Faculdade de Medicina de Olinda 2

09/10


2006

Imprensa internacional destaca debate na Band

Jornais da Argentina, Espanha e França destacaram a dureza e a agressividade no primeiro debate entre os candidatos à Presidência do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, que disputa a reeleição pelo PT, e Geraldo Alckmin, concorrente tucano.

Segundo o argentino ''Clarín'', foi um debate duríssimo que não poupou envolvidos em escândalos de corrupção tanto do lado de Lula como de Alckmin. O jornal destacou que Alckmin começou o debate perguntando a Lula sobre a origem dos R$ 1,7 milhões apreendidos pela Polícia Federal com membros do PT em um hotel paulistano no mês passado que seriam usados na suposta compra de um dossiê contra candidatos tucanos.

O ''Clarín'' também destacou a resposta de Lula; de que o importante da ética é castigar os corruptos e não ocultá-los como fez o PSDB. Para o jornal, o tom do debate foi de ataques por parte dos dois candidatos. Para o jornal, Alckmin adotou um tom agressivo ''muito pouco freqüente na sociedade brasileira ao colocar-se no limite do respeito ao presidente ao tratar Lula como mentiroso por várias vezes.'' Segundo o ''Clarín'', Alckmin errou ao não perceber que seria atacado por onde menos esperava, os escândalos de corrupção e o programa de privatizações ocorridos durante o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, e perdeu forças ao colocar-se na defensiva enquanto Lula crescia ao se mostrar mais tranqüilo.

O também argentino ''La Nacion'' afirma que o debate foi tenso e carregado de acusações mútuas. Segundo o ''La Nacion'', Alckmin adotou um tom duro e explorou os escândalos de corrupção no governo de seu adversário, principalmente o do dossiê. O jornal também destacou as acusações de Lula que, em um eventual novo governo do PSDB, haverá novas privatizações.

Para o espanhol ''El País'', Lula e Alckmin lavaram a roupa suja da política brasileira dos últimos anos no debate de ontem, que foi marcado por acusações dos dois lados. O periódico espanhol disse que Lula foi encurralado por Alckmin em relação aos escândalos de corrupção ocorridos desde o ano passado. O jornal espanhol também destacou o endurecimento do tom adotado pelo dois candidatos ao longo do debate e a troca de acusações de corrupção tanto pelo tucano como pelo petista.

O também espanhol ''El Mundo'' destacou o tom de embate adotado pelos presidenciáveis brasileiros no debate de ontem. Para o jornal, a troca de acusações entre Lula e Alckmin foi a tônica geral e a exploração dos escândalos de corrupção, principalmente da crise do dossiê.

O jornal destacou as questões abordadas por Alckmin sobre o dossiê contra candidatos tucanos e as acusações de Lula de que alguns dos escândalos de corrupção ocorridos em seu governo teriam começado durante a gestão de seu antecessor, FHC.

Para o jornal francês ''Le Monde'', o tom da campanha eleitoral para o segundo turno foi definido pelo debate de ontem e será bastante agressivo. De acordo com o jornal francês, o debate foi dominado pelos ataques aos escândalos de corrupção ocorridos durante o governo de Lula e pelo tom agressivo de Alckmin, que, para o jornal, surpreendeu o presidente. O jornal também destacou que a defesa de Lula foi dizer que foi traído, não sabia ou que a ética consiste em punir. As informações são da Folha Online.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Severino Isidoro Fernandes Guedes

Lula continuará mais quatro anos no governo por um motivo muito simplles: a sua oposição não empolga e nem inspira confiança a ninguém. E isso joga a favor do petista.

Francisco Filho

INDEPENDENTEMENTE DO QUE ACHA A IMPRENSA INTERNACIONAL, DEBATER PROPOSTAS COM LULA SEM COMENTAR SEUS MUITOS DESLIZES, SE É QUE PODEMOS CHAMAR ASSIM O MAR DE LAMA, É PERDA DE TEMPO. PROBLEMAS NOSSOS, NÓS RESOLVEMOS. SE ERRAMOS EM COLOCAR LULA NO PLANALTO, CHEGOU A HORA DE NOS REDIMIRMOS.


Detran

09/10


2006

O adeus a dom Francisco, o Profeta do Sertão

Uma multidão emocionada, que entoava uma canção cujo refrão dizia ''Quanta a saudade ele deixou entre nós'', deu, hoje, em Afogados da Ingazeira, a 386 km do Recife, o último adeus ao bispo emérito do Pajeú, dom Francisco Mesquita, conhecido como ''O profeta do Sertão''. O sepultamento do religioso atraiu também políticos de todas as tendências, entre eles o governador Mendonça Filho (PFL) e o ex-ministro Eduardo Campos, candidato do PSB a governador de Pernambuco.

“Dom Francisco/quanta saudade/o senhor deixou entre nós/ hoje vivo em nossa luta/ /dá mais força  à nossa voz/ defendeste o pobre sem voz/fosse a voz de todo o sertão / somos gratos ao teu amor/pelo povo do nosso torrão/Pajeú chorando saudoso/em silêncio de oração/obrigado velho querido/pai aguerrido de bom coração”, cantavam milhares de admiradores do bispo. Em meio a forte emoção, o senhor José Florentino Correia, mais conhecido como Tota Flor, de 91 anos, morreu durante o enterro, vítima de um infarto fulminante.

Cada sertanejo homenageou dom Francisco no seu estilo.“Era uma pessoa boa. Defendeu muito a gente. É o pai da gente”, definiu a sertaneja Francisca Marques da Silva, da comunidade de Saco da Serra, zona rural de Afogados da Ingazeira. Bispos da Regional Nordeste 2 da CNBB estiveram presentes. A concelebração foi presidida pelo Bispo Diocesano Dom Frei Luis Gonzaga Silva Pepeu, sucessor de Dom Francisco, a quem sempre tratou como “pai e conselheiro”.

Dom Luis revelou parte do texto deixado por Dom Francisco em testamento. “Digo, humildemente, como São Paulo : Combati o bom combate. Terminei a minha carreira. Guardei a fé. Peço a Deus por intercessão de Maria o perdão dos meus pecados. Seja feita em tudo a vontade de Deus em cujas mãos me entrego”.

O governador Mendonça Filho veio acompanhado de lideranças políticas locais e participou da celebração. Seu adversário, Eduardo Campos, também veio e ficou o tempo todo em companhia do prefeito de Afogados da Ingazeira, Totonho Valadares, aliado político. As informações estão no site do comunicador Nill Júnior, da Rádio Pajeú.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Hélio noronha

Convivi com Dom Francisco, conversei com ele, ouvi suas opiniões. Não era visionário: era homem de ação, de luta, de enfrentamento em defesa dos oprimidos. Foi a voz ativa do Sertão na luta contra os males do "sistema" que privilegia o capital em detrimento do homem. O mesmo que quer voltar agora...


13° Bolsa Familia

09/10


2006

Homem morre durante enterro de Dom Francisco

No último adeus a dom Francisco de Mesquita, sepultado hoje à tarde em Afogados da Ingazeira, o sr. José Florentino Correia, conhecido por Tota Flor, de 91 anos, não resistiu à forte emoção e morreu em pleno enterro, vítima de um infarto fulminante. A informação está no site do comunicador Nill Júnior, da Rádio Pajéu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro

09/10


2006

Mendonça declara apoio a Alckmin e parceria com Lula

Depois de um primeiro turno sem se referir, no programa eleitoral do rádio e televisão, ao aliado candidato a presidente, Geraldo Alckmin (PSDB), o governador e candidato à reeleição Mendonça Filho (PFL), disse hoje que o tucano é o seu candidato à presidência. Mas fez questão de frisar que o governo de Pernambuco mantém parcerias com o governo Lula. ''Acima das cores partidárias está o povo pernambucano'', arrematou.

A declaração de voto foi repetida em uma das inserções da televisão, enquanto o seu opositor, o ex-ministro da Ciência e Tecnologia, Eduardo Campos (PSB), destacou sua intimidade e entendimento com o presidente, que tem larga e expressiva preferência do eleitorado nordestino.

''Vou ter a felicidade de trabalhar com meu amigo presidente da República que quer tanto bem a Pernambuco''. Eduardo afirmou que o presidente o conhece, sabe da sua capacidade de trabalho, de disciplina, de sua condição de reunir pessoas eficientes para traduzir o discurso em ação concreta.

E realçou ''ser este o momento de Pernambuco afirmar sua tradição guerreira, de preocupação com o Brasil''. Avaliou que ''será muito bom'' para Pernambuco ter dirigentes comprometidos - em todos os âmbitos - com uma mesma forma de trabalhar e com os mesmos compromissos com os mais pobres: Lula no Palácio do Planalto, ele no Palácio do Campo das Princesas e o prefeito do Recife, João Paulo (PT), um dos coordenadores da campanha de Lula. Informações do Portal G1.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Raimundo Eleno dos Santos

MENDONCÍNICO, esse é o meu nome. COVARDE E OPORTUNISTA são outros nomes que me identificam. E aí Mão-de-oncinha, tá ligado?

LandRover

Essa atitude de mendonça Filho me faz lembrar "Dona Flor e seus Dois Maridos". Mendoncinha, não se serve a dois senhores ao mesmo tempo. Ou seja: Alckmim ou Lula. Decida-se, antes de borrar as calças.

Deweler

Oque foi que teve que os pseudo-socialistas estão tão quietos será que foi o Guia? sera que foi o Fantasma dos precarotios? ou será que ja sabem a nova bomba que está chegando? pois podem se juntar toda oposisão que o povo sabe oque vcs fizeram aqui e em brasilia!!

milton tenorio pinto junior

E Joaquim Francisco? Se eu fosse ele,pela amizade que tem com a familia Arraes,iria apoiar Eduardo. Ainda mais pelo tratamento que foi dispensado pela Pseudo-Aliança!!!!!!!!!!!



09/10


2006

Debate termina com notícias importantes

Terminou o debate político na Melodia FM, e um dos mais produtivos e informativos da série. Participação do repórter Adriano Roberto e muito noticiário. Voltará amanhã.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

milton tenorio pinto junior

Fernando Lyra,conhece bem o Brasil.Foi um lutador na época da ditadura,para que voçê José fale com toda a liberdade que queira.Pelo que Fernando Lyra fez pela democracia nesse Pais,merece mais respeito!!

José Rodrigues da Silva

Existem melhores "comentaristas" que Fernando Lira, Magno. Não use nossos complacentes ouvidos para aturar bobagens!


Magno coloca pimenta folha

09/10


2006

Ex-ministro está no debate e defende Lula

O blog entra agora com o ex-ministro Fernando Lyra, com Magno Martins, signatário deste blog, questionando sobre o debate de ontem, achando o ex-minisro que Lula se saiu bem. Leiam. O assunto rende e é quente.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

09/10


2006

Brasília entra no debate da Melodia FM

Entra Brasília no debatge da Melodia FM, com o repórter José Maria Trindade. São notícias quentes que valem à pena ouvir. Se liguem.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/10


2006

Câmara não consegue votar MPs que trancam a pauta

Como já era esperado, os corredores da Câmara dos Deputados ficaram completamente vazios nesta segunda-feira. A tentativa de ''esforço concentrado'' proposta pelo presidente da Casa, Aldo Rebelo (PC do B-SP), foi em vão. Não houve quorum para a votação das oito Medidas Provisórias que trancam a pauta de votações da Câmara.

Segundo a repórter do blog em Brasília, Ana Silveira, o próprio presidente da Câmara admitiu que vai ser difícil realizar votações esta semana. Com o feriado na quinta-feira e as campanhas ao segundo turno em pleno vapor, os deputados ficaram em suas bases eleitorais nos estados.

Se a Câmara seguir o exemplo dos três meses de recesso branco que antecederam o primeiro turno, quando poucas votações foram realizadas, as medidas provisórias devem esperar até o final do segundo turno para serem apreciadas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/10


2006

Debate da Melodia ouve mais um publicitário

No debate político da Melodia FM, o publicitário Tonico Araujo também elogia o debate de ontem entre os presidenciáveis. Magno passa a informação de que mais de 60% por cento das pessoas votaram favoravelmente à vitória de Alckmin no debate, em pesquisa realizada pelo blogueiro Ricardo Noblat. Tonico concorda com a pesquisa. Sintonize a Melodia 106.9 FM e fique em dia com a atualidade política do momento.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/10


2006

No debate da Melodia publicitário dá sua opinião

Está no ar o debate da Melodia FM, com Magno Martins questionando o publicitário José Nivaldo Júnior, que discorda da opinião de alguns marqueteiros de que o debate presidencial de ontem não foi bom. Para ele, foi dos melhores. Ainda há tempo, o debate começou agora, se ligue. Melodia 106.9 FM.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/10


2006

Começa debate na Melodia FM

Começou o debate político do signatário deste blog, jornalista Magno Martins, na Rádio Melodia FM, que já está se transformando numa referência no rádio pernambucano no horário. São convidados de hoje o publicitário José Nivaldo, o ex-ministro Fernando Lyra e o publicitário Tonico Araújo. O tema de fundo será evidentemente o debate de ontem à noite entre os presidenciáveis Geraldo Alckmin(PSDB) e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva(PT).

 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/10


2006

Começa daqui a pouco o Debate Político na Melodia

 Já estou nos estúdios da Rádio Melodia FM 106.9, no Recife. Daqui a pouco, você pode acompanhar, de onde estiver, pela internet, o programa Debate Político, ancorado pelo signatário deste blog. Basta clicar aí ao lado no banner da Melodia. Obrigado pela audiência!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

REVERENDO

MAGNO: PERGUNTE POR FAVOR A EDUARDO SE SEVERINO VAI ESTAR NO GUIA DELE NO SEGUNDO TURNO OU ELA VAI CONTINUAR EXCLUÍDO.

Jussara Regina

Magno, por favor. Comente sobre MIlton Coelho. Por que ele está sumido do segundo turno? Não vair coordenar nada na campanha de Dudu não?



09/10


2006

Lula, pergunte ao churrasqueiro: ele sabe tudo

 Deixei para postar agora, ''só no final da tarde, o meu comentário sobre o debate de ontem na Band, entre Lula e Alckmin. Não dá para afirmar quem ganhou. Dá para concluir, entretanto, que o presidente ficou o tempo inteiro na defensiva e não explicou absolutamente nada.

 

A começar, vale enfatizar, pela origem do dinheiro do dossiê, a primeira pergunta feita por Alckmin. Lula dava um ator global perfeito. É um artista diante da tevê. Seu lero-lero só é aceitável e digerido pelos seus asseclas ou então por alguém que tenha alguma dependência fisiológica ou coisa que valha direta do seu governo.

 

Acossado sobre os R$ 1,7 milhão que o partido dele – PT – manipulou para pagar um dossiê contra José Serra, governador eleito de São Paulo pelo PSDB, Lulinha, fiel ao seu estilo “não sei de nada”, chegou a dizer que não era policial, mas presidente da República. Dá para acreditar?

 

Dá, sim. Lula faz o povo de bobo. Foi assim no escândalo envolvendo Waldomiro Diniz, em seguida no mensalão, passou pela vampiragem, chegou aos R$ 5 milhões que o filho embolsou da Telemar e vai por aí afora. Arrogante, Lula estava visivelmente nervoso, agressivo e impaciente.

 

Usou a estratégia de dizer que o dossiê fora uma obra maquiavélica da oposição para roubar-lhe a reeleição logo no primeiro turno. Pelo debate de ontem, Lula é franco favorito a exibir o troféu “Óleo de Peroba”.

 

Nunca vi tamanha cara-de-pau. A Polícia Federal, que já sabe de onde veio o dinheiro (segundo Roberto Jefferson, ainda é sobra do mensalão ), vai esconder a verdadeira versão até o fim da eleição. Mas, bem que Lula poderia fazer um pequeno esforço e perguntar ao seu churrasqueiro Jorge Lorenzetti.

 

Ele sabe de tudo. Nem precisa o presidente esperar pela Polícia Federal. Afinal, Lorenzetti foi quem armou toda a operação e, amigão do peito do presidente, como o é, certamente não faria tamanha traição, nem seria igualmente covarde, para não deixá-lo inteiramente informado das coisas.

 

Alckmin soube bater nas feridas de Lula e do seu governo, passou mais credibilidade e preparo. Lula estava tão nervoso que precisou ler as perguntas. Mas, como é sabido em política, dominou uma parte do debate quando jogou a casca de banana do Governo FHC, que não é referência para ninguém, trazendo para ele o debate que mais interessava: fazer comparações com o antecessor.

 

Ouvi, hoje, pela manhã, um cientista político de Brasília afirmar na CBN que o debate foi fraco, porque os candidatos não apresentaram propostas. Ora, o que esperar de um primeiro debate com o presidente, que fugiu de todos os confrontos no primeiro turno?

 

Forçá-lo a dar explicações sobre os diversos escândalos do seu governo. Elementar, meu caro. São tantos, aliás, que o Governo petista, nessa área, é um forte concorrente a entrar no Livro dos Recordes.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Carlos-Serra Talhada

Mais Magno, cada dia que passa vc nos surpreede mais com tanta parcialidade

Drácula

INOJOSA SEU INOJENTO.. ESSA FRASE É DO MACACO SIMÃO VIU? EU JÁ COLOQUEI OUTRO DIA...NÃO SE APODERE DELA....HAHAHAHAHAHA

Francisco Filho

MAGNO VC ESQUECEU DE MENCIONAR A ENTREVISTA DE MARTA SUPLICY, LOGO APÓS O TERMINO DE DEBATE. É UMA CENA DIGNA DO YOU TUBE. A MULHER ESTÁ UMA COISA HORRIVEL. FACE REPUCHADA, CABELO DEFORMADO. COMO EU ESTAVA MUITO CANSADO, PENSEI QUE HAVIA DORMIDO E ACORDADO EM PLENO FILME DE TERROR.

José Rodrigues da Silva

CUIDADO! UM XUXU BEM ! "COLOCADO" NO... DOI E MUITO! É O QUE DIZEM!!!

Hélio noronha

Ô Magno, por acaso o Chuchu explicou alguma coisa do bloqueio das CPI estaduais? da Venda da distribuidora de energia de São Paulo? do desvio de verbas da Nossa Caixa??? Que é isso Companheiro... Como vc vai fazer quando o jarbas for Ministro do LULA?? vai aderir?



09/10


2006

Oposição comemora desempenho de Alckmin no debate

A repercussão do debate entre Lula e Alckmin dominou todas as conversas no Congresso Nacional esta tarde. Mesmo com os corredores vazios, os poucos parlamentares que retornaram a Brasília não pouparam críticas e elogios ao seu respectivo candidato, como relata a repórter do blog em Brasília, Ana Silveira.

A oposição está eufórica com o desempenho de Alckmin. Nem os mais otimistas acreditavam que o tucano, sempre tão calmo e na defensiva, fosse partir para o ataque contra Lula. O senador Heráclito Fortes (PFL-PI) resumiu o sentimento da oposição: ''Essa história de que o candidato era chuchu, todo mundo achava que o debate seria insosso e se surpreenderam quando ele virou pimenta. Eu mesmo fiquei surpreso'', reconheceu.

Os governistas, por outro lado, passaram o dia afirmando que Alckmin foi muito agressivo contra Lula. O líder do PT na Câmara, deputado Henrique Fontana (RS), disse que Lula adotou postura ''agressiva e desrespeitosa''. Na opinião do líder, Lula acabou sem apresentar propostas mais concretas diante dos ataques firmados por Alckmin. ''Esse tipo de baixaria não contribui para o processo eleitoral'', criticou.

O líder do PFL no Senado, José Agripino (RN), rebateu as críticas de Fontana. Segundo o pefelista, Alckmin não foi arrogante, e sim ativo. ''Se ele é cordato, dizem que é chuchu. Se ele é incisivo, ele é arrogante. Ele cumpriu o papel dele'', elogiou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


09/10


2006

Eduardo Campos no Frente a Frente hoje

 O candidato a governador de Pernambuco pelo PSB, Eduardo Campos, é o meu entrevistado, hoje, no Frente a Frente, na Net Recife, canal 14. O programa é ao vivo e começa às 22 horas, com duração de uma hora. O telespectador poderá fazer perguntas pelo fone 3428.0821 ( o prefixo é 81).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

José Carlos-Serra Talhada

E podem esperar que aqui em Serra Talhada vai ser muitos dessa forma, não vai ser só meu vota não

José Carlos-Serra Talhada

Mais um voto que Eduardo perdeu, foi o meu,pois não voto onde o Gago está.

Francisco Filho

NINGUEM MERECE ESSE TAL ARY SIQUEIRA. O CARA É PRA LÁ DE CHATO. PARECE UM ROBOT PROGRAMADO PARA DEFENDER EDUARDO CAMPOS. O CARA NÃO TEM OPINIÃO PROPRIA. COPIA DE ALGUM LUGAR ESSA CHATICE QUE ELE PENSA ESTAR ABAFANDO

concluiu o processo, dando a Eduardo absolvição por unanimidade. O que inclusive, o Lula não fez, pois esse governo mete o pau na gestão dio Lula, e o Lula com sua sabedoria e pensamento muito mais avançado do que FHC que apesar de ter Phd e Mestrado, foi incompetentíssimo no social.

senadores, pois pernambuco estava totalmente sem verbas por revanchismo da oposição liderado po Mendoncinha. Então procuramos uma forma em saldar as dívidas do estado, e encontramos está dos precatórios, que por sinal foi a mais viável, e resolvemos vários problemas sérios. Tanto, que a justiça