FMO janeiro 2020

14/09


2006

Humberto vai para 22% na pesquisa do Vox Populi

 De nada adiantou a pauleira em cima do candidato do PT a governador de Pernambuco, Humberto Costa, por parte do candidato do PFL, Mendonça Filho. Ao invés de cair, ele subiu e aparece na pesquisa do Vox Populi com 22%, enquanto Eduardo Campos, do PSB, vem logo em seguida, com 18%. Mendonça é o líder, com 35%. Os números são da nova pesquisa que o Jornal do Commercio traz na sua edição de amanhã.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Drácula

..............................................

José Carlos-Serra Talhada

nÃO ENTENDO AS ENQUETES POLITICAS FEITAS PELOS BLOGS,POIS OS LEITORES SÃO QUASE OS MESMOS E O DO JC APONTA O SEGUINTE RESULTADO PARA 2º TRUNO» Mendonça e Humberto 44,81% 69 » Mendonça e Eduardo 37,01% 57 » Não haverá 2º turno, Mendonça vencerá no 1º 18,18% 28

José Carlos-Serra Talhada

Caro Osgone, apesar de tudo ainda está muito confuso quanto as pesquisas,acho que está decidida a fatura para o segundo turno, em minha opinião, com todo respeito será Mendonça X Humberto.

osgone

Palanque eletrônico é nogócio para americano vê. R. M. que explique.

O segundo turno é Mendonça X Humberto. Dudu beleza dançou....


Prefeitura de Jaboatão

14/09


2006

Eduardo Campos chama Mendonça Filho de Pinóquio

 “O tempo de Pinóquio está acabando em Pernambuco”. Foi dessa forma que o candidato ao Governo do Estado pelo PSB, Eduardo Campos, classificou a atual gestão do governador de Pernambuco e candidato à reeleição, Mendonça Filho (PFL), em declaração para a imprensa agora à tarde. Campos não poupou críticas ao governador-candidato, que teria afirmado, pela manhã, que os adversários estariam se referindo ao tema da Segurança de forma “demagógica” e “irresponsável”.

 

 “Todo mundo sabe quem é demagogo aqui no Estado. Os números da segurança pública deste final de semana demonstram a total incapacidade desse cidadão para ser governador de Pernambuco”, disparou o socialista contra Mendonça, lembrando o número de 55 homicídios registrados pela Secretaria de Defesa Social no feriadão do sete de setembro.

 

O postulante aproveitou para levantar uma nova polêmica, dessa vez, em relação às tarifas dos itens da cesta básica do pernambucano. “Vocês sabiam que Seu Mendoncinha aumentou o imposto do arroz e pôs, na cesta básica, o salmão? São essas mentiras, essas demagogias que a gente sabe de onde vem”, denunciou. Para Eduardo Campos, Mendonça Filho está “intranqüilo” e “desesperado”, por temer enfrentá-lo no segundo turno da campanha.

 

“Essa intranqüilidade de Mendoncinha é porque ele vai comigo para o segundo turno e eu vou ganhar a eleição, é somente por isso. É o desespero dele. Agarrado na asa de Jarbas, andando desesperadamente pelo Estado, tentando demonstrar que tem capacidade para gerenciar Pernambuco”, ironizou. As informações são da Agência Nordeste.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Severino Isidoro Fernandes Guedes

Quem disse que a eleição em PE caminha para terminar no 1º turno? A eleição vai é para o 2º turno e o desespero de Mendonça é que seja com Humberto ou Eduardo a força de Lula vai tirar Pinóquio e a caterva elitista do PFL do poder. É 40 no pessoal que tem nojo de pobre!

Raimundo Eleno dos Santos

Eu pensei que Dudu quizesse dizer Gepetto é pai de Mendoncinha. Visto que Mendoncinha seria um Pinóquio. Nisso estaria com razão?

José Carlos-Serra Talhada

Mais vou me limitar só nisso para não polemizar

José Carlos-Serra Talhada

È a coisa tá séria, esse sobrenome abaixo estou achando parecido com o sobrenome de um politico aqui de Serra Talhada.

IVAN INÁCIO DE OLIVEIRA

MENDONCITA É CRIA DO LABORATÓRIO FREI CANECA E DA INCAPACIDADE DO GOVERNO DE SÓ GOVERNAR DE CARUARU A RECIDE


Cabo de Santo Agostinho

14/09


2006

Alckmin lança em Minas pacote anticorrupção

 O candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, lançou hoje em Juiz de Fora (MG), como proposta de governo, o que chamou de pacote anticorrupção. Com a cartilha intitulada ''Combate à Corrupção'', com 14 itens, Alckmin disse que vai trabalhar para recuperar ''centavo por centavo'' de todo o dinheiro desviado, inclusive do mensalão.

O lançamento na cidade mineira foi uma ''homenagem'', segundo o Alckmin, ao ex-presidente Itamar Franco (sem partido), que rompeu com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta campanha para apoiar o tucano. Itamar alegou motivos ''éticos'' para trocar Lula por Alckmin.

''Fiz questão de lançar aqui em Juiz de Fora para fazer homenagem ao [ex] presidente Itamar Franco, que representa a política honrada, da probidade, do respeito ao dinheiro da população, da política mineira, dessa boa política. E do governador Aécio Neves (PSDB), modelo de eficiência e de uma política bem sucedida'', afirmou o tucano.

Uma das propostas do pacote é dotar a AGU (Advocacia Geral da União) de um setor que fique encarregado de recuperar o dinheiro desviado com corrupção e tomar medidas jurídicas. Alckmin disse que foi feito um estudo e constatou-se que ''menos de 1% do dinheiro desviado é recuperado'' para os cofres públicos do país.

''Vamos colocar a AGU para trabalhar com empenho nisso para recuperar centavo por centavo'', disse o presidenciável tucano. Indagado se isso incluía o mensalão, Alckmin acrescentou: ''De tudo''.

A proposta de Alckmin, conforme ele resumiu, é ''um conjunto de medidas legislativas e administrativas para evitar a corrupção, porque, normalmente, depois que tem o problema, você sai correndo atrás''.

Entre as propostas legislativas, o 12º item da cartilha propõe o ''fim da Comissão Mista de Orçamento'' e propõe uma ''Comissão de Sistematização para definição da política fiscal, nível geral de receitas e a definição de tetos e limites para o conjunto de órgãos orçamentários''.

Em discurso para cerca de 60 prefeitos, Alckmin disse que as medidas vão evitar novos ''sanguessugas'', os operadores do Orçamento no Congresso para compra de ambulâncias superfaturadas. A cartilha fala em ''Orçamento mais realista e transparente'', limite das emendas individuais e tramitação das emendas com ''justificativa fundamentada''.

''Nem o parlamentar nem o ministério podem ser ''donos'' de uma parcela do orçamento público'', diz a cartilha, que defende definição conjunta entre Executivo e Legislativo das políticas públicas  para cada uma das principais áreas do governo que possam ser objeto de emendas.

O terceiro eixo do programa proposto diz respeito às compras por meio eletrônico, de forma a reduzir custos e evitar fraudes com licitações, fiscalização rigorosa e punição ''rápida'' para servidores corruptos. As informações são da Folha Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Raimundo Eleno dos Santos

Coitado do Azeredo, nesse caso seria um Azarado. Logo em Minas, Alckmin? Logo em Minas!

IVAN INÁCIO DE OLIVEIRA

ELE TAMBÉM APODRECEU

Paulin de Caruaru.

Guilherme,será que vc vai transmitir para os seus netos esta teoria petista de que todos são ladrões,que não vale a pena ser ético e honesto,que se pode roubar à vontade por que isso sempre foi feito "sistematicamente" no Brasil?

guilherme alves

Esse pacote lançado pelo Geraldo só terá credibilidade se for transparente e explicar o caso Nossa Caixa,e,também,explicar o porquê de ter usado o rolo compressor na Assembléia paulista e abortado os pedidos de abertura de 69 CPIs.Quem tem teto de vidro não tem credibilidade para criticar os outros.


Prefeitura de Serra Talhada

14/09


2006

Armando lamenta morte de Paulo Marques

 Do deputado Armando Monteiro Neto(PTB-PE), ao ser informado da morte do ex-deputado e radialista Paulo Marques: “A morte do radialista Paulo Marques representa não só uma grande perda para o jornalismo, como também para a sociedade pernambucana. Ele sempre foi um comunicador extremamente sintonizado com os anseios e as preocupações da população. Na TV, no rádio ou nos jornais impressos, a atuação de Paulo Marques teve uma nítida marca social. Por isso, quero registrar o meu pesar e me solidarizar com a dor de sua família e amigos”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


14/09


2006

Enquete: Eduardo 210 votos e Mendonça 210 votos

O candidato do PFL a governador de Pernambuco, Mendonça Filho, subiu na segunda parcial da enquete e empatou com o concorrente do PSB, Eduardo Campos. Neste exato momento, cada um tem 210 votos. Quem vai desempatar? Vamos continuar votando, gente!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Raimundo Eleno dos Santos

Agora, são exatamente 9:40h e Dudu Beleza está à frente com 241 votos.

José Carlos-Serra Talhada

NÃO ENTENDO AS ENQUETES POLITICAS FEITAS PELOS BLOGS,POIS OS LEITORES SÃO QUASE OS MESMOS, E O DO JC APONTA O SEGUINTE RESULTADO PARA 2º TRUNO: Mendonça e Humberto 44,81% 69 » Mendonça e Eduardo 37,01% 57 » Não haverá 2º turno, Mendonça vencerá no 1º 18,18% 28


Abreu e Lima - Prefeitura - Abreunozap

14/09


2006

Lula diz que a lógica da política está "apodrecida''

O presidente e candidato à reeleição, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), afirmou na noite desta quinta-feira que a principal lição que tirou dos escândalos de corrupção em seu governo é que o erro não é de um partido político ou de uma pessoa, mas de um sistema. ''A lógica da política brasileira está apodrecida'', afirmou, durante entrevista ao Jornal da Band.

Lula afirmou não querer mais ser questionado sobre erros ou traições referentes ao PT. Mostrando certa irritação com o questionamento dos jornalistas Fernando Mitre e Franklin Martins, o presidente disse que o Partido dos Trabalhadores costuma ser mais cobrado pela mídia que os outros, reiterou que aqueles que erraram serão punidos e prometeu fazer a reforma política ''que irá mudar a cara da política brasileira e moralizar o País''.

''O PT sempre paga mais caro que os outros partidos'', afirmou Lula. ''E não me pergunte se fui traído. Isto foi com quem cometeu erros e eu não cometi. Quem cometeu, vai pagar. E eu pretendo dar resposta a isso quando fizermos a reforma política que irá mudar a cara da política brasileira e moralizar o País'', declarou.

Esta é a segunda participação de Lula em entrevistas com os candidatos nesta eleição. Antes, havia sido entrevisatdo pelo Jornal Nacional, da Rede Globo. O presidente ainda não participou de debates com os outros candidatos nem compareceu a sabatinas em jornais. Com o Portal Terra.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Raimundo Eleno dos Santos

Concordo com o Condor das Américas. A política no Brasil está apodrecida. Da maçã podre pode-se tirar sementes sadias e fazer novo cultivo de mação sadias. Lula está querendo fazer uma depuração. Alguém tem que começar.

LandRover

Claro, meu Presidente! Prevalece a lógica do roubo e da safadeza política!


Banco de Alimentos

14/09


2006

Relator quer explicações de Suassuna

O Conselho de Ética do Senado pretende notificar o senador Ney Suassuna (PMDB-PB) para que apresente explicações sobre o depoimento de sua ex-chefe de gabinete Mônica Teixeira --que admitiu à Corregedoria do Senado ter assinado ofício em nome do senador para a liberação de emendas parlamentares usadas na compra de ambulâncias.

O relator do processo contra Suassuna no Conselho, senador Jefferson Peres (PDT-AM), pediu hoje a notificação do senador ao presidente do Conselho, João Alberto (PMDB-MA), para que Suassuna apresente sua versão por escrito em três dias.

Peres disse que vai apresentar o relatório final sobre o caso Suassuna na próxima quarta-feira. O senador promete manter o prazo para apresentação do relatório mesmo se o peemedebista não se manifestar sobre as declarações da assessora. Até o início desta noite, no entanto, Suassuna não tinha recebido nenhum pedido de explicações do Conselho de Ética.

O relator evitou discutir o mérito das declarações de Mônica Teixeira. Disse apenas que são ''comprometedoras''.

Segundo o corregedor do Senado, Romeu Tuma (PFL-SP), Mônica Teixeira disse que assinou o ofício a pedido de Marcelo Carvalho --ex-assessor de Suassuna que teria recebido R$ 225 mil em propina da Planam na máfia das ambulâncias. O corregedor enviou ao Conselho de Ética cópia do depoimento de Mônica Teixeira, que está sendo analisado por Jefferson Peres nas investigações. Com informações da Agência Folha.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

14/09


2006

Expulso do PSL, Rivaldo dá entrevista como candidato

Enquanto dava entrevista (gravada) no NE-TV, da Rede Globo, na noite desta quinta-feira, o candidato do PSL a governador, Rivaldo Soares já não era mais o nome oficial do partido para disputar o cargo. Expulso do partido por decisão da comissão executiva, com parecer do conselho de ética, Rivaldo não cumpriu o prazo que lhe foi dado para, até as l7 horas, apresentar provas do que havia dito contra o PSL. Na entrevista, em que apresentou seus planos para governar Pernambuco, ele chegou a responder aos entrevistadores que seu candidato em um eventual segundo turno seria ele mesmo, já que tinha certeza de que chegaria lá. Imediatamente após a entrevista, os próprios apresentadores noticiaram a sua expulsão.

Ouvido pelos jornalistas, ele disse que iria recorrer da decisão e que não lhe foi dado o direito de defesa, e que não sabia até aquele momento de que estava sendo acusado. Na verdade a desqualificação de Soares como candidato já havia ocorrido antes, mas ele se mantinha na disputa por força de uma medida liminar. A direção do PSL avisou que nesta sexta-feira irá ao TRE requerer a retirada do nome de Rivaldo Soares e apresentar outro candidato.

  


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Potencial Pesquisa & Informação

14/09


2006

PSDB entra com ação contra Lúcio Alcântara

A briga entre o presidente nacional do PSDB, senador Tasso Jereissati, e o governador do Ceará, o também tucano Lúcio Alcântara, candidato à reeleição, ganha mais um capítulo inusitado. O Diretório Nacional do partido entrou no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) com uma representação contra a coligação de Lúcio, pedindo que a Justiça Eleitoral determine a busca e apreensão de adesivos de caráter ofensivo ao senador.
 
Adesivos de origem ignorada com a expressão ''Xô Tasso. Tô com Lúcio'' começaram a circular por Fortaleza semana passada, logo depois de o governador cearense se queixar no horário eleitoral gratuito de que Tasso estaria sendo ''omisso'' e ''ambíguo'' com relação à candidatura dele.

A juíza eleitoral substituta Sérgia Miranda acatou o pedido do PSDB nacional. Ontem à noite, oficiais de justiça foram aos dois principais comitês de Lúcio em Fortaleza, mas nada encontraram.

Segundo o PSDB nacional, os adesivos são uma atitude ''ousada, ilegal e inaceitável de propaganda ilícita'' por parte dos simpatizantes de Lúcio Alcântara. ''As divergências entre os homens públicos devem ser travadas sem subterfúgios, sem a utilização de expedientes torpes'', diz o texto da representação.

A decisão de entrar na Justiça Eleitoral contra a coligação do candidato à reeleição Lúcio Alcântara partiu do vice-presidente nacional do PSDB, senador Álvaro Dias (PSDB-PR). Informações da Agência Estado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

prudencio godoy de melo galvao

É bom os aliados do Alkimim, enviar alguém aqui pra Pe, poís aqui não tá muito diferente não, o eterno presidente da Assembléia, já jogou o chapeú, e tá abertamente pedindo, votos pro LULA, e a dupla JARBAS/MENDONÇA, dedica boa parte do guia, só pra mostra o LULA, ACM é q tá certo, EGOÍSTAS!



14/09


2006

Reforma política é possível, diz Jobim

Deputado constituinte, ex-ministro da Justiça e ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, o advogado gaúcho Nelson Jobim, hoje radicado em Brasília, permanece um dos oráculos da política nacional, com amplo trânsito junto ao atual governo e às oposições. Com base nessa experiência, Jobim diz acreditar na necessidade e na viabilidade da reforma política.

“Acredito que efetivamente a reforma política é fundamental para a melhoria e ajustamento da governabilidade.

Creio que o tema está bem encaminhado, inclusive, entre os partidos que disputam, hoje, a Presidência da República.

Não acredito que possa haver desgaste em capital político (do próximo presidente) porque não envolveria uma pretensão somente do governo, mas, sim, das oposições.

Tudo está em construir um entendimento político para tanto e a responsabilidade seria de todos e não só do governo” – disse ele.

Jobim afirmou que, “hoje, a prioridade é a reforma política e alguns itens mais específicos à área financeira, como a questão fiscal dos estados”, ao lembrar que, em 1993, havia trabalhado em favor de uma “revisão constitucional, com agenda econômica e política” e que, no governo FHC, em 1995, pela reforma econômica, que era a prioridade de então. Apesar da radicalização pré-eleitoral, Jobim considera viável a aprovação da reforma política durante o primeiro ano do próximo governo, qualquer que seja o futuro presidente, uma vez que “há coincidências entre o PMDB, o PSDB e o PT". As informações são do Portal IG.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

guilherme alves

O nó da questão é saber se os políticos, de fato, desejam a reforma. Todos pensam primeiro nos seus umbigos, e a vida política nacional que continue nessa zorra. Como vão exigir fidelidade partidária, se um passe de parlamentar vale uma fortuna. Sazonalmente vem a tona esse tema recorrente, e só.