Faculdade de Medicina de Olinda 2

17/10


2019

Geraldo participa de Cúpula Internacional na Alemanha

O prefeito Geraldo Julio participa da I Cúpula Internacional de Cidades Amigas da Criança, em Colônia na Alemanha, que acontece até o próximo dia 18 de outubro. O prefeito foi convidado para o evento pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), realizadora do encontro que vai reunir na cidade alemã, líderes, especialistas, crianças e jovens com o intuito de apoiar cidades e comunidades em todo o mundo para promover, discutir e garantir os direitos das crianças. O vice-prefeito Luciano Siqueira assume a Prefeitura do Recife, durante a participação do prefeito no evento.

Dentro da programação do evento, hoje, o prefeito Geraldo Julio participa da conferência Cidades Amigas da Criança em um contexto de Mudança Climática. No período da tarde, o prefeito se encontra com gestores de cidades da América Latina e Caribe, e participa ainda de mesa redonda, a convite da prefeita de Colônia, Henriette Reker.

A Prefeitura do Recife vem se destacando nas políticas públicas para a promoção da Primeira Infância. Em 2018, o prefeito sancionou o Marco Legal da Primeira Infância. O documento direciona as atenções para as crianças de 0 a 6 anos e demarca as diretrizes sobre as políticas públicas que garantam o desenvolvimento integral dos pequenos cidadãos, assegurando também os direitos das famílias grávidas. O marco reúne 14 eixos, que versam sobre a dignidade da pessoa humana; valorização da vida; prioridade absoluta da criança na primeira infância; promoção do desenvolvimento integral da criança até os seis anos.

Entre as ações de destaque estão o atendimento humanizado no Hospital da Mulher do Recife, a Semana do Bebê do Recife, que na sua 5ª edição realizada este ano já reuniu mais de mil ações em prol da Primeira Infância, os Compaz, os programas Mãe Coruja Recife, Mais Vida nos Morros, Geração Afeto, entre outros.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Detran

17/10


2019

O fim da era dos jornais centenários

Por Tonico Magalhães*

Duvido que daqui a 100 anos alguém vá ler num blog um texto apresentado desta forma. Primeiro, os blogs neste formato dificilmente vão existir e, segundo, o leitor terá várias opções de visualização e até mesmo no formato audiovisual, dispensando o uso de palavras escritas.

Esta reflexão acontece por causa de uma exposição que abrirá amanhã na Fundação Joaquim Nabuco sobre os jornais centenários do Brasil e de Portugal. São 52 periódicos com mais de 100 anos em plena atividade - como os nossos Diário de Pernambuco (1825) e o Jornal do Commercio (1919) – que se mantiveram como guardiões da história desses dois países, como disse o presidente da Fundaj, Antonio Campos. Uma memória duradoura contida em folhas de papel de imprensa.

A mostra vem calhar no momento em que a imprensa escrita – jornais e revistas – começa a fraquejar com a falta de leitores e anunciantes, que se deslocaram para os noticiários da Internet e redes sociais, deixando aqueles veículos tradicionais sem muitas opções para sobreviver.

Na exposição se observa a força dos jornais junto à sociedade de cada época. Como o debate político ou comportamental agitou as pessoas, como revolucionou cidades, como derrotou tiranias, como apressou a chegada da modernidade, enfim, como impulsionou essa gente à Era da Internet, um período fatal e também transformador para esta imprensa.

Há milhares de anos a história da humanidade vem sendo registrada pela escrita em papel ou pergaminho com aspectos duradouros. Por esses documentos, inclusive pelos jornais, foi possível a reconstituição da trajetória do homem sobre a terra. Mas essa forma exclusiva de arquivamento está esgotada, sendo substituída pela digitalização de papéis antigos e a guarda dos nascidos digitais. E não se sabe até que ponto estes arquivos eletrônicos são seguros. Uma dúvida para o tempo. A incerteza do guardião.

A sociedade também está preocupada com a trajetória da imprensa como se conhecia, uma vez que existe hoje um excesso de personas intermediadoras do processo informativo. Umberto Eco, escritor e filósofo italiano já falecido, crítico do papel das novas tecnologias no processo de disseminação de informação, alertou que as redes sociais dão o direito à palavra a uma "legião de imbecis" que antes falavam apenas "em um bar e depois de uma taça de vinho, sem prejudicar a coletividade".

Neste período, enfraqueceu o papel do jornalista na seleção e edição de notícias. Hoje todos falam e têm opiniões diversas sobre os mais variados temas. Cabe ao leitor, se quiser se informar corretamente, levar em conta quem transmite a informação, valor que remete aos tempos dos centenários jornais impressos: o redator ou provedor de conteúdo ainda tem a palavra abalizada.

Como jornalista vivi toda essa transição, da máquina de escrever, da linotipo (veja no Google essa forma pré-histórica de impressão), passando pelo off set, pelos computadores na redação, pela Internet até pelo home office, de onde escrevo agora. E posso assegurar que podem mudar as formas de levar notícias ao público, mas o bom e honesto conteúdo é o que garante a permanência da imprensa no cenário humano.

A exposição sobre jornais centenários brasileiros e portugueses é uma iniciativa da Associação Portuguesa de Imprensa e da Associação de Imprensa de Pernambuco em parceria com a Fundação Joaquim Nabuco. Ela fica aberta até 17 de novembro na galeria Baobá, no campus da Fundaj em Casa Forte.

*Integrante da Cooperativa de Jornalistas de Pernambuco


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bolsonaro diz que o PSL é uma quadrilha. O PSL diz que Bolsonaro é um bandido. E eu concordo com os dois.


13° Bolsa Familia

17/10


2019

Prefeito de Angra desmistifica riscos

Presente ao encontro com a comissão parlamentar de Pernambucano nas usinas de Angra, o prefeito do município, Fernando Jordão (MDB), fez um alerta. "Estamos convivendo com duas usinas nucleares em Angra há 44 anos, nunca tivemos um acidente. Temos que acabar com mitos. Se usina nuclear afetasse o meio ambiente não seríamos o maior produtor de sardinha do País, afirmou.

Segundo ele, a população convive em plena harmonia com as usinas, mora perto ao complexo, tem casas de veraneio e até extensão de condomínios", afirmou. Prefeito no terceiro mandato, Fernando disse que as usinas nucleares de Angra mudaram completamente o perfil econômico e social do município.

"Energia nuclear aqui é sinônimo de desenvolvimento e atração turística", disse. Fernando revelou que conheceu Eduardo Campos e que ele veio à Angra para conhecer o sistema nuclear.

Sobre a apreensão da população de Itacuruba, o prefeito de Angra mandou a seguinte mensagem: "Prefeito, se envolva com a comunidade e lute pela usina, porque Angra  gera energia atômica com segurança. Hoje, fornecemos energia para 40% do Estado do Rio. O Nordeste tem carência de energia e precisa desenvolvimento".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro

17/10


2019

As razões para usina nuclear em Itacuruba

O presidente da Eletronuclear, Leonam Guimarães, disse, há pouco, que não há nenhuma definição da instalação de uma usina atômica em Itacuruba, no Sertão pernambucano.

"Estamos estudando seis sítios nucleares no Brasil, sendo três no Nordeste – Itacuruba, em Pernambuco, Poço Redondo, em Sergipe, e Penedo, em Alagoas", afirmou. 

Itacuruba, segundo ele, saiu na frente por ter as melhores condições técnicas e interesse governamental, na época sob a responsabilidade do ex-governador Eduardo Campos. Leonam revelou que foi estudada ainda a cidade de Belém do São Francisco, com mais aceitação pela população, segundo pesquisa de opinião na época. 

"Houve muita desinformação que amedrontou a população de Itacuruba, principalmente em relação ao fator saúde e risco de poluição", afirmou. Leonam disse que outro fator que pesa em favor de Itacuruba é sua possível instalação em terras da Chesf.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


17/10


2019

Heron Cid integra Conselho na Câmara Federal

Portal Mais PB

O jornalista Heron Cid, presidente da Associação das Mídias Digitais da (AMIDI) e diretor-geral do Portal MaisPB, passou a integrar, ontem, o Conselho Consultivo de Comunicação Social da Câmara dos Deputados. O conselho é presidido pelo deputado federal Damião Feliciano (PDT-PB).

O paraibano foi designado como um dos representantes da sociedade civil juntamente com presidente do Observatório Social do Brasil, Ney da Nóbrega Ribas, e a coordenadora do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação, Renata Vicentini Mielli.

O Conselho foi criado pelo presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), em junho passado, e é composto por cinco parlamentes, entre eles o ex-ministro Orlando Silva (PCdoB-SP), além de dois servidores da Câmara e três representantes da sociedade civil.

O intuito é propor o estabelecimento e a atualização da política de Comunicação da Câmara, opinar, quando provocado por qualquer membro do Conselho, sobre a linha editorial de produção, programação e projetos da Secretaria de Comunicação Social e da Secretaria de Participação e Mídias Digitais, e zelar pelo respeito à diversidade se opiniões e à pluralidade partidária na linha editorial dos veículos de comunicação da Câmara.

Com atuação profissional em todas as mídias há 12 anos, Heron Cid é um dos jornalistas mais conceituados da Paraíba. Além de dirigir o Portal MaisPB, o marizopolense acumula passagens por dois dos grandes sistemas de comunicação do estado: Correio e Arapuan.

Na Correio, foi âncora do radiofônico Correio Debate, apresentador na TV e colunista no jornal impresso da mesma empresa. Recentemente, o jornalista integrou os quadros do Sistema Arapuan de Comunicação, sendo responsável pela criação dos programas 60 minutos, líder de audiência no horário das 18 horas no rádio, e o semanal Frente a Frente, na TV. Ele mediou os principais debates eleitorais da televisão e radiofonia paraibana desde 2012.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Magno coloca pimenta folha

17/10


2019

Quebrando tabus e mentiras

O presidente da Eletronuclear, Leonam Guimarães, faz uma palestra quebrando muitos tabus em relação ao preconceito arraigado na sociedade contra energia nuclear. Ele disse, por exemplo, que já existem usinas no mundo que já dessalinizam a água do mar para consumo e distribuição da população. "Isso mostra que não existe nenhum risco de contaminação do Rio São Francisco como os mais desavisados imaginam", disse.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

17/10


2019

Presidente da Eletronuclear abre exposição

O presidente da Eletronuclear, Leonam Guimarães, abriu, há pouco, sua explanação sobre o funcionamento das usinas nucleares de Angra 1 e 2, em Angra dos Reis, para a comissão parlamentar de Pernambucano, em visita ao complexo gerador de energia nuclear.

Segundo ele, Angra 1 e 2 têm um faturamento, hoje, de R$ 3,6 bilhões por ano. Toda energia produzida é vendida para várias distribuidoras, tendo no início operado com exclusividade para Furnas. Leonam falou também da cultura de segurança do sistema nuclear, destacando a importância da comunicação e fiscalização por parte da Comissão Nacional de Energia Nuclear, Ibama, Agência Internacional de Energia Atômica e a World Association of Nuclear, com visitas periódicas.

No mundo, segundo ele, existem 449 usinas nucleares em funcionamento. A Slovenia, Estados Unidos e Romênia lideram. A França já gera, hoje, mais de 80% da energia consumida no País. No momento, existem 56 usinas em construção no mundo, estando China na dianteira.

Daqui a pouco, mais informações.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


17/10


2019

Comissão inicia visita a usina nuclear


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha