Governo de PE

12/12


2006

José Chaves assume a Secretaria de Turismo

O deputado José Chaves (PTB-PE) foi convidado e aceitou assumir a Secretaria de Turismo, segundo uma fonte bem próxima ao governador eleito de Pernambuco, Eduardo Campos(PSB). Com isso, o primeiro-suplente Sílvio Costa, do PMN, assume seu mandato de deputado federal.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

milton tenorio pinto junior

A primeira coisa que Chaves poderia fazer ao assumir o Turismo é visitar Fortaleza e Natal.Lá o Turismo é tratado com seriedade,ao contrario da gestão do Sr. Jarbas.

Fabio Lira

O Dep. José Chaves é um dos homens mais íntegros, trabalhadores e capazes que conheço... Um empreendedor nato! Parabéns Zé ! Parabéns Eduardo pela sábia escolha!

Joel Ribeiro

Parabéns Dep. José Chaves Pernambuco Merece

Adriana F Silva

Parabéns a grande professor Sílvio Costa, homem que lutou e conseguiu alcançar êxito numa parte tão carente que é a EDUCAÇÃO. Fico alegre ao saber desta notícia, lembrando que enquanto seu desafeto, não passa de um decadente e mero bajulador suplente de senador, Roberto Freire o "comunista-vendido"


Prefeitura do cabo

12/12


2006

Mendonça diz que deixa pagamento de pessoal em dia

O governador Mendonça Filho acaba de anunciar em entrevista no Palácio do Campo das Princesas que pagará, até o dia 22, o salário dos servidores ativos e inativos do Estado, deixando a categoria sem nenhuma  pendência para a próxima administração do governador eleito Eduardo Campos. Neste sentido, o governador informou que já encaminhou mensagem à Assembléia Legislativa com o objetivo de retirar, do pacote das 19 outras mensagens enviadas anteriormente, o projeto que prorrogava para janeiro o pagamento do fundo previdenciário, o qual vinha sendo objeto de críticas da oposição.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

edilson joao dos santos

muito bonito é natal, mais depois são mais de 40 dias sem dinheiro. será que vale a pena?

Ivan Câmara de Andrade

Faz a obrigação dele. Em plena campanha anunciou o calendário de pagamento até o mês de dezembro. O servidor não tem lá esses motivos para comemorar, foram oito anos de arrocho salarial, cassação de direitos (quinquênios), aumento de FUNAFIN, desvalorização do magistério, Polícia Científica e Saúde.

Soraya da Cruz Plácido

Muito boa de mais essa do atual Governador... Apenas nos faz mostrar que ele não quer deixar qualquer rastro de inadimplência com os servidores públicos estaduais... Parabéns Governador Mendonça Filho, com toda a certeza a categoria vai ficar bastante feliz.

José Ferreiria Mulatinho Filho

Mendonça Filho prefeito do Recife? Acho muito difícil. Estou até apostando!!!

milton tenorio pinto junior

Mendonça Fiho será o proximo Prefeito do Recife,já estou apostando!


Detran

12/12


2006

TCU diz que caos aéreo decorre de equívocos do governo

 O ministro do Tribunal de Contas da União, Augusto Nardes, responsável pelo relatório que aponta as causas para o caos no sistema aéreo brasileiro, disse na tarde desta terça-feira que os problemas no setor são decorrentes ''de uma série de equívocos na administração federal, que incluem Aeronática, ministério da Defesa e Casa Civil''. O relatório foi aprovado por unanimidade na tarde desta terça.

O ministro mostra em seu relatório que os alertas enviados pelo Conselho nacional de aviação civil (Conac) foram ignorados pelos órgãos de governo e que houve cortes de recursos essenciais para a segurança de vôo. - Essa crise não foi obra do acaso, mas de falta de gestão. O chamado apagão aéreo não passa de uma série de equívocos cometidos pela administração federal.Houve falta de recursos e de formação de pessoal.

O ministro relata ainda que a Casa Civil promoveu contingenciamentos lineares no Orçamento sem considerar as prioridades do controle do espaço aéreo brasileiro.

- Em reunião de julho de 2005 dos membros do Conac foi estabelecido pelo representante da Casa Civil que a política de contenção de recursos do governo federal não tinha nenhuma distinção e que essa era uma posição definitiva, demonstrando que o governo federal promoveu o corte de recursos par a área - relatou o ministro.  Informações do JBOnline.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Paulin de Caruaru.

Balela.O governo só fez reduzir o orçamento pela metade.

milton tenorio pinto junior

Incompetência agora tem outro nome?


Magno coloca pimenta folha

12/12


2006

Aos leitores

A partir de hoje, conforme você pode ler abaixo, a coluna deste blog, que vinha sendo postada logo cedo, passa para este horário. A mudança foi estrategicamente planejada para trazer informações mais quentes e atualizadas sobre a política nacional, regional e local. Obrigado pela compreensão.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


12/12


2006

Bastidores da política e do poder

 

   A primeira crise no secretariado

 

Já dá para ter uma noção do perfil do Governo Eduardo Campos. Seu núcleo duro será coordenado pelo vice-governador eleito João Lyra Neto (PDT), que, aliás, já é o faz-tudo da transição. A Casa Civil, que tradicionalmente operava a área política, ganha uma nova roupagem com a presença de um jornalista, no caso Ricardo Leitão, que assessorou Miguel Arraes e o próprio Eduardo no Ministério da Ciência e Tecnologia.

 

Outros dois integrantes do núcleo duro serão o vereador Danilo Cabral, da bancada do PSB na Câmara do Recife, escolhido para a pasta da Fazenda, e o prefeito de Petrolina, Fernando Bezerra Coelho, também do PSB, que terá a missão de tocar na Secretaria de Desenvolvimento Econômico os grandes projetos que impulsionarão a economia do Estado, como a refinaria de petróleo, a unidade têxtil e o estaleiro da Camargo Corrêa.

 

É claro que socialistas e arraesistas históricos, como Izael da Nóbrega, que assume a Procuradoria-Geral do Estado, e o escritor Ariano Suassuna, escolhido para a pasta da Cultura, terão, igualmente, um peso considerável no novo governo, além do jornalista Evaldo Costa, que deu seu sangue na campanha e é, hoje, um dos mais influentes e discretos conselheiros do governador eleito. A difícil montagem do secretariado, entretanto, já gerou insatisfações e desapontamento dos aliados com Eduardo. Veja a seguir:

 

O patinho feio – Pelo menos até agora, o PTB, do presidente da CNI, Armando Monteiro Neto, está sendo o patinho feio do secretariado de Eduardo Campos. Se for confirmada a ida de Humberto Costa para o Desenvolvimento Urbano, só restará ao grupo de Armando a pasta de Turismo, porque a Educação será ocupada pelo deputado Maurício Rands, do PT. Trocando em miúdos: Armando e o PT cuidarão apenas da organização do Circuito do Frio.

 

O primeiro veto – A notícia vai cair como uma bomba e será negada pelos aliados do governador eleito Eduardo Campos, mas anote aí: o prefeito de Petrolina, Fernando Bezerra Coelho, vetou o nome do ex-deputado Ranilson Ramos, do PSB e histórico arraesista, para a Secretaria de Recursos Hídricos. Ranilson e seus aliados estão inconsoláveis. Fernando é o todo-poderoso do Governo socialista.

 

Roldão na Justiça – Outro nome confirmado para o secretariado de Eduardo Campos: o ex-deputado e conselheiro aposentado do TCU, Roldão Joaquim, assume a Secretaria de Justiça.

 

Já comunicou – O prefeito de Petrolina, Fernando Bezerra Coelho (PSB), reuniu, hoje pela manhã, a sua bancada na Câmara daquele município para comunicar que aceitou o convite do governador eleito para assumir a Secretaria de Desenvolvimento Econômico. A conversa serviu, ainda, para o prefeito definir o candidato do seu grupo que disputará a presidência da Câmara de Vereadores, cuja eleição ocorre amanhã.

 

Cali sobrou –  Líder da corrente neopetista, o deputado federal eleito Carlos Wilson ainda não conseguiu ser contemplado no Governo Eduardo Campos. Já o prefeito do Recife, João Paulo, queria emplacar o seu fiel escudeiro João da Costa em Desenvolvimento Urbano, mas perdeu a parada para Humberto Costa. Isso significa, na prática, que o PT de Humberto será mais prestigiado do que o de João Paulo no Governo Eduardo.

 

Uma arara – Um passarinho treloso da ala socialista deixou desabafar que o presidente da CNI, Armando Monteiro Neto, não atende telefonema do governador eleito, há dois dias. Daí a razão de Eduardo ir amanhã a Brasília apenas com o intuito de ter uma conversa para afagar Armandão

 

No Detran – Se o deputado Inocêncio Oliveira abocanhou mesmo o Detran e o DER, além da Secretaria de Produção Rural, um nome do seu grupo já está escolhido para o Detran. É o engenheiro Charles Jurubeba, elogiadíssimo por Inocêncio e um dos seus mais fiéis seguidores.

 

 

 

Vapt-Vupt

 

* Terezinha Nunes, deputada estadual eleita pelo PSDB, tentou inovar, ao fazer uma espécie de concurso público para selecionar três funcionários para o seu gabinete, mas se deu mal: a idéia está sendo objeto de uma tremenda chacota nos meios políticos.

 

* Alguns setores do movimento cultural não receberam bem a escolha do escritor Ariano Suassuna para Cultura nem também o modelo que o governador eleito adotou para a pasta. Acham que Ariano é uma referência, mas não tem aptidão nem mais saco para cuidar do setor e inovar, o que é mais importante.

 

* O empresário Eduardo Pandolfi pode ser senador por apenas 30 dias, caso o senador José Jorge já assuma a presidência da CEB – Companhia de Eletricidade de Brasília – logo em 1 de janeiro. Na condição de primeiro-suplente, Pandolfi ainda embolsaria um salário. Se Lula convocar o Congresso em janeiro, dois salários.

 

* A frase do dia: “Estou fazendo uma seleção pública porque na campanha o que mais recebi foi pedido de emprego”. (Terezinha Nunes, ao explicar, há pouco, em Samir Abou Hana, na TV-Universitária, a razão de ter adotado um critério inusitado para os cargos comissionados do seu gabinete.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Carlos Filho de Serra Talhada

Mim parece que o partido do Augusto e Armando fica com Quase nada?

Carlos Filho de Serra Talhada

Tem gente que vai levar uma queda e vai ao chão!!!! o tombo pode ser com fraturas!!!!

Carlos Filho de Serra Talhada

Magno, Estes nomes já era de se espear! quero ver nomes é para Serra Talhada! XI GERES,DETRAN,COMPESA,IPA

Carlos Filho de Serra Talhada

Deixe primeiro a pessoa assumir o cargo! para ser feita as criticas sobre o DETRAN, CARO AMIGO.

Carlos Filho de Serra Talhada

magno qual a coogitação quando o assunto é secrétaria de saúde? quem serar o secretário?


Prefeitura de Limoeiro

12/12


2006

Pires diz que ministro foi antiético ao revelar conversa

 O ministro da Defesa, Waldir Pires, reagiu nesta terça-feira às declarações do ministro do TCU (Tribunal de Contas da União) Augusto Nardes que, após audiência com o ministro --na segunda (11)--, disse que Pires afirmou ser necessário ''ter muita fé e rezar um pouco'' para que os passageiros não enfrentem problemas nos aeroportos nos feriados de final de ano. Pires disse que Nardes foi antiético ao repassar suas declarações à imprensa.

''Se Deus nos ajudar, tudo bem, melhor. Essa é a posição da minha formação. Não é transmitir uma idéia como se fosse leviana. Isso é falta de ética na relação institucional. Prefiro dizer que é falta de ética [do que má fé]'', afirmou.

O ministro disse que, por sua formação católica, apenas disse a Nardes que é necessário ter fé para evitar novos problemas nos aeroportos --o que segundo o ministro não significa que o governo não esteja trabalhando para evitar um novo caos aéreo no final do ano.

''Eu mencionei no sentido de que nós fazemos a nossa parte, cumprimos nosso dever. Nós trabalhamos e decidimos fazer o que é possível'', afirmou. Pires participou esta manhã de reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e outros ministros para discutir medidas de infra-estrutura para o país.

Pires negou, no entanto, que tenha dado explicações ao presidente sobre suas declarações reveladas pelo ministro do TCU. ''Não fiz nenhum comentário para o presidente'', disse.

Relatório TCU

Pires disse que, na conversa com Nardes, o ministro do TCU afirmou que o caos aéreo tem como causa principal um contingenciamento indevido de recursos federais para o setor aéreo do país. O ministro, no entanto, rebateu as conclusões de Nardes. ''Não houve [contingenciamento]. Não é por falta de recursos. Em 2005, não fizemos contingenciamento nenhum. Em 2004, foi quase nada, de forma que não há esse problema'', disse.

O ministro disse estar disposto a questionar o relatório do TCU sobre a crise aérea, a ser apresentado esta tarde, caso Nardes insista em atribuir ao contingenciamento federal os problemas no setor. ''Já disse ao ministro que não é por falta de recursos. Estamos com o mapa da execução orçamentária dos últimos três anos'', afirmou.

Apesar das críticas ao ministro do TCU, Pires disse ter grande ''apreço'' pelo tribunal. ''O TCU é um organismo pelo qual tenho grande respeito. Ele [Nardes] precisa ter grande respeito pela opinião pública brasileira'', disse. Informações da Folha Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

12/12


2006

Pires diz que ministro foi antiético ao revelar conversa

O ministro Waldir Pires (Defesa) reagiu nesta terça-feira às declarações do ministro do TCU (Tribunal de Contas da União) Augusto Nardes que, após audiência com o ministro nesta segunda-feira, disse que Pires afirmou ser necessário "ter muita fé e rezar um pouco" para que os passageiros não enfrentem problemas nos aeroportos nos feriados de final de ano. Pires disse que Nardes foi antiético ao repassar suas declarações à imprensa.

"Se Deus nos ajudar, tudo bem, melhor. Essa é a posição da minha formação. Não é transmitir uma idéia como se fosse leviana. Isso é falta de ética na relação institucional. Prefiro dizer que é falta de ética [do que má fé]", afirmou.

O ministro disse que, por sua formação católica, apenas disse a Nardes que é necessário ter fé para evitar novos problemas nos aeroportos --o que segundo o ministro não significa que o governo não esteja trabalhando para evitar um novo caos aéreo no final do ano.

"Eu mencionei no sentido de que nós fazemos a nossa parte, cumprimos nosso dever. Nós trabalhamos e decidimos fazer o que é possível", afirmou. Pires participou esta manhã de reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e outros ministros para discutir medidas de infra-estrutura para o país.

Pires negou, no entanto, que tenha dado explicações ao presidente sobre suas declarações reveladas pelo ministro do TCU. "Não fiz nenhum comentário para o presidente", disse.

Relatório TCU

Pires disse que, na conversa com Nardes, o ministro do TCU afirmou que o caos aéreo tem como causa principal um contingenciamento indevido de recursos federais para o setor aéreo do país. O ministro, no entanto, rebateu as conclusões de Nardes. "Não houve [contingenciamento]. Não é por falta de recursos. Em 2005, não fizemos contingenciamento nenhum. Em 2004, foi quase nada, de forma que não há esse problema", disse.

O ministro disse estar disposto a questionar o relatório do TCU sobre a crise aérea, a ser apresentado esta tarde, caso Nardes insista em atribuir ao contingenciamento federal os problemas no setor. "Já disse ao ministro que não é por falta de recursos. Estamos com o mapa da execução orçamentária dos últimos três anos", afirmou.

Apesar das críticas ao ministro do TCU, Pires disse ter grande "apreço" pelo tribunal. "O TCU é um organismo pelo qual tenho grande respeito. Ele [Nardes] precisa ter grande respeito pela opinião pública brasileira", disse. Informações da Folha Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


12/12


2006

Orçamento no valor de R$ 1,4 bi para educação é aprovado

Comissão Mista de Orçamento aprovou há pouco emendas no valor de R$ 1,4 bilhão do relatório setorial de Educação, Cultura, Ciência e Tecnologia e Esporte apresentado ao orçamento de 2007.

As deputadas Professora Raquel Teixeira (PSDB-SP) e Iara Bernardi (PT-SP), relatora da Proposta de Emenda à Constituição do Fundeb na Câmara, pediram que o relator setorial, deputado Paulo Rubem Santiago (PT-PE) reveja o corte de R$ 87,5 milhões feito em uma emenda de R$ 100 milhões do Senado destinada à construção de creches e escolas infantis.

O deputado disse que estudará maneiras de acrescentar mais recursos para atender o pedido das parlamentares, além de outras demandas.

Entretanto, o relator alertou que é necessário reduzir ''irregularidades, fraudes e má gestão de recursos'' no Fundef (fundo que será substituído em 2007 pelo Fundeb, aprovado no dia 6 de dezembro).

Por fim, Paulo Rubem lamentou que os recursos disponíveis sejam incompatíveis com as despesas que as emendas apresentadas acarretam. As emendas totalizaram R$ 9,2 bilhões, mas só havia R$ 680 milhões de recursos novos disponíveis. Informações Congresso em Foco
.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha