Governo de PE

22/05


2019

Deputados do PSB cancelam café da manhã com Bolsonaro

Os deputados federais do PSB que representam a Região Nordeste cancelaram sua presença em café da manhã com o presidente da República, Jair Bolsonaro, agendado para hoje, no Palácio do Planalto. 

Os parlamentares manifestaram anteriormente sua intenção de participar do encontro, como prova de disposição ao diálogo, sobretudo por estarem em jogo questões de grande relevância para o Nordeste brasileiro. Porém, conforme destacou o líder da legenda na Câmara, Tadeu Alencar (PE), “ao longo do dia ficou evidente nesta Casa o desconforto com o crescente clima de acirramento entre o Poder Executivo e o Congresso Nacional, o que, por evidente, não oportuniza as condições políticas adequadas a favorecer o diálogo construtivo que o Nordeste merece”.

Tadeu explicou ainda que ficou claro, por parte dos partidos de oposição, a falta de clima para “tão relevante discussão, em momento em que o parlamento tem sido objeto de reiterados ataques, que em nada contribuem para a normalidade institucional”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Governo de PE

22/05


2019

Coluna da quarta-feira

Gravatá tratada a pão e água

Prefeitos do outro lado do balcão do Palácio das Princesas têm reclamado da desatenção do Governo Paulo Câmara. Um deles, Joaquim Neto (PSDB), de Gravatá, disse, ontem, no Frente a Frente, programa que ancoro pela Rede Nordeste tendo Rádio Folha como cabeça, que não recebeu um só tostão do Estado para parcerias.

Reclamou que, diferentemente da mão de Câmara estendida aos aliados, Gravatá, que faz grandes eventos turísticos ao longo do ano, como o São João, o Festival de Jazz durante o carnaval e a festa do morango, é tratada a pão e água. “Nem o dinheiro do SUS e do abastecimento das farmácias o Governo paga em dia. Estão nos devendo mais de R$ 3 milhões”, afirmou.

Joaquim está se costurando com os recursos próprios, arrecadação fruto de um grande esforço, e de parcerias com o Governo Federal. “Em dois anos e meio à frente do município, o governador nunca deu o ar da sua graça em Gravatá”, desabafou.

Nem o pai ouve – Os próprios aliados da prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB), admitem que se ela não tivesse o nariz tão empinado provavelmente estivesse melhor situada nas pesquisas de opinião. Reclamam que a tucana tem uma personalidade difícil, governa só e nem ao pai recorre para ouvir opiniões, a não ser em ocasiões em que o barco chega, literalmente, à deriva.

Madrasta na mesadinha – Uma fonte de Brasília com a qual estava conversando, ontem, revelou que a primeira-dama Michele Bolsonaro está reclusa e deprimida. Estaria, inclusive, tomando remédio, tudo por causa da confusão em que se meteu o seu enteado, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ). O problema é mais grave: existe suspeita de que ela tinha mesadinha na Alerj.

Vai jogar a toalha? – O ex-deputado pernambucano Bruno Araújo teria concluído que não seria bom neste momento para ele presidir o PSDB em nível nacional, mas uma fonte checada em Brasília garante que não é isso o que ele tem manifestado aos tucanos. A sua eleição para presidência da executiva nacional está marcada para o próximo dia 31. Seu padrinho é Dória.

Mosca azul – O ex-prefeito de Limoeiro, José Xavier Quirino, pai da primeira-dama do Recife, Cristina Melo, voltou a ser picado pela mosca azul. Ele governou o município entre os anos de 89 a 92, virando uma referência de gestor no Estado. A grande nova é que ele está sendo incentivado – e gostando – para disputar a sucessão de Joãozinho em 2020.

Mau gerente – Por falar em Limoeiro, o prefeito apontou, ontem, a metralhadora em direção ao gerente da Compesa no município, Amaury Olímpio dos Santos. “Como em toda gestão pública, tem gente que atrapalha mais do que ajuda e quem paga o preço é a cidade”, diz.

PSB VAI – A bancada pernambucana do PSB na Câmara Federal pensou, inicialmente, em não comparecer ao café da manhã que o presidente Bolsonaro oferece hoje à bancada do Nordeste. Mas depois os deputados se convenceram em ir. Nenhum vai faltar nem mesmo Tadeu Alencar e Danilo Cabral, que assumem postura mais hostil contra o Governo no Congresso.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bolsonaro não sabe governar. POR MÍRIAM LEITÃO22/05/2019 04:30 Durante os anos em que foi parlamentar, Jair Bolsonaro não presidiu comissão, não relatou qualquer projeto, nunca liderou grupo algum. Ele não se interessava pelas matérias que passavam por lá, concentrando-se em questões do seu nicho. Sua preocupação era apenas a defesa dos interesses da corporação dos militares e policiais. Afora isso, ofendia colegas que considerasse de esquerda e dava declarações espetaculosas para ocupar espaço no noticiário. Com esse currículo ele chegou à Presidência. Hoje, não entende nem os projetos que envia ao Congresso, como se vê diariamente nas declarações que faz.

marcos

Sai o mito entra o General. kkkkkkk

Fernandes

A coisa chegou a tal ponto que a Janaína Paschoal, tá dizendo que o bolsonaro é louco.

Fernandes

Bolsonaro traiu o Brasil e a si mesmo!

Fernandes

Bozo mente como um delinquente juvenil. Debocha e dá gargalhadas, menosprezando as pessoas. Típico de um ser doentio e repugnante.


Congresso Nordestino de Educação Médica

22/05


2019

Crise: Bezerra Coelho para unir governo e Congresso

Sem pontes com presidente da Câmara, governo aposta em líder no Senado, do MDB, para articulação

Daniela Lima – Painel – Folha de S.Paulo

Queimadas todas as pontes institucionais com a cúpula do Congresso, dirigentes de partidos foram avisados de que a Casa Civil vai tentar impulsionar as negociações com as bancadas por meio do líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE).

A proposta foi recebida com ceticismo. Acordos firmados pelo Planalto com os presidentes das duas Casas não foram honrados e a sensação, hoje, é a de que o “governo não tem palavra” e vai sempre ceder à ala que desdenha da política.

A nova tentativa da Casa Civil de aproximar o governo do Parlamento integra esforço para evitar que os altos e baixos da relação do presidente Jair Bolsonaro com o Congresso fira de morte a reforma da Previdência.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/05


2019

Articulação é derrubar líder e botar Joice no lugar

Defensores da retirada de Major Vitor Hugo da liderança de governo na Câmara esperam que o rompimento com Rodrigo Maia seja o empurrão que faltava para convencer o presidente Jair Bolsonaro. O grupo torce para Joice Hasselmann (PSL-SP) assumir o posto e, no lugar dela na liderança do Congresso, ser nomeado o deputado Claudio Cajado (PP-BA), que não tem apoio do partido.

Empoderado - Além de anunciar o rompimento com Vitor Hugo, Rodrigo Maia disse no colégio de líderes que o Congresso derrubará todas as matérias do governo que exorbitarem suas prerrogativas. O contexto era decreto das armas(Coluna do Estadão)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/05


2019

Partidos articulam carta para negar fisiologismo

Coluna do Estadão - Álvaro Bombig

Paulinho da Força (SD-SP) articula com outros presidentes de partidos uma “carta à população” para negar interesse em cargos e ministérios de Jair Bolsonaro.

Seria uma reação ao texto compartilhado pelo presidente dizendo que o Brasil é ingovernável sem conchavos. O teor ainda não foi definido, mas outros dirigentes devem endossá-lo.

Na mesma direção, Rodrigo Maia avisou aos colegas que vai tirar da MP da Esplanada a divisão do Desenvolvimento Regional em duas pastas. Se Bolsonaro quiser, terá de mandar outra medida, com sua digital.

O plano é aprovar a MP 870 sem os Ministérios da Integração Nacional e das Cidades. Deputados não querem apanhar sozinhos nas manifestações do dia 26 por algo acertado com o governo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

ArcoVerde

22/05


2019

Ex-mulher de Bolsonaro tenta se aposentar aos 59 anos

Antes da reforma

Anselmo Goes -O Globo - Nelson Lima Neto

Rogéria Nantes Bolsonaro, ex-esposa do presidente e mãe do trio Flávio, Carlos e Eduardo, parece preocupada com a reforma da Previdência. Ela está tentando se aposentar, aos 59 anos e 19 dias de idade.

Com a intenção do ex-marido de mudar as regras de aposentadoria dos brasileiros, Rogéria está requisitando as declarações de tempo de serviço para dar entrada no pedido, no INSS. Uma das solicitações foi feita à Prefeitura do Rio (veja no blog), para comprovar os sete anos em que trabalhou como comissionada, de janeiro de 2009 a agosto de 2016.

O pedido de Rogéria para declaração do tempo de contribuição foi feito em 27 de fevereiro deste ano. Seus dados foram liberados no fim de março e estão à disposição da ex-comissionada.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Asfaltos

22/05


2019

Manifestação racha empresários pró-Bolsonaro

Uma parte diz que elas são loucura. Já Luciano Hang está convocando as pessoas para os protestos

Mônica Bergamo – Folha de S.Paulo

As manifestações convocadas para o domingo (26) racharam os empresários da linha de frente do bolsonarismo. Uma parte diz que elas são loucura. Já Luciano Hang, do grupo Havan, está convocando as pessoas para os protestos.

 “Empresários ficam em cima do muro, atrás do muro, atrás da moita. Eu não sou assim”, diz ele. 

Hang, no entanto, afirma que só decidiu aderir às manifestações depois que elas começaram a ter “foco”: a reforma da Previdência.

 “As manifestações não têm que ser ‘fora’ ninguém”, diz ele, referindo-se a grupos que pregam o impeachment de ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) e até o fechamento do Congresso.

 “Não é a hora de brigarmos e sim de pedirmos, até implorarmos, pela aprovação da reforma”, afirma o empresário, que esteve recentemente com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O governo aguarda com ansiedade os protestos. A ala moderada acredita que uma multidão nas ruas pedindo o fechamento do Congresso, por exemplo, pode elevar a tensão política.

Mas o contrário seria até pior: um fracasso de público revelaria debilidade de Bolsonaro.

SANTOS CRUZ

O general Santos Cruz, da Secretaria de Governo, por exemplo, acredita que essa pode não ser a melhor hora para manifestações.

Ele conversou sobre o assunto na terça (21) com o deputado Marco Feliciano (Pode-SP). 

“Eu disse que discordo. A base do Bolsonaro vai às ruas para mostrar a força dele”, diz Feliciano.

O parlamentar tinha feito críticas ácidas ao general há algumas semanas, quando Santos Cruz estava sob o bombardeio de Olavo de Carvalho, guru de Bolsonaro. Ontem, fumaram o cachimbo da paz e até oraram juntos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/05


2019

Moro quer encontrar bancada evangélica

Nesta terça (21), depois de encontrar Santos Cruz (Secretaria de Governo), Marcos Feliciano (PodeSP) foi a Sergio Moro (Justiça) e disse que cerca de 80% da bancada evangélica apoia a manutenção do Coaf sob o guarda-chuva do ministro.

Moro aproveitou para pedir um encontro com os evangélicos.

Quer apoio ao projeto anticrime.

Enquanto isso, a líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann, divulgou mensagem nas redes sociais nas quais nega ter dito que as manifestações deste domingo (26) seriam “um tiro no pé”.

A íntegra da frase enviada por Joice ao Painel no domingo (19) é a seguinte: “Acho que essas manifestações são um tiro no pé. Não farei parte disso. O presidente precisa de aliados para governar. Sem aliados não temos chance de mudar o Brasil”. (Daniela Lima - FSP)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

bm4 Marketing 4