Faculdade de Medicina de Olinda 2

14/10


2019

Coluna desta segunda na Folha

Bolsonaro quer abrir caixa preta

Bolsonaro endureceu o jogo com Luciano Bivar. Passou a defender como bandeira principal a abertura da “caixa preta” dos fundos eleitorais e partidários do PSL, sob o controle absoluto do deputado pernambucano, a quem acusa de administrar a dinheirama de forma autoritária e coronolesca.

O presidente acha que é dinheiro demais – algo em torno de R$ 1 bilhão entre os anos de 2019 a 2022, somando-se as reservas eleitorais e partidárias (são dois fundos, portanto duas receitas) – para ficar apenas sob o domínio de uma só pessoa. Sugere que Bivar socialize as contas e pede que a sigla aja com transparência, alegando que as contas partidárias estão em situação grave.

“A gente quer transparência. Eu não quero que estoure um problema e depois a imprensa me culpe ‘ah, você não sabia? ”. O desabafo de Bolsonaro soa como mera perseguição a Bivar, um jogo do tudo ou nada para enxotá-lo do PSL e assumir o seu controle.

Petrolina no pacote – Em sua conta no Twitter, o presidente Bolsonaro, ao destacar, ontem, o programa de privatizações de aeroportos, incluiu o de Petrolina, no Sertão do São Francisco. Talvez seja a saída para acabar com o monopólio e carestia da Azul Linhas Aéreas, que cobra tarifas exorbitantes entre Recife-Petrolina. A passagem é mais cara do que o trecho Recife-Brasília.

Cair na real – Se quiser ser candidato a prefeito do Recife, o deputado Túlio Gadelha (PDT) está sendo aconselhado por aliados a mergulhar fundo nos problemas da cidade. E nos finais de semana trocar os holofotes com Fátima Bernardes em restaurante e baladas por caminhadas na periferia, para discutir o drama das chagas sociais e alternativas para reduzir o fosso.

Candidato – Cresce em Arcoverde um movimento popular para convencer o delegado Israel Rubis, transferido da Regional do Moxotó pelo governador para Vitória de Santo Antão e obrigado a retornar por liminar judicial, a se filiar a um partido e entrar na disputa pela Prefeitura. Já existem pesquisas internas de que seria imbatível. O xerife, no entanto, recua.

Pecado fiscal – O ex-secretário de Saúde de Olinda na gestão de Luciana Santos (PCdoB), João Veiga, cometeu um pecado fiscal que levou o TCE a rejeitar as contas da hoje vice-governadora. A corte aplicou ainda ao médico uma multa de R$ 77 mil para quitar em até 15 dias.

Bagunça – Belo Jardim paga um preço caro com a eleição do prefeito Hélio dos Terrenos (PTB). Mais uma vez, a cota do FPM do último dia 10 chegou zerada aos cofres do município. Enquanto isso, o trabalhista já torrou cerca de R$ 500 mil com diárias, entre janeiro e julho deste ano.

PETROLINA – De passagem pelo Recife, o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, a caminho do MDB, faz uma visita, hoje, ao presidente do Grupo EQM e desta Folha, Eduardo Monteiro. Filho do senador Fernando Bezerra, Miguel se revela com visão moderna e empreendedora.

Perguntar não ofende: A Finatec deixou João Paulo (PCdoB) inelegível para disputar a Prefeitura de Olinda?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bozonaro diz que o PSL é uma Quadrilha. O PSL diz que Bozonaro é um Bandido. E eu concordo com os dois!

marcos

Primeira pesquisa mostra que Luciano Hulk nas classes c e d, à cada 5 votos de Lula ele tira 3. Daí a loucura de Gleisi hojw nas redes. O PT já começa tomando no cu. kkkkkk

marcos

Lula e mais 170 mil bandidos podem ser soltos à partir de quinta feira, é o STF abrindo as portas do INFERNO.

Fernandes

O ministro do Turismo não cai porque, se cair, derruba Bolsonaro.

marcos

Magno não foi a Finatec que deixou João Paulo inelegível foi o ROUBO que ele fez na Finatec!


Detran

14/10


2019

O Cid Moreira da radiofonia pernambucana

Acordei com a notícia da morte do radialista Agenor Farias, 78 anos, da Rádio Cultura de Caruaru, através de comunicado enviado pelo meu amigo Almeida Júnior, diretor da emissora, integrante da Rede Nordeste de Rádio, que retransmite o meu programa Frente a Frente.

O Brasil perde uma vozes aveludadas mais bonitas que já conheci. Carinhosamente, o tratava de Cid Moreira tupiniquim. Dava gosto sintonizar a Cultura no meu carro em direção a Caruaru. Ele apresentava um programa de forró ao final da tarde, antecedendo o Frente a Frente.

Na primeira vez que estive nos estúdios da Cultura, fui a ele apresentado por Almeida Júnior. A iniciativa foi minha, porque adentrei na emissora perguntando a Júnior quem era o locutor que estava no ar, impressionado com a tão bela voz que vinha ouvindo até chegar às instalações da rádio.

Muito prazer, bradou o velho Agenor, sem muitas delongas. Com o tempo e minhas constantes idas a Caruaru para ancorar o Frente a Frente ao vivo dos estúdios da Cultura, Farias foi se achegando e um dia me confessou: "Sou seu fã". A revelação foi um dos maiores estímulos que recebi em toda minha carreira atrevida em rádio. Afinal, não sou radialista na sua essência. Confesso que acho minha voz horrível e morro da boa inveja de quem, como Agenor Farias, conquista corações com o vozeirão.

Mas não basta ter apenas a voz encantadora. Como o violão, tem que afinar antes, empostar palavras, aumentar o tom na hora certa, as vezes cantar como passarinho. Agenor tinha todos esses predicativos.
Amava o rádio. A Cultura, seu primeiro e único emprego, era prolongamento do seu lar, a segunda família, o chão onde batia os pés fortes e dele fecundava inspiração.

 

Uma pena que não tenha, ao longo de uma longa trajetória, emprestado a sua bela voz a outros microfones brasileiros. A Cultura nunca abriu mão do seu passe e Caruaru, sua grande paixão, também é uma grande culpada.

Descansa em paz, Agenor Farias!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

13° Bolsa Familia

14/10


2019

Aras na PGR ajudará projeto de Tofoli de acelerar obras

Chegada de Aras à PGR dá força a projeto, e Toffoli prepara mutirão de julgamentos para destravar obras.

Foto: Pedro França/Agência Senado                                                            Foto/fonte: Plantão Brasil

Folha de S. Paulo - Painel

Por Daniela Lima

 

Apontado como meta logo no início da gestão de Dias Toffoli na presidência do Supremo, o projeto de acelerar a solução de impasses judiciais que travam obras em todo o país entra agora em fase executiva. O ministro esteve semana passada no TCU em reunião com integrantes da corte e representantes de tribunais de contas estaduais. Com o apoio da PGR, foi montado um grupo de trabalho. A ideia é iniciar um mutirão de julgamentos para destravar os empreendimentos.

Os tribunais de contas apresentaram a Toffoli uma lista de obras que estão paradas. As prioridades são empreendimentos de grande valor e também de forte impacto social. Mais de duas mil creches estão inconclusas no país por processos judiciais. A ideia é começar por aí.

A chegada de Augusto Aras à Procuradoria-Geral da República deve dar impulso ao projeto de Toffoli. O atual comandante da PGR já disse que está disposto a imprimir nova marca na ação do Ministério Público, sob o discurso de que a instituição deve apontar caminhos e não apenas problemas.

No TCU, Toffoli sugeriu que há um “alinhamento de astros” e pediu engajamento no cumprimento de metas para solução de impasses, seja por conciliação seja por julgamento.

Uma das propostas é fazer com que empresas que estão em débito com a Justiça paguem seus passivos com prestação de serviços, finalizando empreendimentos hoje paralisados.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Limoeiro

14/10


2019

Grupo fará ação contra serviço militar obrigatório

Grupo liberal se baseia em caso de um associado seu que foi dispensado de servir por se dizer filosoficamente contra a atividade.

Foto: José Cruz/Agência Brasil

Folha de S. Paulo - Por Mônica Bergamo

 

O movimento liberal Livres vai iniciar uma campanha contra o serviço militar obrigatório baseada no caso de um associado seu que foi dispensado de servir às Forças Armadas por se dizer filosoficamente contra a atividade.

Emerqui da Cruz Aguiar, 20, de Juara (MT), citou “imperativo de consciência” para ser liberado. A medida é prevista na Constituição, que atribui “serviço alternativo” a alistados que aleguem “imperativo de consciência [para exercer atividade militar]” como crença religiosa, convicção filosófica ou política. 

Uma lei de 1991 estipula como serviço alternativo atividades de caráter administrativo, assistencial, filantrópico ou produtivo. Mas ele nunca foi implementado. Aguiar recebeu dispensa do serviço alternativo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


14/10


2019

Ala do PSL quer auditar contas de evento conservador

Ala do partido que faz frente a Bolsonaro no PSL quer auditar contas de evento conservador.

Foto/fonte: O tempo

Folha de S. Paulo -Painel
Por Daniela Lima

 

Um grupo de deputados do PSL fará pedido formal à direção do partido para que sejam detalhados os gastos da primeira edição brasileira da Cpac (Conservative Political Action Conference), organizada por Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), em SP.

Usando o mesmo discurso dos aliados de Jair Bolsonaro, essa ala vai cobrar transparência sobre o uso do fundo partidário para bancar o evento. Segundo esses parlamentares, a conferência custou mais de R$ 1 milhão aos cofres da sigla e teria servido de palanque ao filho do presidente.

Os deputados Alê Silva (PSL-MG), Bibo Nunes (PSL-RS) e Carla Zambelli (PSL-SP) estão no topo da lista dos que devem ser expulsos do partido nos próximos dias.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Magno coloca pimenta folha

14/10


2019

Deputada do PSL que atacou sigla mira o Podemos

Deputada do PSL que disse que seu partido "só quer dinheiro" quer se filiar ao Podemos. Ela atacou a legenda após ser desistituída da Comissão de Finanças e Tributação.

Folha de S. Paulo - Painel
Por Mônica Bergamo

 

A deputada Alê Silva (PSL-MG), que chorou na Câmara na semana passada e disse que o próprio partido “só quer dinheiro” após ser destituída pela legenda da Comissão de Finanças e Tributação, quer se filiar ao Podemos. Ela foi convidada pelo senador Álvaro Dias (PR-Podemos).

Ela diz que sua retirada da comissão foi uma retaliação após anunciar a intenção de adiar a votação de um projeto que, segundo ela, beneficiaria pessoalmente o presidente da sigla, o deputado Luciano Bivar. 

O projeto garante ressarcimento de seguradoras, ramo onde Bivar atua, pelas despesas do FCVS (Fundo de Compensação de Variações Salariais). A assessoria de Bivar diz que ele não tem acompanhado as comissões por conta da agenda lotada. A votação do projeto, além disso, vem sendo adiada desde agosto e ele já não seria votado na semana passada.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner de Arcoverde

14/10


2019

IPHAN: contra trocas no instituto grupos vão ao MPF

Grupos de defesa do patrimônio vão ao MPF contra trocas no Iphan. Fórum formado por 18 entidades também solicitou audiência pública na Câmara.

Foto: fonte/Marcozeroconteúdo

Folha de S. Paulo - Por Mônica Bergamo

 

O Fórum de Entidades em Defesa do Patrimônio Brasileiro, formado por 18 instituições ligadas à preservação do patrimônio, vai entrar com denúncias no Ministério Público Federal e na Procuradoria-Geral da República contra as substituições de superintendentes estaduais do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) promovidas pelo governo federal.

“Essas nomeações não respeitam um decreto [nº 9.727] de março, que determina critérios técnicos mínimos para a ocupação de cargos comissionados do poder Executivo como esses”, afirma o presidente nacional do Instituto de Arquitetos do Brasil, Nivaldo Andrade. 

Ele também diz que o fórum já solicitou uma audiência pública sobre o tema na Comissão de Cultura da Câmara. O Ministério da Cidadania diz que não vai comentar.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


14/10


2019

Maia: Caixa rouba R$ 7 bi por ano com taxa do FGTS

Caixa rouba R$ 7 bi por ano do trabalhador com taxa do FGTS, diz Maia. Presidente da Câmara criticou a alta taxa cobrada pelo banco estatal para administrar o fundo e sugeriu quebra de monopólio.

Rodrigo Maia em entrevista para o 'Poder em Foco', programa do SBT - 14/10/2019 (SBT/Reprodução)

Da Redação de Veja

 

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que 7 bilhões de reais do lucro anual da Caixa Econômica Federal são “roubados” do trabalhador por meio da taxa de administração do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Em entrevista ao programa Poder em Foco, do SBT, na madrugada desta segunda-feira, 14, Maia criticou a alta taxa cobrada pelo banco estatal para administrar o fundo e defendeu que, caso esta taxa não seja reduzida, o governo abra espaço para que outras instituições financeiras sejam elegíveis para gerir o FGTS.

Para o deputado, o rendimento do FGTS não deveria ser utilizado pelo governo para subsidiar programas sociais, como o Minha Casa Minha Vida.

“Não é justo que o dinheiro do trabalhador, que é sócio deste fundo imenso que é o FGTS, seja usado como subsídio para construir a casa de outra pessoa”, disse. “Para o trabalhador, o FGTS pode ser a única poupança que ele tem”, declarou Maia.

Anteriormente, o parlamentar já havia criticado o monopólio do banco estatal. “Todo mundo é liberal, até a hora que mexe na sua ilha”, disse o presidente da Câmara no início de outubro.

(Com Estadão Conteúdo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha