Governo de PE

30/10


2006

Conterrâneos de Lula comemoram vitória em Caetés

O orgulho dos moradores da pequena Caetés (distante 252 quilômetros do Recife), terra natal do presidente Lula, era visível durante todo o dia de ontem. Milhares de eleitores vestidos de vermelho tomaram as principais ruas da cidade para exercer o direito de cidadania, dando a maioria de votos ao presidente filho da terra, Luiz Inácio Lula da Silva, candidato à reeleição pelo PT. Ele conquistou 9.228 votos, contra 1.083 do tucano Geraldo Alckmin.

Contagiado pela empolgação dos eleitores, o ambulante Cícero Antônio dos Santos, 44, vendeu, em dois dias, mil camisetas com a foto do conterrâneo Lula da Silva na praça principal da cidade, onde jovens e idosos não escondiam a satisfação em ajudar na reeleição do presidente Lula. “Votei nele porque é de Caetés e é o melhor para governar. Quem é daqui e votou no outro é porque não tem conhecimento”, disse emocionado o agricultor Noel Antônio da Silva, 64.

 

Outro agricultor, Duarte Pereira da Silva, 45, também era só alegria ao votar no petista: “Se fosse preciso eu votaria mil vezes em Lula. Ele foi bom demais aqui para gente, e matou a fome de quem precisava. Voto nele não é porque ele é daqui não, é porque eu acho que é o melhor”. As informações são da Folha de Pernambuco.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura do cabo

30/10


2006

Gedimar, Valdebran e Lacerda serão indiciados pela PF

A Polícia Federal vai indiciar nesta semana parte dos envolvidos no escândalo da tentativa de compra do dossiê Vedoin. Os indiciamentos devem recair sobre os personagens cuja participação já tem farta documentação: o ex-agente da PF e integrante do comitê de campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Gedimar Passos, o ex-integrante do diretório do PT em Mato Grosso, Valdebran Padilha - os dois foram presos no dia 15 de setembro com R$ 1,75 milhão destinado à compra do dossiê - e o ex-assessor de campanha do senador Aloizio Mercadante (PT-SP) Hamilton Lacerda, apontado como o homem que levou o dinheiro a Valdebran e Gedimar em um hotel de São Paulo. Não está descartado o indiciamento de outros participantes da operação.

Segundo uma autoridade que acompanha as investigações, o delegado Diógenes Curado Filho, responsável pelo inquérito que apura o escândalo, ainda estuda o enquadramento legal que dará aos indiciados, mas a tendência é que os três sejam enquadrados na lei de crimes contra o sistema financeiro, já que a operação dossiê envolveria esquema ilegal de compra de dólares. Até o momento, apenas Gedimar foi indiciado, por suspeita de crime de supressão de documentos.

As provas contra Lacerda se avolumaram nos últimos dias. A PF acredita já ter localizado o chamado “telefone seguro” usado por ele. É um pré-pago em nome de uma mulher cujo uso foi intenso antes e durante a operação de compra do dossiê. Muitas das chamadas são para integrantes do comitê de campanha de Lula envolvidos no caso. As ligações cessam repentinamente, após a prisão de Valdebran e Gedimar. As informações são do Estadão.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Detran

30/10


2006

Bancos querem programa de modernização do governo

Uma nota distribuída pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) prega para o novo governo, eleito no domingo, um programa de modernização da infra-estrutura brasileira. ''É urgente para o objetivo de crescer sem solavancos. Nossas estradas, ferrovias, aeroportos e o setor energético, por exemplo, precisam ser reformados e atualizados para o Brasil entrar na era da economia global. Como uma empresa, o governo deve tratar de estabelecer metas de crescimento, gastar menos e ampliar as receitas'', diz a nota.

Diz ainda o comunicado dos bancos que faltam tarefas a cumprir e a agenda é bem conhecida: ''É preciso insistir em um novo elenco de reformas, a começar pela tributária. A economia precisa reduzir seus custos para produzir mais e ampliar a base da arrecadação fiscal. A reforma trabalhista também é vital para que as empresas produzam novas vagas de emprego'', diz a Febraban.

Segundo ainda a nota da entidade, ''os bancos, exercendo o papel de promover a intermediação financeira, serão cruciais nesse processo de busca do crescimento econômico e da modernização do País'', salientando ainda que o sistema bancário trabalha com a expectativa de contribuir ativamente nesse processo, patrocinando o aumento do volume de crédito disponível, com segurança, e ''lançando novos instrumentos que viabilizem os investimentos produtivos''. A nota da Febraban é assinada pelo seu presidente Márcio Cypriano. As informações são do Estadão.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Magno coloca pimenta folha

30/10


2006

"Festa da reeleição" não supera comemoração de 2002

A festa da reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) concentrou em torno de 4 mil pessoas no seu ápice na avenida Paulista em uma grande manifestação popular, mas sem repetir a multidão que aclamou a vitória do petista em 2002. O evento terminou por volta da 0h50.

Por ironia, apesar de Lula ter obtido uma votação histórica no país, a festa da reeleição não se comparou aos cerca de 100 mil pessoas que ocuparam a avenida Paulista naquele ano.

Os shows das baterias das escolas de samba Rosas de Ouro e Vai-Vai, e da sambista Leci Brandão e convidados, que encerra a comemoração, deram um tom de "micareta" (Carnaval fora de época) para a festa em uma das principais vias da capital paulista. Neste final de comemoração, cerca de 1,5 mil militantes ainda festejam a vitória de Lula, sem maiores incidentes, segundo a Polícia Militar.

A avenida foi interditada desde as 18h10, no trecho entre a avenida Brigadeiro Luís Antônio e a rua Pamplona. Banheiros químicos e ambulâncias foram colocados à disposição do público. A comemoração está concentrada em frente ao prédio da faculdade Cásper Líbero, local em que Lula fez seu discurso em 2002. Neste ano, o palco foi montado um pouco adiante, próximo à Alameda Campinas. As informações são da Folha Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Raimundo Eleno dos Santos

Em parte deva-se à castração feita pelo TSE com o cerceamento do direito de livre manifestação.O TSE de Marco Aurélio, o boquiroto, fez amofinar o povo.Este povo que respondeu com votos a sua alegria.Luiz Inácio Lula da Silva, O CONDOR DAS AMÉRICAS.É Lula de novo com a força do Povo.



30/10


2006

Eduardo fará um bom Governo em Pernambuco?

Na sua opinião, Eduardo Campos, eleito governador de Pernambuco pelo PSB, ontem, fará um bom governo? Manifeste sua posição na nova enquete deste blog, postada ontem tão logo se confirmou a vitória do socialista. Participe! O blog agradece.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Eva Maria M. Maciel de Siqueira

Como sercetário da fazenda ele deixou muito a desejar,mas acredito que tenha adquirido experiência p/ assumir c/ seriedade e ñ desapontar o povo.PE está c/ as contas + equilibradas e c/ muitas novas empresas se instalando. Não haverá desculpas p/ colocar o desenvolvimento do estado por água abaixo.

nilson gibson sobrinho

nao tenho a menor duvida que eduardo sera um grande governador pois o mesmo vai governar para maioria

Severino Isidoro Fernandes Guedes

Soraya, parabéns por sua postura democrática. Independentemente de nossas posições políticas temos que torcer por nosso estado e para que as coisas andem bem. Sua atitude demonstra maturidade política e merece elogios. Que Deus nos abençoe!

LandRover

Eduardo é rumo certo para Pernambuco, é a certeza de que nosso Estado deixará de ser feito de asfalto para ser construído com o coração! É Eduardo, é o Povo!

Severino Isidoro Fernandes Guedes

Acredito que Eduardo fará sim um bom governo. Sua passagem exituosa pelo Ministério da Ciência e Tecnologia indica isso, ademais ele terá total apoio do Governo Federal. Portanto não haverá justificativa para que não conduza Pernambuco para dias melhores.


Prefeitura de Limoeiro

30/10


2006

Proibições eleitorais estapafúrdias

Encerrou-se este ato eleitoral do ano de 2006, com as mais estapafúrdias proibições, algumas observaram até o tamanho dos retratos dos candidatos em exposição pública. Camisas, chapéus, chaveiros, santinhos e tantas outras bugigangas foram execrados como se fossem motivo extremo de corrupção ao eleitor. Apesar de ser protegido na sua castidade votante, padeceu o eleitor de maciça carga informante algumas vezes  não confirmada e outras menos ainda confiáveis", avalia o escritor Lino Perreli, em artigo que acabo de postar em Opinião. Boa leitura!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

30/10


2006

SP: PSDB quer Alckmin candidato à prefeitura

Antes mesmo de o comando da campanha de Geraldo Alckmin (PSDB) à Presidência receber a derrota como o resultado das eleições, a cúpula do partido trabalhava com a hipótese de que, para não desperdiçar os votos que o levaram ao segundo turno, o tucano terá de lançar prematuramente seu nome para a eleição para a Prefeitura de São Paulo em 2008. Após quase 12 anos à frente do governo paulista, que deixou em março para enfrentar o presidente Lula, Alckmin resiste à idéia, mas não a descarta.

De acordo com reportagem do jornal ''O Globo'', enquanto a próxima eleição não entra na pauta, o partido trabalha outra alternativa, que seria fomentada pelo comandante do PSDB, o senador Tasso Jereissati (CE): pôr Alckmin no cargo de presidente nacional da legenda.

Ao entregar o mais alto posto do partido a Alckmin, avaliam os tucanos, ele não só mantém o seu nome no noticiário como não perde o contato com as instâncias regionais do partido.

O ex-governador, em conversas reservadas, não joga areia nos planos do partido de concorrer à prefeitura, mas dá sinais de que prefere voltar ao Palácio dos Bandeirantes. O PSDB tenta demovê-lo, e a cautela tem explicação: caso José Serra, governador eleito de São Paulo, decida não concorrer à Presidência ou perca a indicação para Aécio Neves - nomes prováveis para disputar a corrida ao Planalto - Alckmin teria dificuldades de convencer Serra a abrir mão da reeleição. As informações são do Pernambuco.com.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Raimundo Eleno dos Santos

Candidatá-lo e tentar elegê-lo. Pelo que falou que era e seria se fosse como presidente, como Prefeito da maior cidade do Brasil terá como demonstrá-lo. São Paulo precisa disso.Se Marta Suplicy não for candidata, ele irá fazer um bom governo...em S.Paulo.Na cidade.O povo Paulistano ficará agradecido



30/10


2006

Eduardo critica segurança e inadimplência junto à CEF

O governador eleito de Pernambuco aposta pesado na busca de recursos federais para tocar sua administração, segundo anunciou o próprio Eduardo Campos (PSB) em entrevista hoje pela manhã no Bom Dia Pernambuco, da TV Globo. Eduardo criticou as dificuldades do governo de Pernambuco para obtenção desses recursos, sobretudo pelo fato de o Estado, inadimplente com a Caixa Econômica, não contar com a ajuda daquele órgão.

''Durante oito anos, Pernambuco ficou fora da Caixa Econômica porque antecipou as ações da Compesa para ir buscar recursos e não pagou este empréstimo, ficando, assim, sem condições de pegar novos recursos para setores fundamentais como saneamento e casa popular. Queremos regularizar essa situação o quanto antes para investir pesado naquelas áreas, porque, assim, não só estaremos gerando cidadania e oportunidade de trabalho, mas sobretudo atendendo a uma mão-de-obra que não teve oportunidade de se qualificar'', disse o governador eleito.

Eduardo Campos criticou também a política de segurança pública do Estado, com altos índices de criminalidade, anunciando que vai assumir pessoalmente essa política. ''Nossa política para segurança não vai ficar mudando a cada novo secretário como nos últimos oito anos'', alfinetou, numa referência ao Governo Jarbas/Mendonça.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Ana B. Holanda

paraquem não queria briga, não deseja ódio, começou cedo.... é só esperar.....

Severino Isidoro Fernandes Guedes

Espero que nessas "férias" em Portugal o senhor Jarbas reflita melhor sobre o seu estilo desleal de fazer política, sobre sua arrogância e sua truculência, comportamentos que já não são mais tolerados em um representante do povo, sobretudo num político que sempre se gabou de ser popular e democrata.

Severino Isidoro Fernandes Guedes

Sobre a derrota o silêncio de Jarbas é sintomático. Ele foi covarde até neste momento difícil, deixando Mendoncinha assumir sozinho o ônus de uma derrota que não foi só sua. Jarbas, com sua forma raivosa e antiquada de fazer política é que foi o maior derrotado deste pleito.

Severino Isidoro Fernandes Guedes

A oposição não mostrou humildade na derrota, atribuindo a vitória de Eduardo apenas a "onda Lula". Eles deviam reconhecer suas falhas no aspecto social, no trato com o funcionalismo e na arrogância até no trato com seus "aliados" políticos.

Severino Isidoro Fernandes Guedes

Eduardo terá um difícil tarefa diante de si, mas terá maturidade suficiente para conduzir o estado no rumo certo.