FMO janeiro 2020

23/01


2008

Delúbio depõe sobre envolvimento no mensalão

 O ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, chegou nesta quarta-feira, 23,  ao Fórum Criminal da Justiça Federal em São Paulo, onde irá prestar depoimento na tarde de hoje, no processo referente ao caso do mensalão. Além de Delúbio será ouvido também o ex-diretor da corretora Bônus Banval, Breno Fischberg.

Na quinta-feira, está previsto o depoimento do ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, acusado de ser um dos chefes da "quadrilha" que pagava propina a parlamentares em troca de apoio. Do Estadão.com.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

jose carlos da silva

É o PT companheiro. O PT confia em tudo e em todos cegamente. O Inácio da Silva nunca, viu, ouviu nem sabe de corrúpção no meio político brasileiro. E é tudo verdade mesmo.

Gilberto Carvalho Moura

Incrível como se pode confiar dinheiro a alguém com essa cara!


Prefeitura de Serra Talhada

23/01


2008

Termina a reunião de Lula com ministros no Planalto

Terminou no Palácio do Planalto a reunião ministerial com o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. O encontro durou cerca de 5 horas e 20 minutos.

Os 37 ministros estavam presentes, além do vice presidente, José Alencar, e os líderes do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), e na Câmara, Henrique Fontana (PT-RS).

Um dos assuntos abordados foi como melhorar as relações do governo com o Congresso Nacional. O presidente lembrou que estão faltando R$ 40 bilhões no Orçamento deste ano, com o fim da arrecadação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), rejeitada pelo Senado, e que todos terão que entender a necessidade de reduzir os gastos. Do último Segundo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu e Lima - Prefeitura - Abreunozap

23/01


2008

Infidelidade: TRE-RO anula processo de 1º cassado

Em mais uma decisão inédita, o Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia (TRE-RO), reconheceu, ontem, que errou ao cassar o mandato do vereador Lourival Pereira de Oliveira (PV), de Buritis, por infidelidade partidária. O julgamento foi anulado, determinando a recondução do político ao cargo.

Lourival foi o primeiro a ser cassado no País com base na resolução do Tribunal Superior Eleitoral sobre infidelidade partidária.

Na noite da terça, ao julgar pedido de reconsideração impetrado por Lourival, o Tribunal reconheceu que cometeu um erro ao cassar o vereador, porque a parte que requereu o mandato não foi considerada legítima para peticionar em juízo. O autor do requerimento é bioquímico e ingressou na Justiça Eleitoral sem advogado. Do Portal Terra.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

23/01


2008

Secretário destila ódio quando é criticado

Encontrei esta pérola no site do radialista Nill Júnior, nas barrancas do meu Pajeú: ''Em entrevista à Radio Pajeú, de Afogados da Ingazeira, o secretário de Agricultura de Pernambuco, Ângelo Ferreira, fez duras críticas ao jornalista Magno Martins, em resposta à notas questionando sua condução como secretário. Ângelo disse que Magno, sabidamente, era ligado a Inocêncio Oliveira e Antonio Mariano e tinha uma condução tendenciosa no seu blog e na coluna na Folha de Pernambuco.

Ângelo disse, ainda, que chegou a conversar com o vice prefeito de Afogados da Ingazeira, Augusto Martins, que é irmão de Magno, sobre a posição dele e arrematou : “Como você sabe, os dedos das mãos não são iguais”. Magno denunciou em sua coluna a prática de nepotismo na família Ferreira, que teria designado uma filha para trabalhar em seu gabinete.

Disse, também, que um filho de Ferreira teria sido aprovado em primeiro lugar no concurso da Prefeitura de Sertânia. Ângelo nega e diz que está processando o jornalista. “De Inocêncio Oliveira e Sebastião Oliveira, ele só fala bem. Se for Ferreira, ele quer que seja meu parente. Meu filho fez o concurso da Prefeitura. É formado, fez faculdade, pode fazer e foi aprovado. Uma filha minha fez e não foi aprovada. Uma prima também não foi”, colocou.

Leia abaixo a minha resposta ao secretário.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

milton tenorio pinto junior

Isabel, não distorça os fatos. Magno não definiu que o secretário é tirano, o próprio se comporta como tal.

Mariana

kkkkkkkkkkkkkkkkk Essa senhora fala muito bonito, mas não explica nada, apenas demonstra ser uma eleitora fiel que sempre entra para elogiar as posturas do ditador !!!

Maria Isabel Siqueira Sousa

fazem em prol do desenvolvimento de um povo, principalmente dos excluídos. Proponho a você Magno: faça uma pesquisa, não virtual!. Vá lá e veja o quanto Ângelo Ferreira é benquisto! Parabéns Ângelo! Confie em Deus! Ele está com você e lhe fortalecerá! Obrigada!

Maria Isabel Siqueira Sousa

...o rumo do crescimento. Isto é visível! Todos vêem e sabem!. não é com os comentários raivosos que vão conseguir ofuscar o brilho do trabalho dele, que conquista todos os dias, com sua garra e determinação...não sou política mas sei reconhecer o que um conterrâneo faz por minha terra...

Maria Isabel Siqueira Sousa

...que o próprio Magno define. Sertânia é uma cidade de valores. Concordo que, pelo grande trabalho que realizou como Prefeito, Ângelo despertou inveja wm alguns "velhos coronéis" da cidade. O que posso dizer é o todo sertaniense sabe: nas duas gestões de Ângelo Ferreira Sertânia tomou o rumo do



23/01


2008

As mentiras do Saddam nepotista de Sertânia

O secretário Ângelo Ferreira, que está bem apagadinho no Governo Eduardo e que não sabe distinguir uma jaca de um pé de mulungu, lá no nosso sertão, cometeu algumas leviandades na sua entrevista à Rádio Pajeú. A primeira mentira: nunca fui ligado a Inocêncio Oliveira. Pelo contrário, vez por outra o deputado fica carrancudo com as críticas que faço ao seu trabalho, tendo deixado de falar comigo por um longo período.

A segunda mentira: meu sogro, o ex-deputado Antônio Mariano, realmente foi aliado de Inocêncio durante 30 anos, mas está rompido com ele e na eleição passada apoiou Bruno Rodrigues para federal. Embora meu sogro seja político, nunca dei uma nota dele em minha coluna nem no blog, nem tampouco de minha mulher, Aline Mariano, que é política, porque julgo antiético.

Ângelo está ruminando o ódio que destila do seu fígado simplesmente porque noticiei a verdade sobre um concurso fraudulento, que rendeu matéria nacional na TV-Globo, promovido pela Prefeitura de Sertânia, onde ele manda a desmanda, no qual, aliás, seu filho – Arlindo Ferreira Neto – tirou em primeiro lugar. Certamente, por se tratar de um gênio.

E um secretário do prefeito e outro diretor foram aprovados, respectivamente, para gari e vigilante. Nada contra as duas categorias, mas o secretário de Agricultura, que é o prefeito de fato, tem o dever moral diante da sociedade de sua terra de demitir o secretário e o diretor da PM, e rebaixá-los para as funções de gari e vigilante. Mas, ele nunca fará isso, porque está desmoralizado e envergonhado diante dos seus conterrâneos em Sertânia, uma terra até boa, mas que vem sendo governada por um grupo odiento, adepto do velho coronelismo.

Sugiro, por fim, ao secretário que, ao invés de mentir pelas rádios do Interior, que comece a trabalhar, porque em um ano de Governo ainda não disse a que veio. Sua única preocupação é nomear parentes e perseguir aqueles que não concordam com o seu modo tirânico de governar. É o Saddam do Sertão!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Aguinaldo Pontes Dias

(...) Desta vez quero ver quem é que toma, desta vez Sinval é quem vai ganhar. "O povo tá na rua, saiu para dizer, que NÃO QUER MAIS ELE, YÊ, YÊ, YÊ, CADEIA NELES!!!!" SINVAL 2008

Aguinaldo Pontes Dias

(...) Atacar o Célebre, Sério e Competente Jornalista Magno Martins é, sem dúvida, um ato de desespero e loucura. É só um sinal de quem sabe o que o espera nas eleições 2008. Atira pra td que é lado e só fica a comer a poeira da oposição, com tamanha frente aos nomes que ele tem apresentado. (...)

Aguinaldo Pontes Dias

Não sei porque tanta celeuma, por parte do Grangeiro. Melhor dizendo, do Sr. Angelo. Afinal, é seu costume assumir pseudônimos p/ atacar pessoas e, às vezes, por não ser macho para fazê-lo, envia seus "laranjas-podres" para realizarem o trabalho sujo. (...)

Mariana

Olha é que Sr granja esqueçeu de tomar os remédios controlados !!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Paulo Kigrer

Deixem o Gisonaldo escrever... como identificar idiotas se os proibimos escrever...


O Jornal do Poder

23/01


2008

Alcymar processa Albano e detona a pirataria

 

 

 

 

 

 

 

 

No aeroporto de Aracaju, quando embarcava da incursão em Serra do Machado para o Recife, segunda-feira passada, tive o prazer de encontrar o forrozeiro Alcymar Monteiro, com o seu típico chapéu branco. Com semblante cansado, vinha de três shows entre Sergipe e Bahia.

Aproveitei para tirar algumas curiosidades. A primeira foi sobre a pirataria. Alcymar revelou que vive, hoje, praticamente, dos cachês dos shows, porque as vendas dos seus CDs caíram drasticamente. Só um dado: no primeiro disco, há 30 anos, o forrozeiro vendeu 150 mil cópias. O último, lançado ano passado, não vendeu 20 mil unidades. Mas no mercado pirata, pelos seus cálculos, mais de 50 mil CDs foram vendidos.

“A pirataria acabou com todos nós”, desabafou. Perguntei em seguida se tinha planos políticos. Afirmou que chegou a pensar, mas desistiu depois que provou do gostinho da vida pública como secretário da Prefeitura de Fortaleza.

“Para mim, foi uma tremenda decepção. Não tenho vocação política”. Alcymar falou, ainda, da sua atribulada vida. Contou que, embora cearense, fixou residência em Pernambuco e está muito feliz. “Adoro o pernambucano, a sua gente e os costumes da região”, afirmou. Revelou que não bebe nem fuma e que cuida da saúde para manter o vozeirão que Deus lhe deu.

“Não tomo nada gelado, nem água. Faço exercícios de dicção para aperfeiçoar a voz e gargarejo produtos naturais da terra, como gengibre”, contou. Ao final do curto bate-papo, Alcymar informou que está processando um político – o deputado federal Albano Franco, do PSDB de Sergipe.

“Ele me deu um calote na campanha de governador em 1998. Fiz a sua música, participei da sua campanha e ele nunca me pagou. O processo, hoje, está na casa dos R$ 2 milhões. E vou ganhar”, afirmou. A foto acima foi feita pelo jornalista Paulo Sérgio Scarpa, da coluna Repórter JC.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Mariana

TU ES UM BABACA PSICOPATA SÓ TEM TITICA DE GALINHA NA CABEÇA SR GRANJA

Gisonaldo Grangeiro

O senhor Magno tentou consertar um erro com outro erro. De manhã, estava escrito que o Alcimar foi secretário do Ceará. Agora o senhor Magno diz que ele foi secretário de Fortaleza. Alcimar nunca foi secretário de Cultura e Turismo nem do Ceará nem de Fortaleza.

milton tenorio pinto junior

Gisonaldo é caso para uma equipe médica qualificada, com muitos anos de estudo.Tratamento de choque não resolve, já não se aplica. Duvido muito que algum psicologo sozinho queira tratar esse rapaz, salvo o médico seja do mesmo partido(PT) para acudir o colega.

Mariana

MAGNO, DELETA ESSE GRANJEIRO SÓ TEM TITICA DE GALINHA NA CABEÇA SEBOSA!!!

EDIBERTO INACIO DE OLIVEIRA

EDIBERTO INÁCIO DE OLIVEIRA DISCORDO DO GISONALDO GRANGEIRO.ALCYMAR FOI SEC. DE CULTURA E TURISMO EM JUAZ.DO NORTE,INCLUSIVE MUITO COMPETENTE.OUTROSSIM É UM GRANDE FORROZEIRO.



23/01


2008

Voto, reforma política e outros temas engana-eleitor

A fragilidade do eleitor – vítima da injustiça mais do que secular no Brasil – reduz ao mínimo a qualidade do voto dado. Isso porque esse voto passa a ser fruto, acima de tudo, do baixo nível de vida, comprometendo seriamente a legitimidade da votação obtida.
 
Com isso, todo o processo de escolha – que chamamos tranqüilamente de democrática – deve ser objeto de uma amplíssima reavaliação, para vermos qual o remédio capaz de curá-lo da “ilegitimite aguda”. Se tentarmos essa cura através de uma drástica elevação dos padrões de vida do eleitorado, com certeza esse caminho ficará apenas no discurso, pois neste País a distribuição da renda sempre foi – nas raras vezes em que aconteceu – episódica, efêmera, com cara de esmola, só para enganar a opinião pública daqui e do resto do mundo.

O voto, a distribuição de renda e outros motes que dominam o vocabulário enganador dos políticos de plantão no noticiário político são o enfoque dado pelo jornalista Sérgio Augusto Silveira, no seu artigo no blog, de que são exemplos os dois parágrafos acima de seu comentário de hoje. Como acontece sempre com os escritos do Sérgio, este é inteligente e mais do que nunca atual. Vale a pena ser lido na íntegra. Boa leitura. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/01


2008

Recessão americana e conseqüências não levadas a sério

A busca incessante pelo lucro acabou por transformar os bancos em verdadeiros supermercados, onde as funções encontram-se cada vez mais unificadas. A saber: bancos comerciais, de investimento e seguradoras agora formam um só. Essa esfera multiuso, outrora desconhecida, nos fornece uma lição óbvia, tirada de uma adaptação trivial da obra de Maquiavel: o lucro nem sempre é o fim mais adequado.

O texto acima faz parte do artigo do universitário Renan Holanda, colaborador do blog, postado hoje. Ele faz uma inteligente análise da recessão aamericana e suas conseqüencias em todo o mundo, inclusive o Brasil. Holanda chama a atenção para a gravidade do momento e possíveis rumos da economia de países emergentes. Vale a pena ler o artigo de Renan, já que o assunto é o de  maior destaque do momento em toda a imprensa internacional. Boa leitura.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/01


2008

Governo maquiou obras do PAC para exibir ao País

 O governo maquiou os resultados do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). Obras com cronogramas atrasados em relação ao previsto no último balanço, feito em setembro do ano passado, obtiveram o selo verde, que serve para classificar os projetos com andamento adequado. Na área de energia elétrica, o governo decidiu ignorar os atrasos em obras como as da usina nuclear de Angra 3 e das hidrelétricas de Belo Monte (PA) e Ribeiro Gonçalves (PI). Entre os projetos de gás natural, não foi considerado o atraso no gasoduto Campinas-Rio. Também na área de infra-estrutura, o governo decidiu continuar classificando com o selo verde (adequado) as obras de dragagem do porto de Itaguaí (RJ), da implantação da avenida perimetral portuária de Santos (margem direita) e de adequação das pistas do aeroporto de Guarulhos -todas atrasadas em relação aos prazos previstos em setembro de 2007.(Informações da Folha de S.Paulo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/01


2008

STJ e TSE mudam de comando este ano

 O Supremo, o STJ e o TSE trocam de comando este ano. Em abril, no STF sai Ellen Gracie e entra Gilmar Mendes. No STJ, Barros Monteiro dá lugar a Humberto Gomes de Barros, que fica só até junho e será substituído por Cesar Asfor Rocha. E no TSE, em maio, o irriquieto Marco Aurélio cede a vez para o pacato Carlos Britto.

À frente do Supremo Tribunal Federal, o ministro Gilmar Mendes aplicará a experiência de administrador adquirida nos tempos em que liderou a Advocacia-Geral da União, entre 2000 e 2002. Um ministro aposentado da Corte ressalta que a administração da ministra Ellen foi muito útil e proveitosa para advogados e jurisdicionados.  Ellen foi a primeira mulher a integrar e presidir o Supremo.

Já o Superior Tribunal de Justiça passará por duas trocas de presidente em poucos meses. Raphael de Barros Monteiro Filho, ministro reservado, dono de uma administração técnica, deixa a cadeira para o alagoano Humberto Gomes de Barros. Em administração relâmpago — o ministro ficará no cargo até julho, quando se aposenta compulsoriamente aos 70 anos de idade — Gomes de Barros deve seguir a política do antecessor e tocar projetos em andamento.

Depois de comandar o Tribunal Superior Eleitoral com proeminência nas eleições de 2006, o ministro Marco Aurélio cede a cadeira de presidente para o ministro Carlos Ayres Britto. Apesar de mais informal e menos apegado à liturgia do cargo do que o antecessor, Britto deverá seguir as diretrizes já traçadas, com rigor na análise de irregularidades em busca de eleições limpas e com ampla fiscalização. Mais reservado, Britto não se expõe e não polemiza como Marco Aurélio.(Informações do Consultor Jurídico)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha