FMO janeiro 2020

15/08


2020

Paulista volta a distribuir cestas básicas para alunos

Por meio da Secretaria Municipal de Educação, a Prefeitura do Paulista retomou, hoje, a entrega dos "kits merenda" no formato de cestas básicas aos alunos matriculados na rede pública de ensino. As primeiras unidades contempladas na redistribuição foram as creches Irmã Linda e Costa Azul, ambas localizadas no bairro de Pau Amarelo.

Além dos itens da cesta básica, os kits merenda que estão sendo entregues contam com carnes, produtos da agricultura familiar e suplementos nutricionais para as crianças com até cinco anos de idade. Os alunos contemplados também estão recebendo os blocos de atividades pedagógicas para dar continuidade ao aprendizado e manter o vínculo com a escola mesmo fora da sala de aula. 

“Com as aulas suspensas, não pode haver descontinuidade nas merendas. Estávamos, conforme as recomendações do FNDE e do Ministério Público, garantindo a alimentação dos nossos alunos com a distribuição das cestas. Infelizmente houve uma interrupção de 15 dias, período em que o governo provisório esteve à frente do município, mas hoje estamos retomando a distribuição”, afirma Carlos Junior, secretário de Educação do Paulista.

A analista de RH Cirlene Gomes, 37, é mãe de um aluno contemplado com a cesta básica e avalia a retomada da distribuição de merenda em Paulista. “É uma contribuição muito importante que está vindo da Prefeitura. Há muitos pais e mães que estão desempregados neste momento: vários perderam o emprego por causa da pandemia. Então, os alimentos dão uma tranquilidade a mais para a gente atravessar esse momento difícil”, comenta

Segundo a Secretaria Municipal de Educação, a terceira fase da distribuição de alimentos deveria ter sido concluída no final de julho.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Potencial Pesquisa & Informação

15/08


2020

Governo de PE sinaliza devolução da BR-232 à União

A secretária de Infraestrutura e Recursos Hídricos de Pernambuco, Fernandha Batista, deu indícios de que o governo estadual quer passar toda a responsabilidade de gerir a BR-232 (trecho Recife-São Caetano) para a União e, assim, encerrar o convênio. A sinalização ocorreu durante entrevista concedida a uma emissora de rádio na cidade de Cupira.

A declaração contradiz a versão apresentada à Justiça, esta semana, pelo procurador do Estado, Renato Vasconcelos Maia, em uma ação movida pelo deputado federal Fernando Rodolfo (PL), que defende essa bandeira desde 2018, mesmo antes de assumir o mandato em Brasília.

A BR-232 tem apresentado diversas falhas, com a formação de grandes buracos. Fernandha Batista chegou a declarar que participou de uma reunião com o governador Paulo Câmara (PSB) e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, no final do ano passado. Na ocasião, Câmara teria admitido que não tem condições de seguir gerindo a rodovia. “Como sabemos, 61% da arrecadação tributária fica em Brasília. Então, o orçamento do Dnit é bem maior do que dos órgãos estaduais, a exemplo do DER. A BR-232 requer um investimento de mais de R$ 200 milhões. Isso é uma obrigação do governo federal”, disse a secretária.

Ainda de acordo com ela, o governo federal estuda a possibilidade de fazer a concessão de algumas rodovias à iniciativa privada, entre as quais estaria a BR-232. “Nada mais justo do que antecipar o encerramento do convênio para que o governo federal modele os investimentos que a rodovia precisa. Nossa obrigação é recuperar as rodovias estaduais”, enfatizou.

Quando perguntada sobre o abandono do principal eixo rodoviário de Pernambuco, a secretária de Infraestrutura e Recursos Hídricos falou: “A rodovia precisa ser reconstruída. Só a manutenção não dá mais, por isso é importante que o governo federal assuma e traga a melhoria que ela precisa. Essa intenção já foi comunicada ao ministro."

ENTENDA O CASO - Em ação popular movida na Justiça Federal, o deputado Fernando Rodolfo pede que a rodovia passe a ser gerida exclusivamente pela União, alegando abandono. Em resposta, o procurador Renato Vasconcelos Maia afirmou, por meio de ofício, que o governo de Pernambuco não quer devolver a rodovia, que está sendo alvo de melhorias substanciais ao longo dos últimos anos.

Vasconcelos disse, ainda, que a afirmação de Fernando Rodolfo é um “mero inconformismo individual”. O parlamentar rebateu, dizendo: “Só pode ser uma brincadeira desse representante de Paulo Câmara, ou então faz muito tempo que ele viajou para o interior”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

15/08


2020

Procon atesta funcionamento regular da FMO

Houldine Nascimento, da equipe do blog

Em visita à Faculdade de Medicina de Olinda (FMO), ontem, uma equipe do Procon Pernambuco atestou que a instituição de ensino superior tem cumprido todas as determinações das autoridades sanitárias. No documento, o órgão também afirma que não constatou nenhuma irregularidade na inspeção.

No Decreto nº 49.307, publicado ontem, o governador Paulo Câmara também autorizou a realização de aulas práticas presenciais em universidades, centros universitários, institutos federais e faculdades no Estado. O parágrafo 6º do artigo 18 dispõe sobre o tema: "Fica permitido nas instituições de ensino superior situadas no Estado de Pernambuco a realização de aulas práticas e de práticas de estágio curricular presenciais." 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

15/08


2020

Feitosa quer Medalha Gilberto Freyre para Onildo

Houldine Nascimento, da equipe do blog

O deputado Alberto Feitosa (PSC) se sensibilizou com artigo do titular deste blog, transformado em editorial no programa Frente a Frente, ontem, em homenagem aos 92 anos do compositor Onildo Almeida – autor de “A Feira de Caruaru” e de tantas outras lindas canções imortalizadas na voz de Luiz Gonzaga – e vai propor a Medalha Leão do Norte - Mérito Cultural Gilberto Freyre para o artista caruaruense.

A honraria é concedida pela Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) a pessoas físicas ou jurídicas que tenham se destacado em defesa dos direitos humanos no Estado. Bem de saúde, Onildo é um verdadeiro patrimônio da cultura brasileira: possui mais de 530 músicas escritas e gravadas por vários artistas, 21 delas pelo Rei do Baião.

Feitosa também fez um requerimento para que o texto “O filho que imortalizou a sua Caruaru”, de Magno Martins, seja transcrito nos anais da Alepe, além de servir de base para solicitar a Medalha Leão do Norte. É muito significativo reverenciar em vida pessoas que contribuíram para a nossa formação cultural.

Hoje, Caruaru conta com três deputados na Assembleia Legislativa: José Queiroz (PDT), Tony Gel (MDB) e Erick Lessa (PP). No entanto, nenhum deles tomou a iniciativa de prestigiar Onildo Almeida. Foi necessário um parlamentar recifense para reconhecer o talento deste grande artista.

Se você ainda não viu, pode conferir o editorial do Frente a Frente dedicado a Onildo ao clicar neste link.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/08


2020

Em PE, governo divulga queda de 50% em feminicídios

O governo de Pernambuco anunciou, hoje, uma queda de 50% nos feminicídios - quando a mulher é morta pela condição de gênero. Em julho de 2020, houve três casos, contra seis no mesmo mês do ano passado. Os estupros também tiveram um declínio significativo nos registros: -40,18%, passando de 219 queixas, em julho do ano passado, contra 131 no mês passado. As denúncias de violência doméstica também mantiveram a tendência de queda, mas de forma menos acentuada. A redução de 3,65% representa 118 queixas a menos, na confrontação dos dois julhos (3.231, em 2019, caindo para 3.113, em 2020).

“Estamos trabalhando de forma redobrada na pandemia e a rede de proteção à mulher está em alerta. Fizemos campanhas de incentivo às denúncias, intensificamos acompanhamentos às vítimas, solicitações de medidas protetivas e celeridade às investigações. As forças de segurança tinham em seu planejamento a possibilidade de o isolamento social favorecer a violência contra a mulher. Redirecionamos esforços para aumentar a prevenção e a repressão, mas não podemos comemorar. Sabemos que há ainda subnotificação, especialmente quando falamos de crimes cometidos por pessoas muito próximas, muitas vezes dentro dos lares, e é preciso denunciar, ter amigos, parentes e vizinhos vigilantes contra os agressores”, adverte a gestora do Departamento de Polícia da Mulher (DPMUL), delegada Julieta Japiassu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/08


2020

Mendes restaura prisão domiciliar para Queiroz

BBC News

Em mais uma reviravolta do caso, o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes decidiu ontem conceder prisão domiciliar para Fabricio Queiroz, amigo do presidente Jair Bolsonaro e ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro.

Tanto a defesa do primogênito do presidente quanto a de seu ex-assessor contestaram em todas as instâncias judiciais diversos pontos da investigação que apura suspeitas de um esquema criminoso de "rachadinha" gerido por Queiroz no gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa fluminense. Ambas negam irregularidades.

Desta vez, Gilmar decidiu temporariamente não manter Queiroz preso em uma cela, no capítulo mais recente de um imbróglio que se arrasta desde junho, quando o ex-assessor foi preso vivendo escondido em um sítio de um advogado da família Bolsonaro, em Atibaia (SP).

A concessão do habeas corpus pelo ministro do STF suspendeu, por ora, os efeitos de uma decisão do ministro STJ (Superior Tribunal de Justiça) Felix Fischer. Este havia decidido que o ex-assessor dos Bolsonaros deveria voltar para o presídio, e não ficar em prisão domiciliar, como foi concedido a Queiroz durante um plantão judicial.

Para Fischer, Queiroz e a mulher "supostamente já articulavam e trabalhavam arduamente, em todas as frentes, para impedir a produção de provas e/ou realizar a adulteração/destruição destas".

A decisão de Gilmar acerca da prisão domiciliar também vale para a mulher de Queiroz, Márcia Aguiar, que esteve foragida da Justiça até o benefício da prisão domiciliar e também iria para uma cela.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/08


2020

O neto do seu Djalma

Marcelo Tognozzi

Quem entra na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, pode conferir, entre as fotos dos ex-presidentes, o retrato de um homem que transmite enorme sensação de serenidade. O dono daquele rosto tinha uma marca: nunca abrir mão das suas convicções.

O potiguar Djalma Marinho teve um mandato suspenso na época do Estado Novo, era conservador, udenista, apoiou o golpe de 1964 e se elegeu pela Arena. Advogado brilhante, seu lema era a Constituição acima de todos.

Elegante, culto e educado, presidia a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) em 1968, quando o governo decidiu processar o deputado Marcio Moreira Alves por um discurso considerado ofensivo às forças armadas. Entrou no Palácio do Planalto dias antes do AI-5. Com firmeza e tranquilidade explicou ao presidente general Costa e Silva porque a Câmara negaria autorização para processar Moreira Alves: “A Constituição permite que a tribuna seja livre, presidente. O deputado pode se demasiar no discurso. O que a Câmara está defendendo é a liberdade da tribuna, não os dizeres do deputado”.

Costa e Silva ouviu, resmungou e dispensou Marinho. Quando a situação ficou insustentável, ele renunciou à presidência da CCJ recitando a máxima do dramaturgo espanhol Calderón de La Barca: “Ao rei tudo, menos a honra”.

Sertanejo euclidiano, doutor em sobrevivência, era antes de tudo um resiliente. Voltaria à Câmara reeleito em 1970 pela Arena. Derrotado em 1974 na disputa para o Senado, voltou ao Congresso em 1978 defendendo a anistia, tornada realidade no ano seguinte. Defendeu a legalização do Partido Comunista, por entender ser a convivência e a tolerância pilares da democracia.

Djalma Marinho morreu cedo, 73 anos, no dia 26 de dezembro de 1981. Ainda não tinha herdeiro político.

Seu neto Rogério era um garoto de 18 anos naquela véspera da primeira eleição de governador desde o fechamento do regime no fim dos anos 1960. Sua vida de político não foi fácil. Concorreu a vereador pela primeira vez em 1994 filiado ao PSB. Chegou a assumir uma cadeira como suplente, mas somente 10 anos depois conseguiu votos para entrar na Câmara de Natal como titular. Daí para frente sua carreira política deslanchou. Em 2006 foi eleito deputado federal, se destacando como relator de propostas importantes tanto na economia quanto na educação.

Terminou a primeira década dos anos 2000 como um player relevante na política do Rio Grande do Norte e respeitado pelas suas habilidades como articulador e economista. Em 2009 trocou o PSB pelo PSDB e perdeu a eleição em 2018. Teve 60 mil votos.

Rogério é incansável, obcecado e resiliente como o avô. Chegou no governo Bolsonaro como secretário de Previdência e Trabalho, pasta abrigada no guarda-chuva de Paulo Guedes reunindo as atribuições do antigo Ministério do Trabalho.

Com uma ampla base de apoio no setor de comércio e serviços, Marinho foi discreto e eficiente. Um ano depois era ministro do Desenvolvimento Regional. Nos últimos dias marcados por debandadas no Ministério da Economia, ele tem sido citado, elogiado e intrigado como opositor da política de Paulo Guedes.

O que separa Guedes de Marinho são suas origens. O primeiro saiu da Zona Norte para a Zona Sul do Rio. O segundo, do Nordeste para Brasília. Guedes é um refinado economista da escola de Chicago, um scholar rico sem intimidade com o improviso e, como bom operador do mercado financeiro, amante da previsibilidade. Marinho é um artesão do inesperado, crescido e sovado no vai e vem das incertezas da política, onde a palavra acaba tendo mais valor que os contratos –o jogo jogado do saudoso Luís Eduardo Magalhães.

O presidente Bolsonaro quer a reeleição. A pandemia –ou o imponderável– deu a ele uma base no Nordeste e entre os eleitores mais pobres, 67 milhões de brasileiros recebedores do auxílio emergencial de R$ 600. Quando o ministro Onyx Lorenzoni começou a trabalhar nisso, o cadastro único tinha 75 milhões de pessoas, 15 milhões delas não possuíam CPF e um sem número de outras eram vítimas de falsários, como o caso de um contribuinte milionário que um dia viu um depósito de R$ 600 na sua conta, não tinha a menor ideia do que era aquilo e chamou a polícia.

Hoje, o governo tem um cadastro que acima de tudo é um patrimônio, uma riqueza em informações sobre os brasileiros das classes C, D e E. Trouxe a maior parte deles para o sistema bancário e o banco virtual da Caixa, agora com 50 milhões correntistas, muitos deles invisíveis seis meses atrás. Sem estes 67 milhões de brasileiros a reeleição não tem lastro nem fôlego.

Para Bolsonaro a austeridade fiscal de Guedes é o pijama da aposentadoria de ex-presidente. Por isso os olhinhos do presidente brilham quando ouve Rogério Marinho falar em injetar dinheiro público para movimentar a economia, como fez Roosevelt no New Deal, política transformada em teoria econômica por John Maynard Keynes.

A batalha que saiu dos bastidores para a mídia está apenas começando. Seu desfecho dependerá de múltiplos fatores, a maioria deles por enquanto mais favoráveis a Marinho do que a Guedes, a começar pela aproximação do Planalto com o Centrão e a necessidade de sobrevivência política da maioria –incluindo o clã Bolsonaro– vinculada à retomada do emprego, da geração de renda e do giro da economia.

Embora Bolsonaro tenha enorme apreço por Paulo Guedes, é suficientemente pragmático na hora de se despedir dos auxiliares como aconteceu com Sergio Moro. Rogério, herdeiro de Djalma, aprendeu a fazer política sem ódio e a entender o homem comum, o invisível que ganhou um CPF e os R$ 600 do governo. São coisas que o sujeito traz no DNA.

Derrotado por Nelson Marchezan na disputa pela presidência da Câmara em 1980, os adversários do veterano potiguar vieram até ele: “Deputado, não guarde mágoa”. E Djalma Marinho, sereníssimo: “Eu não consigo guardar nem dinheiro”…

*Jornalista. Artigo publicado originalmente no Poder360.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


15/08


2020

Coluna do sabadão

Bolsonaro pode ser reeleito

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) atingiu sua melhor avaliação desde o início do mandato, segundo pesquisa Datafolha divulgada, ontem, pelo jornal "Folha de S. Paulo". A pesquisa indica alta no número de eleitores que consideram o governo ótimo ou bom (aprovação ao governo) e queda entre os que veem o governo como ruim ou péssimo (reprovação). Os percentuais da pesquisa são: Ótimo/bom: 37%; Regular 27%, Ruim/péssimo: 34%; Não sabe/não respondeu: 1%. A pesquisa Datafolha foi realizada em 11 e 12 de agosto, com 2.065 brasileiros adultos que possuem telefone celular em todas as regiões e estados do País. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

O diretor geral do Datafolha, Mauro Paulino, disse que o programa de auxílio emergencial teve impacto na aprovação de Bolsonaro. "Com a economia em crise, o auxílio emergencial torna-se necessidade básica para os mais pobres. Diretamente identificado [o auxílio] como um feito do governo Bolsonaro, pode virar marca negativa quando o valor diminuir ou deixar de existir", afirmou, para completar: “Qualquer mudança de humor nessa faixa de renda mais baixa tem forte reflexo na avaliação presidencial pelo peso relativo que possui. Hoje, mais da metade dos brasileiros têm renda familiar mensal abaixo de dois salários mínimos".

A proporção de brasileiros que desaprovam o atual governo caiu de 44% para 34% de uma pesquisa a outra. Os percentuais indicam que há empate técnico entre os grupos que aprovam e desaprovam Bolsonaro, dentro da margem de erro de dois pontos percentuais. Tanto a aprovação recorde de Bolsonaro quanto o empate entre os dois grupos já haviam sido apontados pelo PoderData, site do jornalista Fernando Rodrigues.

A divisão de estudos estatísticos do Poder360, que monitora a avaliação do trabalho do presidente e outras questões de interesse público a cada 15 dias, mostra que 45% aprovam e 45% desaprovam o governo. A pesquisa Datafolha foi realizada por telefone, com 2.065 pessoas. O último levantamento PoderData, feito de 3 a 5 de agosto, ouviu 2.500 brasileiros, também por telefone. Leia mais sobre as metodologias adotadas no fim deste texto.

Tanto o Datafolha quanto o Poder360 apontam um quadro que já comentei aqui: governo bem avaliado é aquele que distribui renda com o povão. Lula foi reeleito em consequência do Bolsa Família e graças ao poder de distribuição de renda desse programa elegeu e reelegeu Dilma, que parecia um poste. Se Bolsonaro continuar ajudando o povo com programas sociais não há quem impeça a sua reeleição, mesmo que, eventualmente, sua língua incontrolável venha, supostamente, a prejudicá-lo.

Redução da energia – O governo deve editar nos próximos dias uma nova medida provisória (MP) para o setor elétrico. Mais ampla que a MP 950, que isentou famílias de baixa renda do pagamento da conta de luz durante a pandemia de covid-19 e que perdeu a validade na semana passada, a proposta visa a direcionar recursos para abater aumentos nas tarifas e reduzir o custo da energia de consumidores do Norte e Nordeste. O jornal Estado de São Paulo apurou que o texto deve direcionar recursos pagos pelas distribuidoras, transmissoras e geradoras que iriam para programas de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) e Eficiência Energética para abater as tarifas de energia do consumidor. O volume é estimado em R$ 3 bilhões a R$ 4 bilhões e será aplicado no fundo setorial Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), que banca incentivos e políticas públicas, desde descontos para clientes de baixa renda até o programa federal de universalização Luz Para Todos.

Gosto ruim – O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), disse, ontem, que é inconstitucional a estratégia do Governo de usar uma Medida Provisória (MP) para abrir crédito extraordinário de cerca de R$ 5 bilhões para custear obras de infraestrutura. Nesse caso o crédito deveria ser classificado como ordinário, não extraordinário. Segundo ele, há entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) para barrar o uso desse instrumento para despesas que não se encaixam no quesito de imprevisibilidade. Se a ampliação dos gastos em infraestrutura neste momento de pandemia for uma decisão de governo, de acordo com Maia, é preciso mandar um projeto de lei, não uma MP, para refazer a distribuição dos recursos dentro do próprio Orçamento.

Sem volta – O senador Major Olímpio (PSL-SP) rebateu, ontem, a declaração do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre possível retorno ao PSL. “Se a maioria tiver vergonha na cara, não aceita. Se o PSL quiser mesmo lutar contra a corrupção, não é com Bolsonaro”, afirmou o congressista em seu Twitter. Na publicação, o senador também incluiu o primeiro vídeo com vários trechos de entrevistas concedidas por Jair Bolsonaro. Em uma delas, o presidente nega que daria cargos ao bloco do Centrão em troca de apoio político. Nesta semana, o governo anunciou o deputado Ricardo Barros (PP-PR) como novo líder na Câmara. O PP é um dos partidos que compõem o grupo.

Prefeitos rejeitados – Uma lista com nomes de 1.146 prefeitos e gestores públicos que tiveram contas rejeitadas foi entregue ao Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE), ontem, pelo Tribunal de Contas do Estado. Esta relação tem, ao todo, 1.148 contas consideradas irregulares, nos últimos oito anos. Uma prefeitura, segundo o TCE, pode ter mais de uma rejeição. De acordo com o TCE, isso deverá ajudar os juízes eleitorais a definir os candidatos que vão ficar inelegíveis nas próximas eleições, com base na Lei da Ficha Limpa. A relação também pode ajudar o eleitor na escolha dos futuros gestores e parlamentares, no momento do voto.

CURTAS

OPERAÇÃO IMPACTO – Dezenove pessoas foram presas na Região Metropolitana do Recife, na última quinta-feira, durante a Operação Impacto VI, deflagrada pela Polícia Civil. Os suspeitos foram presos por diversos crimes. Houve 11 prisões em flagrante, sendo dez por tráfico de drogas e uma prisão por tentativa de roubo, além do cumprimento de oito mandados de prisão, sendo quatro por crimes violentos contra o Patrimônio, como roubos; um por homicídio; um por violência doméstica; um por estupro de vulnerável e um por ameaça e descumprimento à Lei Maria da Penha. Foram apreendidos dois quilos de maconha e 155 pacotes contendo o mesmo tipo de droga, 60 pedras de crack, dez pacotes com cocaína, 84 porções de oxi. Os policiais também apreenderam duas máquinas de prensar maconha e uma balança de precisão.

PROTESTO – Barraqueiros que trabalham na orla de Boa Viagem realizaram, ontem, um protesto pedindo a reabertura do comércio nas praias.  A manifestação aconteceu na Avenida Boa Viagem, que teve um trecho bloqueado pelo grupo e o trânsito ficou complicado. Parados há cinco meses devido ao decreto estadual que suspendeu as atividades comerciais nas praias como medida de prevenção à pandemia da Covid-19, os manifestantes alegam que estão sem renda e passando dificuldades. Os barraqueiros já haviam feito um protesto pela retomada das atividades no dia 4 de agosto.

Perguntar não ofende: Se ampliar os programas sociais, Bolsonaro ganha a eleição no primeiro turno?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Qual foi o político mais Ladrão e Corrupto que passou pela Presidência do Brasil?.......... Lula........... Acertou Mizeravi. Kkkk kkkk

Fernandes

Deus liberte o Brasil dessa família Bolsonaro de todos esses bandidos milicianos, e todos vermes e vírus. Amém!

Fernandes

Bom dia povo de Deus, só lembrando que Bozo além de Ladrão, Corrupto, Miliciano e Genocida e Côrno, está sempre com o Hélio Negão ao seu lado, porque será?

Fernandes

Mas que Bozo é Ladrão Miliciano, Corrupto e Genocida o mundo inteiro já sabe. Chupa ai turma da Direitopatas.

marcos

Jair Bolsonaro será reeleito no Primeiro Turno, afirma Folha de São Paulo. Chupa aí turma da Canhota. Kkkk



14/08


2020

Ex-servidora denuncia rachadinha em Joaquim Nabuco

Houldine Nascimento, da equipe do blog

Uma ex-funcionária da Prefeitura de Joaquim Nabuco, na Mata Sul pernambucana, protocolou uma denúncia na Câmara de Vereadores contra a administração municipal, na última quarta-feira (12). A enfermeira Jhenyffe Carolyne da Silva Castro acusa o prefeito Neto Barreto (PTB) de implantar um esquema de “rachadinha”.

O caso veio a público por meio do vereador Fred Malaquias (PROS), que leu a denúncia em sessão plenária. Com vencimento base de R$ 2,4 mil e adicional de R$ 231,08, o salário de Jhenyffe totalizava R$ 2.631,08. Ela conta que a situação mudou a partir de março de 2019, quando passou a ter uma gratificação de R$ 2,4 mil e que foi forçada a repassar os valores a um servidor a mando do prefeito.

“Fui informada pelo Departamento Pessoal da Prefeitura, na pessoa do servidor Wanderson Eugênio Cabral da Silva, que, por ordem do prefeito, Senhor Antonio Raimundo Barreto Neto, passaria a ter uma gratificação de 100% sobre os meus vencimentos e que esse adicional deveria ser devolvido ao mesmo servidor para que fosse entregue ao prefeito”, declarou Jhenyffe por escrito.

Ainda segundo a denunciante, a prática seguiu durante vários meses, o que a incomodou. “Procurei o servidor Wanderson para dizer-lhe que não colocasse mais as referidas gratificações. Para minha surpresa, recebi uma ligação do prefeito para que pudesse falar com ele pessoalmente. Ao chegar, o prefeito foi logo dizendo que, se eu não concordasse com a situação exposta, tinha quem concordasse. Eu me recusei a continuar com isso e fui demitida”, detalhou.

A ex-funcionária de Joaquim Nabuco também afirmou que há outras servidoras envolvidas no esquema de “rachadinha” e citou nomes. Jhenyffe Carolyne alertou, ainda, que as folhas de pagamento não são atualizadas desde 2017 no portal da transparência da Prefeitura. “Por estar inconformada com esta imoralidade e improbidade administrativa, apresento esta denúncia, requerendo a adoção de medidas que visem à apuração dos fatos”, prosseguiu.

No documento, a ex-servidora anexou cópias de contracheques e informou que a denúncia foi entregue ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE), Tribunal de Contas do Estado (TCE), Justiça Federal e ao Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (Draco).

Segundo o vereador Fred Malaquias, outras suspeitas pairam sobre a atual gestão em Joaquim Nabuco. "Como fiscalizador, tenho o dever de apurar com prudência o fato narrado pela denunciante. Tenho certeza que os colegas vereadores, com muita cautela e imparcialidade, também cumprirão com excelência o seu papel de legisladores. Joaquim Nabuco está vivendo uma situação difícil em diversos setores, com muitas denúncias para serem apuradas. No momento que estamos vivendo, com um sistema de saúde tão precário na cidade, uma denúncia dessas requer muita atenção, principalmente por se tratar de profissionais da saúde".

Diante da acusação, a Câmara de Vereadores de Joaquim Nabuco se comprometeu a marcar a ouvida da denunciante.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha