Congresso Nordestino de Educação Médica

18/08


2012

Mensalão, o lado bom: os outros dois que vêm por aí

CARLOS BRICKMANN

 Acompanhando o julgamento do Mensalão? O caro leitor ainda terá muitas horas de TV pela frente. Há dois outros mensalões na fila, o mais antigo de todos (o de Minas, que envolve gente importante do PSDB e que aparentemente foi a matriz do Mensalão que o Supremo está julgando); o mais novo, o de Brasília, com figurões do DEM, que derrubou o governador José Roberto Arruda.

E, com bom potencial explosivo, o caso goiano: o Superior Tribunal de Justiça mandou abrir inquérito para apurar as relações entre o governador tucano de Goiás, Marconi Perillo, e o bicheiro Cachoeira


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Adilson

Cadê o republicano, quero dizer, requentando????

Adilson

e o mensalão do arruda foi só pra beneficio dele mesmo?????não financiou campanha de ninguem do DEM???conta outra.

JORGE GUERREIRO

Uma boa PERGUNTA...

Erivaldo Melo

Não adianta querer agradar a gregos e troianos, jogando todos no lugar comum. Não existe mensalão do DEM, existe mensalão do Arruda, que foi expulso do DEM. Isto demonstra a coragem e o compromisso que o DEM tem com os bons princípios. Perguntar não ofende: porque o PT e PSDB não expulsaram os seus?



18/08


2012

TV: Lula pedirá voto em Haddad citando êxito de Dilma

Fernando Haddad, sua mulher Ana Estela, Dilma, Lula e Marisa Letícia em almoço em São Paulo, em maio

Na estreia de Fernando Haddad na propaganda eleitoral na TV, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai exaltar a popularidade da sucessora Dilma Rousseff como comprovação de que suas apostas políticas dão certo. No programa previsto para ir ao ar quarta-feira, Lula pedirá que o eleitor confie na sua indicação, a exemplo do que fez nas eleições de 2010. Segundo petistas que assistiram à peça, ele aparecerá ao lado de uma foto de Dilma e perguntará se o paulistano lembra que, há dois anos, pediu voto para ela.

Depois de enumerar êxitos da presidente, Lula vai sugerir um voto de confiança em Haddad e listará feitos do candidato no Ministério da Educação, como a concessão de bolsas universitárias. A estratégia também servirá para compensar a ausência de Dilma, que não quer gravar depoimento para o candidato no primeiro turno. As cenas com o ex-presidente foram gravadas no último dia 8, em frente ao Museu do Ipiranga, e devem ser exibidas no fim do primeiro programa de TV.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

jose antonio

qual e o exito dessa doida greve geral uma porrada de ministros roubando um mensalao sendo julgado e faltando ele que seria o primeiro da lista essa doida baixando juros de que minha fatura do cartao de credito veio 14% para o rotativo 9% cheque especial vai enganar a puta que te pariu



18/08


2012

Voto, só Dilma acionando lei de São Francisco de Assis

Oposição e governistas ameaçam não votar  na próxima semana a Medida  Provisória 565 enquanto o governo não cumprir  promessa da  ministra-chefe da Coordenação Política, Ideli Salvatti, de  liberar  emendas dos parlamentares ao Orçamento. O Palácio do Planalto  avalia  que é blefe: a grana é destinada aos municípios que sofrem com a  seca. Apesar da fritura que está sofrendo do Palácio  do Planalto, o líder do  governo na Câmara, Arlindo Chinaglia, não  esquenta a cabeça. ''Nós  estamos conversando com o governo e os partidos  para chegar a uma  solução'', justifica. O petista tem até a próxima  semana para acertar a  votação da MP 565.(Blog de Luiz Carlos Azedo)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


18/08


2012

Rombo nos Transportes motivou pacotaço de Dilma

Sabe-se agora que o escândalo recente envolvendo o Ministério dos Transportes também pesou na decisão da presidente Dilma Rousseff em lançar o pacote de concessões para rodovias e ferrovias, informe Gerson Camarotti no seu blog. No seu discurso nesta quarta-feira, Dilma só citou os argumentos econômicos para defender o pacote. O discurso oficial do governo é de que em momento de crise financeira internacional é preciso buscar recursos para infraestrutura junto à iniciativa privada. Mas, segundo um auxiliar direto da presidente Dilma, que participou da elaboração do pacote, havia uma constatação no núcleo do governo de que a gestão no setor de transportes entrou em colapso.

Por isso, era preciso um novo modelo para voltar a investir em rodovias e ferrovias. Desde que a cúpula do Ministério dos Transportes caiu no ano passado, depois de denúncias de irregularidades, o Palácio do Planalto procurava uma solução para voltar a investir no setor. A avaliação interna é que o modelo de concessões deve evitar desvio de recursos públicos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


18/08


2012

É vencer pelo cansaço

Insistem as lideranças sindicais e corporativas que a greve no funcionalismo público vem sendo um sucesso. Anunciam, mas não provam, que perto de 300 mil servidores federais encontram-se parados. Pode até ser, mas surgem sinais de o movimento estar se esgotando. A estratégia da presidente Dilma, sem rejeitar a  negociação, é de vencer os grevistas pela exaustão. Pode ser que consiga. (Carlos Chagas)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


18/08


2012

A ''suavidade'' do estilo Dilma de governar

 Um exemplo do já famoso ''''estilo Dilma'''' de governar é dado por Ilimar Franco, na sua coluna do Globo: ''''Depois de meses de indecisão, a presidente Dilma optou por um nome absolutamente técnico para a presidência do Banco do Nordeste. Ary Joel Abreu Lazarin é do Paraná, tem MBA pela USP e trabalha há 25 anos no Banco do Brasil. Ele era, até ontem, diretor da rede de agências do BB. Lazarin foi convidado terça-feira de manhã, por telefone, pelo ministro Guido Mantega (Fazenda). Ontem pela manhã, foi chamado ao Ministério, para que fosse apresentado aos governadores do Nordeste. Nenhum deles conhecia Lazarin e o anúncio pegou todos de surpresa. Depois da reunião, formou-se uma fila para marcar reuniões.''''


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Jáder de Albuquerque Cordeiro

A DILMA TEM O RACIOCIONIO EXTREMAMENTE FEMININO, TEM QUE SABER LAVAR CO COZINHAR.



18/08


2012

Celebridade entre célebres; e trabalhando de graça

 O defensor  público Haman Córdova virou celebridade nos  meios jurídicos, observa Luiz Carlos Azedo no seu blog. ''''Em meio a  advogados de honorários milionários, foi o  único a obter uma vitória no  julgamento do mensalão, com base no Código de Processo Penal.  Responsável pela defesa do réu Carlos Alberto  Quaglia, alegou  cerceamento de defesa e conseguiu desmembrar a parte do processo que  acusava o réu. O suposto doleiro do mensalão será julgado em Santa  Catarina, em primeira instância.''''


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Lucidio de Figueiredo Galvão Júnior

Pagaram honorários milionários com dinheiro roubado do. Todos os réus já se beneficiaram com milhões de recursos públicos desviados, assim o velho ditado: o que vem fácil vai fácil.

José Cypriano de Lima Neto

De graça não, ele recebe 16 mil como Defensor Público.



18/08


2012

A bagunça é de lei

CARLOS BRICKMANN

 Num país em que técnico de futebol é ''professor'', professor é ''tio'', mãe é insulto e suadouro é crime, as coisas mais estranhas parecem normais. Paralisar o país é simples: basta cumprir direitinho aquilo que mandam a legislação e as normas. A isso se chama ''operação-padrão'' - ou seja, se tudo for feito rigorosamente de acordo com o padrão exigido pelo serviço, nada vai funcionar.

Até agora, tudo bem: esta é a regra básica do Brasil para principiantes. Mas aqui não seria o país do sal e do sol, em que o barquinho vai e a tardinha cai, se não houvesse a cada dia uma novidade. Pois vai lá: o Superior Tribunal de Justiça declarou que a operação-padrão da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal é ilegal. A operação-padrão, disse um ministro do STJ, ''é uma tática que provoca inegáveis perturbações no desempenho de quaisquer atividades administrativas''. Enfim, fazer o que mandam as normas é uma tremenda safadeza.

É claro que a turma do serviço público federal não está fazendo operação-padrão movida pelo incontido desejo de cumprir, item por item, aquilo que lhes é determinado por leis, portarias, despachos, etc. Eles sabem que essas normas são inviáveis e que cumpri-las equivale a fazer greve. Os magistrados também sabem que as normas são inviáveis, tanto que proíbem cumpri-las porque perturbam a tranquilidade pública e equivalem a uma greve não declarada (e ilegal).

Um dia a crise acaba. Mas pode apostar que vai continuar o absurdo das normas que, se cumpridas, paralisam tudo.

Como diria o Galvão Bueno, É BRASIL!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha