Gravatá IPTU 2019 Prorro

07/09


2006

Filho diz que pai tem organização criminosa no Tocantins

 O empresário José Wilson Siqueira Campos Júnior, 49, filho do candidato ao governo do Tocantins José Wilson Siqueira Campos (PSDB), 78, na foto, entregou ontem ao Ministério Público Federal documentos que, segundo ele, comprovam que seu pai comanda uma ''organização criminosa'' no Estado.

De acordo com Júnior, entre os documentos estão papéis que indicam como uma propriedade de 1.004 hectares próxima a Palmas foi repassada a um ''laranja'' de seu pai cerca de dois anos depois de ser desapropriada pelo governo do Estado, além de supostas provas de ligação de sua família com o que classifica como um ''império de comunicação'' no Tocantins.

Ainda segundo o filho do ex-governador, os bens de seu pai em nome de terceiros somam dezenas de milhões de reais. À Justiça Eleitoral, Siqueira Campos declarou um patrimônio de R$ 431 mil, do qual não faz parte nenhuma empresa. Apesar disso, o candidato declarou ser empresário em seu registro de candidatura.

''Ele apresentou elementos concretos que demandam apuração'', disse Adrian Ziemba, procurador da República no Tocantins. De acordo com o procurador, as acusações não se restringem à Justiça Eleitoral e contribuem com outros materiais já em posse do Ministério Público.

Júnior aguarda intimação da Polícia Federal para prestar depoimento formal sobre o caso. Ele diz não ser esta a primeira vez que encaminha documentos ao MP, nem a última. ''Tenho 32,7 quilos de documentos.''

Contatada, a assessoria de Siqueira Campos disse que o candidato estava em campanha no interior do Estado e que, por se tratar de tema delicado por envolver membro da família, a resposta seria estudada com cuidado. Até o fechamento desta edição, nenhuma resposta foi encaminhada à reportagem. A assessoria também classificou as críticas de oportunistas por terem sido feitas na reta final do processo eleitoral.

Júnior nega qualquer motivação política ou interesse em herança. ''Não quero nada, só a verdade'', afirmou ele. Em março, Júnior organizou uma invasão de moradores de áreas pobres de Palmas à área supostamente grilada por seu pai.

Siqueira Campos tenta chegar ao seu quarto mandato como governador. Em 2002, foi o principal cabo eleitoral do atual governador, Marcelo Miranda (PMDB), que concorre à reeleição depois de romper com o tucano durante o governo. Os dois polarizam a disputa. As informações são da Folha Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Carlos-Serra Talhada

Eu acho também que o Magno errou, essa matéria não existe, deve ter sido engano,pois nunca ouvi dizer que na epoca de FHC houvesse qualquer tipo de falcatrua por parte dos seus membros,porque é um partido que nasceu para não errar,portanto a matéria é falsa.

guilherme alves

E no ninho tucano tem gente dessa espécie. Deve tá havendo engano nessa notícia, ou o filho precisa ser internado como louco. Os tucanos são ascéticos.

Isso é o que pode se chama com todas as letras de FILHA DA....

São esses aliados do FHC que no passado ninguém sabia de nada, precisa o seu filho denunciar para ser do conhecimento público. Gostaria que o governo verificasse se muitos latifindiários tem condições de serem realmente proprietários de terras.


Congresso Nordestino de Educação Médica

07/09


2006

Candidatos a presidente já arrecadaram R$ 46 milhões

 Os candidatos à Presidência da República que fizeram a segunda prestação parcial de contas das campanhas eleitorais ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) até às 22h de ontem arrecadaram R$ 45, 6 milhões. Até este horário, ainda não havia apresentado as informações sobre receitas e despesas da campanha a candidata do PRP, Ana Maria Rangel.

Heloísa Helena, candidata do PSOL ao Palácio do Planalto, informou ao tribunal ter arrecadado R$ 62,2 mil e gasto R$ 52,2 até esta quarta-feira. O candidato à Presidência pelo PCO, Rui Pimenta, informou ter arrecado R$ 200 e não tido despesas em setembro nem em agosto, quando venceu o prazo para a primeira prestação parcial de contas das campanhas eleitorais.

O prazo para prestação terminou às 22h de ontem. O candidato que apresentou a maior arrecadação em setembro foi o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que tenta se reeleger para a Presidência pelo PT, com R$ 22 milhões de receita e R$ 20 milhões de gastos.

Geraldo Alckmin, candidato do PSDB, informou ter arrecadado R$ 21 milhões e gasto R$ 20,2 milhões até ontem. O candidato do PDT, Cristovam Buarque, ficou em terceiro lugar entre as maiores arrecadações nas campanhas à Presidência, com R$ 950 mil de receita e gastos de R$ 914.502 mil. Luciano Bivar, candidato do PSL, informou ao TSE ter arrecadado R$ 289 mil e gasto R$ 173.877 mil. O candidato do PSDC, José Maria Eymael, informou ter tido uma receita de R$ 267 mil e gastos de R$ 101,8 mil.

A prestação parcial de contas das campanhas eleitorais passou a ser exigida pela minirreforma eleitoral e prevê declarações em 6 de agosto e 6 de setembro. Não há julgamento das contas nesse primeiro momento, somente na prestação final das contas, que deve ser feita até 30 dias depois das eleições, no primeiro ou segundo turno caso haja. Somente poderão tomar posse os candidatos eleitos que tiverem as contas aprovadas pela Justiça Eleitoral. As informações são da Folha Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

ta rolando pouco dinheiro nessa campanha, poís pelo q tô vendo, não conseguiram arrecadar ainda nem 10%do que o MENDONÇA MEIO BI, deve ao BNB.


Transporte PMR

07/09


2006

Alckmin muda discurso e já combate reeleição

 O candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, adotou pela primeira vez, ontem, em Brasília, uma posição clara quanto à tese da reeleição. Em discurso na Associação dos Magistrados do Brasil, Alckmin se disse contrário a disputar um segundo mandato, caso seja eleito.

''No que eu puder, ajudarei para acabar com a reeleição'', afirmou, para insistir que reformas não executadas pelo governo no primeiro mandato dificilmente são feitas em segunda gestão. ''Se o Lula não fez reforma tributária, reforma política e reforma fiscal, como vou acreditar que fará num segundo mandato'', alfinetou.

A declaração de Alckmin, que vinha mostrando um posicionamento dúbio sobre o tema, foi interpretada pelo comando de campanha de Alckmin como um afago ao governador tucano de Minas Gerais e candidato à reeleição, Aécio Neves - possível nome para disputar a Presidência em 2010.

Aécio é franco favorito na disputa pelo governo mineiro. Alckmin estaria apostando na força política de Aécio para ganhar mais votos em Minas e tentar forçar a realização de segundo turno, apesar da franca vantagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas pesquisas de intenção de voto, que sinalizam vitória petista já no primeiro turno. As informações são do portal Terra.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

guilherme alves

Tou começando a achar que esse Geraldo não gira bem. Um dia diz uma coisa outro dia diz outra. Quando a reeleição o beneficiou era tudo legal, agora não presta mais. Quando fez a campanha não deixou o mcargo, mistura agenda política com administrativa, e era tudo legal. Toma tento Geraldo.

Chuchuzeiro, tens que se decidir, se és contra ou favor da reeleição, embora nós vamos acabar com esse absurdo criado pelo Mendoncinha, que aliás vai provar do seu próprio veneno. É Lula lá e Eduardo cá.


Prefeitura de Olinda 2019

07/09


2006

Lula admite governo de coalizão e conta com PMDB

 Candidato à reeleição, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirma, em entrevista concedida por e-mail ao jornal O Estado de S.Paulo, que pretende ''fazer pessoalmente quantos acordos forem necessários com a oposição sobre questões de interesse nacional'' se for eleito.

Citando o PMDB, Lula planeja construir um governo de coalizão com aliados, liderado pelo PT, ''para dar ao País a tranqüilidade de que ele necessita'' e ''garantir uma base de sustentação no Congresso''. Lula também garante que ''não vai mudar as regras do jogo'' para tentar um terceiro mandato, se conseguir se reeleger em outubro: ''nunca defendi a reeleição''.

Na entrevista, o presidente também se compromete, em eventual segundo mandato, a manter o superávit primário ''da ordem de 4,25%'', promover um ''crescimento vigoroso'' da economia e aprovar uma reforma política ''urgente''.

Quanto às denúncias de corrupção envolvendo o governo federal e integrantes da base aliada, Lula mais uma vez não diz por quem foi ''traído'' no escândalo do mensalão e responsabiliza o Ministério Público (MP) por não haver conclusão até agora do inquérito do caso Waldomiro Diniz.

Ainda sobre os escândalos que envolveram a administração federal, o candidato petista garante que o governo '' fez tudo o que precisava ser feito'' para punir os responsáveis, em um processo de aprendizado ''às vezes doloroso''. Ele cita o afastamento de supostos envolvidos e a determinação para a abertura de investigações pela Polícia Federal (PF) e Controladoria Geral da União (CGU).

''Não colocamos obstáculo a que as outras instituições, como o Ministério Público e o Legislativo, com três CPIs, também investigassem com total independência (...). Nunca, nem um dia sequer, deixei de cumprir rigorosamente a agenda de governo em função da crise. Essa talvez tenha sido a principal lição: a de que o melhor remédio quando se têm problemas é trabalhar mais duro ainda'', declara.


Questionado se faltou vontade política para aprovar a reforma tributária, Lula coloca a culpa na oposição: ''Não faltou vontade política. Ao contrário, essa foi uma prioridade do nosso governo. Ninguém pode esquecer que, em abril de 2003, eu fui ao Congresso Nacional com 27 governadores para levar uma proposta de reforma tributária. A parte federal foi votada, mas a estadual, ainda não. No mês passado, fizemos novo esforço para tentar a aprovação, propusemos até a concessão de 1% a mais do Fundo de Participação dos Municípios. A oposição, porém, não quis votar''.

Ao responder sobre a pretensão do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, de ativar o acordo de cooperação firmado com o Brasil no campo da tecnologia nuclear, Lula demonstrou disposição em ajudar o país vizinho, apesar da pressão política dos Estados Unidos:

''Defendemos a cooperação internacional nessa área e o direito de todos os países a terem acesso à tecnologia nuclear para fins pacíficos, sob a supervisão dos organismos multilaterais especializados, como a AIEA. Há possibilidades de cooperação''. As informações são do portal Terra. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Paulin de Caruaru.

Aos eleitores do Lula recomendo ver as 50 perguntas que a Folha de São Paulo faria ao presidente caso ele tivesse comparecido à sabatina.Não foi porque gente bem informada não é bem a sua praia.



06/09


2006

Datafolha mostra vitória de Serra no primeiro turno

 Pesquisa Datafolha divulgada hoje pelo ''SP TV'' e que será publicada na edição da Folha de S.Paulo mostra que o ex-prefeito José Serra (PSDB) venceria no primeiro turno se a eleição fosse hoje. De acordo com o levantamento, Serra tem 49% das intenções de voto --ele tinha 48% na pesquisa realizada nos dias 21 e 22 de agosto.

A pesquisa atual foi a segunda realizada depois do início do horário eleitoral gratuito, exibido desde 15 de agosto.

O candidato do PT ao governo de São Paulo, o senador Aloizio Mercadante, aparece em seguida, com 18% das intenções de voto --mesmo percentual obtido na pesquisa anterior.

Com isso, a vantagem de Serra sobre o candidato do PT, senador Aloizio Mercadante, oscilou de 30 pontos para 31 pontos agora.

O peemedebista Orestes Quércia aparece em seguida, com 11% das intenções de voto. Na pesquisa anterior, Quércia tinha 10% das intenções de voto.

O candidato do PDT, Carlos Apolinário, tem 2%. Os candidatos Plínio de Arruda Sampaio (PSOL), Cunha Lima (PSDC) e Cláudio de Mauro (PV) tiveram 1%. Os demais não pontuaram. Num eventual segundo turno entre Serra e Mercadante, o tucano aparece com 62% das intenções de voto contra 28% do petista. As informações são da Folha Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

DEYVISSON DA SILVA LIMA

Ameaçando?!? Isso é crime! Se bem que o pessoal do PT não gosta muito de cumprir leis!

SE APAGAR O MEU CADASTRO NOVAMENTE... EU VOU DIZER AOS PATROCINADORES A ORIGEM DESSA VISITAÇÃO "FANTASMA" !!!

Como minha previsão dizia .. Seg, ter e quarta da semana passada = média de 8500 visitas por dia... Seg, ter e quarta dessa semana = média de 3000visitas por dia... Abaixo de minha previsao, que era de 50% ....

CONSEGUI!!! ME CADASTRAR NOVAMENTE.. ESPERO QUE MAGNO NAO EXCLUA MEU CADASTRO NOVAMENTE.... Obrigado por se cadastrar no Blog do Magno. Para confirmar seu cadastro clique aqui

Devido a várias críticas ao Blog do Magno Martins... muitas no dia de ontem, hoje quando fui comentar vi que meu cadastro tinha sido CANCELADO !! Só pq eu dizia que se Magno continuasse a babar Mendocinha, sua audiencia iria cair... Ele deletou todas minhas postagens... inclusive onde eu compa


ArcoVerde

06/09


2006

Aécio cresce mais 4% em Minas e chega a 75%

 Pesquisa Datafolha divulgada hoje pelo ''MG TV'' e que será publicada na edição da Folha de S.Paulo desta quinta-feira indica que o governador mineiro Aécio Neves (PSDB) seria reeleito já no primeiro turno se a eleição fosse hoje com 75% das intenções de voto.

Na pesquisa anterior, realizada nos dias 21 e 22 de agosto, Aécio tinha 71% das intenções de voto. Na pesquisa atual, o ex-ministro Nilmário Miranda (PT) aparece com 9% das intenções de voto --mesmo percentual verificado anteriormente.

Os candidatos Fábio Magalhães (Prona), Vanessa Portugal (PSTU) e Rosane Cordeiro (PCO) aparecem com 1%. A pesquisa Datafolha foi realizada na segunda-feira e ontem. Foram ouvidas 1.372 pessoas em 65 municípios. A margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de Minas Gerais. As informações são da Folha Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Hélio noronha

PT em Minas é só na grande BH. Faz o Prefeito de Belo Horizonte e pronto. Mineiro nunca foi "muito" à esquerda. Mas o resultado não é tanto por ser o PT adversário, mas porque AÉCIO conseguiu polarizar os Prefeitos em torno da "marca" NEVES. Tancredo também está recebendo votos...

Está bem o PT em MInas, hem?


Asfaltos

06/09


2006

Cabral cresce no Rio e chega a 44%, diz Datafolha

Pesquisa Datafolha divulgada hoje pelo ''RJ TV'' e que será publicada na edição da Folha de S.Paulo desta quinta-feira mostra que o senador Sérgio Cabral (PMDB) continua à frente na disputa pelo governo do Rio com 44% das intenções de voto --na pesquisa anterior, realizada nos dias 21 e 22 de agosto, ele tinha 42%.

Cabral é seguido pelo senador Marcelo Crivella (PRB), que aparece com 18% das intenções de voto --ele tinha 19% na pesquisa anterior. Com esse movimento, a diferença entre Cabral e Crivella oscilou de 23 pontos para 26 pontos agora --dentro da margem de erro de três pontos.

A deputada Denise Frossard (PPS) aparece com 15% das intenções de voto --ela tinha 11% anteriormente. A taxa de intenção de voto do deputado federal Eduardo Paes (PSDB) oscilou de 3% para 2%. Vladimir Palmeira (PT) aparece também com 1%. Os candidatos Milton Temer (PSOL), Carlos Lupi (PDT), Eliane Cunha (PRP) e Alexandre Furtado (PSL) tiveram 1%.

O Datafolha ouviu 1.284 pessoas em 36 municípios do Rio entre segunda-feira e ontem. A margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos. As informações são da Folha Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


06/09


2006

Jarbas: "Lula é aliado de um candidato indiciado"

 O ex-governador de Pernambuco e candidato a senador pelo PMDB, Jarbas Vasconcelos, respondeu, há pouco, as críticas que sofreu do presidente Lula, ontem. No comício de Caruaru, o petista defendeu Humberto dos ataques no caso máfia dos vampiros e, em conversas com aliados, condenou a postura de Jarbas em relação ao Bolsa-Família.

''Pernambuco é que tem a presença de um indiciado pela Polícia Federal (referindo-se a Humberto), citado no inquérito que apura a máfia dos vampiros. Então, talvez por isso ele (Lula), que tem um aliado nessas circunstâncias no Estado, esteja dizendo que a política está baixa'', afirmou o ex-governador, ao conversar com jornalistas durante encontro de que participou com lideranças políticas no Paço Alfândega.

Quanto ao Bolsa-Família, afirmou que a declaração do presidente não era endereçada a ele. ''Eles (o PT e Lula) é que sempre colocam a carapuça na cabeça. Eu não sou contra Bolsa-Família, sou contra algumas distorções. Fui a favor do Bolsa-Escola, e o nome deveria ser esse, para vincular a criança e a família à escola. Nunca fui contra bolsa-escola''.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

guilherme alves

No mesmo lugar que foi parar a comissão da alta soma gasta em publicidade. Em oito anos teve gente que quintiplicou o patrimonio, nem o Bill Gates.

.Respondam rápido: Aonde foi parar o dinheiro dos precatórios?

Pedro Araújo

É mesmo Ivan? quanto ficou pra ele do aditivo da BR -232? ou seja da BR-171? realmente Jarbas é muito ingênuo. Ele tem é que enguadrado pelos rigores da lei. Há esquecí, a lei no Brasil é só para ladrão de galinhas.

cristiano lins de amorim

ahahahahahahahahahahahahah otimo

IVAN INÁCIO DE OLIVEIRA

JARBAS É INFALÍVEL, NUNCA MENTIU, NUNCA FOI ALIADO DE CORRUPTO. JARBAS É ASSIM PURO, VIRGEM E CASTO. MARCO MACIEL, SERGIO ANÃO GUERRA E O PEFELÊ QUE O DIGA. AFINAL JARBAS NUNCA FALOU DO POVO DA PEFELÂNDIA. MAS ERA BOM ELE DIZER COMO TORROU O DINHEIRO DA CELPE.


Bm4 Marketing 7
Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores