Lavareda

10/10


2006

Lula não vê difuculdade em conciliar forças políticas

O presidente-candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse nesta terça-feira que não vê dificuldades em conciliar forças políticas, mesmo de oposição, para votar projetos no Congresso Nacional em um eventual segundo mandato. Para Lula, mesmo os partidos de oposição acabam por apoiar o governo nos projetos de interesse da sociedade.

"Você tem partido que quer trabalhar com o governo e tem partido que quer ser contra o governo... tem muita gente do PSDB que votou projeto do governo. Aliás, eu diria que na Câmara a maioria (votou)... às vezes fazem mais barulho, menos barulho, mas acabam votando", afirmou o presidente-candidato em entrevista à rádio Bandeirantes na manhã desta terça-feira.

"Eu acho que o presidente da República não se compõe com A ou com B, nós compomos com a maioria no Congresso Nacional", disse Lula na entrevista.

Sobre as investigações do "dossiê Serra" e, principalmente, da origem do dinheiro que seria utilizado em sua compra, Lula voltou a dizer que é o principal interessado no esclarecimento do caso.

"Eu quero saber o conjunto da obra, porque se tem uma pessoa que foi prejudicada por isso fui eu, não foram meus adversários... Quero saber quem arquitetou isso", afirmou, acrescentando que,"lamentavelmente, o Brasil tem uma cultura de ter uma política assim". Ele voltou a defender a ação da Polícia Federal e disse que "o presidente da República não julga, não prende", mas espera a investigação.

O presidente-candidato classificou de "pequenês" a atitude do candidato adversário Geraldo Alckmin (PSDB) de dizer, durante debate realizado pela Rede Bandeirantes no domingo, que vai vender o avião presidencial conhecido como "Aerolula."

"A única coisa que ele (Alckmin) sabe fazer é vender coisas... Eles, o PSDB, deveriam ser candidatos a ter uma empresa de vender as empresas estatais para pagar dívida que eles mesmos contraíram", disse o presidente.

Lula disse que o avião é patrimônio do país e não dele e que "só um maluco" pode achar que isso não é importante. O presidente disse que o avião utilizado anteriormente, o Sucatão, não tinha condições de continuar operando.

"Fico irritado com a pequenês", disse. "Acho que a pequenês demonstra a falta de visão dele", acrescentou, referindo-se a Alckmin. As informações são da Reuters.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

ALEPE

10/10


2006

Líder do PT critica acusações de Lula no debate

O líder do PT na Assembléia Legislativa de São Paulo, Ênio Tatto, disse que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva equivocou-se ao dizer, durante debate na TV Bandeirantes, que a CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo) contratou empresas ligadas a Abel Pereira quando era presidida por Barjas Negri (PSDB).

''A CDHU tem bastante processo, aliás é a que tem mais no Estado, mas essa empresa do Abel Pereira não tem processo contra ele, não. O que tem é que ele ganhou licitações, o que está sob questionamento, depois que Barjas Negri assumiu a Prefeitura de Piracicaba [SP]'', afirmou o deputado  petista.

Pereira e Negri disseram que irão à Justiça contra o presidente.

Lula fez a acusação quando questionava a transparência do governo do tucano Geraldo Alckmin em São Paulo, período em que foram engavetados 69 pedidos de CPIs. ''A verdade é que o Barjas Negri foi secretário da CDHU e tem 122 condenações provisórias do TCE e uma das empresas contratadas é de um senhor chamado Abel. Que, segundo informações da imprensa, estava lá para comprar dossiê e assim mesmo o governador disse que não sabia'', afirmou o presidente durante o debate na TV.

A assessoria de campanha de Lula chegou a informar que a fonte do presidente tinha sido o pedido de CPI para a CDHU, engavetada por Alckmin, fato que poderia ser comprovado pelo líder petista na Assembléia. Depois da posição de Tatto, a assessoria recuou dizendo ter sido um equívoco do candidato, que se confundiu com as contratações de Piracicaba. As informações são da Folha online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

10/10


2006

Barjas Negri vai interpelar Lula por acusação

O prefeito de Piracicaba, Barjas Negri (PSDB), disse nesta segunda (9) que vai interpelar judicialmente o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato à reeleição, pelas referências que fez ao seu nome durante o debate de domingo na TV Bandeirantes. Quando respondia a uma pergunta do seu concorrente, Geraldo Alckmin, do PSDB, sobre a corrupção no governo, Lula completou a resposta com uma pergunta sobre a suposta ligação do ex-ministro da Saúde, Barjas Negri, com o caso dos vampiros e ''transações obscuras''.

Negri ocupou o cargo quando o então ministro José Serra deixou o Ministério para concorrer à presidência, em 2002, no final do governo de Fernando Henrique Cardoso. O atual prefeito, que assistiu ao debate, disse que o presidente mostrou-se ''destemperado''. Ele disse não entender porque foi citado. ''Se ele se referia à questão dos sanguessugas, o Ministério da Saúde nunca comprou ambulância na nossa gestão. Os convênios eram feitos com as prefeituras e as fraudes noticiadas pela imprensa teriam ocorrido nos municípios.''

Negri disse que o presidente foi ''infeliz'' ao tentar transferir o problema da corrupção para o governo anterior. ''Estou conversando com meus advogados para que façam uma interpelação judicial, a fim de que ele explique o que são as tais transações obscuras.'' De acordo com o prefeito, caso a resposta não seja satisfatória, serão tomadas outras medidas. ''Se for o caso, vamos entrar com uma ação por danos morais.'' As informações são do Portal G1.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu no Zap

10/10


2006

PB: Cássio lidera pesquisa

Uma pesquisa encomendada pelo Instituto Brasmarket aponta que o governador Cássio Cunha Lima (PSDB) seria reeleito no segundo turno. Segundo a pesquisa, Cássio teria 52,1% dos votos válidos contra 47,9% do senador José Maranhão (PMDB), principal adversário do tucano. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB), sob o número 31/2006.

A Brasmarket ouviu 865 eleitores na Paraíba e a margem de erro é de 3,4%. As entrevistas com os eleitores foram feitas no período de 3 a 5 de outubro. De acordo com dados do TRE, a pesquisa foi custeada e realizada pelo próprio instituto. Os eleitores responderam à pergunta “Se a eleição para governador fosse hoje, em qual dos candidatos você votaria?”. O senador José Maranhão teria 44,7% das intenções e o governador Cássio Cunha Lima seria reeleito com 48,6% dos votos. O percentual de indecisos é de 3,9% e 2,8% dos entrevistados disseram que vão anular ou não sabem ainda em quem vão votar.

A Coligação “Paraíba de Futuro” ingressou ontem pela manhã com uma representação contra a Brasmarket, pedindo a suspensão da continuidade da divulgação dos resultados. Até o começo da noite, ainda não havia informações sobre quem seria o relator do processo ou qualquer despacho. As informações são da Agência Nordeste.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Antonio Pereira

CUIDASDO GENTE COM ESTE INSTITUTO DE PESQUISDAS BRASMARKET. O PASSADO DELE O CONDENA.



10/10


2006

União por Pernambuco move ação contra PSB

Antes mesmo do primeiro dia do guia eleitoral chegar ao fim, a União por Pernambuco, partidária do governador-candidato, Mendonça Filho (PFL), já tinha entrado com uma representação contra o socialista Eduardo Campos. A ação foi motivada pelo uso da imagem e da voz do presidente Lula nas inserções televisivas e programas radiofônicos produzidos pela coligação do socialista, a Frente Popular de Pernambuco.

De acordo com o advogado da União, Carlos Neves, o uso da foto do presidente seguido do slogan “Lula é Eduardo”, quebra a lei que determina a proibição de candidatos não-coligados aparecerem juntos. “Mesmo Humberto não chegando ao segundo turno, a coligação ainda existe. Lula e Eduardo não estão coligados nacionalmente. A proibição permanece”, avaliou o advogado. Na peça, protocolada ontem, os advogados pefelistas requerem a suspensão das mídias e a aplicação de multa por descumprimento de decisão judicial, ocasião em que onde o juiz que apreciará o caso determina o valor.

A coligação promete ainda que entrará com uma ação junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por invasão de tempo. A medida será tomada com o objetivo de punir o presidente que utilizou o tempo do socialista para pedir votos também para ele. As informações são da Folha de Pernambuco.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Severino Isidoro Fernandes Guedes

Os que acusam Eduardo de ladrão deviam entrar na justiça e provar o que e quando e ele roubou algo de alguém. Agredir a honra das pessoas sem provas e de forma gratuita é que é um crime.

Severino Isidoro Fernandes Guedes

Ótimo que a senhora Ana Holanda não seja pernambucana e só esteja de passagem por aqui. Deixe que os pernambucanos resolvam suas questões. Nós sabemos porque queremos Eduardo no governo. Queremos porque estamos fartos de mentiras, mistificações, mentiras e violências contra a dignidade alheia.

Ana B. Holanda

Sim... Dudu irá ser o governador vai roubar mais do que roubou qd Vovô Miguel dormia no Palacio depois do almoço... e ele ia p/ o gabinete "brincar" de Governador.... morro de pena dos Pernambucanos, ainda bem que não sou daqui, nem vim pra ficar...

LandRover

Atenção! Atenção! - - - - Pesquisa realizada "extra oficialmente", por um grande instituto brasileiro, com 514 pessoas em 65 municípios de Pernambuco aponta uma dianteira de Eduardo Campos de 9% em relação ao seu opositor, Mendonça Filho. Aguardem as primeiras pesquisas oficiais para confirmar.

Marcos Junior

Não adianta, EDUARDO vai ser o NOSSO GOVERNADOR. Podem fazer o que quiser, NAO ADIANTA ! ! ! ! ! !


Banco de Alimentos

10/10


2006

Calheiros diz que Lula sairá vitorioso

Presente ao encontro com os prefeitos “petistas” em um hotel da orla de Maceió, o presidente do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros, disse que não há dúvidas quanto à vitória de Lula.
“A expectativa é que o presidente Lula ganhe as eleições. Esse segundo turno é um novo jogo, onde os times vão mudar ou manter táticas de defesa e ataque. É preciso compreender o segundo turno em sua complexidade. É mais um corpo-a-corpo, mais rua, onde o eleitor vai escolher pela televisão”, afirmou o presidente do Congresso. As informações são da Gazeta de Alagoas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Severino Isidoro Fernandes Guedes

Lula é um mito e os mitos são invencíveis. Por isso os derrotados vão espernear... espernear... espernear, mas terão de engoli-lo por mais quatro anos. Ruim com ele, pior sem ele, porque os que se opõem a ele também não inspiram confiança ou credibilidade a ninguém.

Lulla é o maior farsante da história politica brasileira.

Antonio Pereira

è VERDADE, LULA VAI GANHAR AS ELEIÇÕES POR SER O MELHOR CANDIDATO PARA O POVO BRASISLEIROS.

Acreditem, é verdade. Os gastos com cartões do Palacio da Alvorada já somam mais de R$ 3.600.000,00 nesses últimos 8 meses, inclusive com índicios de notas frias. Essa "gang" vai continuar nos roubando até quando?



10/10


2006

AL: lideranças de Alckmin e Lula tentam atrair prefeitos

Os comitês de campanha dos candidatos Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Geraldo Alckmin (PSDB) em Alagoas reuniram ontem lideranças para atrair mais prefeitos e traçar estratégias na caça aos votos do 2º turno, nas eleições para a Presidência da República.
De um lado, estava o presidente do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros (PMDB), e a presidente da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), Rosiana Beltrão, na regência dos prefeitos pró-Lula.
Do outro, está o vice-presidente da Câmara dos Deputados, José Thomaz Nonô (PFL), derrotado nas eleições ao Senado na semana passada, mas de volta ao cenário político, percorrendo o Nordeste e preparando a vinda de Alckmin ao Estado. As informações são da Gazeta de Alagoas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


10/10


2006

Frossard: Voto no Geraldo, mas sem Garotinho do lado

A candidata ao governo do Rio Denise Frossard (PPS) mudou mais uma vez sua versão em relação à disputa presidencial. Depois de dizer que votaria nulo, e mais tarde, de falar apenas que não declararia voto, a candidata declarou ontem a eleitores que recomendará o voto em Alckmin. ''Voto no Geraldo e recomendo o voto nele, mas sem Garotinho do lado''.

Nesta segunda-feira, a candidata se encontrou com o arcebispo de Niterói, Dom Alano Maria Pena, mas negou que esteja buscando os votos católicos. ''Eu sou católica. Mas metade da minha família é luterana e outra parte presbiteriana. Terei encontro com pastores de igrejas batista e presbiteriana, que também desenvolvem um trabalho social. Precisamos quantificar isso e trazer para junto do Estado. O Estado é laico mas vou trabalhar com eles porque são excepcionais e têm capilaridade''.

Sobre a dificuldade de firmar alianças, Denise afirmou que ainda há negociações e chegou a dizer que no Brasil se faz ''política menor'': ''Lamento que no nosso estado não pudemos ter uma série de apoios políticos que seriam muito bons. Mas compreendo que a política no Brasil ainda é uma política menor, que se faz em torno de situações que não são as melhores para a sociedade''. A candidata ainda tenta conseguir o apoio de Heloísa Helena, de quem é amiga pessoal. As informações são do O Dia Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


10/10


2006

RJ: MP pede a cassação de três deputados

O Ministério Público Eleitoral pediu ontem a cassação dos registros das candidaturas do deputado federal eleito Geraldo Pudim (PMDB) e dos estaduais também eleitos, Jane da Núbia (PTC) e Álvaro Lins (PMDB). O pedido foi feito pelo procurador regional eleitoral, Rogério Navarro. Pudim e Lins são acusados de compra de votos e Jane, de uso da máquina pública em prol de sua candidatura.

Segundo mais votado para federal no estado, com 272.457 votos, Geraldo Pudim é afilhado político do ex-governador Anthony Garotinho. Sua campanha foi baseada no apoio de Garotinho, que abriu as bases do PMDB no interior para beneficiá-lo. O pedido de sua cassação foi feito, segundo o procurador eleitoral, por causa da prisão, em Duque de Caxias, no dia 1º, de dois cabos eleitorais que estariam comprando votos para Pudim. “Há provas claras de captação de sufrágio (compra de voto)”, disse Navarro.

Procurado por O DIA, Pudim alegou desconhecer a ação do Ministério Público Eleitoral. “Não tomei conhecimento de nada”, disse o deputado. A assessoria de Álvaro Lins também informou que ele não sabia da ação. Já Jane da Núbia está viajando, segundo sua secretária.

Eleito para a Assembléia Legislativa (Alerj) com 108.652 votos, o ex-chefe de Polícia Civil Álvaro Lins está sendo acusado de ter promovido reunião com aprovados em concurso da Polícia Civil, na qual teria prometido nomeações para os cargos. “É um ato irregular. Também é captação de sufrágio”, afirmou o procurador Navarro. A assessoria de Lins nega, porém, a acusação e diz que ele participou da reunião como convidado, mas não teria prometido nada.

Irmã da prefeita de Magé Núbia Cozzolino (sem partido) e ex-secretária de Educação do município, Jane da Núbia foi eleita para a Alerj com 50.496 votos. A acusação contra ela, segundo o procurador, envolve também a prefeita. Núbia Cozzolino é acusada de ter utilizado os postos do Programa de Saúde da Família (PSF) e programas sociais da prefeitura para fazer campanha para Jane. O advogado da família, Sandro Cozzolino, não foi localizado para comentar as acusações.

Além da cassação do registro da candidatura da deputada eleita, Navarro explicou que pediu também a inelegibilidade da prefeita por três anos. O processo envolve ainda Charles Cozzolino, irmão de Núbia. Ex-prefeito de Magé, ele concorreu a deputado federal, mas sua candidatura está sub judice por ter sido impugnada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Charles, segundo o procurador eleitoral, também teria se beneficiado do uso da máquina pública em prol de sua candidatura. As informações são do O Dia Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


10/10


2006

BA: deputados se mobilizam para campanha de Alckmin

Os deputados federais do PFL da Bahia programaram 14 reuniões regionais em cidades eleitoralmente estratégicas do estado para fortalecer a campanha do candidato do PSDB/PFL à Presidência, o tucano Geraldo Alckmin. A primeira reunião acontecerá no município de Euclides da Cunha, na próxima sexta-feira. Os eventos regionais foram definidos ontem, em uma reunião entre os parlamentares e o vice-governador Eraldo Tinoco, que assumiu informalmente a função de coordenador da campanha de Alckmin na Bahia.

“Os deputados federais baianos estão mobilizados e vão atuar politicamente para que Alckmin cresça na Bahia. Essas reuniões são importantes porque vão aglutinar lideranças como prefeitos, ex-prefeitos, vereadores e ex-vereadores para defenderem a candidatura de Alckmin, que é a nossa candidatura. A campanha no segundo turno é curta e temos de correr, de nos mobilizar rapidamente”, disse Tinoco.

A reunião entre o vice-governador e os deputados federais aconteceu de manhã, no mesmo prédio onde funcionou o comitê de campanha do governador Paulo Souto (PFL) e do senador Rodolpho Tourinho (PFL), no Rio Vermelho. Estiveram presentes o líder da minoria na Câmara Federal, José Carlos Aleluia; o vice-líder do PFL, Antonio Carlos Magalhães Neto; além dos deputados Luiz Carreira, Jorge Khoury, Cláudio Cajado, Jairo Carneiro, Aroldo Cedraz, Gérson Gabrielli, Paulo Magalhães, Felix Mendonça e a deputada eleita Antônia Magalhães, ex-prefeita de Candeias.

“A reunião foi muito proveitosa e mostrou que a bancada do PFL da Bahia está mobilizada para eleger Alckmin, que é o melhor presidente para o Brasil. Em breve, também vamos escolher alguns eventos para que o próprio Alckmin possa participar. Mas como ele não pode estar em todos os lugares ao mesmo tempo, vamos trabalhar mesmo sem ele, e duro”, disse o deputado José Carlos Aleluia.

As reuniões regionais serão organizadas pelos parlamentares que representam o município ou a região. No caso de Euclides da Cunha, por exemplo, estarão à frente da mobilização o deputado federal Luiz Carreira e o deputado estadual José Nunes (PFL), que foi prefeito do município. Uma reunião entre Eraldo Tinoco e os deputados estaduais do PFL está marcada para acontecer amanhã para tratar dos eventos da candidatura do ex-governador de São Paulo. As informações são do Correio da Bahia.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha