O Jornal do Poder

14/09


2020

Renan Calheiros retira tumor do rim

Tales Faria, do UOL

O ex-presidente do Senado Renan Calheiros (MDB-AL) acaba de deixar a sala de cirurgia do hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde foi operado para a extração de um pequeno tumor no rim direito.

Renan não sabe ainda se o tumor era maligno ou benigno. O médico, Publio Viana, mandou o material para biópsia e o resultado ainda não saiu.

Renan deu entrada no hospital na última quarta-feira para exames de rotina, quando foi detectado o tumor.

Por conta do pós-operatório, embora passe bem, sem nenhum problema segundo sua assessoria, o senador não deverá participar da convenção para oficializar o candidato de seu partido a prefeito de Maceió.

A matéria completa está disponível no UOL.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Potencial Pesquisa & Informação

14/09


2020

Justiça condena secretário de Madalena a pagar multa

A Justiça Eleitoral determinou que o secretário de Obras e Projetos Especiais da Prefeitura de Arcoverde, Aildo Biserra (foto), foi condenado pao pagamento de multa no valor de R$ 5 mil em razão de realização de propaganda eleitoral negativa contra o candidato a prefeito Zeca Cavalcanti, do PTB. 

Segundo a sentença, o secretário comparou Zeca a outros pré-candidatos, chamando-o de “ficha-suja”, em um grupo de WhatsApp, o que justificou a imposição da multa com base na Lei Eleitoral. Zeca foi prefeito de Arcoverde entre 2005 e 2012 e não possuiu contas rejeitadas: todas as oito prestações receberam parecer favorável do Tribunal de Contas de Pernambuco.

Ainda de acordo com a decisão, mesmo devidamente intimado, o secretário Aildo não apresentou defesa por meio de advogados e o parecer do Ministério Público Eleitoral opinou pela imposição de pagamento da multa. Ligado ao grupo político da prefeita Madalena Britto (PSB), Aildo Biserra também está impedido de realizar postagens negativas em redes sociais contra Zeca Cavalcanti, sob pena de multa diária de R$ 1 mil em caso de descumprimento.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

14/09


2020

Fome: governo precisará intervir

Por Hylda Cavalcanti, do Jornal de Brasília

Um estudo do Banco Mundial ressalta que os cenários de contração econômica e aumento da pobreza serão determinados pelas medidas que os governos estão adotando, pela duração da crise, pelo choque específico de renda em cada país e como esse choque está impactando nos diferentes setores.

A crise da covid-19 pode fazer com que a pobreza extrema volte a atingir mais de 1 bilhão de pessoas, alerta o estudo do Banco Mundial. Isso porque milhões de pessoas vivem somente um pouco acima da linha da pobreza.

É o que aponta relatório elaborado pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal). Intitulado “Como evitar que a crise da covid-19 se transforme em uma crise alimentar: Ações urgentes contra a fome na América Latina e no Caribe”, o trabalho denuncia o crescimento  significativo dos níveis de fome na região como consequência imediata. O estudo constata que, após sete anos de crescimento lento, de acordo com os órgãos internacionais, a região da América Latina e Caribe poderá ter a maior queda do Produto Interno Bruto (PIB) regional em um século, chegando a – 5,3%.

“Essa população já vive normalmente uma situação precária e qualquer choque econômico pode levá-las de volta à pobreza”, afirmou o professor de Desenvolvimento Internacional da King’s College, Andy Sumner , um dos autores do estudo.

Impactos conjuntos

Em relação ao Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), a mudança de parâmetros será observada pela primeira vez, porque, apesar das várias crises econômicas, esta é a primeira vez que haverá impacto conjunto em saúde, educação e renda, explicou o técnico do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), Achim Steiner.

“O mundo passou por muitas crises nos últimos 30 anos, incluindo a crise financeira global de 2007 a 2009. Cada uma delas afetou fortemente o desenvolvimento humano, mas, em geral, os ganhos de desenvolvimento foram  acumulados globalmente ano a ano. Desta vez, esses ganhos não serão vistos”, destacou.

Para Steiner, a crise mostra que, se o conjunto de ferramentas de políticas não levar em conta a redução das desigualdades, muitas pessoas ficarão ainda mais para trás.

O que o pesquisador alerta é que os avanços tecnológicos também estão provocando fossos de desigualdade. “Isso é particularmente importante para as ‘novas necessidades’ do século 21, como o acesso à internet, que está ajudando na educação a distância, telemedicina e trabalho remoto”, frisou também o diretor do Escritório do Relatório de Desenvolvimento Humano do Pnud, Pedro Conceição.

Série

Cientistas diversos já avaliam mudanças nos parâmetros de índices sociais de vulnerabilidade e desigualdade com alertas para a importância de serem criadas políticas públicas que possam conter esse mal ainda mais avassalador do que a pandemia da covid-19. Durante esta semana, o Jornal de Brasília apresentará uma série de reportagens, baseadas em seis estudos elaborados nos últimos três meses pelas mais diversas entidades para mostrar como pensam e o que acham os especialistas sobre o assunto. O material está publicado na editoria de Cidades porque partirá dos dados globais dos estudos para depois descer ao drama vivido no Distrito Federal.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


14/09


2020

PSB confirma Marcones Sá na disputa em Salgueiro

O PSB oficializou as pré-candidaturas do ex-prefeito Marcones Sá e Doutor Edilton (Cidadania) à Prefeitura de Salgueiro e de 50 nomes à Câmara de Vereadores, na noite de ontem, em convenção partidária transmitida ao vivo do Spaço Fest. A coligação “Unidos por Amor a Salgueiro” também conta com a presença do PDT.

Durante a convenção, Marcones Sá fez críticas ao prefeito Clebel Cordeiro (PL) ao lembrar das 50 creches prometidas pelo atual gestão, na campanha passada, e por alegar que faltam medicamentos básicos nos postos de saúde. "A proposta da campanha passada eram 50 creches. Deixamos três creches em andamento: Planalto, Cohab e Conceição das Crioulas, com recursos garantidos do FNDE, do Pró-criança e uma só não foi concluída. Isso representa a falta de compromisso com a criança", afirmou.

"Uma administração que não tem preocupação com a criança, com sua juventude e com as pessoas que viveram mais é uma administração sem compromisso social. As políticas públicas da assistência foram, totalmente, abandonadas. Essa semana, eu estive no Centro Social Urbano e na Praça Céu, na Cohab, e é uma coisa de cortar o coração", disparou Marcones.

Na convenção, foram exibidos depoimentos gravados do presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, do presidente estadual da legenda, Sileno Guedes, do presidente estadual do Cidadania, o deputado federal Daniel Coelho, do deputado federal João Campos (PSB), do governador Paulo Câmara e do vereador Ednaldo Barros.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


14/09


2020

Salgueiro: PL homologa amanhã nome de Clebel

O Partido Liberal de Salgueiro vai realizar convenção, amanhã, para homologar candidatura à reeleição do prefeito Clebel Cordeiro e da postulante a vice-prefeita Paizinha Patriota. O evento acontece a partir das 19h30, na Associação Cultural Salgueirense (ACS), na Rua Otávio Leitinho, no bairro do Santo Antônio. 

Compõem a coligação "Salgueiro Vencedor": PL, DEM, PSD, PSL, PSDB, Podemos, PSC, PTB e PV. Durante a convenção, serão anunciados os candidatos que vão concorrer a vagas na Câmara de Vereadores. O evento seguirá todas as recomendações da Justiça Eleitoral e as normas da vigilância sanitária.

Na Associação Cultural Salgueirense (ACS), onde acontecerá a convenção, devido a restrições causadas pela pandemia, apenas os convidados poderão participar. No local, serão seguidos todos os protocolos da saúde, como uso de máscaras, álcool em gel e o distanciamento determinado para garantir a segurança dos participantes.

A convenção também será transmitida pelo YouTube e pelo Facebook de Clebel Cordeiro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


14/09


2020

83 milhões de miseráveis na América Latina e Caribe

Por Hylda Cavalcanti, do Jornal de Brasília

Quando se sai da fome e se passa a calcular a extrema pobreza como um todo, a estimativa da ONU para América Latina e Caribe é de que mais de 83 milhões de pessoas passem a viver nesta condição ainda este ano. Os dados são de um relatório elaborado pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal).

Intitulado “Como evitar que a crise da covid-19 se transforme em uma crise alimentar: Ações urgentes contra a fome na América Latina e no Caribe”, o trabalho denuncia o crescimento significativo dos níveis de fome na região como consequência imediata. O estudo constata que, após sete anos de crescimento lento, de acordo com os órgãos internacionais, a região da América Latina e Caribe poderá ter a maior queda do Produto Interno Bruto (PIB) regional em um século, chegando a – 5,3%.

“A situação econômica do continente já estava fragilizada nos últimos anos e esse processo terminou sendo agravado pela covid-19”, disse o diretor do Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos da ONU no Brasil. Daniel Balaban. O recado dado pelos técnicos neste documento é a necessidade de os governos tomarem medidas muito mais drásticas e muito mais sustentáveis daqui por diante.

Uma outra orientação feita pela Cepal e pela FAO contra a extrema pobreza na América Latina e no Caribe é para que, além de programas emergenciais, os governos também incluam o que chamam de “bônus contra a fome”, um programa formado pela distribuição de cestas básicas para a alimentação das famílias.

Os especialistas destacam, dentre as medidas que podem amenizar o problema, a criação e manutenção de um programa de renda básica emergencial, a adoção de medidas de equilíbrio fiscal, reforço a programas de alimentação escolar (como forma de garantir alimentação de crianças e adolescentes), iniciativas de crédito e subsídios para a agricultura familiar. Daniel Balaban alertou ainda para o fato de que “sem o apoio do Estado, nenhum país do mundo conseguirá contornar essa crise”.

Série

Cientistas diversos já avaliam mudanças nos parâmetros de índices sociais de vulnerabilidade e desigualdade com alertas para a importância de serem criadas políticas públicas que possam conter esse mal ainda mais avassalador do que a pandemia da covid-19. Durante esta semana, o Jornal de Brasília apresentará uma série de reportagens, baseadas em seis estudos elaborados nos últimos três meses pelas mais diversas entidades para mostrar como pensam e o que acham os especialistas sobre o assunto. O material está publicado na editoria de Cidades porque partirá dos dados globais dos estudos para depois descer ao drama vivido no Distrito Federal.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


14/09


2020

Mendonça oficializa candidatura na quarta

O partido Democratas do Recife realiza na próxima quarta-feira (16), às 16h, no Mar Hotel, em Boa Viagem, a convenção municipal  conjunta com o PSDB para homologar a candidatura do ex-ministro Mendonça Filho a prefeito e de 55 candidatos a vereador. O prefeiturável do DEM conta com o apoio do PTB, de Armando Monteiro, do PSDB, de Bruno Araújo, e do PL, de Anderson Ferreira. 

O evento obedecerá ao protocolo de prevenção da pandemia, com limitação na parte presencial aos candidatos a vereador, convencionais e líderes partidários. Os demais filiados poderão acompanhar em plataforma digital pelo Zoom, pelo YouTube pelas redes sociais de Mendonça. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


14/09


2020

Em Pesqueira, DEM oficializa prefeita Maria José

A prefeita de Pesqueira, Maria José (DEM), e o seu vice, Dr. Vanbrugh Sá, deram o pontapé inicial, ontem, ao projeto de reeleição. A convenção da coligação “Unidos por Pesqueira” também marcou a homologação dos candidatos que concorrerão às vagas da Câmara Municipal.

No palanque da prefeiturável, estão 10 legendas: Progressistas, PSB, PROS, MDB, PCdoB, Podemos, PSD, PSDB, PTC e Patriotas. Na ocasião, estiveram presentes algumas lideranças políticas, entre elas a vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos, e o deputado estadual Waldemar Borges.

Respeito, fé, trabalho, coragem, esperança, ética e reponsabilidade foram as palavras que mais se destacaram no discurso de Maria José. “Desde o primeiro dia que assumi a nossa Prefeitura,  meus colaboradores e eu sempre agimos para trazer o melhor para a nossa população. Entrei na vida pública por acreditar que a política é o instrumento de ação de transformação da sociedade e por ter como minha missão de vida cuidar do próximo. A nossa gestão sempre foi pautada pelo planejamento, responsabilidade, respeito e transparência com o dinheiro público. Nós estamos aqui para renovar o nosso compromisso de seguir com o trabalho de transformação pela Pesqueira do futuro”, afirmou.

O candidato a vice-prefeito, Vanbrugh Sá, destacou ações da gestão em Pesqueira. “Foi muito trabalho desenvolvido em todas as áreas pela administração municipal. Estamos confiantes e vamos rumo à vitória”, declarou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


14/09


2020

Fome será o nosso próximo grande desafio

Por Hylda Cavalcanti, do Jornal de Brasília

“Pobre é aquele que tem somente o que comer; miserável é aquele que nada tem para comer”. A frase famosa, de Dom Hélder Câmara, nos anos 70, mostra uma realidade que pode ser ampliada em proporções catastróficas: o aumento da fome em escala planetária. As preocupações com os índices de pobreza e extrema pobreza têm sido objeto constante de estudo por parte de governos e instituições de pesquisa diante de tantos prognósticos negativos.

Cientistas diversos já avaliam mudanças nos parâmetros de índices sociais de vulnerabilidade e desigualdade com alertas para a importância de serem criadas políticas públicas que possam conter esse mal ainda mais avassalador do que a pandemia da covid-19. Durante esta semana, o Jornal de Brasília apresentará uma série de reportagens, baseadas em seis estudos elaborados nos últimos três meses pelas mais diversas entidades para mostrar como pensam e o que acham os especialistas sobre o assunto. O material está publicado na editoria de Cidades porque partirá dos dados globais dos estudos para depois descer ao drama vivido no Distrito Federal.

Um dos primeiros trabalhos foi o relatório da Oxfam Brasil, de junho passado. Segundo este documento, até 12 mil pessoas podem morrer de fome por dia no mundo este ano, devido à pandemia. O trabalho coloca o Brasil entre os prováveis epicentros globais da fome, juntamente com Índia e África do Sul. Intitulado “O Vírus da Fome: Como o coronavírus está potencializando a fome em um mundo faminto”, a entidade constata que 122 milhões de pessoas podem ser levadas à beira da fome até dezembro. Para a gerente de Programas e Campanhas da Oxfam Brasil, Maitê Guato, o Brasil conseguiu, em 2014, uma grande conquista que foi sair do mapa da fome da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Mas caso não sejam tomadas medidas urgentes, esse índice tende a retroceder. “Os riscos são imensos, caso o Estado não atue de forma eficiente”, alertou ela.

Isto porque, apesar do auxílio emergencial do governo, aprovado pelo Congresso, o estudo constatou que até junho só 10% desse auxílio chegou aos trabalhadores. E até julho, só 47,9% dos recursos destinados ao auxílio foi distribuído. Da mesma forma, as grandes empresas obtiveram mais benefícios do quem as micro e pequenas, o que aumenta ainda mais o índice de desigualdade até o final do primeiro semestre.

“A covid é a última gota para milhões de pessoas que já lutam todos os dias com conflitos armados, mudanças climáticas, desigualdades e um sistema viciado de produção de alimentos”, disse a diretora executiva da Oxfam Brasil, Katia Maia.

Um segundo alerta foi feito pelas Nações Unidas, que também lançou relatório no mesmo período. Nesse estudo, o secretário-geral da entidade, António Guterres ressaltou que as medidas  dotadas contra a doença e a recessão global emergente podem perturbar o funcionamento dos sistemas alimentares e precisam de uma ação imediata.

“Corremos o risco de assistir a uma emergência alimentar global – com impactos em longo prazo em centenas de milhões de crianças e adultos”, destaca Guterrez. De acordo com esse documento, com o funcionamento dos sistemas alimentares em risco, o número de pessoas expostas a uma grave insegurança alimentar e nutricional vai crescer rapidamente. “A queda de um ponto percentual no Produto Interno Bruto global significa mais 700 mil crianças raquíticas”, explicou o secretário-geral.

Conforme a avaliação feita pelos técnicos da ONU, mesmo nos países com abundância de alimentos há riscos de interrupções na cadeia de abastecimento alimentar, porque muitas pessoas já viviam uma crise alimentar antes da pandemia.

“Há alimentos mais do que suficientes no mundo para alimentar a nossa população de 7,8 bilhões de pessoas. Mas, hoje, mais de 820 milhões de pessoas passam fome e cerca de 144 milhões de crianças com menos de 5 anos são raquíticas, mais do que uma em cada 5 crianças em todo o mundo”, explicou ele.

83 milhões de miseráveis na América Latina e Caribe

Quando se sai da fome e se passa a calcular a extrema pobreza como um todo, a estimativa da ONU para América Latina e Caribe é de que mais de 83 milhões de pessoas passem a viver nesta condição ainda este ano. Os dados são de um terceiro relatório, desta vez elaborado pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal).

Intitulado “Como evitar que a crise da covid-19 se transforme em uma crise alimentar: Ações urgentes contra a fome na América Latina e no Caribe”, o trabalho denuncia o crescimento  significativo dos níveis de fome na região como consequência imediata. O estudo constata que, após sete anos de crescimento lento, de acordo com os órgãos internacionais, a região da América Latina e Caribe poderá ter a maior queda do Produto Interno Bruto (PIB) regional em um século, chegando a – 5,3%.

“A situação econômica do continente já estava fragilizada nos últimos anos e esse processo terminou sendo agravado pela covid-19”, disse o diretor do Centro de Excelência contra a Fome do Programa Mundial de Alimentos da ONU no Brasil. Daniel Balaban. O recado dado pelos técnicos neste documento é a necessidade de os governos tomarem medidas muito mais drásticas e muito mais sustentáveis daqui por diante.

Uma outra orientação feita pela Cepal e pela FAO contra a extrema pobreza na América Latina e no Caribe é para que, além de programas emergenciais, os governos também incluam o que chamam de “bônus contra a fome”, um programa formado pela distribuição de cestas básicas para a alimentação das famílias.

Os especialistas destacam, dentre as medidas que podem amenizar o problema, a criação e manutenção de um programa de renda básica emergencial, a adoção de medidas de equilíbrio fiscal, reforço a programas de alimentação escolar (como forma de garantir alimentação de crianças e adolescentes), iniciativas de crédito e subsídios para a agricultura familiar. Daniel Balaban alertou ainda para o fato de que “sem o apoio do Estado, nenhum país do mundo conseguirá contornar essa crise”.

Governo precisará intervir

Também um estudo do Banco Mundial ressalta que os cenários de contração econômica e aumento da pobreza serão determinados pelas medidas que os governos estão adotando, pela duração da crise, pelo choque específico de renda em cada país e como esse choque está impactando nos diferentes setores.

A crise da covid-19 pode fazer com que a pobreza extrema volte a atingir mais de 1 bilhão de pessoas, alerta o estudo do Banco Mundial. Isso porque milhões de pessoas vivem somente um pouco acima da linha da pobreza.

“Essa população já vive normalmente uma situação precária e qualquer choque econômico pode levá-las de volta à pobreza”, afirmou o professor de Desenvolvimento Internacional da King’s College, Andy Sumner , um dos autores do estudo.

Impactos conjuntos

Em relação ao Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), a mudança de parâmetros será observada pela primeira vez, porque, apesar das várias crises econômicas, esta é a primeira vez que haverá impacto conjunto em saúde, educação e renda, explicou o técnico do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), Achim Steiner.

“O mundo passou por muitas crises nos últimos 30 anos, incluindo a crise financeira global de 2007 a 2009. Cada uma delas afetou fortemente o desenvolvimento humano, mas, em geral, os ganhos de desenvolvimento foram  acumulados globalmente ano a ano. Desta vez, esses ganhos não serão vistos”, destacou.

Para Steiner, a crise mostra que, se o conjunto de ferramentas de políticas não levar em conta a redução das desigualdades, muitas pessoas ficarão ainda mais para trás.

O que o pesquisador alerta é que os avanços tecnológicos também estão provocando fossos de desigualdade. “Isso é particularmente importante para as ‘novas necessidades’ do século 21, como o acesso à internet, que está ajudando na educação a distância, telemedicina e trabalho remoto”, frisou também o diretor do Escritório do Relatório de Desenvolvimento Humano do Pnud, Pedro Conceição.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


14/09


2020

Daniel indica vice de Patrícia até amanhã

O deputado Daniel Coelho, que retirou sua pré-candidatura a prefeito do Recife pelo Cidadania em apoio à delegada Patrícia Domingos, que concorre pelo Podemos, acertou com o presidente estadual da legenda, Ricardo Teobaldo, que indica até amanhã, no mais tardar na quarta, o nome que escolherá dentro dos quadros do Cidadania para compor a chapa de Patrícia como vice.

Segundo Teobaldo, a convenção que homologará a chapa está marcada para quarta-feira, a partir das 15 horas, no restaurante Catamarã, próximo ao Cais de Santa Rita. A presidente do Podemos, Renata Abreu, e o líder do partido no Senado, Álvaro Dias, devem participar por vídeoconferência.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha