquim Nabuco nos apresenta uma visão corajosa das nossas relações internacionais. Cogita a presença do Brasil no mundo à maneira corajosa e destemida como os navegadores portugueses colocaram a pequena nação Portugal no contexto universal”, argumentou Vélez, arrancando aplausos da plateia, que saiu do evento com a certeza do seu conhecimento sobre os dois pernambucanos ilustres; mas impedida de saber suas opiniões a respeito de outros temas tão importantes para o Brasil do presente.

Olhar para o futuro – Ao contrário do ministro da Educação, o novo presidente da Fundaj, Alfredo Bertini, citou nominalmente o nome de Jair Bolsonaro no seu discurso. Bertini se comprometeu com o resgate da perspectiva histórica do órgão. Destacou um olhar para o futuro sem perder as referências do passado, em uma ação com três vértices: Fundaj, Sudene e Banco do Nordeste. Mostrou conhecimento e já deixou claro que tem um norte para a fundação.  

Parcerias – Antes do evento na Fundaj, Ricardo Vélez foi ao Palácio reunir-se com o governador. Em pauta, parcerias na Educação. À tarde, Paulo Câmara foi à Brasília, onde teve audiência com o titular da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas. O socialista foi bem recebido pelo ministro, de perfil técnico. Na próxima semana, as equipes dos dois se reunião para tratar da autonomia de Suape, Transnordestina e da duplicação de um novo trecho da BR-232.

Na cartilha – A posse de Alfredo Bertini na Fundaj seguiu a cartilha do novo governo. O fundo de palco já continha a marca da gestão aplicada em um painel com uma foto de Gilberto Freyre, criador da fundação. Todos de pé em “posição de respeito” para os hinos de Pernambuco e do Brasil, bem como a presença de uma interprete de Libras. Participaram, além da família do dirigente, os ex-governadores Joaquim Francisco, que colocou Bertini na política, e Gustavo Krause; reitores, secretários e servidores.

Best-seller intergaláctico – A coluna apresenta a você, nobre leitor, uma grande promoção deste best-seller intergaláctico da foto. Para traduzir a magnitude da obra, ninguém melhor que a própria biografada. “Só repasso porque o livro é ótimo e está na promoção. De 39,90 por R$ 2,99. Eu não acho que quem comprar ou quem perder de comprar, nem quem comprar nem perder de comprar, vai comprar ou perder de comprar. Vai todo mundo perder se comprar!”

CURTAS

CHUVAS – Chegará o dia em que vai se chover neste estado e as cidades estarão preparadas para a água que cairá. Por enquanto, infelizmente, ainda reina o mesmo despreparo de sempre das gestões municipais, do Litoral ao Sertão. Essa foi a realidade mais uma vez observada, ontem, com as fortes chuvas registradas. As imagens que circularam durante todo o dia comprovaram o perrengue.

REZA OU AGOURO? – Renan Calheiros utilizou o Twitter para dizer que estava rezando pela saúde de Jair Bolsonaro durante a cirurgia de retirada da bolsa de colostomia. Citou que também estava em Brasília no dia em que Tancredo Neves morreu. Aí eu pergunto: é reza ou agouro? Em tempo: a cirurgia transcorreu bem, apesar de mais demorada do que o normal.

APLICATIVO – Na moda do aplicativo, o deputado federal eleito Fernando Rodolfo vai lançar um aplicativo pelo qual os usuários poderão acompanhar os gastos do seu gabinete; e sugerir propostas que podem virar projetos de lei caso obtenham o apoio de outros dez mil usuários. É tipo assim: ganhou muita curtida pode virar lei. Imagina se a moda pega...

Perguntar não ofende: Até quando os municípios vão sofrer com falta de estrutura em decorrência das fortes chuvas que caem no estado?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

O governo do bozo não pode dar educação, porque educação derruba o governo!!!

Fernandes

É contraditório o capitão do mato desmerecer seu exército e trazer para o Brasil Israelenses. Povo que não pensa é uma merda.

Fernandes

Na frase: MILITAR É AFASTADO AOS 33 ANOS POR DESEQUILÍBRIO MENTAL. Onde está o sujeito?

Fernandes

Tão patriota Foi pedir ajuda em Israel, Cadê o exército brasileiro? Cadê o patriotismo?

marcos

Bolsonaro caga pela primeira vez como Presidente..... Lula Livre.


Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores